31 de agosto de 2012

Balada Internacional: Pitbull e Gustavo lima em Goiânia



Data: 14/10/2012
Local: Estacionamento do Flamboyant
Hora: 15 hrs

A balada internacional que vai parar Goiânia.

Shows:

- Rapper Pitbull
- Gustavo lima

Ingressos:

Área Vip:

R$ 50,00 - à vista
R$ 60,00 - à prazo

Extra Vip:

Feminino: R$ 80,00 - à vista    (R$ 90,00 - à prazo)
Masculino: R$ 90,00 - à vista    (R$ 190,00 - à prazo)

Camarote Prime Villa Mix:


Feminino: R$ 140,00 - à vista    (R$ 180,00 - à prazo)
Masculino: R$ 150,00 - à vista    (R$ 100,00 - à prazo)


Ponto de venda:

- Flamboyant Shopping
- Rival Calçados

Tic Mix (Online)


*Não será permitida a entrada de menores portanto autorização dos pais ou procuração para que terceiros representem os pais, mesmo que reconhecida em cartório. Esse tipo de autorização e procuração não são aceitos pelo Juizado da Infância e Juventude de Goiânia. 

Biquini Cavadão e Plebe Rudeem Goiânia 2012




Data:07/12/2012
Local: Centro Cultural Oscar Niemeyer

Shows:

- Biquini Cavadão
- Plebe Rudeem


Sobre:

A Plebe Rude está de volta ao cenário musical com o lançamento do CD/DVD “Rachando o Concreto ao Vivo em Brasília” (leia resenha aqui). O grupo atualmente formado por Philippe Seabra (vocal e guitarra), André X (baixo), Clemente (guitarra) e o músico Marcelo Capucci (bateria), tem tido destaque na mídia especializada, além de muitos aplausos em todos os palcos por onde tem se apresentado para divulgar o novo trabalho. É o famoso bordão sucesso de público e crítica.
Ligue nas rádios e peça a canção “Este Ano”. Você não vai se arrepender e de quebra estimula o grupo a tocar na sua cidade.

O Biquini Cavadão dispensa apresentações, a banda formada pelo performático Bruno Gouveia (vocal), Carlos Coelho (guitarra e violão), Miguel Flores (teclados), Álvaro Birita (bateria) e os músicos Valmer Carvalho (sax) e Marcelo Magal (baixo), é hoje, incontestavelmente, uma das maiores bandas de pop rock do país, agregando a cada apresentação mais admiradores a sua legião de fãs, graças à excelente presença de palco e ótimas composições.

Ingressos:

Valores referentes ao 1º lote e meia entrada

Frontstage: R$ 50,00

Camarote Festa dos Seiscentos: Feminino R$ 70,0 / Masculino R$ 110,00
- Open Bar: Whisky 8 anos, cerveja, água, refrigerante, salgados finos, bistrôs, sofás
- Ingressos limitados a 600 pessoas

*Valores dos ingressos sujeitos à alterações sem aviso prévio.

Pontos de Venda:

- OqueRola Ingressos: Goiânia Shopping Piso 2 (em frente à Centauro)
- Tribo
- Officina Cervejaria
- Posto 15
- Rival Calçados

Vendas Online: www.ticplus.com (verifique taxas adicionais)
Ingressos Delivery: (62) 8100-2387

Obras do Sistema João Leite estão avançadas




Está prevista para maio de 2013 a entrega aos goianienses da maior obra de saneamento da história de Goiás.

As obras para a conclusão do Sistema Produtor João Leite estão em ritmo acelerado. De forma simultânea, mais de 500 pessoas trabalham na construção do complexo, que inclui a Estação de Tratamento de Água (ETA) Governador Mauro Borges, a maior estação de tratamento de água do Centro-Oeste. Esforços para que, em maio de 2013, quando o sistema entra em pré-operação, a população de Goiânia receba a maior obra de saneamento da história de Goiás.

Realizada em etapas, a obra foi iniciada com a construção da barragem e do reservatório, que tem capacidade para armazenar 129 milhões de metros cúbicos de água. Somados essa primeira etapa com o término do Sistema Produtor, o investimento chega a R$ 400 milhões.

A conclusão das obras desse complexo representará um marco na ampliação do abastecimento de água, já que o Sistema Produtor João Leite terá capacidade para dobrar a oferta e garantir o abastecimento da população da capital até o ano de 2040. “Esta é uma obra para a eternidade e de valor incalculável para a população de Goiânia”, diz o diretor de Engenharia da Saneago, Olegário Martins Teixeira Neto.

Com acréscimo inicial de 2 mil litros por segundo na produção, o abastecimento de água em Goiânia será estabilizado. Atualmente, a produção, que é feita pelo antigo sistema João Leite, somado ao sistema Meia Ponte, é de 4 mil litros de água por segundo. Inicialmente, apenas o novo sistema, por meio da ETA Mauro Borges, vai produzir 4 mil litros de água por segundo – mais os 2 mil litros do Meia Ponte. O tratamento dessa água terá as mais modernas e avançadas tecnologias da América Latina, com elevado nível de segurança operacional.

A segunda etapa das obras inclui a construção de uma Estação de Bombeamento de Água Bruta, responsável pelo bombeamento de água entre a barragem e ETA Mauro Borges. No local, turbinas hidráulicas, com potência de 4 MW, serão capazes de proporcionar economia de energia elétrica de 5,5 mil Hp durante seis meses do ano. Com isso, mesmo no caso de apagão de energia elétrica, o abastecimento de água em Goiânia estará garantido.

Constam também das obras a construção de elevatórias e adutoras e de água bruta e tratada, que terá 1,7 metro de diâmetro e extensão total de 8,1 quilômetros de dutos. Essa Adutora de Água Tratada, construída com tubulação de aço carbono, será responsável por conduzir a água tratada da ETA Mauro Borges até as casas da população goianiense.

Universalização
Com o acréscimo na produção de água por meio do Sistema João Leite, o sistema Meia Ponte será aliviado, podendo beneficiar moradores de Aparecida de Goiânia. Para isso, uma nova etapa já está com processo licitatório em preparação. Trata-se do Sistema de Distribuição, que vai universalizar o abastecimento de água aos aparecidenses. Além disso, a intenção é aumentar o abastecimento em Trindade e Goianira. A previsão é de que as obras sejam concluídas em 2014.
O orçamento para uma primeira fase de construção chega a R$ 200 milhões – podendo ser de R$ 600 milhões ao final. As obras incluem a construção de Centros de Redes, Elevatórias, adutoras, subadutoras e redes.

Fonte: Jornal O Hoje

Reajustes salariais têm ganhos reais no Estado



100% das categorias em Goiás, com data-base no 1º semestre, tiveram ganhos acima da inflação,

Em Goiás, todas as categorias profissionais com data-base no primeiro semestre deste ano tiveram ganhos salariais acima da inflação (2,32%). O levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mostra reajustes superiores a 5% da inflação para 17% das categorias. O maior percentual de reajustes veio da indústria, com maior influência da construção e mobiliário, seguida pelo comércio. No País, 96,5% das categorias tiveram aumento real no primeiro semestre. O percentual supera o recorde de 2010, de 88,2%.

Em 2011, nenhuma das categorias reajustou salários dos trabalhadores goianos acima dos 5% e 76% dos reajustes ficaram apenas 2% acima da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumi­- dor (INPC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Este ano, apenas 41,2% aumentos salariais não foram superiores a 2%. O restante, 41,2% apresentou ganhos entre 2% e 3% nas data-bases definidas no primeiro semestre.

Pelo segundo ano consecutivo todas as categorias tiveram ganhos reais acima do INPC. A média desses ganhos ficou entre 2,01% e 3%. A supervisora técnica do escritório do Dieese, em Goiás, Leila Brito, avalia que o resultado surpreende. “A expectativa após o primeiro semestre de 2011, com desaceleração da economia, era de negociações inferiores à inflação”, diz Brito.

No Centro-Oeste, Goiás se destaca com o maior volume de reajustes com concessões das 33 registradas na região. A indústria apresentou o maior percentual de reajustes, metade das unidades consultadas deu ganhos salariais, com maior influência oriunda do subsetor da construção e mobiliário (16,7%). Nesse setor, o mestre de obras José Carlos Neto, 47, que trabalha desde os 17 anos na construção civil, teve ganho salarial de 11% no primeiro semestre.

Considerando ganhos com a qualificação, ele diz que o salário teve alta de 25% desde o início do ano passado. “O profissional da construção civil está muito valorizado. É uma área muito boa, com salários até maiores que outras atividades de nível superior”, avalia o profissional. Com a melhora no salário ele já conse­- guiu quitar o financiamento do carro e já faz economias para eventualidades.

O administrador de obras da Loft Construtora, Gilberto Caldeira, conta que o mercado está aquecido e demanda cada vez mais mão de obra. “Para conseguir atender ao crescimento do setor temos de conceder melhoras salariais, além de investir constantemente em treinamento”, diz ele, completando que, em média, os reajustes nesse primeiro semestre ficaram em 13%. Na área os ganhos vão de R$ 800 a R$ 4,8 mil por mês.

Fonte: Jornal O Hoje

30 de agosto de 2012

Lançados Complexos Industriais Integrados



Goiânia e Rio Verde serão beneficiadas por obras que preveem um investimento total de R$ 436 milhões nas duas cidades.

Um investimento de R$ 436 milhões. Esta é a previsão para os dois primeiros Complexos Industriais Integrados (CIIs) que serão erguidos em Goiânia e na cidade de Rio Verde, no sudoeste de Goiás. Ontem, o governador Marconi Perillo assinou, com as empresas SPE – Centro Logístico Centro-Oeste e Toctao, o protocolo de intenções, idealizado pela Secretaria Estadual de Indústria e Comércio (SIC). Da parte do governo, é a pasta que vai tocar tocar os projetos. De acordo com a SIC, somente diretos devem ser gerados entre 10 mil e 15 mil empregos.

Em Goiânia, o empreendedor responsável é a SPE, e o Complexo será voltado para o consumo da região metropolitana, com investimento previsto de aproximadamente R$ 236 milhões. Em Rio Verde, o empreendedor é a Toctao, e os investimentos somarão R$ 200 milhões – totalizando, juntos, R$ 436 milhões.

Os Complexos Industriais possibilitarão a integração dos modais rodoviários e ferroviários; das micro e pequenas empresas com outras de médio e grande portes; entre cidades com diferentes níveis de desenvolvimento e competitividade; das atividades rurais com as cidades e, consequentemente, entre Goiás e o mundo. Os CIIs fazem parte do Plano de Ação Integrada de Desenvolvimento (PAI).

O intuito é, conforme explicou o secretário de Indústria e Comércio, Alexandre Baldy, desenvolver o Estado de forma justa, a partir da eliminação das desigualdades regionais, diminuição da burocracia, criação de um ambiente mais competitivo, mais geração de riquezas e o aumento da possibilidade de agregar valor aos seus produtos. Para tanto, é preciso garantir melhor infraestrutura para que as empresas se instalem e se desenvolvam num ambiente mais propício para alcançar seus objetivos, o que vai tornar ainda mais ágil esse processo competitivo.

Compartilhamento

O governador disse que, nessa nova modalidade, a atração de empresas será tarefa compartilhada entre os empreendedores e o Estado e destacou que o crescimento industrial de Goiás, nos últimos meses, ocorreu em função da chegada de novos e grandes investimentos, consolidados em razão do trabalho de melhoria da infraestrutura que o governo do Estado tem feito. A previsão, segundo ele, é de que, este ano, o volume de exportações seja de R$ 8 bilhões.

Disse ainda que outros fatores permitiram destaque à economia goiana, como o fato de Goiás ter sido, no primeiro semestre deste ano, a unidade da federação que mais gerou postos de trabalho proporcionalmente. “Some-se a esses dados o fato de Goiás ter atingido, no ano passado, a meta histórica de atração de R$ 10 bilhões em investimentos privados em apenas 10 meses”, recordou.

Reforçando discurso de que Goiás tem se preparado em termos de infraestrutura para competir com outros estados, afirmou: “Vamos ter em Goiás quatro grandes ferrovias, além de uma ferrovia para transporte de passageiros que está sendo projetada nesse momento pela ANTT e pela Sudeco, que vai ligar Luziânia a Brasília, e outra que começou a ser estudada ligando Brasília a Goiânia”. E complementou: “Goiás também tem um programa ambicioso de reconstrução e conclusão de rodovias. Isso tudo vai transformar a logística do nosso Estado em uma das mais competitivas nos próximos dez anos”.

Fonte: Jornal O Hoje

29 de agosto de 2012

Edital do estudo do trem Brasília-Goiânia sai em 60 dias




O edital para a contratação dos Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Socioambiental (EVTEA) da Ferrovia Brasília-Anápolis-Goiânia deve ser lançado em 60 dias. A nova ferrovia terá cerca de 200 km e deve ser em linha dupla, sendo uma para carga e outra para passageiros, conectando com a Ferrovia Norte-Sul em Anápolis (GO). Os trens serão de média capacidade, com velocidade de até 180 km/h.

Segundo o diretor-superintendente da superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) e coordenador do Comitê Técnico, Marcelo Dourado, está sendo avaliada uma Parceria Público-Privada (PPP) para a implantação da nova ferrovia. Dourado explica que a definição será feita após a conclusão dos estudos. O projeto está estimado em R$ 800 milhões.

Na segunda-feira (27/08), foi realizada a segunda reunião do Comitê Técnico para efetivação da ferrovia e foi aprovada a minuta do termo de referência para a elaboração de estudos de viabilidade técnica, econômica e socioambiental. A reunião contou com a presença de representantes do Ministério da Integração Nacional, Ministério dos Transportes, ANTT, DNIT, Valec, Governo de Goiás e Governo do Distrito Federal.

Fonte: Revista Ferroviária

Obra da BR-080 é embargada pela SRTE



Atrasos de pagamento, condições precárias de trabalho e jornadas extensas foram encontradas no local.

A Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Goiás (SRTE/GO), com o apoio da Policia Rodoviária Federal (PRF), embargou,  na segunda quinzena de agosto,  a obra de construção da rodovia federal BR-080, trecho que vai do quilômetro 293 a 363, no município de   São Miguel do Araguaia, região noroeste de Goiás.

Foram encontradas seis empresas terceirizadas executando atividades-fim (carpintaria, terraplanagem e armação), de responsabilidade do consórcio Caiapó e A.M. Engenharia.

A obra faz parte de um pacote de investimentos de  recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, destinados a ampliar a capacidade da rodovia.

Fiscalização

A fiscalização constatou atrasos de até 20 dias no pagamento de salários. De acordo com a SRTE, não havia instalações sanitárias nas frentes de trabalho. Os trablhadore faziam as necessidades fisiológicas no mato. Além disso, os fiscais constataram falta de locais para refeições, ausência de materiais de primeiros socorros, falta de equipamento de segurança (IPI) e vestimentas para o trabalho.

Outra irregularidade encontrada foram empregados sem registro em CTPS, ausência de alguns exames médicos e excesso de jornada de trabalho - havia jornada de 17h por dia para alguns empregados.

“Houve embargo total da obra, todas as frentes de trabalho nos 70 quilômetros foram embargadas faz 12 dias. Interditamos as atividades de construção de um galpão  e  três  ônibus que faziam o transporte dos trabalhadores de forma precária”, declarou Juliano Baiocchi Souza, coordenador da operação.

Com a remoção das empresas terceirizadas, os auditores fiscais do trabalho firmaram acordo com o consórcio Caiapó/A.M. Engenharia, para que os trabalhadores das terceirizadas fossem incorporados e não perdessem o emprego.  Foram lavrados 30 autos de infração.

Fonte: Jornal O Hoje

Mortes por dengue caem 85,18% em 2 anos



Dados da Secretaria Estadual de Saúde apontam para redução de óbitos pela doença. Entretanto, 29 municípios goianos

O número de óbitos confirmados em decorrência da dengue em Goiás teve redução de 85,18% em um período de dois anos, segundo mostra boletim semanal apresentando pela Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa), da Secretaria Estadual de Saúde (SES). Conforme os dados, em 2010 foram confirmadas 81 mortes da 1ª até a 33ª semana epidemiológica (de 1º de janeiro a 18 de agosto), enquanto que, no mesmo período deste ano, foram contabilizadas 12. Em relação ao ano passado, quando 34 pessoas morreram até aquela semana, a redução é de 64,71%.

Os dados do boletim semanal foi apresentado na manhã de ontem em reunião do Comitê Estadual de Mobilização Contra a Dengue, que reuniu representantes dos 29 municípios de Goiás apontados como de alto risco. Além da redução no número de mortes, o relatório aponta queda na quantidade de casos notificados em todo o Estado. No comparativo de 2010 para este ano, até a 33ª semana, foi registrada queda de 76,08% – 101.289 contra 24.219 casos. Já em relação ao ano passado, com 35.426 notificações, a redução ficou em 31,64%.

A superintendente da Suvisa, Tânia Vaz, observa que as reduções são resultado das ações realizadas pelos gestores de cada município, além da maior conscientização da população. Apesar disso, ela ressalta que parte da população ainda tem resistência em tomar os cuidados necessários para evitar a proliferação do mosquito. A reunião, segundo Tânia, é justamente para discutir ações que possam sensibilizar tanto os gestores como a população.

Tânia lembra que é natural que no período de seca os números relacionados tantos às notificações como aos óbitos sejam reduzidos. Por isso, as ações de prevenção têm de ser intensificadas antes que se inicie o período chuvoso, para evitar o aparecimento de focos e manter a estabilização dos casos. “É sempre uma surpresa quando chegam as chuvas. Ou seja, se vamos ou não conseguir manter o controle. Sabemos que é possível, mas precisamos que todos estejam mobilizados”, observa a superintendente da Suvisa.Mortes

Das 12 mortes confirmadas este ano, cinco foram por dengue com complicações, sendo quatro em Goiânia e uma em Senador Canedo. Os outros sete óbitos foram por febre hemorrágica de dengue (FHD), das quais cinco foi na capital e duas em Aparecida de Goiânia. No total, foram confirmados 71 casos de FHD, dos quais 64 tiveram cura. Além de 313 casos com complicações, com 303 sendo curados. O número de óbitos suspeitos chega a 40 até a 33ª semana epidemiológica.

Fonte: Jornal O Hoje

Governo de Goiás anuncia a criação de mais dois polos industriais



O Governo de Goiás lançou na tarde desta quarta-feira (29/8) os Complexos Industriais Integrados, criados para fomentar o crescimento da economia goiana. Os primeiros complexos serão construídos em Goiânia e Rio Verde e vão associar infraestrutura e políticas industriais que facilitem a integração entre empresas de ramos semelhantes e o escoamento da produção.

Na ocasião o governador Marconi Perillo (PSDB) assinou os protocolos de lançamento dos Complexos Industriais de Goiânia e Rio Verde.

O secretário de Indústria e Comércio, Alexandre Baldy, explicou que "o Estado entra com as políticas públicas. O acesso ao FCO, BNDES e o que for necessário para gerar competitividade e a qualificação da mão de obra". A expectativa é de que os dois complexos já estejam em funcionamento em 2013 e gerem, inicialmente, de 10 a 15 mil empregos.

O protocolo de intenções estabelece que o Governo de Goiás vai colocar à disposição de cada complexo um grupo de trabalho envolvendo secretarias de Estado, que vão buscar a desburocratização dos processos de instalação de empresas. "Aqui em Goiás nós queremos interiorizar os investimentos para que o Estado, com sua capacidade de investimento, possa fomentar o desenvolvimento regional e levar a industrialização e o crescimento econômico aos menores municípios do Estado, juntamente com a infraestrutura necessária e a capacitação da mão de obra", explica Alexandre Baldy.

Os Complexos Industriais Integrados são assim chamados porque possibilitam a integração de rodovias e ferrovias, micro e pequenas empresas com outras de médio e grande porte, cidades menos desenvolvidas com outras competitivas, o campo com a cidade e, consequentemente, Goiás com o mundo. A ideia é interiorizar o desenvolvimento e fazer com que Goiás seja o Estado mais interessante para a instalação de indústrias na região que compreende o Centro-Norte do País. Dos 246 municípios goianos, apenas 10 são responsáveis por 61% do PIB do Estado.

Sobre os investimentos em infraestrutura, o governador Marconi Perillo destaca que "nós vamos ter aqui em Goiás quatro grandes ferrovias, além de uma ferrovia de passageiros, que está sendo projetada, que vai ligar Luziânia a Brasília, e outra, que está sendo estudada, ligando Goiânia a Brasília. Confirmados esses investimentos, num período de 10 anos, Goiás poderá contar com seis importantes ferrovias, além de investimentos aeroportuários, em hidrovias e rodovias. Tudo isso vai transformar a logística de Goiás numa das mais competitivas nos próximos 10 anos".

Fonte: Jornal O Hoje

Goiânia registra tarde mais quente do mês



Segundo a meteorologia, apesar de temperaturas altas durante o dia, as madrugadas de agosto estão mais frias.

Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura registrada hoje (29) foi a mais alta do mês até agora, com 32,7°C. Ainda assim, as temperaturas registradas nas noites e madrugadas do mês foram consideradas as mais baixas nos últimos três anos, já que estão em torno dos 15°C, como informou Rosidalva Lopes, meteorologista do Sistema de Meteorologia e Hidrologia do Estado de Goiás (Simehgo).

Segundo a chefe da sessão de meteorologia do Inmet, Marna Mesquita, a média do mês, geralmente, fica em torno dos 31.2°C, enquanto este ano essa média está em 30.8°C. A umidade está em torno de 27% e não deve aumentar muito nos próximos dias.

Ainda segundo o Inmet, amanhã (30) as temperaturas devem ficar entre 33°C e 18°C. A umidade varia entre 80% e 35%. Para os próximos dias o tempo deve permanecer parcialmente nublado, com temperatura máxima de 33°C e mínima de 17°C. A umidade vai variar entre 75% e 20%, o que é considerado comum em período seco como este.

Fonte: Jornal O Hoje

28 de agosto de 2012

Governo estadual fecha o Huapa



Hospital concebido pelo governador Marconi Perillo nunca funcionou adequadamente, deixando a população de Aparecida de Goiânia sem uma unidade de referência na saúde.

Descaso, falta de investimentos, desinteresse. São muitas as explicações para o fechamento do Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia. O centro médico, que teve a construção iniciada no segundo governo de Marconi Perillo (PSDB) nunca chegou a funcionar com toda a sua capacidade. Sua concepção era de um novo Hugo (Hospital de Urgências de Goiânia), e teria como objetivo desafogar aquela unidade, prestando um serviço de qualidade para a população de Aparecida de Goiânia. Na prática isto nunca aconteceu.

O Huapa já teve dificuldades desde a edificação. A obra foi paralizada várias vezes por erros estruturais. Antes de ser entregue à população, foi preciso corregir problemas na fundação do prédio. Seguiram-se então inúmeros inaugurações e reinaugurações, mas nada de fazer o hospital funcionar como deveria ser.
Além das várias inaugurações até funcionar precariamente, o Huapa passou por mudanças na administração. Após longos impasses, a responsabilidade pelo hospital ficou a cargo da Organização Social Salute do Rio de Janeiro, segundo nota de esclarecimento disponível no portal saude.go.gov.br.

No quesito saúde, mesmo com o prédio pronto, as notícias  foram sempre de faltas de leitos hospitalares e vagas em UTI. Por que obras concebidas pelo governador  Marconi Perillo, não desempenham o papel aos quais foram planejadas? Se é que foram planejadas para funcionar. Caso semelhante é o Centro Cultural Oscar Niemeyer que já foi inaugurado “trocentas” vezes, mas continua sem funcionar direito..

Ao longo dos anos o atendimento limitado do Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia deixou uma consequência imediata para a população: a sobrecarga em outras unidades de saúde e muita demora.

Pacientes que dependem da rede pública de saúde sempre tiveram dificuldades para conseguir vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa).

A interdição do Hospital de Urgência de Aparecida de Goiânia (Huapa), na última sexta-feira (22/6), pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) é mais um triste capítulo do descaso da administração do governador Marconi Perillo com a saúde dos aparecideneses. O MPT realizou uma operação conjunta com o Conselho Regional de Enfermagem (COREN) e Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Goiás (SRTE-GO). De acordo com a superintendência, após inspeção, ficou comprovado o risco biológico e químico que pacientes e trabalhadores da saúde estavam submetidos.

Conforme foi divulgado pela SRTE, a interdição foi motivada pelas condições insalubres e perigosas existentes na unidade de saúde. Durante vistoria, foram encontrados trabalhadores sem equipamentos de proteção individual (EPI) e sem vestimenta adequada, o que não é permitido.

Outra irregularidade encontrada é, segundo a superintendência, o grande acúmulo de lixo e falta de higiene em vários setores do hospital. Durante reunião entre a diretoria do Huapa e representantes do MPT, na tarde de sexta-feira (22/6), ficou definido que a unidade de saúde deve se adequar imediatamente às condições de higiene exigidas. O hospital terá 48 horas para limpar os setores e providenciar os equipamentos de proteção básicos aos servidores.

Fonte: AparecidaNet.

AMOB executa obras na Avenida Leste-Oeste



A Agência Municipal de Obras (AMOB) executa obras para a construção de uma rotatória no Parque Industrial João Braz. Os serviços estão sendo executados na Avenida Washington, esquina com a Avenida Leste-Oeste.

Nesta segunda-feira, 27, as equipes da Agência executam ainda serviços de recuperação asfáltica (tapa-buracos) no Jardim Goiás, Jardim Fonte Nova, Setor Bueno, Setor Pedro Ludovico, Setor Alto do Vale, Setor Criméia Oeste, Setor Sul, Residencial Itaipu, Jardim Atlântico, Jardim Guanabara e Bairro Goiá.

As equipe des limpeza de bocas de lobo e ramais de galerias pluviais atuam nas Ruas F-04 e F-05, no Setor Faiçalville, e na Rua JH-01, no Jardim das Hortências, e em diversas ruas do Bairro Santa Genoveva, Vila Canaã, Setor Pedro Ludovico, Setor Aeroporto e Residencial Solar Ville.

Avenida Leste Oeste, o que já foi feito?

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Agência Municipal de Obras (AMOB), tem dado continuidade às obras da Avenida Leste-Oeste. A construção da avenida foi iniciada em 1997, com a execução do trecho entre a Câmara Municipal e a Avenida Bernardo Sayão.

Entre 2005 e 2012 foram executados dois trechos, um entre a Avenida Senador Jaime, na Vila Abajá e a Avenida Dom Eduardo, na Vila São José, e outro da Avenida Anhanguera à Avenida Castelo Branco. No período já foram executados mais de 100 mil m² de pavimentação e as obras contam ainda com meios fios, sistema de drenagem e um bueiro celular/ponte, sobre o Córrego Taquaral, somando cerca de R$ 22 milhões em investimentos.

Em julho deste ano, os serviços de pavimentação foram realizados na Avenida Francisco Alves de Oliveira, no Parque Industrial João Braz. A ação integra as obras da Avenida Leste-Oeste, entre o Bairro Goiá e o Parque Industrial João Braz.

O principal objetivo da implantação da Avenida é, no primeiro momento, a ligação da Região Oeste da cidade com a Região Central, beneficiando bairros como a Vila Abajá, Vila Isaura, Vila São José, Esplanada do Anicuns, Bairro Goiá, Parque Industrial João Braz e Conjunto Vera Cruz. Futuramente, o projeto interligará o lado Leste a partir do município de Senador Canedo até o lado Oeste na divisa do município de Trindade, em um eixo que atravessará a Capital.

Fonte: Prefeitura de Goiânia

PAI tem R$ 1,6 bi para os próximos quatro meses



Até o final deste ano, o Governo de Goiás vai investir R$ 1,6 bilhão nos 40 programas do Plano de Ação Integrada de Desenvolvimento (PAI), lançado no último dia 8. Os recursos já estão garantidos e podem ser usados de imediato. Na manhã desta terça-feira (26), o governador Marconi Perillo assinou decreto que aloca R$ 115 milhões nos 13 programas do PAI que ainda não tinham recursos definidos. A assinatura aconteceu durante solenidade no Salão Dona Gercina do Palácio das Esmeraldas, em Goiânia, na presença de auxiliares do Governo, lideranças de classe e empresariado.

O valor alocado foi remanejado de recursos existentes de autarquias e fundações de sete unidades orçamentárias do Estado: Detran, FunProduzir, Funmineral, leilões do Fomentar, AGR, Goiasprev e Juceg. Os demais 27 programas já tinham fontes de recursos definidas quando o Pai foi lançado, no total de R$ 1,48 bilhão.

O governador Marconi Perillo também assinou Ordem de Serviço criando força tarefa para elaboração de projetos para captação de recursos aos programas do PAI; Ordem de Serviço para agilizar e incrementar o recebimento de dívidas ativas; Ordem de Serviço para recuperação de crédito junto aos órgãos da União e advindos de dívida com o Estado; Ordem de Serviço para agilizar o processo de liquidação de empresas e Ordem de Serviço para venda de imóveis do Estado.

De acordo com o secretário de Gestão e Planejamento, Giuseppe Vecci, até o final de 2014, o Governo espera arrecadar R$ 750 milhões com a venda de imóveis. No encontro, Vecci apresentou ainda o Roteiro de Operacionalização que cada programa do PAI deve seguir a partir de amanhã. O Roteiro engloba ações como o cronograma, as atividades preliminares à execução e o monitoramento.

O governador Marconi Perillo afirmou que, a partir de agora, caberá aos secretários, a tomada de ações rápidas e eficientes para efetivar os programas. “Para todas as áreas e ações do PAI existem recursos. O que precisamos agora é de ação. Passo a bola para os pés dos secretários, que terão que fazer com rapidez e eficiência o seu dever de casa para efetivar obras, serviços e benéficos possam ser efetivados.”

Marconi destacou também que há uma grande disposição de todos os órgãos do governo de colaborar com fontes de recursos. “O dinheiro não é dos órgãos, o dinheiro é do Estado. E nós vamos gastá-lo da melhor maneira possível, de forma planejada para o povo. De tal sorte que as ações sejam implementadas e a sociedade possa receber benefícios”, concluiu.

Fonte: Portal 730
Foto: Wagnas Cabral/Assessoria

27 de agosto de 2012

David Guetta em Goiânia 2012 (CANCELADO)



Data: 14/11/2012
Hora: em Breve
Local: em Breve

Pela 3° Vez em Goiânia, David Guetta.

Show:

David Guetta.

Breve Mais informações.

Obras do Cascavel duram 20 anos




A construção da marginal já passa por sete administrações, está suspensa e ainda não tem data precisa para recomeçar .

A Marginal Cascavel, região oeste de Goiânia, começou a ser construída há pelo menos 20 anos, mas durante essas duas décadas apenas um trecho de pouco mais de um quilômetro, que liga a Avenida Castelo Branco, em Campinas, até a Avenida T-2, na Vila Boa Sorte, recebeu asfalto. Mesmo assim, o trânsito nas imediações continua congestionado, pois a pista da marginbal está ociosa por falta de passagens sob as pontes.

Foram quase sete administrações municipais diferentes, mas pouca coisa mudou. Problemas administrativos e judiciais emperraram a obra, que foi planejada para desafogar o tráfego de veículos nas ruas vizinhas.

O diretor do departamento de fiscalização da Agência Municipal de Obras (Amob), Leandro Wassi Helou, esclarece que existem três contratos referentes a obras da marginal. “Dois eram da Delta Construções S.A. e outro ainda está em fase de licitação.”

Delta
Os contratos com a Delta foram suspensos pelo prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, após o nome do ex-diretor da empresa, Cláudio Abreu, ser divulgado como um dos integrantes do esquema de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso durante a Operação Monte Carlo, desencadeada pela Polícia Federal (PF).

Antes de ser efetivada a suspensão dos contratos, as obras já haviam sido paralisadas. As máquinas pararam de trabalhar em novembro de 2011, devido ao período chuvoso. Mas quem observa o local percebe um canteiro de obras abandonado próximo de gigantes erosões. Leandro Helou, no entanto, defende que não há qualquer erosão que provoque riscos: “Onde tinha foi feito serviço emergencial de contenção.”

Segundo o departamento jurídico da Amob, o contrato com a empresa Delta, relativo às obras entre a Avenida T-2 e Avenida T-9, venceu no mês de maio deste ano. Informou ainda que a prefeitura está providenciando uma nova licitação para dar prosseguimento às obras. Já o processo licitatório para o início das obras do trecho dois – Avenida Castelo Branco até Avenida Leste Oeste – deve ser concluído até o final do ano. “A obra, propriamente dita será iniciada em abril do ano que vem”, garante o diretor. O novo trecho ligará a Avenida T-2 à Avenida dos Alpes, onde serão feitas canalização do córrego, abertura de pista e a construção de duas pontes sob a Avenida dos Alpes.

Imbróglio

Antes da Delta assumir as obras, outro imbróglio travou o seu início. Ainda em 2010, a Delta entrou com uma ação judicial contestando a licitação. Os diretores da construtora entenderam que a empresa vencedora do processo não preenchia os requisitos exigidos pelo edital. O início da obra foi paralisado para aguardar uma decisão final da Justiça. E a decisão, com base na Lei de Licitações, forçou a administração municipal a registrar a Delta como vencedora. Mas as obras não começaram até que a justiça divulgasse limar favorável a empresa recorrente, ao final de 2010.

Impasse judicial referente à desocupação também estão entre os obstáculos. Há três anos proprietários de estabelecimentos comerciais que terão de ser desocupados brigam na Justiça, pois não aceitaram os valores propostos pelo município. “O maior problema é de um imóvel comercial”, esclareceu Helou.

Fonte: Jornal O Hoje

Nascentes são muito prejudicadas



Parque Macambira-Anicuns seria construído com danos a córregos e mananciais de toda a capital.

Já estava tudo pronto para a construção de uma rua em cima da nascente do Córrego Cedro, em Goiânia, quando uma equipe da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) impediu a continuação da obra, que proporcionaria danos irreparáveis à natureza. O projeto, aprovado pela Prefeitura de Goiânia de forma inadequada, faz parte da construção do Parque Ambiental Macambira-Anicuns. A intenção era estender a Avenida Professor Helio França, no Setor Faiçalville, para limitar o parque ao loteamento.

Segundo o delegado titular da Dema, Luziano Carvalho, caso a obra continuasse, a nascente seria prejudicada e poderia desaparecer. Ele ressaltou que a construção foi paralisada após a ação policial no dia 25 de abril. “Chegamos a tempo de prevenir. Quando não dá tempo de prevenir, trabalhamos com recuperação. Se dá pra recuperar, ótimo. Se não dá, que exista compensação. Ninguém tem o direito de errar.”

Ele afirma que quando se faz uma rua em cima da nascente os danos ambientais são irreversíveis. “Há uma compactação dessa nascente. Não tem recuperação, o dano é irreparável, irreversível e incalculável. Iríamos pagar futuramente com grandes condenações em forma de catástrofe.” Luziano ainda considerou a nascente do Córrego Cedro, que seria prejudicada, como a “mais bonita de Goiânia”.

Principal problema

O delegado acredita que o assunto ambiental em Goiânia que mais merece atenção são as nascentes de córregos e rios. Por isso, a delegacia realiza um trabalho de vistoria in loco das nascentes com o objetivo de solucionar os problemas. “Onde tem crime ambiental que se faça os procedimentos e encaminhe para Justiça.” A ação que estava prevista para visitar 40 nascentes teve de ser reduzida. O motivo foi a quantidade de irregularidades encontradas. As agressões mais comuns são: desmatamento e construções em área proibida.

A polícia já visitou 17 nascentes e deve visitar outras três até o final da operação, previsto para o dia 15 de junho. “Em todos houve irregularidades que serão encaminhadas para a Justiça.” A vistoria foi feita nas nascentes do córrego Taquaral, Pindaíba, Cascavel e Serrinha. Nos locais, foram encontradas construções de residência e até mesmo de uma igreja de forma irregular. Além de lançamento de lixo e entulhos nas nascentes e córregos. “Encontramos muita presença de lixo no Córrego Serrinha. Presença de gado e até garagem de ônibus, que possui elementos potencialmente poluidores.” A intenção do delegado é juntar forças com a administração municipal para resolver as questões do meio ambiente. “Já trabalhamos em parceria com a Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma).”

Fonte: Jornal O Hoje

26 de agosto de 2012

Incêndio em lanchonete provoca evacuação no shopping Flamboyant



(Foto: Cileide Alves/Reprodução/OPopular)
(Foto: Cileide Alves/Reprodução/OPopular)

Um incêndio iniciado na cozinha da lanchonete Burguer King do shopping Flamboyant Shopping Center, em Goiânia, causou a evacuação de emergência das salas de cinemas do 3º piso, por volta das 22h20 deste sábado (25/8). As informações são do jornal O Popular.



De acordo com a publicação, a fumaça provocada pelo incêndio invadiu as salas de cinema e a área de alimentação. Os bomebeiros foram chamados e controlaram o incêndio. Ninguém ficou ferido.


Fonte: Mais Goiás

Gustavo Lima e Guilherme & Santiago em Anápolis 2012




Data: 31/08/2012
Local: Parque de Exposições de Anápolis

Mega show com Gusttavo Lima e Guilherme e Santiago.

Sexta, a partir das 22:00 horas.

Ingressos:

Pista:
M: R$ 40
F: R$ 20

Extra Vip:
M: R$ 70
F: R$ 60

* Valor de 1º Lote, Limitado para os 1.500 Primeiros.
* Open Bar: Cerveja, Água, Refrigerante, Suco, Vodka Smirnoff.

- Camarote Empresarial:
10 Pessoas
* Open Bar: Cerveja, Água, Refrigerante, Suco, Vodka Smirnoff + 1 garrafa de Red Label.

- Venda de Camarote:
(62) 8417-6463 - Paulo Godoy

- Venda de Ingressos * Anápolis:
Super X
EuroTur (Jaiara)
Nobel Entretenimento (Cartões de Crédito)
Pepper Food
Banca dos Cartões (Terminal Urbano)
Absoluto Grill

- Venda de Ingressos * Goiânia:
Shopping Flamboyant
Tribo Restaurante

- Venda de Ingressos * Brasília:
Fest Tour (62) 3223-0493

- Promoção:
Manchester FM - Anápolis
Positiva FM - Goiânia

- Apoio:
Café Rancheiro
Indaiá
Johnnie Walker
Cîroc

Concurso VALEC 2012 - Edital e Inscrição




Concurso da VALEC tem período de inscrição reaberto e novo Cronograma. Certame oferece 800 vagas para níveis médio e superior..

Foram reabertas as inscrições para o concurso que prevê o preenchimento de 800 oportunidades na VALEC Engenharia, Construções e Ferrovias, empresa pública federal vinculada ao Ministério dos Transportes. Das 560 vagas para portadores de diploma de nível superior, 242 serão para provimento efetivo imediato e ampla concorrência, 13 serão reservas a portadores de necessidades especiais e 305 serão para composição de cadastro reserva. Já as 240 oportunidades de nível médio serão para preenchimento exclusivo de cadastro de  reservas.

Cargos e Lotação

As funções com disponibilidade de vagas efetivas ou futuras são: assistente técnico administrativo, técnico de laboratório, técnico de estradas e edificações, técnico de laboratório, técnico em agronomia, técnico de segurança do trabalho (nível Médio), administrador, médico do trabalho, advogado, analista de sistemas, biólogo, economista, contador, engenheiro, geógrafo, geólogo e jornalista (nível Superior).

Os aprovados e convocados pela empresa poderão trabalhar em Tocantins, Goiás, Minas Gerais, Bahia, São Paulo, Mato Grosso, Rio de Janeiro ou no Distrito Federal.

A oferta salarial para os postos de nível médio será de R$ 2.275,90 e para os de nível superior, R$ 6.100,00.

Inscrições

As inscrições foram reabertas e serão realizadas até o dia 26 de agosto de 2012 através do endereço eletrônico da Fundação Escola Superior do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro - FEMPERJ (www.femperj.org.br), mediante o pagamento de taxa entre R$ 48,00 (Médio) e R$ 55,00 (Superior). Quem preferir, poderá se inscrever a partir do próprio site da VALEC (www.valec.gov.br).

Quem se inscreveu no período anterior, não é necessário realizar nova inscrição. As inscrições homologadas continuam válidas para o Concurso Público da VALEC.
Somente em caso de desistência na participação no Concurso Público é que o candidato deverá solicitar a devolução da taxa de inscrição.

O novo Cartão de Confirmação de Inscrição - CCI será divulgado a partir do dia 31 de agosto com as novas informações sobre o local de prova objetiva que será no dia 09 de setembro de 2012.

Seleção

O Concurso VALEC 2012 será composto de uma única etapa, que é a Prova Objetiva de conhecimentos gerais e específicos, eliminatória e classificatória, com previsão de aplicação no dia 09 de setembro de 2012. Os exames serão realizados em Brasília, Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro, lembrando que o gabarito preliminar será liberado um dia após a prova.

O resultado final deverá ser publicado a partir das 12 horas do dia 05 de outubro de 2012, quando o concurso (após homologação) passará a ter prazo de validade de até dois anos, podendo ser prorrogado.

Sobre a VALEC

Empresa com função social voltada para a construção e exploração de infraestrutura ferroviária, a Valec atua sempre em conformidade com as diretrizes do Ministério dos Transportes. Entre suas áreas de atuação, podemos destacar a administração dos programas de operação da infraestrutura ferroviária, a fiscalização de obras de infraestrutura ferroviária, a exploração de estradas de ferro e a promoção e desenvolvimento dos sistemas de transportes de cargas sobre trilhos.

Edital / Publicações

Edital Valec

Fonte: Concursos no Brasil

Priorizar o transporte coletivo




Nas últimas três décadas, as políticas públicas voltadas ao desenvolvimento urbano foram marcadas por rigoroso jejum orçamentário, cuja prescrição ocorreu num fragilizado ambiente federativo marcado pela ausência da União e, via de regra, pela omissão dos Estados e municípios. O resultado apresentou-se especialmente trágico porque, neste meio tempo, a população brasileira completava seu ciclo de urbanização, tão intenso que apenas as 50 maiores cidades abrigam mais de 60 milhões de pessoas. Cabe lembrar que o crescimento desordenado impõe uma variação exponencial nas demandas. Do lado da União, com a criação recente do Ministério das Cidades e implementação do PAC, foram retomados o fomento e a formulação das políticas de saneamento, habitação e mobilidade.

Na Região Metropolitana de Goiânia descortina-se um cenário promissor para investimentos em infraestrutura para a mobilidade. Os eixos Norte-Sul e Anhanguera receberão significativos investimentos que os capacitarão para cumprir seu insubstituível papel de estruturadores da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos (RMTC); 14 outras vias arteriais que fornecem suporte a eixos de transporte serão redesenhadas como corredores preferenciais para os ônibus, a exemplo do projeto implantado na Avenida Universitária.

Compõem este cenário, portanto, três projetos verdadeiramente revolucionários para o transporte público, perfazendo 137,5 quilômetros de vias, em cuja área de domínio concentra-se quase a totalidade dos destinos das atuais 800 mil viagens diárias dos cidadãos metropolitanos.

O Eixo Norte-Sul será assentado em uma série de vias que unem os terminais Recanto do Bosque, na Região Noroeste, e Cruzeiro, na Sudoeste, com 22 quilômetros de extensão. A partir do projeto desenvolvido pela Prefeitura de Goiânia, é previsto investimento de R$ 284 milhões, composto por recursos federais e próprios. Serão implantados o corredor exclusivo para os ônibus, seis terminais de integração e 40 estações de parada, sob os critérios da acessibilidade universal, com requalificação de calçadas, jardins e áreas de convivência adjacentes.

O Eixo Anhanguera receberá o Veículo Leve sobre Trilhos ( VLT) nos 13,5 quilômetros que separam os terminais Padre Pelágio e Novo Mundo. A construção e futura operação se alicerçam em Parceria Público-Privada (PPP) proposta pelo Estado. De acordo com o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) produzido, o investimento soma R$ 1,3 bilhão, sendo R$ 715 milhões públicos e R$ 585 milhões privados. A parcela pública virá da União (R$ 215 milhões do PAC, garantidos com o apoio e aval do município de Goiânia, acrescidos de financiamento de outros R$ 300 milhões). Outros R$ 200 milhões deverão ser garantidos por meio de fundo estadual específico.

Os corredores preferenciais contemplam a priorização dos ônibus em faixa localizada à direita, que somente pode ser usada por veículos individuais para acesso local e conversões à direita. Esses corredores serão implantados em 102 quilômetros de vias e terão como modelo o corredor universitário, agregando requalificação urbana, calçadas sustentáveis e, onde couberem, vias cicláveis. O custo quilométrico varia de R$ 2 a R$ 3 milhões, a ser coberto por orçamento próprio do município de Goiânia.

Os investimentos previstos, portanto, somam R$ 1,8 bilhão. A estes recursos acrescem-se aqueles já aplicados nos terminais da RMTC, da ordem de R$ 45 milhões. A destinação inédita de um volume de tal dimensão à priorização do transporte coletivo reveste-se de extrema importância para a sustentabilidade das cidades e qualidade de vida dos cidadãos e incorpora a certeza de redução nos congestionamentos, na poluição e na tragédia dos acidentes de trânsito.

Para que o aporte destes investimentos se resulte efetivo em benefício dos usuários atuais e da população em geral, há de se assegurar a gestão eficiente dos contratos pela CMTC e a continuidade de investimentos por parte das operadoras na renovação e ampliação do número e da capacidade dos veículos e na operação dos terminais de integração.

Nos aspectos diretamente relacionados ao desenvolvimento urbano, projetos estruturantes como estes não podem se converter simplesmente em afrodisíaco para a atração de investimentos imobiliários. Eles têm o condão de, ao qualificar as condições da mobilidade, oportunizar aos municípios a adequação do uso do solo à rede renovada e se valer de instrumentos do Estatuto da Cidade, de forma a capturar, em benefício do interesse público, as vantagens que se agregam. Esta perspectiva conduziu à instalação, no âmbito do município, de Grupo de Trabalho para avaliar e propor as medidas necessárias e convenientes para garantir esta diretriz.

Finalmente, cabe lembrar os sólidos e modernos fundamentos que foram instituídos na Região Metropolitana e que anteciparam, em vários aspectos, diretrizes hoje presentes na Lei de Mobilidade Urbana de vigência recente. No vértice, a Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC), por meio da qual o Estado, a capital e os municípios da RMTC exercem em harmonia suas atribuições constitucionais de poderes concedentes do transporte coletivo urbano-metropolitano; a Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), de composição multifederada como a CDTC, com atribuições de planejamento, fiscalização e controle dos transportes coletivos, e de ligação entre o poder concedente e as operadoras;os contratos de concessão firmados e o Plano de Mobilidade do Transporte Coletivo, integrante dos mesmos, fornecem o amálgama para a gestão eficiente da RMTC. Estes são os elementos que, em sua integridade, conferem a segurança ampla para que, enfim, os investimentos de longa espera materializem-se e vicejem em plenitude.

José Carlos Xavier é engenheiro civil, presidente da CMTC e membro do Conselho Diretor da ANTP

Fonte: Jornal O Popular

25 de agosto de 2012

SECTEC - GO abre processo seletivo



Processo seletivo da SECTEC, Goiás, oferece 554 vagas para profissionais de níveis médio e superior.

Já estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo Simplificado que visa a contratação temporária de professores e apoios administrativos para o programa Bolsa Futuro, desenvolvido pela Secretaria de Ciência e Tecnologia de Goiás - SECTEC.

No total são 554 vagas para desempenhar funções de tutor, conteudista, professor de línguas, técnico de informática, auxiliar de serviços gerais e agente administrativo técnico. As remunerações vão de R$ 622,00 a R$ 1.137,77, com 40 horas semanais de trabalho.

Para se inscrever o candidato deve acessar os sites www.segplan.go.gov.br ou www.sectec.go.gov.br,  preencher a ficha de inscrição e entregar pessoalmente, ou por procuração com firma reconhecida em cartório, no município para a vaga que o candidato vai concorrer, nos endereços divulgados no Anexo VII do Edital.

As inscrições são gratuitas e vão até o dia 22 de agosto de 2012.

A prova será realizada provavelmente no dia 26 de agosto de 2012, em local e horário a serem divulgados no www.segplan.go.gov.br e www.sectec.go.gov.br. Os candidatos serão selecionados de acordo com uma prova objetiva de conhecimentos gerais que será aplicada no município para o qual o candidatos se inscreveu.

O gabarito oficial será publicado no site: segplan.go.gov.br e sectec.go.gov.br, até 24 Horas após a realização da prova. O prazo de contratação será de 01 ano, a contar da data da assinatura do contrato.

Edital / Publicações

Edital SECTEC - Secretaria de Ciência e Tecnologia

Fonte: Concursos no Brasil

Concurso Prefeitura de Aparecida de Goiânia



Concurso da Prefeitura de Aparecida de Goiânia, Goiás, abre 490 vagas para profissionais de níveis fundamental, médio e superior..

A Prefeitura de Aparecida de Goiânia, Estado de Goiás, publicou edital n° 03/2012 de concurso público para o ingresso nos cargos da Secretaria Municipal de Saúde. Com o certame, serão providas 490 vagas para profissionais de níveis fundamental, médio e superior, com salários de até R$ 1.246,11.

Cargos
- Profissional de Saúde - Nível Superior: Ciências Biomédicas (8), Enfermagem (79), Farmácia (19), Medicina (104), Medicina Veterinária (3), Nutrição (7), Odontologia (38), Psicologia (17);
- Assistente Técnico de Saúde - Nível Médio/Técnico: Técnico em Análises Clínica e Laboratório (4), Técnico em Enfermagem (148), Técnico em Higiene Dental (2), Técnico em Radiologia (2);
- Auxiliar Técnico de Saúde - Nível Fundamental: Auxiliar de Consultório Dentário (59).

Inscrições
O concurso será realizado pelo Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás, que disponibilizou sua página web para inscrição. As inscrições serão realizadas de 28 de agosto até às 23h59min do dia 20 de setembro de 2012 através do endereço www.cs.ufg.br.

O Serviço de Atendimento ao Cidadão - SAC prestará atendimento aos candidatos interessados, nas seguintes unidades: Centro, situado na Rua João Batista de Toledo, nº. 16, Centro, telefone (62) 3545-5828 e 3545-5829; Garavelo, situado na Avenida Igualdade, Praça da Igualdade, Setor Garavelo, telefone 3545-6032; Nova Cidade, situado na Avenida 21 de Abril, APM 02, Nova Cidade, telefone 3545-4868, todos em Aparecida de Goiânia no horário das 8h às 17h30min, exceto sábados, domingos e feriados.

Taxas
As taxas variam de R$ 45,00 para cargos de nível fundamental, R$ 65,00 para nível médio e de R$ 85,00 para cargos de nível superior.

Provas
O concurso será realizado em etapa única, com prova objetiva de caráter eliminatório e classificatório para todos os cargos a ser realizada na data prevista de 21 de outubro de 2012.

A distribuição dos candidatos nos locais de realização das provas será feita a critério do Centro de Seleção da UFG, conforme disponibilidade e capacidade dos locais. A critério do Centro de Seleção da UFG, as provas do concurso poderão ser realizadas nas cidades de Aparecida de Goiânia e/ou Goiânia-GO.

A aplicação da prova terá início às 13h e término às 17h. Os portões dos locais de sua realização serão abertos às 12h e fechados, pontualmente, às 13h.

Validade
O prazo de validade do concurso público será de 2 anos, podendo ser prorrogado uma única vez por igual período.

Edital / Publicações:

Edital Prefeitura de Aparecida de Goiânia

Fonte: Concursos no Brasil

Aparecida já conta com cinco academias abertas



A 5ª unidade, instalada no Jardim Tropical, foi entregue ontem à população da região e atenderá jovens, adultos, crianças e idosos.

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano entregou nesta terça-feira, 21, na praça do Jardim Tropical, a quinta Academia da Terceira Idade (ATI), ou Academia Aberta, como também são popularmente conhecidas. “Agora não tenho mais desculpas para não malhar”, brincou a dona-de-casa, Jaqueline Teodoro de Souza, que fez questão de acompanhar a entrega da academia. A nova unidade fica na praça principal do Jardim Tropical, e atenderá jovens, adultos, crianças e idosos. “As academias, embora tenham uma proposta inicial de atender e melhorar a qualidade de vida dos idosos, são espaços democráticos. São extremamente seguras e podem ser utilizadas por pessoas de qualquer idade, transformando-se inclusive em ponto de encontro e área de lazer para toda a população”, explicou o secretário de Desenvolvimento Urbano, Rodrigo Caldas.

As demais academias foram implantadas na Avenida Independência, Setor Village Garavelo; na Avenida Circular, setor Expansul; no setor Cruzeiro do Sul; e na Avenida Anápolis, Vila Brasília. À exemplo delas, a nova academia do Jardim Tropical também conta com 15 aparelhos fixos, entre eles o esqui, simulador de caminhada e simulador de cavalgada, rotação dupla diagonal, rotação vertical, pressão de pernas, multi-exercitador, surf, alongador e remada sentada.

A nova ATI do Jardim Tropical recebeu investimento total de R$ 40 mil do Tesouro Municipal. O espaço possui um piso especial e antiderrapante, denominado Solado do Amazonas, que é feito com pneus velhos reaproveitados. “Esta é a segunda academia aberta a receber esse material inovador. A primeira foi a da Vila Brasília, que inauguramos no início deste mês”, frisou Rodrigo Caldas. “Esse material, além de ser ecologicamente correto, oferece mais segurança aos usuários porque evita traumas mais sérios em caso de queda de um dos aparelhos”, completou o secretário.

Além das cinco academias já instaladas, está em andamento um projeto da Secretaria de Desenvolvimento Urbano para compra e instalação de mais 50 academias abertas nas principais praças do município. Uma proposta extremamente simples, barato e eficiente, inclusive para a saúde pública. “A prevenção é uma das formas mais eficazes de melhorar a saúde da população e a prática de atividades físicas é uma forma de prevenir diversas doenças e problemas crônicos provocados pelo sedentarismo”, pontuou Rodrigo Caldas.

Além da implantação de mais 50 unidades de ATI em Aparecida, a secretaria também investe em outro projeto, em parceria com a Secretaria de Esporte e Lazer, que prevê a contratação de profissionais de Educação Física para monitorar e instruir os usuários das academias. O projeto piloto está em funcionamento, na academia do setor Cruzeiro do Sul. “Lá a população já conta com instrutores e a experiência tem sido positiva. Mas, a idéia é expandir esse atendimento. Enquanto isso, estamos treinando servidores da própria Secretaria de Desenvolvimento Urbano para realizarem a manutenção periódica dos aparelhos e até mesmo orientar os usuários sobre a necessidade de conservação deles”, destacou o secretário.

Esta é inclusive uma preocupação diária da Prefeitura, que tem realizado um trabalho de conscientização da população para a conservação das praças e seus equipamentos. Freqüentemente os usuários são orientados inclusive a chamar a polícia ao presenciar ações de depredação e vandalismo. O resultado já pode ser percebido. O principal exemplo é a ATI da Avenida Independência, a mais antiga, instalada há mais de um ano. A unidade recebe visitação diária de centenas de pessoas que utilizam os aparelhos de ginástica, ciclovia e pista de caminhada e, desde que foi entregue, nenhuma ação de vandalismo foi registrada. O comportamento positivo da população também já é percebido nas outras três unidades que já estavam em funcionamento.
 “Essa academia é excelente, é a melhor coisa pra quem não tem condição de pagar por uma particular. Espero que os moradores todos saibam valorizar e manter tudo como está”, observou com entusiasmo a dona de casa Christiane Soarez de Oliveira, de 28 anos.

Font: AparecidaNet

BP pode investir R$ 1 bi em etanol em Goiás


Rubens Santos
O Estado de S.Paulo
(Foto: Divulgação/BP Global)
(Foto: Divulgação/BP Global)

O governo de Goiás informou que o braço de biocombustíveis da petroleira britânica BP deve investir R$ 1 bilhão no interior do Estado, em um projeto para processamento de 5 milhões de toneladas de cana de açúcar por ano, com produção de 75 mil toneladas de açúcar e etanol e gerar 338 MW de energia elétrica, com a queima do bagaço da cana.
Segundo o governo, o acordo entre a BP e o Estado foi definido há dois dias. "Trata-se de investimento de enorme importância para o País e que está sendo recebido com otimismo por nós, uma vez que vai gerar impacto positivo na economia local e reflexos na geração de empregos e no PIB do Estado", destacou Alexandre Baldy, secretário de Indústria e Comércio de Goiás. O anúncio oficial será feito na próxima semana em Goiânia.
Refinaria da BP Global em Western, Austrália. (Foto: Divulgação/BP Global)
Refinaria da BP Global em Western, Austrália. (Foto: Divulgação/BP Global)

Baldy explicou que há previsão de geração de 1,5 mil empregos diretos e outros três mil empregos indiretos após a implantação do projeto. Também garantiu que o investimento de R$ 1 bilhão será com recursos próprios da multinacional inglesa. Portanto, disse ele, não contarão com recursos do BNDES ou de programas de incentivos. Mesmo as áreas para plantação da cana de açúcar e implantação das usinas, segundo ele, serão adquiridas pela BP Biocombustíveis.
"Ao Estado caberá a construção de um trevo, à margem da rodovia, que dará acesso ao projeto", ressaltou. Além desse investimento, em local ainda não revelado, a BP Biocombustíveis no Brasil já possui outros dois investimentos no setor sucroenergético, no município de Edeia (GO). Em 2008, o grupo também adquiriu 50% de participação na Tropical BioEnergia S/A. Trata-se de uma joint venture envolvendo o Grupo Maeda (25%) e a LDC Bioenergia (25%).
(Foto: BP Global)
(Foto: BP Global)

No ano passado, a BP fez aquisição do controle majoritário da Companhia Nacional de Açúcar e Álcool (CNAA), em Itumbiara (GO), e com ela passou a operar duas usinas de etanol, visando abastecimento do mercado interno e também para exportação.
No mercado interno, o preço do etanol se mostra competitivo em relação à gasolina. Segundo levantamento, da semana passada, da Agência Nacional de Petróleo (ANP), o preço do etanol representou 66,53% em relação ao preço da gasolina em São Paulo; 67.37% em Goiás, e 63,64% em Mato Grosso.

Fonte: Goiás Mais

Estudantes passam a noite na faculdade



Protesto na UFG deve durar até terça-feira e é para forçar o governo federal a reabrir as negociações salariais.

O estudante do mestrado em Sociologia da Universidade Federal de Goiás (UFG) Hugo Leonardo Cassimiro, 29, e outros 14, passaram a noite acampados em frente à Faculdade de Direito, na Praça Universitária. A manifestação, que começou por volta do meio-dia de ontem e deve permanecer pelo menos até a próxima terça-feira, quer pressionar o governo federal a retomar as negociações com os professores que paralisaram suas atividades em todo o País há mais de três meses.

Segundo Hugo, a manifestação foi uma decisão do comando de greve dos alunos e está acontecendo simultaneamente em várias cidades do País. “Resolvemos que essa é a hora de fazermos algo com mais impacto. Chamamos esse movimento de ‘Chega de greve, negocia Dilma’”, disse. O estudante lembra que a ação também quer chamar a atenção para a bandeira dos alunos que, entre outras, reivindica recursos para assistência estudantil.

Favoráveis

Apesar de todos quererem a volta às aulas, o mestrando ressalta que os alunos do comando de greve são favoráveis à causa dos professores. “Não é só greve salarial. Eles estão lutando pelas suas carreiras e isso é justo”, afirma. Hugo também destaca que muitos dos alunos do acampamento querem seguir carreira acadêmica. “Então, eles estão lutando também pelas nossas carreiras,” observa.

A diretoria da Faculdade de Direito e a reitoria da UFG se mostraram pacíficas em relação à manifestação. Os alunos do acampamento afirmam que irão se revezar e permanecer no local pelos próximos dias.

A greve na UFG completou dois meses no dia 11 de agosto e ainda não tem previsão para acabar. Em reportagem publicada em O HOJE no último dia 18, o professor da Faculdade de Educação da UFG e membro do comando local de greve, Fernando Lacerda, afirmou que a Universidade não quer fechar um acordo sem que as reivindicações que levaram à greve sejam atendidas. “Ninguém mais quer continuar com a greve. Ela prejudica estudantes, prejudica a gente, prejudica nossas pesquisas”, disse. No entanto, o professor entende que é preciso haver um esforço maior por parte do governo para que haja o entendimento.

Fonte: Jornal O Hoje

Etanol segue mais vantajoso em Goiás



Definição aguarda encontros do ministro da Fazenda com representantes dos setores beneficiados.

Os preços do etanol nos postos de combustíveis seguem competitivos em relação à gasolina somente nos Estados de Goiás, São Paulo e Mato Grosso, de acordo com dados da A­gência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) referen­- tes à semana passada. Nos demais 23 Estados brasileiros e no Distrito Federal, a gasolina segue mais competitiva. Na média do Brasil, contudo, o preço do etanol está mais vantajoso.

Segundo o levanta­men­- ­to, o preço do etanol re­- presenta 67,37% do preço da gasolina em Goiás. Em Goiânia, foram pesquisados 65 postos entre os dias 19 e 22 passados. Na capital, o preço médio do etanol é de R$ 1,783, sendo o mínimo, R$ 1,620 (em um posto localizado na Avenida Jamel Cecílio, Setor Jardim Goiás) e o máximo, R$ 1,90 (na Avenida Atílio Correia Lima, na Vila Santa Tereza). A reportagem do HOJE averigou que o preço do etanol, no posto da Jamel, estava ainda menor (R$ 1,59), assim como o da gasolina (R$ 2,52).

Já a gasolina em Goiânia está sendo vendida pelo preço médio de R$ 2,649, com o mínimo de R$ 2,499 (em um posto de combustível da Avenida Fued José Sebba, no Setor Leste Universitário) e máximo de R$ 2,790 (na Avenida Brasil, Jardim da Luz).

Aparecida de Goiânia

Entre outras cidades do Estado, a agência ain­da pesquisou 13 postos de Aparecida de Goiânia. Em relação ao etanol, o preço médio encontrado, entre os dias 20 e 22 deste mês, foi de R$ 1,701, sendo o valor mínimo de R$ 1,630 (em posto da BR-153 Km9) e o máximo de R$ 1,90 (na Avenida São Paulo, Vila Brasília). Já a gasolina em postos aparecidenses está sendo comercializada, em média, por R$ 2,602, sen­do o preço mínimo de R$ 2,490 (na BR-153, Km9) e o máximo, R$ 2,690 (na Avenida Liberdade, no Setor Garavelo).

A vantagem do etanol é calculada considerando que o poder calorífico do motor a álcool é de 70% do poder nos motores à gasolina. No cálculo, são usados valores médios coletados em postos em todos os Estados e no Distrito Federal. Quando a relação aponta valor entre 70% e 70,5%, é considerada indiferente a utilização de etanol ou de gasolina no tanque de combustível.

A pesquisa completa da ANP – que pode ser observada por Estado ou por município – é uma boa ferramenta para quem não quer gastar combustível circulando de carro ou de motocicleta, à procura de preços mais baratos. Acesse www.anp.gov.br/preco.

Fonte: Jornal O Hoje

Avaliação da ONU leva Paulo a pedir explicação



Inconformado com rotulação de Goiânia como cidade mais desigual da América Latina, prefeito envia ofício pedindo esclarecimentos.

Candidato à reeleição pela coligação Goiânia Cidade Sustentável, o prefeito Paulo Garcia (PT) disse ontem que pediu informações à Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a metodologia empregada no levantamento que aponta a capital goiana como a mais desigual da América Latina e o Caribe.

O estudo foi divulgado na terça-feira, 21, pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), que aponta cinco capitais brasileiras entre as metrópoles mais desiguais da região: Fortaleza (CE), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF) e Curitiba (PR), além de Goiânia.

“Nós estamos até atrás dos critérios para ver com que base e com que dados isso foi diagnosticado”, disse ao O HOJE, ao final de uma sabatina promovida pelo Goiânia Convention & Visitors Bureau.

Paulo destacou que outros institutos já apontaram a cidade como a capital brasileira com a melhor qualidade de vida. No entanto, ele disse reconhecer considerações distintas entre estas pesquisas e o levantamento do programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat). “Não há necessariamente uma contradição, porque distribuição de renda é uma coisa, qualidade de vida é outra”, pontuou.

Para o prefeito, necessariamente a desigualdade pode se caracterizar pela distribuição de renda. “Nós podemos ter uma fatia da população de alto poder aquisitivo, que provoca uma média completamente distorcida. Isso precisa ser avaliado”, frisou. “Nós pedimos à ONU a base de dados”, revelou, que na quinta-feira, 23, participou do lançamento das Metas de Sustentabilidade para os Municípios Brasileiros, em São Paulo, e assinou, como candidato à reeleição, a Carta Compromisso que renova seu empenho com a Plataforma Cidades Sustentáveis.

Em março de 2010, Goiânia também despontou no estudo da ONU como a primeira em desigualdade no País e a 10ª mais desigual do mundo. Na época, o então prefeito Iris Rezende (PMDB) reagiu ao estudo e o classificou como irresponsável. “Isso é um equívoco. Esses técnicos, eu acredito, nunca passaram nem perto de por Goiânia”, disse. “É a única capital do Brasil que não convive com favela, e se não existe, é porque cada pessoa convive em seu cantinho para viver com dignidade.”

Caminhada

O candidato à reeleição pela coligação Aparecida Cada Vez Melhor, prefeito Maguito Vilela (PMDB), participa neste sábado (25) de carreata com Paulo Garcia (PT), que concorre pela coligação Goiânia Cidade Sustentável. É a primeira atividade conjunta dos prefeitos nas eleições municipais deste ano. A concentração da carreata está programada para as 9 horas na Avenida Rudá, na Vila Brasília. Serão percorridos diversos bairros que fazem parte da divisa dos municípios.

Maguito Vilela e Paulo Garcia repetem em âmbito municipal a aliança entre o PT e o PMDB no governo federal.

Fonte: Jornal O Hoje

Governo entrega carros a 38 cidades



Além dos veículos, foram distribuídos instrumentos musicais para a formação de bandas em 192 escolas.

O governador Marconi Perillo fez, na tarde de ontem, a entrega de 17 vans e 21 veículos Renault Logan novos a 38 municípios. E 192 escolas da rede pública estadual receberam instrumentos musicais. A solenidade aconteceu no auditório da Celg, no Jardim Goiás, e contou com a presença de prefeitos, deputados, secretários de Estado e representantes de escolas, instituições e conselhos tutelares.

Em seu discurso, Marconi reafirmou a importância das bandas na formação pessoal dos estudantes. “Essa é uma data importante para a Educação, porque não há nada mais bonito do que uma banda de música para quem conhece e vive no interior.” E citou os casos dele, Dona Valéria Perillo e do secretário chefe da Casa Civil, Vilmar Rocha, que vêm de cidades pequenas e amam as apresentações dos músicos das bandas escolares. Ressaltou ainda a importância desse tipo de ação: “É um estímulo à prática e à aprendizagem dos instrumentos”.

Compras

O governador anunciou a compra de aparelhos de ar condicionado a serem instalados nas 600 unidades escolares de Goiás já no ano que vem. “E, também, estamos comprando laptops para professores e alunos de 400 escolas goianas”, afirmou. Marconi comemorou, mais uma vez, os bons resultados da educação de Goiás no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Mesmo assim, disse que persegue um objetivo mais ousado, que é o de colocar Goiás no primeiro lugar no Brasil “e mostrar que nosso Estado é diferenciado”.

O secretário de Educação, Thiago Peixoto, ressaltou o espírito inovador de Marconi Perillo: “O governador tem demonstrado sua preocupação com todos os aspectos da vida dos goianos, em especial com a Educação e a Cultura.” Ele afirmou que a entrega dos instrumentos musicais para as bandas é muito importante para a formação dos jovens goianos.

Veículos

O governador disse na ocasião que a OVG tem se desdobrado para atender as instituições que trabalham com a parte mais carente da sociedade goiana. “A OVG tem ajudado o quanto pode as instituições cadastradas, com alimentos e enxovais, além de cuidar da Bolsa Universitária, do Restaurante Cidadão, dos abrigos, das Oficinas Educacionais Comunitárias”, acrescentou

Além disso, relembrou a luta da entidade em atender também os agentes públicos que a procuram para buscar ajuda para suas comunidades. “Há um ano, fui à Assembleia conversar com os Conselhos Tutelares e vocês me pediram ajuda. Então eu disse que ia comprar os carros. Hoje, estamos aqui para dizer que palavra de político, quando é sério, vale.”

O governador anunciou também que está sendo preparada compra de 300 ambulâncias a serem distribuídas.

Fonte: Jornal O Hoje

23 de agosto de 2012

Umidade relativa em Goiânia já chega a 20%



Dados do Simehgo mostram umidade mais baixa no interior do Estado.

O período de estiagem se prolonga neste mês de agosto, mas a umidade relativa do ar não chegou ao estado crítico como nos outros anos. Os meteorologistas do Sistema de Meteorologia e Hidrologia (Simehgo) explicam que hoje estamos com a umidade em 27% e que os valores devem variar neste mês de agosto entre 25% e 27%.

Segundo o instituto não tivemos valores abaixo de 20%, mas tivemos esse nível em Goiânia na quinta-feira (9), que foi o mais baixo para o mês de agosto. Na região Norte do Estado, em Porangatu se chegou a 15% de umidade.

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), pela manhã o nível de umidade varou entre 64% e 61%. Já pela tarde, os valores chegaram a ficar entre 30% e 24% com máximas de 28,7ºC e mínimas de 27,9ºC.

Alerta

Existem níveis que classificam a umidade relativa. São três níveis em que 20% a 30% representam estado de atenção. Abaixo de 20% significa estado de alerta e abaixo de 12% estado crítico. Quando se chega ao último estado, a umidade fica no nível de deserto.

Fonte: Jornal O Hoje

Exército apresentará projetos em setembro



Informação foi passada ao governador pelo general Joaquim Maia Brandão Júnior.

Até o dia 28 de setembro os projetos executivos de engenharia do novo Aeroporto Santa Genoveva, analisados, revisados e liberados para o prosseguimento das obras que foram paralisadas em 2007, serão entregues à Infraero. A informação foi passada hoje ao governador Marconi Perillo pelo chefe do Departamento de Engenharia e Construção do Exército, general Joaquim Maia Brandão Júnior, durante reunião em Brasília, em que estava presente o secretário de Infraestrutura de Goiás, Danilo de Freitas. O secretário recebeu a missão do governador de agilizar as obras do aeroporto junto ao governo federal e esteve na capital federal três vezes nos últimos oito dias.

Recebido pelo comandante do Exército, general Enzo Martins Peri, no Quartel General, no Setor Militar Urbano, em Brasília, Marconi expressou o otimismo de que a obra seja retomada ainda este ano e concluída até 2014, como previsto anteriormente.

Determinações
O general Joaquim Maia garantiu que os projetos foram analisados, reparados e serão encaminhados atendendo todas as determinações prévias do Tribunal de Contas da União – TCU. “Fizemos o compromisso, com data marcada e o cumpriremos adequadamente”, afirmou o general Joaquim, observando que a demora se deu em função de que eles precisaram de mais ajustes e para tal foram realizadas reuniões com a Infraero para o acerto definitivo.

Ele garantiu a Marconi que as portas do Exército estão abertas para as reivindicações que dizem respeito ao apoio da instituição visando ajudar no desenvolvimento de Goiás. O governador agradeceu o empenho do Exército, Departamento de Engenharia e do general Joaquim Maia, observando que a instituição é exímia cumpridora de suas tarefas dentro dos prazos determinados. Após os projetos chegarem à Infraero, de acordo com ele, logo as obras devem ser iniciadas, porque a fase mais difícil e complicada já foi vencida. Será necessário apenas o aval definitivo do TCU, mas que será abreviado, porque ele já foi consultado durante os ajustes feitos pelo Exército.

Numa etapa posterior, devem ser feitas as adaptações para corrigir a defasagem em termos da logística aeroportuária. De acordo com o governador, já há o compromisso do Consórcio Odebrecht/Via Engenharia, que tocará a obra, de reiniciá-la imediatamente após concluídos esses trâmites.

Fonte: Jornal O Hoje

Goiânia registra menor inflação do País no ano




Mesmo com alta de 0,48% em agosto, a segunda maior do Brasil, acumulado de 7 meses registra taxa de 2,66%.

A prévia da inflação em Goiânia, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA 15), acelerou 0,48% em agosto, bem acima dos 0,37% de julho e quase o dobro do registrado em agosto do ano passado (0,26%). Alimentação, transportes e habitação puxaram o resultado para cima. No ano, o acumulado da inflação registrou alta de 2,66%, portanto, menor que os 4,01% somados nos sete meses iniciais de 2011.

A inflação mensal em Goiânia é a segunda maior do País, atrás apenas da alta de 0,69% registrada em Fortaleza. A média nacional subiu 0,39%. No acumulado do ano, o resultado na capital é o menor registrado no País que acelerou 3,32%. A maior alta nacional no ano foi a de Recife (4,26%).

Nos últimos 12 meses Goiânia acumula inflação de 4,75%, a segunda menor, após São Paulo (4,54%) e menor que a média registrada no País (5,37%). O IPCA 15 é uma prévia da inflação oficial, medida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e abrange famílias com rendimentos entre um e 40 salários mínimos. De acordo com o economista Fábio Silva, a maioria das altas mensais está atrelada a questões climáticas. A expectativa é de novas altas nos próximos meses.

De um mês para o outro o grupo de alimentos e bebidas ficou 0,78% mais caro na capital. O preço do tomate voltou a subir: ficou 33,27% mais caro entre julho e agosto e pesou com mais força na alta de 15% no subgrupo composto por tubérculos, raízes e legumes. O item segue em alta em todo o País, com alta de 63% em Salvador e de 46% no Rio de Janeiro. Após um longo período de altas, o feijão carioca rajado ficou 7,77% mais barato.

O grupo habitação, embora tenha peso pouco menor que a alimentação, acelerou com mais força e subiu 1,12% em agosto. Itens como mudança, ferragens, sabão e outros artigos de limpeza ficaram mais caros. A energia residencial também teve peso maior nos bolsos das famílias goianieses. De um mês para o outro, o item ficou 3,95% mais caro.

O subgrupo eletrodomésticos apresenta alta de 2,28% na prévia da inflação, por conta de altas pontuais no preço do forno microondas e do conserto e manutenção de alguns equipamentos. Ainda com a desoneração do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI), a maioria dos aparelhos mostra quedas nos preços, com destaque para o televisor (-3,53%) e da máquina de lavar roupa (-1,19%). Despesas pessoais mostram alta de 0,84%, saúde e cuidados pessoais (0,34%), vestuário (0,32%) e educação (0,29%).

Quedas
Apenas dois dos nove grupos pesquisados apresentaram queda em agosto. A maior delas foi do grupo comunicação, com apenas um item (aparelho telefônico) consultado pela pesquisa e que apresenta queda de 1,99%.

No grupo transportes a deflação foi pequena, de -0,04%, por reduções de -1,25% no preço do automóvel novo e de -1,03% no usado. A passagem aérea também ficou mais barata este mês. A redução em Goiânia foi de -3,77%, menor que a queda média do País (-4,58%). A alta no grupo ficou por conta da tarifa interestadual de ônibus (14,41%) mais cara.

Fonte: Jornal O Hoje

22 de agosto de 2012

ONU revela que Goiânia é a cidade mais desigual da América Latina




RIO DE JANEIRO (AE) - Goiânia é a cidade mais desigual da América Latina. Na lista das dez cidades da região com maior índice de Gini - que mede a desigualdade de renda - cinco são brasileiras, indica o relatório “Estado das cidades da América Latina e do Caribe 2012 - Rumo a uma nova transição urbana”, divulgado ontem pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat). Apesar da melhora na distribuição de renda nos últimos anos, o Brasil é apontado no estudo como o quarto país mais desigual da região, atrás de Guatemala, Honduras e Colômbia.

Em 1990, o Brasil encabeçava a lista dos piores em distribuição de renda. O país da região com menor índice de desigualdade é a Venezuela. “Para as Nações Unidas, o principal desafio é desenvolver estratégias para combater a desigualdade. Isso é o mais importante. Sabemos que as cidades latino-americanas têm riqueza suficiente para reduzir essa situação”, disse o representante do ONU-Habitat, Erik Vittrup.

Goiânia apresentou Gini de 0,65 (o índice varia de 0 a 1; quanto mais próximo de 1, pior). Fortaleza é a segunda cidade da lista, seguida por Bogotá, Belo Horizonte, Brasília e Curitiba. Rio de Janeiro aparece na 13ª posição e São Pau­lo, na 19ª.

O relatório mostra que um quarto da população da América Latina é pobre, ou seja, vive com menos de US$ 2 por dia. São 124 milhões de pessoas, dos quais 111 milhões moram em favelas. Em 20 anos (1990-2010), aumentou em cinco milhões o número de habitantes nos chamados assentamentos precários. No Brasil, o porcentual de moradores de favelas (28%) é um pouco maior do que a média latino-americana, de 25%.

O porcentual de pessoas sem saneamento adequado na região chegou a 16% da população, ou 74 milhões de pessoas. Em relação ao abastecimento de água, a situação é melhor: 92% da população urbana tem acesso a água encanada. Mas a qualidade e o custo do serviço são questionados.

Sobre a questão da violência urbana, o representante da ONU disse que o problema é tão generalizado na região que foi apontado como principal prioridade em uma consulta a prefeitos. Nesse quesito, a situação é mais crítica no México e na Guatemala, disse Vittrup. De acordo com o relatório, as cidades da região apresentam altos níveis de violência e insegurança, que “parecem superar a capacidade de resposta de vários governos”.

Entre as recomendações, o relatório aponta a necessidade de padrões de crescimento urbano mais sustentáveis e que se aproveite o valor gerado pelo investimento público para o beneficio da população. O texto ainda destaca a necessidade de um planejamento ordenado e de orientação aos mercados imobiliários. “O parâmetro fundamental de desenvolvimento urbano deve ser o interesse coletivo”.

O estudo da ONU destaca que a capital de Goiás passa por um processo de favelização, por causa da baixa oferta de habitações. O ex-prefeito Iris Rezende (PMDB), porém, rebateu as informações da área de assentamentos humanos da ONU. "Em Goiânia não há favelas", diz, destacando que os dados "são absolutamente e visivelmente questionáveis".

"Eles inventam teorias, sem lógica ou fundamento", critica o ex-prefeito. "Em Goiânia há pobres, mas não miseráveis, e uma parcela é muito rica, como em Nova York, Paris, Londres", avaliou.

"Aqui não é e nunca foi o pior dos mundos", diz o promotor de Justiça e Urbanismo e Meio Ambiente, Maurício Nardini. Conforme o IBGE, Goiânia tem uma das melhores taxas de infraestrutura urbana no País, por ser uma das cidades mais arborizadas (89,5%). Procurado, o prefeito atual, Paulo Garcia (PT), estava em gravação, no primeiro dia de horário eleitoral, e não falou sobre o caso.

Fonte: Mais Goiás e Folhape