9 de abril de 2013

Porto Seco implanta sistema alternativo



O Por­to Se­co de Aná­po­lis vai im­plan­tar um sis­te­ma al­ter­na­ti­vo de ex­por­ta­ção de grãos pa­ra evi­tar que as car­gas que sa­em da es­ta­ção adua­nei­ra en­fren­tem atra­sos de car­re­ga­men­to nos por­tos ma­rí­ti­mos de San­tos, Pa­ra­na­guá e em ou­tras uni­da­des exis­ten­tes no li­to­ral bra­si­lei­ro. “Es­ta­mos tra­ba­lhan­do pa­ra vi­a­bi­li­zar a ex­por­ta­ção de grãos par­tin­do de Aná­po­lis com to­da a par­te bu­ro­crá­ti­ca já so­lu­cio­na­da, o que dei­xa nos­sas car­gas pron­tas pa­ra o em­bar­que nos por­tos ma­rí­ti­mos do pa­ís”, anun­ciou o su­pe­rin­ten­den­te do Por­to Se­co, Ed­son Ta­va­res re­ve­lan­do que es­te sis­te­ma al­ter­na­ti­vo co­me­ça a fun­cio­nar no fi­nal de abril ou co­me­ço de maio.

De acor­do com Ed­son Ta­va­res, os su­ces­si­vos atra­sos no des­pa­cho de car­gas de grãos pa­ra ex­por­ta­ção já fez com que a Chi­na can­ce­las­se uma en­co­men­da de 2 mi­lhões de to­ne­la­das de so­ja pro­du­zi­das no Bra­sil. “Ou­tros paí­ses da Eu­ro­pa es­tão se­guin­do o mes­mo ca­mi­nho”, acres­cen­tou o su­pe­rin­ten­den­te anun­ci­an­do que o sis­te­ma que se­rá im­plan­ta­do no Por­to Se­co de Aná­po­lis per­mi­ti­rá a ex­por­ta­ção de 200 mil to­ne­la­das de so­ja, mi­lho e sor­go. Ho­je, os si­los do Por­to Se­co têm uma ca­pa­ci­da­de de ar­ma­ze­na­gem de grãos de 45 mil to­ne­la­das.

Ele ex­pli­cou que pe­lo sis­te­ma que se­rá im­plan­ta­do na es­ta­ção adua­nei­ra lo­cal, as car­gas já sa­em de Aná­po­lis com o Re­gi­me de Ex­por­ta­ção ex­pe­di­do pe­la Re­cei­ta Fe­de­ral e já vis­to­ri­a­das pe­lo Mi­nis­té­rio da Agri­cul­tu­ra, exi­gên­cias ne­ces­sá­rias pa­ra ex­por­ta­ção de grãos. “Es­te sis­te­ma se­rá a so­lu­ção pa­ra a ex­por­ta­ção de grãos pro­du­zi­dos na Re­gi­ão Cen­tro-Oes­te”, ga­ran­te Ed­son Ta­va­res re­ve­lan­do que o Por­to Se­co es­tá re­for­çan­do sua es­tru­tu­ra pa­ra o iní­cio das ope­ra­ções de ex­por­ta­ção, atra­vés de con­têi­ne­res.

Si­lo pul­mão
Pa­ra es­tu­far ou en­cher os con­têi­ne­res, o Por­to Se­co es­tá im­por­tan­do uma pe­ça pa­ra ser en­cai­xa­da no si­lo pul­mão do seu con­jun­to de si­los, de on­de eles vão re­ce­ber os grãos por gra­vi­da­de, com o apoio de um con­jun­to de cor­rei­as, con­si­de­ra­do um sis­te­ma mais rá­pi­do e efi­ci­en­te. Em mé­dio pra­zo, Ed­son Ta­va­res quer uti­li­zar os por­tos ma­rí­ti­mos exis­ten­tes no Nor­te do Pa­ís pa­ra a ex­por­ta­ção de grãos, di­fe­ren­te do que ocor­re ho­je com as ex­por­ta­ções sen­do fei­tas ape­nas pe­los por­tos de San­tos e Pa­ra­na­guá, on­de o ce­ná­rio lo­gís­ti­co é ca­ó­ti­co.

Se­gun­do ele, pa­ra ser mais efi­ci­en­te, o mo­de­lo que se­rá im­plan­ta­do em Aná­po­lis ne­ces­si­ta­ria do fun­cio­na­men­to da Fer­ro­via Nor­te Sul e de mais in­ves­ti­men­tos na Fer­ro­via Cen­tro At­lân­ti­ca pa­ra que ela com­par­ti­lhe mais car­gas atra­vés de con­têi­ne­res, além de no­vas fer­ro­vi­as na re­gi­ão nor­te do Pa­ís. “Mes­mo sem es­tes in­ves­ti­men­tos, o Por­to Se­co de Aná­po­lis vai in­cen­ti­var a im­plan­ta­ção do mes­mo sis­te­ma de ex­por­ta­ção de grãos”, acre­di­ta o su­pe­rin­ten­den­te re­ve­lan­do que no Ma­to Gros­so al­guns ter­mi­nais já ope­ram por es­te sis­te­ma.

Ele re­ve­lou que o fre­te atra­vés de con­têi­ne­res é mais ba­ra­to do que é fei­to por na­vi­os gra­ne­lei­ros, que não ope­ram em qual­quer por­to. “A so­lu­ção mun­di­al é a mo­vi­men­ta­ção de grãos pa­ra ex­por­ta­ção atra­vés de con­têi­ne­res”, dis­se o su­pe­rin­ten­den­te ci­tan­do co­mo exem­plo de efi­ci­ên­cia des­se sis­te­ma, as 29 mi­lhões de to­ne­la­das mo­vi­men­ta­das em con­têi­ne­res nos por­tos de Xan­gai e de 23,7 mi­lhões no de Hong Kong, en­quan­to que no Bra­sil a mo­vi­men­ta­ção no por­to de San­tos foi de ape­nas 8 mi­lhões de to­ne­la­das. Ho­je, o cus­to de em­bar­que de um con­têi­ner no por­to de San­tos é de US$ 2.215, en­quan­to que no de Xan­gai é de US$ 580 e no de Hong King é de US$ 575. “Es­se é o pre­ju­í­zo da fal­ta de in­fra­es­tru­tu­ra de tran­spor­te no Bra­sil”, ga­ran­te o su­pe­rin­ten­den­te.

Fonte: Diário Anapolis