23 de abril de 2013

Goianos estão mais endividados



12,6% das famílias goianienses não conseguiram quitar suas dívidas no mês de abril. Dado é preocupante, diz Fecomércio.

Sinal vermelho. A quantidade de famílias goianienses endividadas que admitem não conseguir quitar suas dívidas nunca foi tão alto. O número de famílias que afirmam que as contas entraram em colapso no mês de abril chega a 49.961 (12,6%) – o maior da série histórica da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), realizada desde 2010 pela Federação do Comércio de Goiás (Fecomércio-GO).

O dado é preocupante. Para se ter ideia, esse número é um avanço de 58,18% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 20.891 famílias admitiram não conseguir quitar as dívidas. O presidente da Fecomércio-GO, José Evaristo dos Santos, acredita que esse índice é resultado do estímulo da política de consumo do governo federal. “A posição do governo de fazer mistérios em relação a permanência ou retirada do IPI, por exemplo. É a política do puxadinho da economia”, diz.

Ele explica que, muitos consumidores, diante da dúvida da continuidade da desoneração de tributos da linha branca, compraram produtos financiados a longo prazo, em um momento de incerteza. “Sem saber se ia prorrogar ou não, ele acabou comprando”, afirma.
José Evaristo diz que, em contrapartida, o governo deve incentivar a produção, aumentar o número de produtos no mercado, com o intuito de imprimir competitividade para tentar estabilizar os preços.

DÍVIDAS EM ATRASO

Quando se trata de famílias que admitem que as contas estão em atraso, o número também não é animador. Um total de 87.894 famílias, ou seja, 22,2% dos endividados estão com as contas atrasadas. Esse é o maior índice dos últimos 13 meses.

NÍVEL DE ENDIVIDADOS

Depois de ter passado por um longo período de baixa oscilação em relação ao número de endividados, Goiânia também volta a atingir patamares expressivos. O número de famílias com pendências no orçamento fechou o mês em 188.571 – um incremento de 16,97% em relação ao mês de março de 2013 e de 14,97% se comparado com o mesmo período do ano passado.

Desta fatia, 14,5% afirmam que estão muito endividados. Os cartões de crédito são os grandes vilões das famílias goianas, apontados como causa de 62,3% dos endividamentos, seguido pelos carnês 29,1%, crédito pessoal 25,5% e financiamento de carro 12,7%.
INTENÇÃO DE CONSUMO

Com o aumento do endividamento, a intenção de consumo caiu. Esse é o quarto mês consecutivo que o índice, revelado pela Intenção de Consumo das Famílias (ICF), também divulgada pela Fecomércio-GO ontem, recua.

A retração é sentida tanto para famílias com renda de até 10 salários mínimos ou mais de dez. Apesar do endividamento, a maioria (48,4%), avalia que a renda familiar atualmente está melhor se comparado ao mesmo período do ano passado. Além disso, as famílias acreditam que o acesso ao crédito também está facilitado. De acordo com a pesquisa, somente 19% acreditam que está mais difícil.

Fonte: Jornal O Popular