1 de junho de 2013

Goiânia: Presidente da Câmara Municipal critica proposta de ponto eletrônico


Nos últimos dias, um assunto tem esquentado os bastidores da Câmara Municipal de Goiânia. Um projeto de autoria do vereador Paulo Magalhães propõe a aplicação de ponto eletrônico. Pelo texto, os parlamentares deveriam registrar a presença de forma biométrica ao menos três vezes em cada manhã entre terça e quinta-feira, dias de sessões ordinárias na Casa. A alegação para a proposta é a falta de frequência dos vereadores as sessões.

No entanto, o presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Clécio Alves, acredita que o projeto é desnecessário. “O vereador ele tem ações extrapolares. Há momento em que é necessário se deslocar a um determinado bairro ou região, no Paço, em órgãos municipais e até mesmo estaduais. Temos três sistemas de conferência de ponto na Câmara: o painel eletrônico, a assinatura de próprio punho e a ata da sessão”, diz.

Em plenário, o autor do projeto, Paulo Magalhães chegou a fazer acusações contra o presidente da Câmara Municipal. Segundo ele, Clécio Alves teria ameaçado vereadores para que o projeto do ponto eletrônico não seja aprovado. O presidente da Câmara nega as acusações.

Fonte: Jornal O Popular