8 de maio de 2013

Marconi promete criar o Bolsa Vida



O governador Marconi Perillo (PSDB) anunciou hoje, na abertura oficial do Governo Itinerante em Aparecida, a criação do Bolsa Vida, que seria uma ajuda financeira para famílias que têm parentes dependentes químicos em tratamento. Embora não tenha detalhado de quanto será este benefício, como e quando será implantado, o governador pediu ao secretário estadual Antônio Faleiros (Saúde) para "finalizar os estudos" sobre a nova bolsa, que segundo o tucano, será concedida de forma gradativa. Convém frisar que o governador Marconi prometeu, na campanha de 2010, construir hospitais para tratamento de dependentes químicos, os Credeq´s. Hoje ele disse que o de Aparecida, o primeiro a ser construído, teve suas obras iniciadas.

Marconi Perillo anunciou hoje também que determinou a ampliação do Governo Itinerante, inicialmente previsto para 12 edições ao custo de R$ 4,5 milhões, para 20 edições até meados de 2014. Segundo o governador, a meta é realizar uma edição do programa a cada semana nas regiões de maior densidade populacional do Estado. Quando disputou a reeleição pela primeira vez, em 2002 contra o então senador Maguito Vilela (PMDB), Marconi Perillo ampliou a realização do Governo Itinerante. Na época, o peemedebista liderava as pesquisas eleitorais para o governo estadual, mas o tucano foi reeleito no primeiro turno.

Aliás, hoje em Aparecida, o prefeito Maguito defendeu união das forças políticas em Goiás e se mostrou solidário ao governador pelas críticas que tem recebido, curiosamente, da oposição em Goiás principalmente. Alguns trechos do discurso feito pelo peemedebista na abertura do Governo Itinerante: "A classe política deveria, realmente, unir as forças para poder beneficiar o povo"; "quando o governador une tudo isso para beneficiar o povo merece os nossos aplausos. Isso é importante porque muitas vezes é fácil criticar um político,  mas quando um político acerta, às vezes, também, as críticas não desaparecem e, muitas vezes, quando os políticos acertam, eles não são aplaudidos."

Fonte: Jornal O Popular