7 de abril de 2013

Saúde Pública é um desafio de Todos



Em 2013, o Dia Mundial de Saúde tem como tema principal a hipertensão. Avanços na área têm sido feitos pela administração municipal com prioridade na sensibilidade técnica e humanização dos atendimentos

Neste domingo, dia 7, é celebrado o Dia Mundial da Saúde.  data em que se comemora também a fundação, em 1948, da Organização Mundial de Saúde (OMS) pela Organização das Nações Unidas (Onu), com o objetivo de desenvolver o nível de saúde de todos os povos. Segundo sua constituição, diferente do que muitas pessoas imaginam,  saúde não envolve somente tratar doenças já instaladas no paciente. O tema vai além disso. Significa também estar fisico, mental e socialmente bem. Cuidados com a  higiene pessoal, boa alimentação, práticas de exercícios e dormir bem auxiliam as pessoas a terem uma boa saúde.

Com base nisso,  a Prefeitura de Goiânia desenvolve políticas públicas voltadas para a promoção, prevenção e assistência à saúde dos goianienses. Os avanços nessa área já podem ser comemorados pela população que utiliza do Serviço Único de Saúde (SUS) em Goiânia.   Para a atual administração, um dos grandes desafios da saúde pública é a sensibilidade técnica e humanizada dos atendimentos. Para que isso aconteça, investimentos maciços estão sendo feitos em contratação de pessoal, campanhas ostensivas de combate à dengue, bem como em obras de novas unidades de saúde.

O destaque na última semana foi a ampliação de atendimentos no Hospital da Mulher e Maternidade Dona Iris (HMMDI), que se tornou referência no atendimento a saúde das mulheres,  inaugurando 25 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva para recém-nascidos (UTIs neonatal), sendo, dez Unidades de Tratamento Intensivo Neonatal (Utin) convencionais e 15 Unidades de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin), da qual cinco desses são voltados ao ‘Método Canguru’, além da inauguração do laboratório, da cozinha e o atendimento de 100% do Centro Obstétrico da unidade.

O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, que  também é médico, considera que os investimentos na área da saúde, assim como  os que têm sido feitos em toda a administração municipal são essenciais, visto que, promovem a efetiva melhoria na qualidade de vida da população. Ele lembra ainda que, a cada dia, tem resgatado os compromissos para promover a melhorias e investimentos no SUS. “Goiânia não irá terceirizar os serviços de saúde. Vamos continuar trabalhando com o Sistema Único de Saúde e vamos atender a todos, e bem”, declarou o prefeito  no evento de inauguração dos  leitos de UTIs do HMMDI.

Entre as medidas adotadas pela Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), está também o aumento no quadro de pessoal, com a contratação de mais de 500 profissionais, na maioria médicos. De acordo com o secretário Municipal de Saúde, Fernando Machado, a pasta fez um reajuste nos plantões médicos. “A intenção foi melhorar as condições de trabalho e os salários dos profissionais. Com a valorização salarial, pode-se cobrar que haja uma melhoria e humanização no atendimento a quem procura os serviços oferecidos pela prefeitura”.

Fernando frisa ainda, que a SMS tem se esforçado para aumentar a assistência em postos e na Estratégia Saúde da Família (ESF), e que os casos mais leves sejam atendidos no ambulatório e não nos setores de urgência e emergência dos Centros de Assistências Integral à Saúde (Cais) e nos Centros Integrados Assistência Municipal de Saúde (Ciams). “Para a redução da demanda nesses locais, a população goianiense conta hoje com 62 postos de ESF, distribuídos em todas as regiões de Goiânia. Queremos sensibilizar a população para procurar esses serviços para desafogar os Cais, que atendem urgências e emergências”, enumera.

Sobre a dengue no município, ações foram tomadas para amenizar a epidemia da doença e também no combate aos focos. Para isso, parcerias foram realizadas  com o Exército Brasileiro, que disponibilizou 90 soldados para o auxílio na assistência à saúde e visita domiciliar, ampliação de mais 100 leitos de observação e hidratação distribuídos nos Cais e Ciams e nas 36 unidades de ESF e 100% de atendimento aos bairros com o caminhão Fumacê. Em números, foram realizadas mais de 140 mil visitas domiciliares de rotina, mais de 150 criadouros foram eliminados e mais de 60 mil criadouros foram tratados. “Nas unidades de saúde, as nossas ações foram priorizadas nos atendimentos aos pacientes mais graves. Quanto aos casos mais leves, foram atendidos em prazos diferenciados, conforme cronograma da SMS”, afirma o secretário de Saúde.

Quanto às inaugurações de novas unidades, está prevista para maio a entrega da Unidade de Pronto Atendimento do Residencial Itaipu (UPA Itaipu), e para o segundo semestre, de mais quatro novas Unidades de Atenção Básica à Saúde da Família nos Setores: Riviera, Jardim Cerrado IV, Real Conquista e Antonio Carlos Pires. Fernando Machado lembra também que em janeiro a Prefeitura de Goiânia inaugurou a Unidade de Atenção Básica à Saúde da Família (UABSF) do Setor Boa Vista. A nova instalação conta com estrutura para atender mais de cinco mil famílias da Região Noroeste, que têm acesso a atendimento odontológico, farmácia, além de quatro equipes da ESF.

O desafio estabelecido pela OMS para este  ano de 2013 é intensificar os  cuidados no combate a hipertensão, ou pressão alta como é mais conhecida, e as causas da doença.

Autor: Mauro Júnio ( Prefeitura de Goiânia)