15 de abril de 2013

Chuva de verão foi pouca em Goiás



Pluviosidade para o período ficou aquém do esperado e as últimas precipitações, antes de estiagem, devem ocorrer até próxima terça.

Levantamento feito pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) revela que o volume de chuvas durante o verão ficou um pouco abaixo do esperado em Goiânia. Entre os meses de novembro de 2012 a março deste ano, choveu 51,1 milímetros a menos do que a média do período, em decorrência sobretudo de estiagens nos meses de dezembro e fevereiro. Chuvas previstas para este final de semana são pontuadas pelo Inmet como pertencente às últimas antes da entrada de um período de seca, em maio.

O padrão para o volume de precipitações no verão é de 1.175,1 milímetros e choveu 1.124. O mês de novembro de 2012 precipitou 224,5 milímetros – acima do padrão para o período, que é de 216. Os meses de janeiro e março também registraram índices pluviométricos um pouco acima da média neste ano, com 353,5 e 235,3 milímetros respectivamente.

Segundo o Inmet, dezembro e fevereiro não seguiram o padrão esperado e tiveram redução da pluviosidade. No primeiro, o esperado era de 267,9 milímetros, mas precipitou apenas 188,6; já no segundo, o esperado era de 214,8 e choveu apenas 121,1 milímetros.

Mas segundo a chefe do Inmet em Goiás, Elizabete Alves Ferreira, essa diferença é normal e não foi tão expressiva. Pelos cálculos pluviométricos, o baixo volume de chuvas nos meses de dezembro de 2012 e fevereiro deste ano contribuiu para que os índices médios esperados não fossem atingidos durante o três meses de verão.

Causas
Alguns fenômenos atmosféricos proporcionaram a irregularidade nas chuvas. Entre eles está o resfriamento do Oceano Atlântico na região nordeste do País, deixando a região mais seca e influenciando na temperatura do Centro-Oeste do País. O aquecimento do oceano na região sul e sudeste do País também influenciou nas chuvas em Goiás.

Outro fator, segundo estudo de Inmet, foi a zona de convergência intertropical que atua sobre a região norte. “A faixa de nuvens de chuva da região norte teve menos ação no norte do País e consecutivamente, em Goiás”, explica Elizabeth Alves.

A temperatura
Em Goiânia, a temperatura seguiu a premissa que acontece em todo o mundo, de aumento na média. Segundo Ferreira, nos últimos anos, a temperatura máxima está acima do esperado. Por exemplo, em março, o padrão era de 30,1 graus Celsius e foram registrado 31,5.

Período de seca deve se iniciar em maio

As chuvas vão continuar em Goiânia e em todo o Estado durante o fim de semana. Segundo o Inmet, a capital terá temperatura entre 21 graus e 29. O tempo ficará nublado com trovoadas isoladas. No restante do Estado situação similar acontecerá, a previsão de máxima para o norte goiano com o registro de 36 graus e mínima de 18 para áreas mais altas, como Alto Paraíso, no nordeste do Estado.

A partir da próxima terça-feira (16), a previsão é de redução das chuvas em Goiânia e demais cidades do interior. O fim da temporada de pluviosidade e início do tempo seco inicia em maio. “A tendência é a cidade ficar sem chuvas”, finaliza. (CP)

Fonte: O Hoje