3 de junho de 2013

Projeto de retomada do Centro de Excelência está na Assembleia


Proposta pede autorização para abertura de crédito especial para a Agetop.

Sete anos após o tradicional Estádio Olímpico vir ao chão, o governador Marconi Perillo (PSDB) envia projeto de lei à Assembleia Legislativa para retomar a construção da obra, que integra o Centro de Excelência de Goiânia, situado na Avenida Paranaíba, no valor de R$ 48 milhões.

A proposta, que já tramita nas comissões técnicas, pede autorização para abertura de crédito especial para a Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop). “De acordo com detalhamento da dotação orçamentária constante do anexo I desta Lei, o recurso necessário à execução da obra decorre de operação interna com o Banco do Brasil”, justifica o governador.

O relator do projeto deverá ser escolhido já na próxima reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), na terça-feira.

Além da construção de um novo estádio, a implantação do complexo esportivo prevê um parque aquático, a reforma do Ginásio Rio Vermelho e um laboratório de capacitação e pesquisa.

Após a demolição do estádio, a obra, em parceria com o Ministério do Esporte, não teve continuidade por divergências entre a empresa vencedora da licitação – a Eletroenge – Engenharia e Construções Ltda – e o Ministério Público Federal, que defendia a construção por etapas.

Em setembro de 2010, a Agetop ajuizou ação no Supremo Tribunal Federal (STF), para suspender decisão judicial em favor da Eletroenge, que ordenava a renovação contratual para a continuidade da demolição do estádio. Depois de uma batalha jurídica, o governo estadual conseguiu a rescisão contratual. A partir daí, o projeto vem passando por readequações e com novas bases orçamentárias.

Na história

O complexo esportivo, em seu projeto original, destaca-se como um grande polo das mais variadas práticas esportivas, dentre elas, ginastica, voleibol, atletismo, futebol, basquete, e ainda karatê e judô, como também natação, que terá espaço no parque aquático. Para tanto, serão formados atletas para o desempenho desses esportes.

Com capacidade para dez mil torcedores, o Estádio Olímpico (o primeiro da capital) foi inaugurado na década de 1940, e recebeu o nome de Pedro Ludovico Teixeira. Além de sediar várias etapas do campeonato goiano de futebol, recebeu importantes eventos esportivos e culturais de destaque nacional.

Fonte: Jornal O Hoje