2 de abril de 2013

75% não declararam Imposto de Renda em Goiás



Faltam 28 dias para encerrar o prazo para as declarações do Imposto de Renda e ainda restam mais de 550 mil goianos .

Faltando menos de um mês para o fim do prazo para declarações do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), apenas 25% dos contribuintes goianos já prestaram contas com o Fisco. Até o meio da tarde de ontem, somente 200 mil das declarações haviam sido feitas, segundo a Receita Federal em Goiás, restando ainda mais de 550 mil para serem entregues até dia 30 de abril, quando termina o prazo. Maioria vai deixar para a última semana.

Embora seja baixo, o volume de entregas é normal, se comparado com as médias dos anos anteriores, segundo o supervisor do IR da Receita Federal em Goiás, Jorge Martins. “A tendência é que a maior parte das pessoas deixe para a última hora”, diz.

A multa mínima para quem perder o prazo é de R$ 165,74. O contribuinte também deve ficar atento para possíveis sobrecargas no sistema on-line da Receita, caso deixe para declarar o imposto na última semana deste mês. As declarações do ano-base 2012 foram abertas no último dia 1º de março. O sistema foi lançado antes, apenas para consulta.

A declaração é obrigatória para quem teve, no ano passado, renda anual superior a R$ 24,5 mil, aplicações na Bolsa de Valores e rendimentos de poupança acima de R$ 40 mil. A declaração também deve ser feita por aquele que mantém atividade rural com valor superior a R$ 122 mil, teve ganho de capital com a venda de imóveis ou participação em empresas e bens acima de R$ 300 mil.

Dentro dos 25% que já declararam o IRPF está a cabeleireira Natalia Botelho Alves, de 25 anos. Com todos os documentos em mãos, ela foi a um escritório de contabilidade e já prestou contas com o “Leão”. “Procuro declarar antes. Além de pegar escritórios menos congestionados, os preços dos serviços contábeis ainda estão mais baratos porque há menor procura”, diz a cabeleireira.

Atualização
Nos próximos dias, uma nova versão do Receitanet será lançada pela Receita Federal, contemplando várias entidades. Em fevereiro deste ano, foi lançado o programa gerador da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2013, que trouxe algumas novidades, como a possibilidade de doação para os fundos beneficiados pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Inicialmente, a nova regra contemplou quatro municípios goianos: Cabeceiras, Luziânia, Bela Vista e Pirenopolis. Pessoas físicas podem deduzir 6% do imposto e as doações podem ser feitas até o dia da entrega da declaração do IRPF. Com a atualização do sistema da Receita, que deve ocorrer ainda esta semana, várias outras entidades poderão receber fundos do Eca. A expectativa é que o maior volume seja de instituições de Goiânia, Senador Canedo, Anápolis e Aparecida de Goiânia. Mais informações, acesse www.receita.fazenda.gov.br.

Antecipação de restituição pode servir para quitar dívidas elevadas

A restituição do Imposto de Renda pode ser uma opção para o contribuinte que possui dívidas elevadas, como, por exemplo, com o cartão de crédito e cheque especial. De olho nisso, algumas instituições financeiras abriram linhas de crédito com essa finalidade e podem liberar até 100% do total a ser devolvido pelo Fisco, com juros de 1,89% a 2,99% ao mês.

Presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas em Goiás (Sescon-GO), Edson Cândido ressalta que a troca só vale a pena se o empréstimo for usado para pagar dívida com valor maior. “Não compensa antecipar a restituição para capital de giro ou para deixar o dinheiro parado, sem investimento”, alerta. O Sescon fará um plantão para tirar dúvidas nos próximos dias 17 e 18, entre 8 e 17h. O evento , que será gratuito, acontecerá na Praça do Bandeirante.

10% dos contribuintes

Segundo o presidente do Sindicato dos Contabilistas de Goiás (Scesgo), Ronan Pereira Pinto, a antecipação é usada por cerca de 10% dos contribuintes em Goiás. Porém, a­ler­ta que estas linhas de crédito só devem ser usadas por aqueles que tenham a certeza de que todas as informações prestadas estão corretas e precisas. “Caso haja algum erro, ele pode cair na malha fina e não terá o dinheiro da restituição para honrar a dívida. O banco não tem piedade e vai cobrar o empréstimo mais correção”, orienta Ronan.

Conforme economistas da Serasa Experian, assim como em qualquer outro empréstimo, o consumidor tem de analisar com cautela e colocar  “na  ponta do lápis” todas as vantagens e desvantagens de adiantar este dinheiro. Normalmente, o pra­zo de financiamento da antecipação chega a 300 dias.

Para quem pretende fazer a antecipação, o ideal é pesquisar e comparar o custo efetivo da operação, ou seja, os juros e as taxas cobradas. Outra opção é antecipar apenas o necessário para quitar as dívidas mais altas.

Fonte: Jornal O Hoje