13 de maio de 2013

Fapeg financia projetos em Aparecida de Goiânia



Microempresas e empresas de pequeno porte sediadas em Aparecida de Goiânia estão desenvolvendo a inovação dos seus produtos com subvenção econômica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg). Elas participam do PAPPE – Integração, o programa de apoio à pesquisa, desenvolvimento e inovação em microempresas e empresas de pequeno porte de base tecnológica. Por meio de chamada pública, a Fapeg selecionou 50 projetos de 44 empresas no Estado de Goiás. Sete delas, em Aparecida de Goiânia.

O PAPPE – Integração é desenvolvido pela Fapeg em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e representa importante marco de apoio financeiro do Governo de Goiás com vistas à promoção da competitividade das empresas estaduais. Ao incentivar a pesquisa dentro das empresas, a Fapeg também contribui para estreitar a relação entre o setor produtivo e as instituições de ciência e tecnologia. A Fapeg investiu R$ 17,8 milhões no PAPPE – Integração.

De acordo com a presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás, Maria Zaira Turchi, há uma demanda altíssima para inovação no Estado e em Aparecida de Goiânia não é diferente. “O desenvolvimento do Estado de Goiás passa pela pesquisa científica tecnológica e de inovação e nós temos investido no fomento à inovação”, disse.

Há uma grande capacidade instalada aguardando oportunidade para inovar e, nesse sentido, a Fapeg já teve aprovado pelo governo federal o seu plano de ação para a implementação do Tecnova – Goiás, outro importante programa de subvenção econômica à inovação tecnológica nas empresas goianas.

Aparecida de Goiânia

A Mini Erva, em Aparecida, contém projetos subvencionados pela Fapeg. Ela foi contemplada com R$ 399 mil para o projeto de desenvolvimento de Bandeja Modular Biodegradável em Fibra de Coco, coordenado por Clayton Luiz de Melo Nunes. A Decisão Sistemas, do Jardim Luz, também recebeu R$ 399 mil para o projeto coordenado pelo pesquisador Auri Marcelo Rizzo Vincenzi de Estudo e Definição de Processo de Teste de Software para Micro e Pequenas Empresas de Tecnologia da Informação.

A Medi Saúde, da Vila Brasília, foi financiada com o projeto de Rodolfo Reis Alves, de desenvolvimento de uma Cama Elétrica Dobrável para Home Care e recebeu R$ 172,8 mil de subvenção. A Vitalife Beleza Natural, no Polo Empresarial Goiás, conseguiu subvenção para dois projetos: o de Proteção Solar Inteligente, coordenado pelo pesquisador Celso Flávio da Silva; e o de Cosméticos Nanoestruturados contendo Ativos Biotecnológicos e Orgânicos da Biodiversidade Brasileira, do pesquisador Renato Ribeiro de Sousa. Para cada pesquisa, a empresa recebeu R$ 400 mil de subvenção.

A Integra Inovação em Sistemas de Negócios, na Cidade Vera Cruz, está desenvolvendo o projeto de Comunicação Digital Georreferenciada Aplicada no Transporte Rodoviário de Carga Fracionada, sob a coordenação do pesquisador Williames Batista de Albuquerque. Para isso, a empresa recebeu R$ 399 mil. A outra empresa contemplada na mesma chamada pública foi a Global Química, que fica no Jardim Rio Grande. A equipe de pesquisadores, coordenados por Daniela Cristina Fonseca Camplesi, desenvolve o produto Global Hold, um espalhante adesivo amigo da natureza. A empresa recebeu, para a pesquisa, R$ 329,9 mil.

Fonte: Mais Goiás