28 de março de 2013

Presidente da Metrobus garante que empresa não explora motoristas e diz que é favorável ao VLT



Adriano Oliveira defende implantação do VLT em Goiânia. Para ele, será uma grande oportunidade para a Metrobus mostrar eficiência e capacidade.

O presidente da Metrobus, Adriano Oliveira, participou do Programa Clube da Notícia, da Rádio 730, na manhã desta quinta-feira (28). Ele comentou sobre reclamações do Sindicato dos Motoristas em relação a carga horário e do pagamento de avarias nos veículos.
Adriano Oliveira defende que na sua gestão a Metrobus melhorou o atendimento ao usuário e também as condições de trabalho de seus condutores. Segundo o presidente, o Ministério do Trabalho vistoriou a empresa e não encontrou irregularidades. “Nós contratamos os motoristas para trabalhar 8 horas e eles trabalham 7 horas e um minuto,” afirma.

De acordo com o dirigente, além do período de descanso, todos os motoristas têm de seis a oito minutos de intervalo entre uma viagem e outra. Normalmente, o trajeto entre o Terminal Padre Pelágio e o Terminal Novo Mundo leva em torno de 42 minutos.

Adriano admite que os condutores trabalham sobre uma carga de stress muito grande e, que o salário não é muito atraente, mas ainda sim a maioria dos funcionários gostam do emprego. “Os motoristas não tem uma visão negativa da empresa,” diz.

Trem
O governo estadual trabalha para implantar o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) no Eixo Anhanguera nos próximos anos. Adriano vê a questão como uma oportunidade para a Metrobus. “É um desafio. Nós teremos que ser cada dia mais eficiente. Nós poderemos mostrar o valor da empresa,” discursa.

O presidente da Metrobus está de olho na expansão do Eixo Anhanguera para as cidades de Senador Canedo, Goianira e Trindade. A intenção de Adriano é que a empresa opere as linhas.

Adriano afirma que desde a ideia de se implantar o VLT que ele apoia o projeto. O presidente afirma que está lutando para que todos os motoristas tenham seus empregos mantidos.

Fonte: Portal 730