25 de abril de 2013

Agsep anuncia novo Centro de Triagem



Na tentativa de desafogar as delegacias, local terá capacidade para 166 presos provisórios. Previsão de entrega é de 180 dias.

A falta de vagas nos presídios goianos é um problema grave que se arrasta há anos. Delegacias estão superlotadas, principalmente por conta do aumento desenfreado da criminalidade e a consequente prisão dos bandidos. Segundo último levantamento feito pela Agência Goiana do Sistema de Execução Penal (Agsep), faltam mais de cinco mil vagas nos presídios goianos. Na tentativa de minimizar o problema e, principalmente, desafogar as delegacias da região metropolitana, a agência realizou ontem o lançamento das obras do Centro de Triagem do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (CPP), que deve ficar pronto em 180 dias (6 meses).

Presidente da Agsep, Edemundo Dias explica que o novo centro será essencial para esvaziar as celas das delegacias, que não são adequadas para abrigar os detentos. “Na delegacia não deveria nem ter vaga para preso. Tem celas que funcionam inadequadamente para a custódia de presos provisórios por falta de vagas”, afirma. Com o Centro de Triagem, os presos que antes eram encaminhados para a Delegacia de Capturas ou que ficavam nas celas das especializadas e distritos não vão mais ficar nesses locais quando não houver mais necessidade de sua permanência lá. “Eles só ficarão nas delegacias quando isso for atender a demanda da própria investigação policial”, esclarece Edemundo.

Com capacidade para 166 presos provisórios, o Centro de Triagem contará, inclusive, com duas celas adaptadas para receber deficientes físicos – 12 vagas –, o que ainda não existe em nenhum presídio do Estado. Edemundo destaca que o Centro de Triagem vai facilitar a gestão carcerária. Ele explica que, assim que um preso chegar ao local, um sistema vai possibilitar que seja feito um acompanhamento do perfil psicossocial de cada um. “Todos os dados já serão avaliados na entrada. Poderemos ver o histórico e a vida pregressa do preso”, detalha. Em seguida, à medida que forem surgindo vagas, esses presos poderão ser encaminhados para a CPP.

Delegacia de Capturas atuará no complexo

Além de desafogar as delegacias, o presidente da Agsep ressalta que duas delegacias importantes funcionarão no Centro de Triagem. A primeira mudança é que a Delegacia de Capturas, que hoje funciona no Setor Jaó, deverá passar a funcionar no Complexo. “Essa é uma demanda antiga dos moradores daquela região, especialmente porque o local onde hoje funciona a Delegacia de Capturas é totalmente inapropriado”, detalha.

Além disso, será criada no Centro de Triagem uma delegacia específica para apurar crimes do próprio complexo prisional. Hoje isso é feito no 4º Distrito Policial de Aparecida, que é o mais próximo. “Essa delegacia vai ser muito importante. Vai inclusive diminuir custos e riscos porque não precisaremos mais fazer esse deslocamento de presos”, comenta Edemundo.

Por enquanto, o efetivo da Agsep vai ser remanejado ou serão contratados servidores temporários para trabalhar no Centro, mas Edemundo afirma que já encaminhou um pedido de concurso e que pelo menos mil vagas devem ser abertas no certame.

Edemundo anuncia criação de mais 600 vagas

O presidente da Agsep destaca ainda que duas outras obras, que já estão em fase de licitação e devem ser concluídas em cerca de 10 meses, vão ser essenciais para resolver o problema de déficit de vagas nos presídios do Estado. Segundo Edemundo, a Agsep quer concluir uma obra inacabada no complexo que será transformada em presídio feminino.

Ele explica que não faltam vagas no presídio feminino, mas que com as novas celas para abrigar as mulheres, o local onde elas hoje estão presas vai servir para manter a carceragem masculina. Assim, 300 novas vagas seriam abertas. Além disso, há a previsão de construção de uma nova ala, com capacidade para mais 300 presos. Assim, a CPP ficaria com mais 766 vagas, contando com as 166 do Centro de Triagem. “Ai, vamos conseguir resolver de vez essa questão dos presos em delegacia da região metropolitana”, comemora.

Fonte: Jornal O Hoje