26 de maio de 2013

Entorno receberá R$ 37 milhões para ações de Segurança


Os municípios goianos do Entorno do Distrito Federal receberão investimentos de R$ 37 milhões para ações de segurança pública. Os recursos fazem parte do Acordo de Cooperação para o Fortalecimento das Ações de Seguranças nos Municípios Goianos para Redução da Criminalidade, assinado entre o governo de Goiás e o Ministério da Justiça.

O secretário da Segurança Pública e Justiça de Goiás, Joaquim Mesquita, classifica como de extrema importância o aporte de recursos. “Poderemos dar um salto na qualificação das ações na região”, diz.

Segundo o superintendente de Políticas para Segurança da SSPJ-GO, Rogério Santana, os investimentos seguirão os seguintes eixos: fortalecimento da investigação, reaparelhamento das unidades da Polícia Civil, fortalecimento da Inteligência Policial, investimento em tecnologia, análise criminal, entre outros.

Participaram do evento, além do secretário, o comandante-geral da Polícia Militar, Sílvio Benedito Alves; o diretor-geral da Polícia Civil, João Carlos Gorski; o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Luiz Carlos Helbingen Júnior; o chefe do gabinete de Segurança do Entorno, Divino Efigênio Almeida; o superintendente de Políticas de Segurança Pública, Rogério Santana; a superintendente da Polícia Técnico-Científica, Rejane Sena Barcelos; a superintendente do Procon, Darlene Costa Azevedo e outros integrantes da SSPJ-GO.

O acordo também irá impulsionar o reforço da presença ostensiva da polícia de proximidade nas áreas mais vulneráveis e disponibilizar apoio aos órgãos locais de segurança pública para aprimorarem seus projetos de prevenção da violência e criminalidade. O objetivo é conjugar esforços, juntamente com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

Nas mesma solenidade, foi definida a reativação do Gabinete de Gestão Integrada da Região Integrada de Desenvolvimento do Entorno do Distrito Federal e Entorno (Ride), que inclui 19 municípios goianos. O GGI é um fórum deliberativo e executivo, formado por dirigentes das instituições de segurança pública e age segundo três linhas mestras de ação: o incremento da integração entre os órgãos do sistema de justiça criminal; a implantação do planejamento estratégico como ferramenta gerencial das ações e a constituição da informação como principal ferramenta de ação policial.

Considerada violenta pelos elevados índices de criminalidade, a Ride foi criada por lei complementar em agosto de 1998 e alterada, por meio de decreto, em maio de 2000. É integrada pelo Distrito Federal e por municípios dos estados de Goiás e Minas Gerais, que têm entre os interesses comuns serviços públicos como infraestrutura e segurança pública.

Fonte: Equipe Governador Marconi Perillo (Metropolitana)