Corredor da T-63 é reprovado por 85,3%

16:43 1 Comments A+ a-



Uma pesquisa realizada com os comerciantes da Avenida T-63 mostrou o grau de insatisfação do setor com a instalação do corredor preferencial de ônibus e a proibição de estacionamento no local. Segundo o levantamento, 85,3% diretores, sócios proprietários e gerentes de empresas localizadas ao longo da avenida disseram não estarem satisfeitos com a implantação dos corredores de ônibus. A pesquisa foi realizada entre os dias 24 e 26 do mês passado pela empresa Grupom Consultoria Empresarial e contou com a participação de 102 entrevistados.

A amostra deste levantamento representa, segundo o Grupom, cerca de 30% das empresas instaladas ao longo da T-63. Os comerciantes reclamam que não houve comunicação da Prefeitura com os empresários sobre a modificação no trânsito da avenida. Conforme a pesquisa, os empresários foram surpreendidos com a notícia da instalação do corredor preferencial na via quando as obras de adaptação do corredor exclusivo começaram a ser realizadas. Noventa e cinco por cento dos entrevistados disseram que não receberam nenhum comunicado ou convite para participar de reunião para discussão das mudanças no local.

Os responsáveis pela realização da pesquisa chegaram a questionar os entrevistados sobre a declaração da Prefeitura de que foram realizadas audiências públicas sobre a implantação dos corredores exclusivos durante a revisão do Plano Diretor de Goiânia em 2007. Porém, nenhuma das pessoas consultadas lembrou ou correlacionou as audiências públicas realizadas sobre o assunto naquele ano. Muitos alegaram que foram convidados somente para participar de protesto, em abril, realizado contra a implantação do corredor de ônibus.

Durante a realização da pesquisa, os dirigentes das empresas consultadas informaram que já tiveram prejuízos com a redução das vendas devido à falta de estacionamento para os clientes. A média de queda nas vendas declarada pelos empresários foi de 41,7%. Muitos entrevistados declararam não ter estacionamento próprio e aqueles que possuem vagas para os clientes no recuo do imóvel em relação à avenida disseram ter no máximo três.

De acordo com o levantamento, os empresários também demonstraram preocupação em relação à carga e descarga de mercadorias. Alguns alegam que tanto produtos perecíveis quanto aqueles de consumo durável de pequeno ou grande porte não podem ser carregados pelas ruas circunvizinhas até os estabelecimentos e dizem que não houve uma proposta da Prefeitura para solucionar o problema.

A assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade (SMT) informou que a questão da implantação dos corredores de ônibus tem sido discutida com a sociedade ao longo dos últimos anos por meio dos Planos Diretores. Na edição do Plano Diretor de 2007 há a determinação de realização de um conjunto de obras, como plataformas, dispositivos de separação e segregação de fluxo de veículos, abrigos e demais elementos físicos, necessárias aos corredores de transporte coletivo.

Segundo a SMT, além da ampla divulgação por parte da comunicação oficial da Prefeitura de Goiânia e da imprensa goiana, a implantação do corredor de ônibus da T-63 foi discutida em audiências públicas e reuniões, que aconteceram na Câmara Municipal de Goiânia, no dia 22 de março; no Sindicato do Comércio Varejista no Estado de Goiás (Sindilojas), no dia 22 de abril e na Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg).

A assessoria da SMT ainda destaca que a secretaria tem discutido com os comerciantes soluções específicas para o estacionamento na região. Entre as soluções está o melhor aproveitamento das calçadas, convertendo as mesmas em espaços para estacionamento, quando há amparo da legislação de trânsito. As obras só podem ser realizadas com autorização da SMT, por isso a secretaria está recebendo individualmente os comerciantes interessados para orientação. As áreas para carga e descarga, conforme a SMT, também podem ser discutidas com os técnicos do órgão.

Fonte: O Popular
Foto: Leandro Machado

1 comentários:

Write comentários
Anônimo
AUTHOR
14 de maio de 2013 17:35 delete

Boa tarde... a insatisfação e grande mesmo pois a falta de comunicação com os comerciantes foi imensa, o corredor de ônibus que seria para agiliza a vida das pessoas que pegam os ônibus não esta tendo resultado pos os ônibus continuam cheios e os horários de intervalos continuam longos a exemplo de uma nova linha a 025 começou dia 01 ja esta super lotada e ainda mantem o intervalo de 30 a 50 minutos !! para mim e um desrespeito com as pessoas em geral.. corredor tinha que vim com projetos real para melhorar o transito e principalmente o transporte com novas linhas funcionais tirando uma fatia de pessoas dos terminais ligando bairros mais afastado ao centro ou centro expandido, linhas expresso etc.. agora fazer corredor e não investir no trasporte ae não da né!!! tinha que ser então corredor exclusivo para carros..este plano de mobilidade em goiania e uma piada.

Reply
avatar