21 de maio de 2013

Marconi não acredita que Dilma vá retaliar



Governador comentou ontem o fato de ter chamado Lula de canalha, sem polemizar sobre a resposta dada pelo presidente nacional.

O governador Marconi Perillo (PSDB) postergou os comentários sobre a Convenção Nacional do PSDB, na qual chamou o ex-presidente Lula de “canalha”. Pela manhã, durante entrevista coletiva após a solenidade de lançamento de novas linhas de crédito para microempreendedores individuais e micro e pequenas empresas, no Centro de Convenções e Cultura de Goiânia, o tucano se limitou a dizer que não comentaria o caso. À tarde, mudou de ideia e falou relativamente sobre o assunto.

No Centro de Convenções, Marconi havia respondido a duas perguntas acerca das novas linhas de crédito e, antes mesmo da conclusão da terceira pergunta, sobre o evento do PSDB, ele respondeu que não queria tratar do assunto e deixou a coletiva imediatamente.

À tarde, durante visita à 68ª Exposição Agropecuária do Estado de Goiás, Marconi comentou o episódio e disse que sua assessoria deverá formular uma resposta técnica acerca das declarações do presidente do PT, Rui Falcão, que revidou a provocação do governador tucano e disse que “canalha é quem loteia o governo com indicados por Cachoeira”, em referência ao bicheiro, centro do maior escândalo político de Goiás nos últimos anos.

Marconi Perillo disse ainda não acreditar que as declarações contra o líder petista influenciarão na relação entre o governo do Estado e a Presidência da República. “Se dependesse dele (Lula), certamente eu já teria sido muito retaliado, mas felizmente temos no comando do País uma pessoa equilibrada, séria e republicana, que é a presidente Dilma (Rousseff/PT)”, disse.

Durante a visita à Exposição Agropecuária, Marconi comentou ainda a criação da CPI dos Grampos na Assembléia Legislativa. Segundo ele, esse assunto diz respeito apenas à Casa. “Nunca temi CPI alguma, mesmo aquelas que tinham caráter apenas especulativo ou de perseguição, ainda assim as enfrentei. Acho apenas que os instrumentos das CPIs não devem ser banalizados porque vão perdendo força e credibilidade.

O episódio
O tucano chamou o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT), de canalha, ao lembrar o momento em que ele teria avisado o petista sobre a existência do mensalão no Congresso Nacional, durante seu discurso, no evento que elegeu o senador Aécio Neves (PSDB-MG) presidente nacional da sigla, sábado, em Brasília. As declarações de Marconi repercutiram em veículos de comunicação de todo o País.

Alguns jornais ressaltaram o contraste entre as críticas do governador a Lula e os elogios à presidente Dilma Rousseff (PT) em eventos do governo do Estado. Marconi afirmou ainda que Aécio irá ganhar a eleição presidencial em 2014, com seu apoio e da militância do PSDB em Goiás.

Governo lança novas linhas de crédito

O governo de Goiás, por meio da Secretaria de Gestão e Planejamento, lançou a operação de novas linhas de crédito, com valores de financiamento ampliados e taxas de juros reduzidas, disponibilizadas pelo Banco do Povo e pela Agência de Fomento a microempreendedores individuais e micro e pequenas empresas, durante evento no auditório Lago Azul do Centro de Cultura e Convenções de Goiânia, na manhã de ontem.

Os prestadores de serviço e os segmentos de estética e beleza, pit dogs, microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas, feirantes, vestuário, micro e pequenas confecções, piscicultura e aquicultura foram beneficiados com financiamentos e taxas de juros especiais.

O governador autorizou também o financiamento para oficinas mecânicas, após um representante do segmento de oficinas mecânicas interromper o evento para fazer sua reivindicação. As linhas de crédito denominadas Credi-PAI Financiamento Popular integram o Plano de Ação Integrada de Desenvolvimento (PAI), na área de Economia.

No Banco do Povo, os valores financiados variam de R$ 500 a R$ 10 mil, com juros de 0,25% ao mês, prazo de pagamento de 36 meses e carência de 6 meses. Antes, o Programa de Microcrédito do governo do Estado operava com valores de R$ 300 a R$ 4 mil e juros de 0,6% ao mês. Já a Agência de Fomento financiará de R$ 10.001,00 a R$ 25 mil, com taxas de juros de 0,25% ao mês, prazo de pagamento de até 36 meses e carência de até 6 meses. Anteriormente, a Agência de Fomento financiava até R$ 20 mil sem teto inicial.

A Segplan e o Sebrae assinaram protocolo de intenções para capacitação dos beneficiários das linhas de crédito do Credi-PAI Financiamento Popular. O governador assinou também ordens de serviço determinando à Segplan que disponibilize duas vans para o atendimento móvel do Banco do Povo nos distritos, povoados, vilas e bairros de municípios goianos.

Outras ordens de serviço determinam à Segplan a instalação da nova sede do Banco do Povo, na Avenida Anhanguera, no Centro, em Goiânia; e a inclusão do Programa de Microcrédito do governo do Estado em todas as unidades Vapt Vupt.

Fonte: Jornal O Hoje