24 de abril de 2013

Goiás ocupa o oitavo lugar em ranking de acidentes de trabalho no país



A Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Goiás (SRTE-GO) entregou 134 processos de investigação de acidentes de trabalho graves e fatais para a Procuradoria Federal de Goiás.

O objetivo é entrar com ações regressivas acidentárias contra empresas que descumpriram as normas de proteção da saúde e segurança dos trabalhadores.

O Superintendente Estadual do Trabalho e Emprego, Arquivado Bites, relatou que a maior parte dos acidentes acontece pela falta de treinamento e orientação das empresas aos trabalhadores.

“Quando se fala em acidente de trabalho, o Brasil ainda é um dos campeões. Tem que buscar a conscientização das empresas e dos trabalhadores que também não observam todas as normas para se diminuir esse quantitativo. Mais de 90% mostram que a as causas são a falta de treinamento, falta de utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) e falta de atenção por parte do trabalhador”, explica.

Goiás ocupa o oitavo lugar no ranking de acidentes de trabalho no país. Desde 2004, 622 ações foram movidas no estado por causa de acidentes com trabalhadores, movendo cerca de R$ 127 milhões.

O Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) vem pagando mais de R$ 10 bilhões por ano com benefícios decorrentes de acidentes de trabalho. Das empresas que mais causam acidentes, as que têm segmento de serviço e indústria lideram com 46%. A que possui menos registro de acidente é a do ramo agropecuário, com 4%.

Fonte: Portal 730