20 de abril de 2013

Chegou o clima country em Goiás



Alguns são adeptos do estilo, outros aproveitam o friozinho e a Pecuária para usar o vestuário campestre.

Nesta época do ano, a moda country aparece com mais evidência. A proximidade da Exposição Agropecuária de Goiás, uma das maiores festas populares do Estado, influencia o astral das pessoas e transforma a cidade numa verdadeira vitrine de acessórios e vestuários compostos por jaquetas, botas, coletes, cintos com fivelas e outros. Mas, há tempos, essas peças de roupa perderam aquele ar de rusticidade e aparecem ao mesmo tempo elegantes e despojadas, com design elaborado podendo ser usadas em qualquer época.

Tradicional, o xadrez, tem seu espaço garantido, mas, recentemente, cedeu um significativa fatia da preferência dos adeptos para as listras que aparecem nas camisas masculinas e camisetes femininas, cujos modelos chegam com botões triplos e punho branco. Em qualquer uma das padronagens, as cores mais fortes, como azul marinho, verde e marrom, o vermelho e o pink predominam. “As camisas polos para homens e mulheres também têm forte influência das listras e, mesmo sendo básicas, ficam bem num visual country esportivo”, garante o empresário Rafael Luccas Vieira Santana.

O jeans é o curinga no contexto desta moda. Este ano, a lavagem clara, délavé, aparece na maioria das calças, perfeitas para contrastar com os tons mais fortes das camisas, que estão lisas em detalhes, ao contrário da última estação. “No ano passado, as calças vieram com muitos detalhes em strass. Nessa estação, os modelos chegam sem pedras, que foram transferidas para os cintos, tanto para os homens quanto para as mulheres”, explica Andréia Carlos Romeiro Lopes, empresária do ramo. Ainda sobre as calças, Andréia destaca os modelos montaria que tem conquistado cada vez mais as clientes, pois vestem muito bem. “Há entre as cores um cinza lavado, que é muito bonito e tem chamado a atenção”, destaca.

As fivelas de cintos estão cada vez mais elaboradas. O metal pode ser encontrado com as mais diferentes artes e tamanhos e aparece com estampas de Nossa Senhora Aparecida, a padroeira dos peões de rodeio, ou caracterizada para agrônomos, veterinários, zootecnistas, em formato de coração nas cores rosa claro e lilás para as meninas. Algumas fivelas recebem banho de ouro ou prata. Para não ficar chamativo, o ideal é que o cinto combine com a bota.

Há ainda os broches com figuras que remetem ao campo, como os cavalos, que podem ser presos à roupa, ao boné – outro acessório deste universo – e até ao chapéu. Este último, confeccionado em feltro ou palha, é peça tradicional entre os adeptos do look country. As cores com maior evidência têm sido a preta e a branca. “O chapéu é unissex e os tons marrons ou beges não saem de moda; para as mulheres que curtem, há o produto nas cores vermelho e azul”, exemplifica Rafael Luccas.

Os empresários afirmam que o estilo country pode ser usado durante todo o ano e em diferentes ocasiões. “Há peças que permitem montar um visual elegante para mulheres mais exigentes sem nenhum problema”, observa Andréia. “Há pessoas que se vestem assim o ano inteiro; para elas, não é apenas moda, mas um estilo; outros optam pelas camisas xadrez ou pelas botas, mas o importante é que cada vez mais pessoas adquirem esses modelos”, comenta Rafael. Até os vestidos e as saias estão compondo esse universo country. As saias confeccionadas em tecidos que imitam couro molhado em poliéster e elastano, algumas com discretos detalhes em franja, ficam perfeitas nas mulheres mais jovens. A peça combina com casacos finos e jaquetas jeans. Mas nada tem mais a ver com o estilo country do que as botas, que têm bico fino ou arredondado, tradicionalmente, e o couro é trabalhado na lateral.

São feitas em couro de boi, de avestruz e até de jacaré em estilo montaria ou texano. Os preços variam muito, porém vale a pena o investimento para quem gosta, já que são calçados duráveis. Os modelos mais simples, sem detalhes em bordado e cano médio não saem de moda e são calçados ideais para o clima mais frio. “Temos percebidos o aumento da prática dos esportes equestres entre as mulheres, o que justifica muitas delas comprarem botas masculinas que não têm salto”, conta a empresária, acrescentando que muitos clientes optam pelo solado de borracha, que traz mais conforto, ao invés do de madeira.

Fonte: Jornal O Hoje