20 de maio de 2013

Polícias são incapazes de garantir segurança



A cidade se coloriu de vermelho no fim de semana e o fato foi trágico. A Capital deveria ter ficado coberta de verde, após o Goiás se consagrar campeão estadual de futebol. Mas, na madrugada de sexta-feira para sábado, um servidor público que estava num espaço público sacou uma arma comprada com dinheiro público e assassinou um rapaz na festa da Pecuária, em Goiânia.

Após matar covardemente o estudante Luan Vítor, o agente Levy Moura de Souza foi acobertado pela Polícia Civil sob o argumento falso de que havia reagido a um assalto. O policial estava mentindo. Matou. Mentiu. E estava escapando. Se familiares e amigos do estudante Luan Vítor não tivessem filmado a barbaridade cometida pelo policial Levy Moura, é provável que imperasse o corporativismo. Sem as imagens, Levy Moura seria condecorado e subiria na carreira. É provável que ganhasse um prêmio por sua bravura de matar um inocente desarmado.

A Polícia Civil está com 10 mil assassinatos sem solução. Dez mil. Se a família da vítima não filmar, vira caso insolúvel ou arruma-se alguém para pagar pelo crime. A Polícia Civil já foi muito pior, mas para chegar a péssima vai ter de melhorar muito. Sua irmã, a Polícia Militar, também teve mais um fim de semana vergonhoso. A PM levou outra goleada dos bandidos que vão a jogos de futebol. Assim como a Polícia Civil é craque em maquiar dados, a militar esconde o número de brigas nos estádios. Ou amoita as informações ou sequer fica sabendo dos ocorridos.

Uma família, com um rapaz, duas crianças e uma moça que talvez fosse a mãe do casal de meninos, estava no estacionamento do Estádio Serra Dourada pouco após a decisão do campeonato de futebol. O rapaz trajava a camisa do Atlético. De repente, a família foi cercada por dezenas de marginais vestidos com roupas do Goiás. Os bandidos agrediram a família, mas pareciam tão drogados que houve tempo de uma das vítimas ligar o carro. A quadrilha travestida de torcida do Goiás correu atrás do veículo, mas o excesso de entorpecente possivelmente consumido dentro do estádio impediu que alcançasse o carro, com placa de Bela Vista de Goiás. Em vários minutos de gritos e violência, não surgiu um policial sequer.

Portanto, a Secretaria de Segurança Pública é incapaz de impedir os crimes horrendos, aliás, seus próprios integrantes os praticam. Não consegue manter a paz num evento como os shows na Pecuária e os jogos no Serra Dourada. Infelizmente, esse é o estado a que chegamos: quando a polícia não comete os crimes, permite que bandidos os patrocinem.

Fonte: Portal 730