24 de junho de 2013

Goiânia: Manifestantes entram em confronto com a polícia e atacam emissoras de TV



Goiânia - Um grupo de manifestantes que protestaram em Goiânia, nesta segunda-feira (24/6), entrou em conflito com a Polícia Militar em frente à Prefeitura Municipal. Segundo a PM, eles atiraram pedras e bombas contra a polícia e tentaram invadir o prédio municipal. A polícia conseguiu conter os vândalos e dispersá-los usando a Cavalaria e a Tropa de Choque.

Repórteres da TV Serra Dourada, afiliada SBT em Goiânia, reclamaram nas redes sociais que um carro da emissora foi depredado. O diretor de jornalismo da TV, Jordeva Rosa, reclamou no Twitter e pediu, ainda, a ajuda da polícia, já que os manifestantes estavam atacando, também, a sede da emissora, que fica próxima à prefeitura, no Jardim Goiás. Há informações ainda de que carros da TV Jaime Câmara e do jornal O Popular também foram depredados durante a manifestação.

Antes de chegar à prefeitura, o grupo de cerca de 2 mil pessoas bloqueou o trânsito da BR-153, na altura do Paço Municipal. Segundo a PRF a intenção não era paralisar a rodovia, mas apenas atravessá-la para chegar ao Paço. Por isso, um longo congestionamento de carros se formou na BR, do local até o Rio Meia Ponte.

A concentração começou por volta das 17h na Praça Cívica. Juntos, os manifestantes desceram a avenida Araguaia até chegarem ao cruzamento das avenidas Goiás e Anhanguera, onde cantaram o Hino Nacional. O grupo, então, retornou à Praça Cívica pela Avenida Goiás, seguindo depois em direção à Prefeitura Municipal.

A Secretaria Municipal de Trânsito (SMT) fez o acompanhamento e bloqueou o trânsito. Além disso, a Polícia Militar conta com uma equipe para fazer a segurança no local.

Segundo a Polícia Militar, uma policial foi agredida por um grupo de manifestantes mascarados que atiravam lixos e pedras contra os militares, na Praça da Bíblia. A policial foi atingida no seio e encaminhada para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

A ação é consequência dos constantes protestos que ocorrem no país por reivindicações em diversas áreas, como melhoria no transporte público, fim da corrupção, reforma política, não aprovação da PEC 37, desvios de verbas públicas e maior transparência dos governos.

O grupo criado no Facebook para este manifesto específico pede reforma política, redução dos salários políticos, melhoria na educação e saúde, transporte público de segurança e qualidade. Além disso protestam também contra a PEC 37 e PEC 33.

Fonte: A Redação