23 de abril de 2013

Campanha ao governo do Estado já começou



Goiânia - Nem chegamos em meados de 2013, mas as articulações políticas já estão a todo vapor para a disputa eleitoral majoritária de 2014. Os principais protagonistas da próxima campanha eleitoral começaram a se movimentar para as eleições do ano que vem.

O governador Marconi Perillo (PSDB), o ex-prefeito Iris Rezende, os prefeitos petistas Paulo Garcia (Goiânia) e Antônio Gomide (Anápolis), o empresário Júnior do Friboi (PSB), Vanderlan Cardoso e o deputado Ronaldo Caiado (DEM) tentam se viabilizar com aliados e intensificam a aproximação com o eleitorado.

Com o anúncio da ida de Júnior do Friboi para o PMDB, o PSDB e sua base aliada apertaram o passo e trabalham a popularidade de Marconi Perillo, candidatíssimo à reeleição, nos locais onde o nome do tucano não tem grande aprovação. Na última semana, Marconi lançou seu programa governo itinerante nas regiões de Goiânia. A ideia é levar o governo estadual para os principais bairros da capital, onde o apreço por Iris é forte.

Ronaldo Caiado lançou sua pré-candidatura em fevereiro e percorre o interior do Estado, junto à sua base eleitoral. O líder do DEM em Goiás se diz disposto a seguir em frente com seu projeto de ser governador de Goiás. Mesmo sem o apoio da maioria das lideranças do DEM estadual, que continuam reafirmando apoio a Marconi, a executiva nacional do partido emitiu uma nota onde diz que apoia Caiado e o projeto dele para 2014. A direção nacional do Democratas vem a Goiânia nesta semana para reafirmar o apoio ao projeto do deputado federal.

Em contrapartida ao intenso trabalho do democrata, seu companheiro de terceira via, Vanderlan Cardoso, estagnou. Desde que saiu do PMDB, onde teve seu projeto político de ser candidato a governador pelo partido sufocado por iristas, Vanderlan não se movimentou.

Vanderlan afirma pré-candidatura mas ainda não se filiou ao PSC.

Apesar de ter noticiado seu ingresso ao PSC no início deste ano, o empresário ainda não se filiou ao partido. Especula-se que ainda tenta ir para outra legenda, como o PSB. Vanderlan afirma com convicção sua pré-candidatura ao governo de Goiás.

Iris
Motivado por sua vontade de derrotar Marconi Perillo, Iris Rezende ainda é um forte pré-candidato ao governo de Goiás. O líder político recebe Friboi em sua legenda, mas isso não garantirá ao empresário o lugar ao sol no PMDB.

O fator econômico não definirá Júnior como o escolhido para ir à disputa contra o tucano. Pelo menos é o que dizem os iristas. É Iris quem ainda dá as diretrizes de como as coisas funcionarão dentro do PMDB e de sua base aliada.

Deputados estaduais do PMDB que sonhavam chegar ao governo não estão gostando da chegada de Friboi ao partido. Assistem ao adiamento, mais uma vez, de seus projetos políticos.

PT
Aliado do PMDB nas últimas três eleições, o PT pressiona e alguns membros da cúpula afirmam que desta vez não abrem mão de uma candidatura própria. Os nomes do prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, e do prefeito de Anápolis, Antônio Gomide, são os preferidos na cúpula petista estadual.

Prefeito Antônio Gomide está entre os mais cotados do PT.

Apesar das afirmações, peemedebistas acreditam que a pressão não passa de alarde. Paulo Garcia não romperia com seu padrinho político, Iris Rezende. E Gomide, apesar de sua alta aprovação popular em terras anapolinas, é pouco conhecido no resto do Estado. Gomide afirma que sua prioridade é trabalhar com os aliados do PT pela reeleição da presidente Dillma Rousseff (PT).

Friboi
O empresário Junior do Friboi vai anunciar se vai se filiar ao PMDB no próximo dia 15. Até lá, Friboi dará andamento às conversas com a cúpula do PMDB nacional e estadual e lideranças petistas. A pressão para que Friboi entre para o PMDB veio do governo federal, contrariando o diretório estadual, comandado por Iris.

Preocupados com as articulações do presidente nacional do PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, que já anunciou sua pré-candidatura ao governo federal, Dilma e aliados correm para esvaziar o partido de Campos. E se não é um grande político, Friboi é um grande cofre de campanha que, sem dúvida, fortaleceria a candidatura do governador de Pernambuco.

Júnior do Friboi se filiou ao PSB em julho de 2011. E no início do ano passado assumiu a direção do partido. Apoiou, de longe, a reeleição de Paulo Garcia. O empresário sempre se comportou como um cavaleiro solitário na política e já financiou campanhas de todos os lados. O PSB sonhava em lançar Friboi como candidato do partido em 2014, mas agora terá que ir em busca de outro nome para encabeçar seus projetos políticos.

Henrique Tibúrcio

E o que será do PSB em Goiás? O partido vai precisar de um novo nome no Estado para dar palanque à candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à Presidência da República. O presidente nacional da sigla, Beto Albuquerque (RS), teria sondado o presidente da OAB -GO, Henrique Tibúrcio, para iniciar sua carreira política pelo partido.

Assediado pelas principais legendas do Estado, à exceção do PT, pela sua expressiva vitória nas últimas duas eleições da OAB-GO, Tibúrcio pode ser o nome novo na disputa em Goiás. Praticamete todos os partidos o convidaram vislumbrando um nome com perfil novo na política, sem desgastes nem rejeição, e que poderia empunhar a bandeira da ética na política.

Tibúrcio tem conversado com a cúpula dos principais partidos do Estado, mas afirma que sua prioridade no momento é defender a advocacia em Goiás. Com bom relacionamento com o governador Marconi Perillo, é difícil, mas não impossível, que Henrique Tibúrcio encare o desafio de se viabilizar como alternativa para a disputa.

Fonte: Jornal O Hoje