30 de abril de 2012

Liberada verba para trem urbano (VLT) e ônibus em Goiânia



Marina Morena

No lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade das grandes cidades, na manhã desta terça-feira (24/4), a presidente Dilma Rousseff anunciou recursos de R$ 215 milhões, inicialmente, para o VLT de Goiânia. Além disso, estão previstos mais de R$ 200 milhões para o BRT (ou corredor) Norte-Sul para transporte coletivo na capital, obra da Prefeitura de Goiânia.

Os recursos para o VLT de Goiânia são uma solicitação do governador Marconi Perillo, que aceitou arcar com a contrapartida da administração estadual. Já o corredor Norte-Sul constitui um trecho total de 26 quilômetros, sendo 22 quilômetro dentro da cidade, que deve ligar os terminais Cruzeiro e Recanto do Bosque. A obra vai abrigar 36 estações ao longo do percurso.

A solenidade foi realizada no Salão Oeste do Palácio do Planalto, com a presença de dez governadores e de prefeitos das maiores cidades brasileiras. Os recursos do PAC, R$32 bilhões, serão destinados a cidades com mais de 700 mil habitantes. Em Goiás, apenas Goiânia será beneficiada.

Fonte: A Redação

Prefeitura de Goiânia Lança em maio Edital de Construção do BRT Norte/Sul




Corredor exclusivo terá canaleta central destinada à operação do transporte coletivo. Via permitirá que ônibus circulem com dobro de velocidade. Obras, que devem durar 24 meses, serão custeadas pelos poderes Federal e Municipal

O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, deve lançar já no mês de maio o edital de licitação do corredor Bus Rapid Transit (BRT) Norte/Sul. Estima-se que a obra seja concluída em 24 meses após a realização de todo o procedimento licitatório. Na última terça-feira, dia 24, durante o lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 da Mobilidade Urbana, a presidenta Dilma Rousseff destinou R$ 210 milhões à construção do BRT de Goiânia.

Ao todo, o projeto tem custo estimado em R$ 274 milhões. Desses, R$ 64 milhões virão da Prefeitura de Goiânia, por meio de financiamento junto à Corporação Andina de Fomento (CAF). “A consolidação do PAC 2, que corresponde à questão da mobilidade, representa uma visão moderna do governo federal, que, ao destacar recursos para essa área, mostra a preocupação real em minimizar os transtornos neste setor, que corresponde ao ‘calcanhar de Aquiles' das grandes cidades”, afirma o prefeito Paulo Garcia.

Segundo o engenheiro e coordenador do projeto, Benjamin Kennedy Machado da Costa, o corredor BRT Norte/Sul terá 22,7 quilômetros de extensão, contará com seis terminais de integração e 32 estações de embarque e desembarque. O trecho será exclusivo, com canaleta central destinada à operação do transporte coletivo. Ele será operado utilizando ônibus articulados, que vão circular com velocidade entre 25 e 30 quilômetros por hora. Hoje, a média é de 14 quilômetros por hora.

“A presidenta trabalha dando prioridade a setores estratégicos no desenvolvimento das grandes cidades. Com a implantação do BRT em Goiânia, nós vamos melhorar, e muito, a estrutura de transporte público municipal, solucionando problemas no trânsito e no transporte da cidade”, pondera o prefeito. Ele avalia ainda que o investimento na área reflete a experiência de Dilma frente ao Ministério de Minas e Energia e à Casa Civil.

As obras do corredor terão início no Terminal de Integração Cruzeiro do Sul, localizado na Avenida Rio Verde, no Parque Amazônia (divisa com Aparecida de Goiânia), região Sudoeste de Goiânia. A construção do trecho vai seguir até o Terminal de Integração Recanto do Bosque, na Avenida Mangalô, no bairro homônimo, localizado na região Noroeste.

O itinerário do corredor compreenderá os seguintes trechos: Avenida Rio Verde, Avenida Quarta Radial, Avenida Primeira Radial, Rua 90, Praça do Cruzeiro, Rua 84, Rua 82 (Praça Cívica), Avenida Goiás, Avenida Goiás Norte, Avenida Horácio Costa e Silva, Avenida Genésio de Lima Brito, Avenida dos Ipês, Avenida Lúcio Rebelo, Rua Oriente e Avenida Mangalô.

“Pensar a mobilidade urbana é pensar a melhor forma de garantir o acesso das pessoas aos mais distintos locais da cidade, de modo mais e?ciente em termos econômicos, sociais e ambientais. O BRT Norte/Sul é mais um passo da administração municipal na garantia aos direitos básicos de mobilidade do cidadão”. O prefeito Paulo Garcia lembra que são inúmeras as discussões sobre o tema, uma vez que elas envolvem os meios de transportes, a infra-estrutura viária, o controle do trânsito, a gestão urbana e o comportamento individual.

Para o coordenador do projeto, outro ponto importante da obra reside na questão da segurança que será dada à população. Os ônibus serão equipados com sensores e câmeras de monitoramento, que vão funcionar 24 horas. “O corredor exclusivo BRT Norte/Sul vai proporcionar mais conforto, agilidade e segurança nas viagens feitas em Goiânia. Tenho certeza de que o corredor vai trazer uma nova ideia do transporte público coletivo para a população”, conclui Benjamin.

Mobilidade
A inscrição de Goiânia no PAC da Mobilidade foi feita pela Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), com autorização da Prefeitura, no dia 30 de março do ano passado.  O objetivo do programa é melhorar o transporte público coletivo e a qualidade de vida da população nas cidades brasileiras que enfrentam problemas graves de mobilidade urbana - definida como a capacidade de deslocamento de pessoas e bens no espaço urbano para a realização de atividades cotidianas (trabalho, abastecimento, educação, saúde, cultura, recreação e lazer), num tempo considerado ideal, de modo confortável e seguro.

O programa prevê, para os próximos anos, obras para dar acessibilidade, qualidade e conforto aos usuários do transporte público. Serão investidos recursos em metrôs, Bus Rapid Transit, corredores para passagens de ônibus, veículos leves sobre trilhos (VLTs), entre outros, beneficiando, diretamente, 53 milhões de brasileiros, o que corresponde a 39% da população.

No total, o governo federal investirá R$ 32 bilhões nas obras de mobilidade urbana. O valor será usado para a construção de 600 quilômetros de rodovias, 200 quilômetros de trilhos, 381 estações e terminais e a compra de 1.060 veículos para sistema sobre trilhos. Os projetos contemplados pelo PAC 2 levam em conta municípios com mais de 700 mil habitantes.

As cidades contempladas foram divididas em três grupos: MOB 1 - capitais de regiões metropolitanas com mais de 3 milhões de habitantes; MOB 2 - municípios com população entre 1 e 3 milhões de habitantes (grupo no qual Goiânia está inserida); e MOB 3 - cidades com população entre 700 mil e 1 milhão.

A cerimônia de anúncio dos estados e municípios contemplados pelo PAC 2 Mobilidade Grandes Cidades - lançado em 16 de fevereiro de 2011 - aconteceu no Salão Oeste do Palácio do Planalto, em Brasília, e contou com as presenças de representantes das 18 cidades contempladas pelo programa.

Autor: Lorena Ribeiro (Prefeitura de Goiânia)
Foto: Carlos Junior

Prefeitura de Goiânia inaugura novo Zoológico no próximo final de semana



As primeiras visitas públicas, devem ser monitoradas e organizadas por grupos de no máximo 600 pessoas por turno.

A Prefeitura de Goiânia promete inaugurar no próximo final de semana, a revitalização do Parque Zoológico da capital. Após ficar fechado ao público por dois anos e nove meses em decorrência de várias mortes de animais, uma ampla reforma realizada pela prefeitura modifica o visual, a infraestrutura e a reserva localizada no Setor Oeste.
Segundo a Prefeitura, as obras tiveram foco principal "nas espécies ameaçadas de extinção e pertencentes à fauna brasileira". As primeiras visitas públicas, devem ser monitoradas e organizadas por grupos de no máximo 600 pessoas por turno. O objetivo é evitar o stress dos animais que passaram quase dois anos e meio sem contato com humanos, afirma a Prefeitura.

O Zoo

Estão em exposição atualmente, cerca de 522 animais pertencentes a 154 espécies entre mamíferos, aves e répteis. O zoológico de Goiânia possui área verde de aproximadamente 280 mil m².

O novo zoológico traz o chamado “recinto de imersão” que apresenta técnicas de barreiras que permitem uma perfeita integração do público com os animais, dentro do recinto. No interior desse, tucanos, pavões, jacus, jacutingas, passearão tranquilamente em meio à visitas sob supervisão de monitores.

O recinto dos animais é formado por duas barreiras de correntes dispostas verticalmente e que impedem a passagem de animais que possam colocar em risco a vida das aves. Telas suspensas a grandes alturas permitirão o voo livre das aves em cativeiro, sem risco de fuga.

Serpentário

O serpentário tem como principal objetivo conscientizar a população sobre a diversidade, importância e peculiaridades de cobras peçonhentas e não peçonhentas. Dezesseis pequenas baias e duas maiores abrigam representantes desta parcela da fauna.

Serão destaques jararacas, cascavéis, salamantas, jiboias e uma a píton albina. A espécie é ovípara, enxerga pouco e vive cerca de 30 anos.

Com informações da Prefeitura de Goiânia. (Portal 730)

28 de abril de 2012

Minuta é elaborada para envolver Goiás, DF e União no VLT do Entorno




Representantes de órgãos do governo do Estado se reuniram, na manhã desta quinta-feira (26/4), para elaborar uma minuta pedindo o envolvimento dos governos de Goiás e do Distrito Federal e também da União na gestão integrada do transporte urbano entre o Entorno do DF e Brasília. A integração com o sistema ferroviário deve ser feita por meio do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

O meio de transporte, que ligará Luziânia a Brasília, está previsto para ser licitado em novembro deste ano, com previsão para ser inaugurado em novembro de 2013. Para a implantação do VLT, os técnicos afirmaram que os trilhos da ferrovia deverão ser aproveitados, o que representa menor tempo das obras. A afirmação foi feita na última reunião que a comitiva participou sobre o assunto, no dia 18 de abril, na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), em Brasília.

Estiveram presentes na reunião o secretário de Infraestrutura Wilder Morais, o presidente da Agência Goiana de Regulação (AGR), Humberto Tannús, e os membros do Ministério Público de Goiás (MP-GO), Patrícia Gimenes e Érico de Pina. A minuta da integração será desenvolvida em parceria com o Centro Interdisciplinar em Transportes da Universidade de Brasília (Ceftru-UnB) e promotores goianos. Após a conclusão, a minuta passará pela aprovação dos governadores de Goiás e do DF para ser encaminhada à ANTT. Com a conclusão do projeto de integração do transporte, o convênio entre governos e União deverá ser assinado.

Fonte: Marina Morena, A Redação

Órgãos públicos goianos buscam integração no transporte do Entorno




Mais uma reunião ocorreu ontem (26) na Secretária de Infraestrura, entre o secretário Wilder Morais, o presidente Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR), Humberto Tannús, e membros do Ministério Público de Goiás Patrícia Gimenes e Érico de Pina. Nela ficou acertada a elobaração de uma minuta sobre gestão integrada no transporte urbano na Região do Entorno e entre este e o transporte ferroviário de passageiros, de Luziânia a Brasília, por meio de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), cuja licitatação deve ocorrer em novembro deste ano e seu funcionamento em novembro de 2013.

Essa integração, segundo a comitiva goiana a cuidar do assunto, deve envolver também os governos de Goiás, do Distrito Federal e a União, via Agência Nacional de Transportes Terrestes (ANTT). “Sem essa convergência dos três governos, salientou Wilder, dificilmente será resolvida a situação caótica em que se encontra o transporte coletivo na Região do Entorno do Distrito Federal.”

Em reunião ocorrida dia 18 na sala do chefe de gabinete da Agência Nacional de Transportes Terrestes (ANTT), Sérgio de Souza Alves, o diretor-superintendente da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), Marcelo Dourado, frisou à comitiva goiana que “a integração é a condição básica para que o VLT seja implantado.” De acordo com dados técnicos, a implantação do VLT não demandará muito tempo, pois já existem os trilhos com trens de carga trafegando por eles. O secretário Wilder disse que serão necessárias adaptações.

A minuta, que contará com o apoio de técnicos do Centro Interdisciplinas de Estudos em Transportes da Universidade de Brasília em sua elaboração juntamente com os promotores goianos, depois de aprovada pelos governos de Goiás e do Distrito Federal, será convertida em documento a ser encaminhado à ANTT. Posteriormente será elaborado um projeto que englobe as duas modalidades de integração e defina as obrigações de cada governo no processo. Feito isso haverá a assinatura de convênio por parte dos três entes.

A comitiva goiana quer acelerar a realização dessa minuta no sentido de sensibilizar a ANTT sobre uma licitação em curso das linhas do transporte interestadual. O promotor Érico de Pina comentou com o chefe de gabinete que essa licitação não resolverá o problema, que ela deve ser paralisada e que a solução está na integração.

Fonte: Chefia de Comunicação Setorial da Seinfra, sexta-feira, 27 de abril de 2012.

27 de abril de 2012

Calçadas de Goiânia são reprovadas




Mobilize Brasil analisa 12 capitais nacionais e nenhuma consegue atingir boa média.

É duro ser pedestre. Caminhar por Goiânia sempre é um desafio, principalmente em bairros com centros comerciais. Camelôs, vendedores ambulantes, calçamento estreito com irregularidades e produtos expostos pelos comerciantes são obstáculos comuns. Sofre mais os portadores de mobilidade reduzida. Por toda a cidade é raro encontrar alguma rampa de acesso aos cadeirantes. Por isso, as calçadas de Goiânia foram reprovadas, de acordo com levantamento realizado pelo portal Mobilize Brasil, em 12 capitais do País.

Na capital goiana foram avaliadas, durante os meses de fevereiro a abril deste ano, as calçadas nas proximidades da Avenida Goiás, no Centro, Rodoviária de Goiânia, Campinas e Praça Universitária. Em média, as quatro áreas obtiveram nota 6,13, bem abaixo da nota oito, considerada mínima para calçadas adequadas. A pesquisa analisou irregularidades, degraus, largura, rampas, obstáculos, iluminação, paisagismo e sinalização.

A pior nota foi atribuída ao quesito rampas para acesso de cadeirantes, colocando Goiânia no 6ª lugar do ranking das piores calçadas brasileiras. As rampas foram encontradas apenas na Praça Universitária, região onde estão os prédios da Universidade Federal de Goiás (UFG) e Pontifícia Universidade Católica (PUC).
O assessor jurídico da Associação de Deficientes Físicos do Estado de Goiás (Adfego), André Jonas de Campos, avalia que as calçadas goianienses ainda deixam muito a desejar. “As pessoas com deficiência ficam privadas do direito de ir e vir.” Ele explica que a associação trabalha visando a conscientização da própria população. Campos adiantou que existe a intenção de enviar um projeto para o poder municipal que visa à isenção de impostos para os proprietários de imóveis regularizarem suas calçadas.

Pontos positivos
A boa largura das calçadas e a ausência de degraus foram os pontos positivos encontrados. As melhores notas foram obtidas em função da planicidade das ruas e avenidas de Goiânia. Uma das principais vias, a Avenida Goiás, não atingiu a média. A nota conquistada foi 7,25. Os pontos foram subtraídos devido à falta de rampas e à existência de obstáculos. No entanto, a avenida foi considerada com largura excelente, paisagismo ideal e boa iluminação e sinalização.


De acordo com a legislação municipal, a responsabilidade da construção e manutenção das calçadas é do proprietário do terreno. Por isso, a manutenção não é atribuída a nenhum órgão da prefeitura. A Secretaria de Planejamento (Seplam) possui uma diretoria de fiscalização que trabalha apenas com denúncias. A diretora de fiscalização de edificações e parcelamento da Seplam, Maria Aparecida de Guimarães, informou que a fiscalização é realizada de maneira pontual “devido à falta de equipe.”

As denúncias são registradas pelo número 0800-6460 159. “Uma varredura será feita quando tivermos uma equipe. Estamos caminhando para conquistar isso por meio de um concurso.” Ela afirma que as principais reclamações fazem referência a degraus e obstrução por vegetação. Outro agravante é a presença de fossas. “O código exige que a fossa seja construída dentro do lote, mas as pessoas se acham no direito de fazer nas calçadas, colocando em risco os pedestres.”

Maria Aparecida afirma que multas são aplicadas. “Os valores das autuações variam de acordo com as irregularidades.” O proprietário do terreno é notificado na primeira fiscalização. O prazo concedido pelo órgão varia de acordo com a gravidade do problema detectado. “O responsável tem até 30 dias para arrumar sua calçada, mas em casos gritantes exigimos que inicie as obras imediatamente.”

A reportagem percorreu vários pontos da capital e constatou que os obstáculos nas calçadas não se restringem aos locais considerados pela pesquisa. O estudo focou pontos de grande fluxo de pedestre. No Setor Leste Universitário, nas proximidades do Hospital das Clínicas, bancas dificultavam o acesso. Na Avenida Anhanguera, além das bancas, equipamentos telefônicos obstruíam a passagem. No Setor Leste Universitário foi a vez do descaso com o lixo doméstico atrapalhar. Na Rua 4, no Centro, calçadas esburacadas são comuns.

Bom exemplo
Uma calçada mais larga, com mais espaço para o pedestre e rampas de acesso, sem apresentar nenhum desnível ao longo do perímetro, facilitando a mobilidade. Essa é a ideia de uma calçada consciente, já implantada em Goiânia em dois pontos. Segundo informou o engenheiro civil e presidente da Associação de Dirigentes e Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-go), Ilezio Inácio Ferreira, a calçada é dividida em três faixas que correspondem a todas as necessidades da população. Ilézio avalia como péssimo o estado das calçadas da capital e acredita que deveria existir incentivo para implantação de boas calçadas na cidade.

Fonte: Jornal O Hoje

25 de abril de 2012

Boate Santafé - Programação Pecuária 2012




Data: 16 de maio a 02 de junho
Local: Parque Agropecuário Dr. Pedro Ludovico
Site: www.santafehall.com.br

Confira aqui a programação da Boate mais badalada da pecuária:

16/05
- Israel e Rodolfo

18/05
- George Henrique e Rodrigo

19/05
- Zé Roberto & Rodrigo
- Paulo Vitor & Felipe

20/05
- Mr. Catra
- Fred & Gustavo

23/05
- Zé Ricardo & Thiago

24/05
- Henrique & Diego

25/05
- João Lucas & Marcelo

26/05
- Bruninho e Davi

27/05
- Mr. Catra

31/05
- Jads & Jadson

01/06
- George Henrique & Rodrigo

02/06
- Henrique & Hernane
- Eddy & Brunno


Adquira já seu cartão VIP e garanta sua entrada para todas as noites do Santafé Pecuária.

Lulu Santos em Goiânia 2012 - Atlanta Music Hall



Data: 12/06/2012
Local: Atlanta Music Hall
Fone: (62) 3257 - 7000
Site: www.atlanta.art.br

Show imperdível do mestre Lulu Santos pra embalar a noite dos casais apaixonados.

Ingressos:

VIP Open bar Individual
Primeiro Lote:

Água, refrigerante, vodka, cerveja
* Ingresso individual (referente a meia entrada)

Preço: R$ 40,00

VIP Open Bar Ele e Ela
Primeiro Lote

Água, refrigerante, vodka, cerveja
* Ingresso para casal (referente a meia entrada)
Preço: R$ 60,00

Camarote Individual
Primeiro Lote

Água, refrigerante, vodka, cerveja, wisky, salgados finos
* Ingresso individual (referente a meia entrada)
Preço: R$ 100,00

Camarote Ele e Ela
Primeiro Lote

Água, refrigerante, vodka, cerveja, wisky, salgados finos
* Ingresso individual (referente a meia entrada)
Preço: R$ 160,00

Lounge Love Story
Segundo Lote

Água mineral com e sem gás, refrigerante, cerveja, vodka, whisky old par, champanhe, salgadinhos finos, mix de risoto no jantar entre as 22:30hs até 23:30hs BUFFET: EMPÓRIO DELLA
* Ingresso individual (referente a meia entrada)
Preço: R$ 250,00

Mesa
Primeiro Lote

Água, refrigerante, cerveja, vodka, mix de risoto no jantar entre as 22:30hs até 23:30hs
* Mesa para quatro pessoas.
Preço: R$ 600,00

Ingressos antecipados:

- Bouganville (Stand 3º Piso)
- Rival Calçados
- Empório Della
- Tkts Express (62 8406.4949)
- Ingressos Online (www.ticplus.com/atlanta)

Chico Rey & Paraná e Di Paullo & Paulino em Goiânia 2012 - Atlanta Music Hall



Data: 04/05/2012
Hora: 22h
Local: Atlanta Music Hall

Vem aí show com Di Paullo & Paulino e Chico Rey & Parana. Dia 4 de Maio a partir das 22h no Atlanta Music Hall.

Atrações:

- Di Paullo & Paulino
- Chico Rey & Parana

Ingressos:

VIP Open Bar: R$ 40,00
- Open Bar: Cerveja, refrigerante, água e vodca com suco.

Frontstage: R$ 60,00
- Open Bar: Cerveja, refrigerante, água, vodca com suco, caldos, frios e uísque.

Mesa Amarela: 500,00 (4 pessoas)
- Open Bar: Cerveja, refrigerante, água e vodca com suco.

Mesas Azul: R$ 300,00 (4 pessoas)
- Open Bar: Cerveja, refrigerante, água e vodca com suco.

Camarote Empresarial: R$ 150,00 (individual de acordo com a capacidade de cada camarote)
- Open Bar: Cerveja, refrigerante, água, vodca com suco, caldos, frios e uísque.

Lounge Premium: R$ 100,00 (individual de acordo com a capacidade de cada camarote)
- Open Bar: Cerveja, refrigerante, água, sucos, Vodka Abdolut, Whisky Old Parr, caldos e frios.

Pontos de Vendas:

- Bouganville (Stand 3º Piso)
- Rival Calçados
- Tkts Express: (62) 8406-4949
- Ingressos Online (www.ticplus.com/atlanta)

Informações:

- Telefone: (62) 3257-7000.
- Classificação: 16 anos.
- Valores dos ingressos sujeitos à alterações sem aviso prévio.

Governo de Goiás tenta adiantar a retomada das obras do Aeroporto de Goiânia




O governador Marconi Perillo e representantes do Consórcio Odebrecht/Via Engenharia, responsável pelo projeto e a direção da Infraero, discutiram a retomada das obras de construção do novo aeroporto Santa Genoveva.

A retomada do projeto executivo foi autorizada pelo Tribunal de Contas da União no último dia 4 de abril. Com isso, a Infraero e o Consórcio trabalham para a conclusão dos projetos orçamentário e executivo, já contemplando a adequação e ampliação do aeroporto.

De acordo com o governador Marconi Perillo, a expectativa é a de que no máximo em 60 dias seja concluída a parte estrutural do projeto. “Após, teremos a parte de acabamento. Com isso, esperamos que, com a aceleração do projeto executivo, as obras sejam iniciadas no final deste primeiro semestre”, declarou.

A previsão é de que a primeira etapa do novo terminal seja entregue em 2014. Numa etapa posterior devem ser feitas as adaptações para corrigir a defasagem em termos da logística aeroportuária, com possibilidade do aumento do número de esteiras de desembarque e a ampliação da pista, que poderá até mesmo transpor a BR-153.

Fonte: Gyn Online
Foto: Leoiran

Eletrobrás vai investir R$ 1 bilhão na Celg




Ministro Edison Lobão elogia esforço dos governos estadual e federal para recuperar a empresa.

Nos próximos dias – provavelmente na próxima segunda-feira – mais R$ 1,3 bilhão estará na conta da Celg, correspondendo à segunda tranche de um acordo firmado com a Eletrobrás, que passa a controlar 51% das ações da empresa, na qual fará investimentos de R$ 1 bilhão nos próximos cinco anos. O anúncio foi feito ontem pelo governador Marconi Perillo, após se reunir em Brasília com o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, selando definitivamente o acordo entre o Estado e o governo federal para a recuperação da Celg.

O ministro Lobão elogiou o governador Marconi Perillo e a presidente Dilma Rousseff pelo empenho na realização dessa negociação, que segundo ele será muito importante para o desenvolvimento de Goiás, “um estado promissor e que vem se destacando muito no cenário nacional”. Elogiou também do empenho dos dois governos em resolver as questões técnicas que ainda emperravam o acordo e que poderiam ocasionar um trágico desfecho para a negociação.

Marconi agradeceu o ministro e reforçou os elogios ao empenho da presidente Dilma para que o acordo fosse definitivamente fechado. “Estamos virando uma página de dificuldades em nosso estado”, observou Marconi, acrescentando que com os novos aportes na Celg serão abertas diversas possibilidades de investimento, contribuindo ainda mais para a continuidade do arrojo de desenvolvimento que Goiás vem experimentando. Ele pediu também o empenho do governo federal na antecipação da terceira tranche, que está prevista para ser quitada em janeiro do próximo ano.

O acordo total é de R$ R$ 3,527 bilhões, sendo que a primeira parcela, via empréstimo da Caixa Econômica Federal ao Tesouro Estadual, de R$ 1,7 bilhão, foi quitada no final de dezembro do ano passado. “Estou satisfeito com a concretização dessas negociações. Resolvemos os últimos impasses e abrimos caminho para um novo horizonte na Celg”, ressaltou Marconi.

Fonte: Jornal O Hoje

24 de abril de 2012

VLT de Goiânia é um dos contemplados com PAC da Mobilidade Urbana




O projeto do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) de Goiânia será um dos contemplados pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para a área de mobilidade urbana nas grandes cidades. O anúncio foi feito pela presidente Dilma Roussef nesta terça-feira, em Brasília. O primeiro aporte de recursos para a capital deve ser de R$ 215 milhões.

Dilma defendeu a necessidade de ampliar os investimentos na construção de metrôs para dar mais agilidade e conforto aos usuários do transporte urbano.

“O Brasil tem que investir em metrô. Antes, as cidades não tinha condições de fazer isso porque era muito caro. Hoje, os governadores têm enorme dificuldade para construir metrôs com a cidade funcionando. É um duplo desafio”, disse a presidenta. "Além disso, temos que olhar pelo lado sustentável, garantir menos tempo de vida a ser perdido pelas pessoas em um transporte de menor custo e de melhor adequação ao meio ambiente”

Ao apresentar o que chamou de “matemática humana do projeto”, o ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro, reiterou que os canteiros de obras ligados a essa vertente do PAC vão gerar milhares de empregos. “Mas, além do novo traçado urbano, vamos deixar um legado muito importante se considerarmos que hoje os brasileiros ficam quatro horas por dia no trajeto casa-trabalho”.

“Em muitas situações será possível fazer esse mesmo trajeto em apenas uma hora”, acrescentou o ministro. “Isso significa que, na vida, serão três anos que deixarão de ser desperdiçados. Tempo livre que poderá ser dedicado a descanso, estudo e para ficar com os seus”, completou.

O PAC Mobilidade Urbana vai destinar R$ 32 bilhões – dos quais R$ 22 bilhões têm como origem recursos do governo federal – para projetos de metrô, veículo leve sobre trilho (VLT) e corredores de ônibus que beneficiam moradores de cidades com mais de 700 mil habitantes.

Entre as obras previstas estão a construção de mais de 600 quilômetros (km) de corredores exclusivos para ônibus, pelo menos 380 estações e terminais para esse tipo de transporte, além de 200 km de linhas de metrô e da aquisição de mais de 1.000 veículos sobre trilhos.

Com informações da Agência Brasil. (Portal 730)

Prefeitura adia reabertura do Zoológico pela 5ª vez




Em dois anos, o parque teve a reabertura anunciada por pelo menos quatro vezes.

Fechado há quase três anos, o Parque Zoológico de Goiânia já teve sua reabertura anunciada pela Prefeitura por pelo menos quatro vezes. A população já aguardou a reinauguração para julho de 2010, janeiro e outubro do ano passado, final de abril deste ano e, agora, pela quinta vez, a previsão repassada pelo secretário de Regularização Fundiária, Sebastião Peixoto, é de que o evento ocorra até a primeira quinzena de maio. Além dos atrasos nas obras, a reinauguração do parque depende do parecer final e decisivo do Ministério Público Federal (MPF) que, após longa análise, deve divulgar sua decisão hoje.


O pronunciamento do órgão federal depende de uma reunião com o promotor de Justiça do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual, Juliano de Barros Araújo. O encontro, segundo informou a assessoria de imprensa do MPF, está previsto para ocorrer na Procuradoria da República, às 16 horas, onde será divulgado se o local está apto, de acordo com as exigências previstas no Termo de Ajuste de Conduta (TAC).


O procurador Adrian Pereira Ziemba prefere não comentar sobre a análise, que se baseia na última inspeção realizada pelo Ibama, que foi concluído em março. Juliano de Barros também não comentou sobre a reunião, pois se ausentou do trabalho hoje por motivos pessoais. Sua assessoria direta confirmou a reunião.


Mesmo sem ainda receber a sinalização positiva dos órgãos, Sebastião Peixoto garante que o Zoo está apto para receber o público. “Pelo menos 99% das obras já estão concluídas, garanto que até o último dia deste mês tudo vai estar finalizado.” Apesar da afirmação, 65 homens ainda atuam nas obras. “Eles trabalham na instalação dos sanitários.”

Segundo informou o coordenador de Fauna e Recursos Pesqueiros do Ibama, Leo Caetano, ainda falta a finalização da pintura de algumas paredes. Ele não soube informar se o Ibama participará da reunião com os ministérios. Leo disse que o relatório enviado pelo Ibama não sugeriu a abertura ou não do parque. O último registro de morte de animal no Zoológico, no site da Prefeitura, relata o óbito de um camelo macho. O animal morreu no dia 22 de março, vítima de problemas pulmonares. Desde 2009, pelo menos 233 animais vieram a óbito. Neste ano, já foram 16 mortes.

Fonte: Jornal o Hoje
Foto: Glêner de Souza Borges

23 de abril de 2012

Sai Amanhã Lista das Cidades contempladas no PAC 2 Mobilidade Grandes Cidades



Goiânia e mais 17 municípios estão na lista das cidades contempladas pelo Programa de Aceleração do Crescimento

Amanhã a presidenta Dilma Rousseff anuncia às 11 horas, no Salão Oeste do Palácio do Planalto, as cidades que receberão recursos do governo federal para investimentos em mobilidade urbana. Goiânia e mais 17 municípios estão na lista das cidades contempladas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2 Mobilidade Grandes Cidades. O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, e o presidente da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), José Carlos Xavier, o Grafite, estarão presentes nesta cerimônia.

A inscrição de Goiânia ao programa foi feita pela CMTC com autorização da Prefeitura de Goiânia. Os projetos apresentados pela CMTC tratam de corredores exclusivos e preferenciais. Em ambas as propostas a CMTC incluiu a reforma de terminais de integração e de estações, implantação de faixas exclusivas para o ônibus, além de novos abrigos e uma nova comunicação visual.

A prioridade para Goiânia é o corredor BRT Norte/Sul que tem 22 km de extensão e contará com 36 estações ao longo dele. Amanhã, Goiânia será contemplada com R$ 430 milhões sendo o valor pleiteado para o BRT Norte/Sul de R$ 215 milhões. Os outros R$ 215 milhões a Prefeitura de Goiânia destinará ao governo estadual para a construção do VLT- Veículo Leve sobre Trilho. Para a construção do BRT a CMTC terá um prazo de 24 meses para executar a obra.

O projeto prevê também a priorização do transporte coletivo com a instalação de corredores preferenciais (veja quadro). O investimento será na ordem de R$ 124 milhões e 62 mil para 106,1 quilômetros. Para esses corredores está prevista a aquisição de 546 novos abrigos para os pontos de embarque e desembarque e a construção de três estações: Guanabara, Trindade e Laranjeiras. Os corredores terão ainda tratamento no revestimento das vias e comunicação visual voltada para o usuário. A proposta é criar para ambos os corredores uma identidade que caracterize os serviços.O primeiro deles é o Corredor Universitária em construção desde outubro do ano passado e com previsão de entrega o primeiro semestre de 2012.

Fonte: Prefeitura de Goiânia

22 de abril de 2012

Christian Chavez (Ex. RBD) em Goiânia 2012




Data: 23/06/2012
Hora: 17h30
Local: Teatro Marista Goiânia

Lançamento Mundial do DVD “Christian Chavez – Esencial”.

Tipos de Ingressos e valores:

Pista Inteira: R$140,00
Pista Estudante: R$70,00
Meet & Pocket Show e DVD (com autografo personalizado): R$250,00
Super Premium: Almoço, Meet, DVD/CD (Edição Exclusiva de Luxo): R$900,00

Pontos de vendas:

http://ticketbrasi.lojatemporaria.com

Nota da Produção: Atenção aos seus pertences, não nos responsabilizaremos por mochilas, câmeras ou quaisquer outros objetos que tenha sido subtraídos ou roubados, antes, durante ou depois do evento.

Realização:
Casa da Música

A hora de Goiânia (1ª cidade brasileira em qualidade de vida)




Pesquisa da Organização Brasil América aponta a capital como a 1ª cidade brasileira em qualidade de vida.

O carioca Evandro Trindade mora em Goiânia há dez anos. Ele veio para trabalhar como executivo de uma empresa de comunicação. Mudou para São Paulo para ajudar na implantação de uma rede de notícias. Chegou um momento na carreira em que o administrador de empresas teve de optar entre a capital carioca e a paulista. Escolheu a capital goiana. “Pela qualidade de vida”, revela. Diretor executivo do Goiânia Convention & Visitors Bureau, Evandro colabora no estímulo ao turismo na cidade.


O Convention Bureau, localizado num anexo do Centro de Convenções, é uma fundação sem fins lucrativos, mantida pela iniciativa privada, que representa mais de 220 associados. “O objetivo do Convention Bureau é fomentar o turismo em Goiânia. É um agente facilitador que atua num determinado conjunto de interesses. Um parceiro do município e do Estado no incentivo ao fluxo turístico”, diz Evandro. Ele assume o papel de fazer com que mais pessoas reconheçam as vantagens que ele mesmo enxergou.


Informação sobejamente conhecida e, nem por isso, suficientemente divulgada, Goiânia figura entre as capitais com melhor Índice de Qualidade de Vida (IQV) no Brasil. Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2005 colocou Goiânia no segundo lugar do pódio, atrás de Brasília, com uma pontuação quase 28% acima da média da população nacional.
Uma segunda pesquisa realizada pela Organização Brasil Américas, que cruzou dados do Ministério das Cidades e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entronizou Goiânia no primeiro lugar do ranking em 2008. O IQV resulta da média aritmética dos indicadores de nível e condição de vida e qualidade do meio ambiente.


O nível de vida consiste na média aritmética da renda per capita, domicílio e ocupação familiar, pessoas desocupadas e veículos. A média da condição de vida abrange saúde, educação, longevidade e segurança. Por fim, mas não por último, a qualidade do meio ambiente está sujeita ao cálculo de área verde, espaços livres, esgotos domésticos, abastecimento de água potável, resíduos sólidos urbanos e de serviços de saúde. A classificação do IQV pode ser péssima, ruim, média e boa.


“Goiânia possui 94 metros quadrados de área verde por habitante”, lembra Evandro. “Superamos Curitiba e perdemos para Edmonton, no Canadá, a campeã mundial com 100 metros quadrados de área verde por habitante.” A Organização das Nações Unidas (ONU) recomenda que uma cidade tenha pelo menos 12 metros quadrados de área verde por habitante. Os mais de 20 parques implantados por aqui materializam os cálculos.
Profissionalização


Outro dado importante que Evandro ressalta tem a ver com o Estudo de Demanda Internacional, realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, publicado no Boletim Dados do Turismo em Goiás, disponível no site do Observatório do Turismo. De acordo com o Estudo, 39 mil pessoas foram entrevistadas em 15 aeroportos internacionais. Entre os 19 locais mais visitados em 2010, Goiânia ocupa a 15ª posição.
São Paulo e Rio de Janeiro estão, respectivamente, em primeiro e segundo lugar e isto não representa nenhuma surpresa. Surpreende que Goiânia coloque-se à frente de cidades como Recife, Macaé, Fortaleza e Vitória e muito próxima de Angra dos Reis e Parati, em 14º e 13º lugar. Levando em consideração que as concorrentes são banhadas por um garboso litoral, a posição de Goiânia ganha destaque ainda maior.


“O Centro-Oeste está sendo descoberto”, analisa Evandro. “Somente 0,5% do seu potencial turístico é explorado. Temos um longo caminho pela frente e muito trabalho por fazer.” O turismo em Goiânia é muito associado a eventos e congressos de negócios, ao empreendedorismo. Mas o lazer ganha espaço na agenda dos visitantes, começando pela gastronomia. A hospitalidade goiana é ponto de partida para o ecoturismo, que se estende às belezas do interior do Estado.

Desafios
Nem tudo são flores em praças acolhedoras e simpáticas. Evandro considera que a rede hoteleira necessita de investimentos polpudos em expansão física e profissionalização da mão de obra. E que as políticas públicas precisam ser entrelaçadas com iniciativas privadas na busca de soluções para entraves burocráticos. A organização do trânsito na capital e a conservação das rodovias de acesso são problemas urgentes que pedem providências constantes. A atenção permanente com o aeroporto é crucial com a chegada da Copa do Mundo de

Futebol.

As grandes questões são vizinhas de questões menores, porém, não menos importantes. “O Convention Bureau perde arrecadação quando os hoteleiros deixam de recolher a taxa turismo”, exemplifica. “A cobrança não é obrigatória. A taxa varia de R$ 0,40 a R$ 2. Mas é importante para a manutenção do Convention. Estamos num processo de conscientização, em parceria com a rede hoteleira, para que ela seja respeitada.”

A impressão que fica é que, se estamos longe do ideal, caminhamos com propriedade para atingir um grau de sofisticação no turismo, que signifique a exploração das riquezas sem a depredação do patrimônio, com evidentes benefícios para um estilo de vida capaz de preservar o jeito interiorano sem perder de vista as inovações contemporâneas. Se parece contraditório, é porque o desafio é grande.

Fonte: Jornal O Hoje
Foto: Joventino Neto

18 de abril de 2012

Marconi vai à Infraero


Ministro Edison Lobão recebe o governador e Jayme Rincon.

Durante reunião em Brasília, ontem à noite, o governador Marconi Perillo e representantes do Consórcio Odebrecht/Via Engenharia, responsável pelo projeto e a direção da Infraero, discutiram a retomada das obras de construção do novo aeroporto Santa Genoveva.

A retomada do projeto executivo foi autorizada pelo Tribunal de Contas da União no último dia 4 de abril. Com isso, a Infraero e o Consórcio trabalham para a conclusão dos projetos orçamentário e executivo, já contemplando a adequação e ampliação do aeroporto.

De acordo com o governador Marconi Perillo, a expectativa é a de que no máximo em 60 dias seja concluída a parte estrutural do projeto. “Após, teremos a parte de acabamento. Com isso, esperamos que, com a aceleração do projeto executivo, as obras sejam iniciadas no final deste primeiro semestre”, declarou.

Na reunião, definiu-se pela formação de uma comissão permanente que irá se reunir quinzenalmente para atualizar todas as informações e checar o cronograma para a retomada das obras. Essa comissão será formada pelo secretário de Infraestrutura de Goiás, Wilder Moraes, e representantes do TCU, Infraero e Consórcio.

Gustavo do Vale, presidente da Infraero, informou que o projeto executivo irá prever a ampliação do terminal, apesar de ela não fazer parte do projeto executivo em fase de elaboração. Para tanto, uma nova licitação será feita em atendimento à determinação do TCU.
A previsão é de que a primeira etapa do novo terminal seja entregue em 2014. Numa etapa posterior devem ser feitas as adaptações para corrigir a defasagem em termos da logística aeroportuária, com possibilidade do aumento do número de esteiras de desembarque e a ampliação da pista, que poderá até mesmo transpor a BR-153.

As negociações entre o governo do Estado e o Ministério das Minas e Energia para resolver os últimos impasses que restam na finalização do acordo entre a Eletrobrás e a Celg ganharam uma nova rodada na manhã de ontem. O governador Marconi Perillo reuniu-se com o ministro Edison Lobão na sede do ministério, em Brasília, para discutir os últimos pontos que ainda faltam.

Fonte: O Hoje

Novo terminal melhora qualidade de vida no Recanto do Bosque


Já está funcionando desde o último dia 13 de abril um novo e moderno terminal de passageiros no Recanto do Bosque, que já é parte da nova geração de terminais construídos na Região Metropolitana de Goiânia. Este foi o primeiro de uma séria de reconstruções de terminais médios, após a conclusão das grandes obras em terminais de integração.

O novo terminal atende 10 linhas por onde passam em média de 262 mil passageiros todo mês. Agora os usuários vão contar com um comércio organizado e limpo, como é o perfil dos novos espaços reconstruídos pela rede de transportes. Foram instalados caixa eletrônico, telefone público, bebedouros e o moderno sistema de placas de sinalização, já aprovado nos terminais inaugurados anteriormente.

Outra característica exigida pela modernidade é o bicicletário que conta inicialmente com 22 vagas. A idéia é incentivar cada vez mais o uso de transporte não poluente interligado ao transporte coletivo.

Quem embarca no Recanto do Bosque conta agora com banheiros novos, limpos e bem cuidados. As salas de apoio operacional e administrativo foram reformadas e a bilheteria foi ampliada. A partir de agora os passageiros vão contar também com a chamada “venda embarcada” de passagens, além de uma segurança muito maior com a presença de câmeras de vigilância e monitoramento do sistema.

Outra mudança importante foi a instalação de serviço de comunicação por alto falante que pretende, em breve, informar aos passageiros sobre procedimentos de segurança, educação e cortesia no embarque, avisos e alertas sobre a chegada dos veículos e até explicações sobre motivos externos que eventualmente impeçam o cumprimento dos horários.

A supervisora de projetos e infraestrutura da RMTC, arquiteta Milena Suriani, explica que também foram feitas melhorias focadas no atendimento a portadores de necessidades especiais. Esta é uma exigência da nova cultura de acessibilidade implantada em todo o sistema.

Segundo a gestora de projetos e operação do Consórcio RMTC, engenheira Cristina Maria Afonso, as intervenções aumentam a segurança e o conforto da população e geram melhores condições de trabalho para toda a equipe operacional, que tem influência direta na melhoria da produtividade para a operação do transporte coletivo. Com isto, as melhorias vêm para todos.

Fonte: RMTC Goiânia

Intervenções no Terminal Vera Cruz iniciam nesta quarta-feira


Atendendo ao pedido de centenas de milhares de clientes que passam todos os meses pelo Terminal Vera Cruz, localizado na saída de Goiânia para Trindade, a Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC) com aprovação da CMTC, começa nesta quarta-feira, dia 18, reforma na infraestrutura do local que terá nova disposição, aparência e informações sobre linhas e horários, trazendo mais conforto para o cliente.

O local também ficará mais seguro para os usuários com iluminação, recuperação do cercamento existente e implantação do monitoramento por Circuito Fechado de Televisão (CFTV), que gravam as imagens e funcionam continuamente.

Na parte de pavimentação, será priorizada a pintura das faixas de pedestre e demais sinalizações.

Os bicicletários são parte importante dos projetos da RMTC, e não poderiam ficar de fora do Terminal Vera Cruz. A capacidade será de 20 bicicletas, para incentivar os ciclistas e propor mudanças no pensamento dos moradores da região.

Serão instalados bancos e bebedouros, o que proporcionará maior conforto aos clientes.

Será implantado o novo padrão de informação e comunicação visual para a orientação dos passageiros, através de placas informativas sobre as linhas, seus respectivos percursos e destinos. Além de funcionários, identificados, sanando as dúvidas e garantindo o respeito aos clientes. Também serão transmitidas mensagens de áudio com orientações educativas e sobre segurança aos passageiros.

Os motoristas terão uma atenção especial com a implantação da sala de Apoio Operacional com banheiros exclusivos e mobiliários adequados. Os banheiros para os clientes vão receber a mesma atenção e, além de mais confortáveis, serão adaptados às pessoas Portadoras de Necessidades Especiais (PNE).

Novas bilheterias serão construídas para facilitar a venda de bilhete tanto para quem está fora do Terminal, quanto para quem está dentro, mas não tem passagem. A previsão é que a obra seja entregue em 45 dias.

Fonte: RMTC Goiânia

Goiânia encerra Road Show da comunicação


Capital recebe etapa de apresentações de congresso voltado à comunicação.

Por ser uma das capitais que se destacam no setor da comunicação, Goiânia é uma das 17 cidades escolhidas para receber o Road Show de apresentação do 5º Congresso Brasileiro da Indústria da Comunicação, promovido ontem. O objetivo do encontro é chamar a comunidade especializada ao encontro que será realizado de 28 a 30 de maio, em São Paulo (SP). Segundo a Associação Brasileira de Agências de Propaganda (Abap), o segmento envolve mais de 100 mil empresas e gera mais de 700 mil empregos no País.

O presidente do Fórum Permanente da Indústria da Comunicação (Forcom) e do Conselho Superior da Aabap, Dalton Pastore, destaca que a presença dos profissionais goianos é importante para o evento. “O fato de estarmos aqui revela que Goiânia tem uma indústria da comunicação relevante”, pontua.

Para o publicitário e presidente da Abap em Goiás, Zander Campos da Silva Junior, as plataformas e ferramentas da comunicação colaboram de forma ativa para o crescimento da economia do Estado, nona maior do País. Ele acentua que “toda a cadeia que envolve agências, veículos de divulgação, anunciantes e fornecedores especializados é referência entre os mercados publicitários regionais”.

Temáticas
Dentre as 13 discussões do congresso, o publicitário chama atenção para o tema Regionalização, que pretende destacar “a força e a importância do ‘regional’ em um mundo globalizado e o desenvolvimento da indústria da comunicação nos mercados regionais”. Zander explica que esse foco “tem maior conexão com o mundo goiano, que é um mercado mais regional”.
“A questão das novas tecnologias também é bastante importante. A comunicação está mudando muito, podemos observar isso nos últimos dez anos. Muita coisa que não existia naquela época existe hoje”, lembra o presidente da Abap/GO, que espera a participação de cerca de 50 congressistas de Goiás no evento.

O congresso
A principal discussão do congresso, de acordo com o presidente da Abap/GO, será a Liberdade de Expressão e Democracia. O escolhido para a abertura do encontro e responsável por discorrer sobre o assunto é Desmond Tutu, arcebispo sul-africano e ganhador do Prêmio Nobel da Paz por lutar, juntamente com Nelson Mandela, contra o regime apartheid em seu país. “O público terá a oportunidade de ver algo único”, garante Dalton Pastore.

O congresso também vai debater outros temas, entre eles, O futuro da profissão; As empresas de comunicação brasileiras, o mercado global e a marca Brasil; Comunicação, crescimento econômico e desenvolvimento humano; Comunicação one-to-one: personalização versus privacidade; As novas tecnologias e as novas fronteiras da mídia; Sustentabilidade e comunicação; Criatividade e sucesso; O consumidor com a palavra; Propriedade intelectual, legislação e ética; Novos caminhos para criar e fortalecer marcas e; Grandes eventos: desafios e oportunidades.

Fonte: Jornal O Hoje

Aparecida de Goiânia: Metade dos lotes está vazia


Em Aparecida, em função da compra de áreas por cidadãos de outros municípios.

Na rua onde mora o pedreiro Divino Franquilino Ribeiro, de 55 anos, no Setor Pontal Sul, em Aparecida de Goiânia, lotes permanecem vazios há pelo menos 14 anos. Somente em frente à residência onde ele mora, sete terrenos, que margeiam quase todo o quarteirão, se encaixam nessa situação. O problema, segundo o morador, é que os proprietários não cuidam desses imóveis e, em consequência do descaso, a região mais parece um matagal do que um bairro residencial.

O mesmo cenário, que também contempla muita sujeira, pode ser visto na maior parte dos bairros de Aparecida de Goiânia. Dados da Prefeitura de Aparecida de Goiânia, colhidos por meio do Imposto Territorial Urbano (ITU), dos 239.094 mil imóveis da cidade, 105.173 mil são lotes vazios. E basta uma vista aos locais para perceber que a maior parte deles está em situação de abandono e descuido.

Nem mesmo os setores considerados mais desenvolvidos escapam do descaso dos proprietários de imóveis. No Jardim Luz, por exemplo, onde há lotes à venda por mais de R$ 300 mil, a imagem de terrenos ocupados por vegetação alta e lixo disputa com imóveis de bom valor. Em um deles, na Avenida Maria Cardoso, em meio ao mato, encontram-se entulhos de construção e todo tipo de lixo – pedaços de móveis velhos, peças de carros, colchão, entre outros.

No setor Buriti Sereno 3, a situação parece ainda mais grave. A grande quantidade de lotes vazios, que estão totalmente cobertos pelo mato, causa confusão para quem chega ao local. Dificilmente consegue-se distinguir o que é rua do que é lote. Além da vegetação, a quantidade de lixo impressiona. Já na entrada do local, a recepção é feita por um bando de urubus, que rodeiam ossos de animais e restos de alimentos, que são jogados nos lotes.

Responsabilidade
Por meio da assessoria de comunicação da prefeitura, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano de Aparecida de Goiânia informa que quase 100% dos imóveis vazios existentes na cidade é de proprietários particulares. Em nota, observa que esses proprietários têm a obrigação de manter esses locais limpos. Porém, esclarece que o serviço de roçagem, que até a administração anterior era executado em apenas um trimestre do ano, passou a ser realizado durante todo o ano.

No texto, o órgão afirma que foram adquiridos 20 tratores hidráulicos, que substituem o trabalho realizado anteriormente de forma braçal. Segundo a prefeitura, o primeiro ciclo de roçagem, que iniciou em fevereiro, deve ser concluído até maio – sendo que, até agora, 103 setores foram roçados. A prefeitura não disponibilizou ninguém para prestar esclarecimentos sobre o problema.

Providências
No bairro onde mora a comerciante Cecília dos Santos, 51, no Setor Araguaia, o trabalho feito pela prefeitura não tem chegado, segundo diz a própria moradora. Na rua da sua casa (Rua 6), parte dos lotes vazios está totalmente abandonada. Um deles, que fica em frente ao bar de propriedade dela, não é cuidado pelo dono há 20 anos. “Nem sabemos de quem é”, conta a comerciante, que está com dengue e atribui ter adquirido a doença à sujeira acumulada nos lotes. Nesse período, relata Cecília, a limpeza tem sido feita por ela, que paga pelos serviços periodicamente. “Se não fizer assim, nós (a família) que somos prejudicados, já que o lote está em frente a nossa casa”, salienta.

No setor Pontal Sul, Divino Franquilino também prefere fazer a limpeza a esperar providências dos proprietários dos terrenos. Mas, ao contrário de Cecília, ele mesmo, com o auxílio de uma enxada faz o trabalho de roçagem de parte dos lotes. “Pelo menos os próximos de casa, para dar uma clareada”, diz.

Fonte: Jornal O Hoje

Programa de rodovias goianas atrai atenção


Governadores tucanos se reuniram ontem em Curitiba para discutir temas de interesse comum dos Estados.

Como foi possível estruturar, em menos de dois anos, o maior programa de recuperação de rodovias estaduais no Brasil? Esse foi o principal questionamento que os governadores do PSDB, reunidos ontem em Curitiba (PR), fizeram ao governador Marconi Perillo. Os tucanos buscaram detalhes do modelo goiano para recuperação de rodovias, como o Fundo de Transportes – formado com 20% das receitas brutas do Detran – e a readequação da pauta de ICMS dos combustíveis.

Os governadores de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do Paraná, Beto Richa, anfitrião do encontro, dirigiram perguntas a Marconi e anotaram os dados. Os dois Estados enfrentam os mesmos problemas com a conservação e reforma de estradas.
Além de falar da importância estratégica que foi a criação do Fundo de Transportes pelo governo estadual, com aporte financeiro de R$ 1,4 bilhão em quatro anos, o governador goiano defendeu um novo pacto federativo no País. Segundo ele, a União fica com 72% da arrecadação tributária nacional e, segundo ele, “as pessoas não moram na União”.

Marconi também insistiu na manutenção do debate em torno de uma nova divisão do Fundo de Participação dos Estados, divisão dos royalties do petróleo e compensações de perdas advindas da Lei Kandir, assuntos já discutidos em outros fóruns com a presença de governadores da maioria dos Estados exportadores. “O pacto federativo é uma necessidade, porque o modelo existente está inviabilizando os Estados”, afirmou Marconi, referindo-se à forma como a União controla a arrecadação de tributos no País.

Educação
Ele citou, por exemplo, a questão do piso nacional para os professores, uma medida necessária mas que onera os Estados, hoje alvo de greves de professores. Para Marconi, o governo federal precisa dar sua parcela de contribuição em áreas estratégicas, como educação, segurança e saúde.
Governador do Paraná, Beto Richa apresentou aos colegas proposta de criação da Desvinculação das Receitas dos Estados (DRE). O instrumento estabeleceria a aplicação de um mínimo de 10% das receitas estaduais em novos investimentos. “A ideia é que os recursos sejam direcionados exclusivamente para investimentos, já que a capacidade financeira dos governos estaduais está esgotada”, afirmou Richa.

O governador de São Paulo, Geraldo Alkmin, alertou para o fato de que a Federação vem sendo permanentemente fragilizada, citando como exemplo a correção da tabela do SUS, que onerou ainda mais os Estados. Alckmin quer maior comprometimento da União com a Segurança Pública e um acordo que permita que parte do pagamento da dívida dos Estados possa ser destinada a investimentos.
Alckmin defendeu uma nova política industrial para o País, principalmente para enfrentar o que chamou de “desmonte” do parque industrial brasileiro. Em São Paulo, explicou, a queda de ICMS da indústria em um único mês (janeiro deste ano) foi de 0,9%. No mesmo período, a tributação dos importados cresceu 15%.

Governador do Tocantins, Siqueira Campos mostrou otimismo com o surgimento de uma nova geração de jovens políticos que para ele “revigoram a capacidade de liderança sobre temas importantes”, como o pacto federativo que, segundo Siqueira, precisa ser discutido.
Além da criação da DRE, a reunião dos governadores tucanos tratou da renegociação das dívidas estaduais; mudanças na política fiscal, com a unificação das alíquotas de importação; das novas obrigações impostas aos Estados, sem contrapartidas federais; e da agenda ambiental do País, como a implementação do novo Código Florestal e a Conferência Rio+20.

Dos oito governadores do PSDB apenas o governador Teotônio Vilela Filho, de Alagoas, não participou da reunião por estar em viagem ao exterior. Marcaram presença ainda, além dos citados, Antônio Anastasia (MG), Simão Jatene (PA) e José de Anchieta Jr. (RR). De Goiás participaram ainda os secretários Giuseppe Vecci (Gestão e Planejamento) e Simão Cirineu (Fazenda). Ao final do encontro, os governadores divulgaram a Carta de Curitiba.

Fonte: Jornal O Hoje

Dez mil para o Diário da Manhã





A Operação Monte Carlo flagrou uma negociação da máfia de Carlos Cachoeira com o Diário da Manhã, um dos principais jornais de Goiânia. Nas gravações, o cunhado de Carlos Cachoeira diz que o Diário da Manhã queria R$ 15 mil, mas parece que apenas R$ 10 mil foram depositados.

Além das figurinhas repetidas como Vladimir, Deca e Carlinhos, nestes diálogos estão presentes Andrea Aprigio de Souza (a esposa oficial de Carlos Cachoeira), seu irmão Adriano Aprigio de Souza e Rogério Diniz.

Fonte: cachoeiradedados.wordpress.com

16 de abril de 2012

UEG pode levar curso de Medicina para Aparecida


Em entrevista exclusiva à Rádio 730, o reitor da Universidade Estadual de Goiás, Haroldo Rainer afirmou que ainda não há definição para o local de implantação do curso de Medicina da instituição.

Segundo Rainer, as tratativas são feitas com a Secretaria Estadual de Saúde, mas a tendência é que o novo curso seja levado para Aparecida de Goiânia. Neste caso, poderia ser usada a estrutura do Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia para a formação de novos profissionais.

A UEG completa 13 anos de existência nesta segunda-feira, 16. De acordo com o reitor, a formação de professores continua sendo uma prioridade para a instituição, que tem trabalhado vocações regionais, como as técnicas para criação de animais, em São Luís de Montes Belos.

Haroldo afirma que a UEG mantém mais de 120 cursos regulares em 38 unidades, espalhadas em 42 municípios goianos. 50 mil pessoas já receberam formação pela instituição.

Fonte: Portal 730

Incêndio atinge prédio comercial


Bombeiros controlam fogo no 19° andar de prédio próximo ao Shopping Flambyant.

Um incêndio atingiu uma sala de escritório no 19º andar do prédio comercial Evidence Office, no setor Alto da Glória, próximo ao Flamboyant Shopping Center, na manhã desta segunda-feira (16). Os bombeiros foram chamados por volta das 8h pelo porteiro do prédio, que percebeu a fumaça saindo do andar. As informações iniciais são de que não há vítimas, e segundo o Corpo de Bombeiros o incêndio já foi controlado.

Segundo informações dos Bombeiros, o incêndio teve início quando uma funcionária que trabalha no prédio ligou um aparelho de ar-condicionado, que sofreu um curto-circuito. No entanto, segundo o assessor de comunicação do Corpo de Bombeiros, tenente coronel Martiniano Gondim, a origem do fogo só poderá ser confirmada após perícia da Polícia Técnico Científica.

No local funciona um escritório da construtora Odebrecht. A única vítima da ocorrência foi a secretária, que sofreu asfixia devido à inalação da fumaça. O incêndio durou cerca de 20 minutos e o controle do fogo foi dificultado pela quantidade de papéis no local. Ainda de acordo com o tenente coronel Gondim, a funcionária foi encaminhada para atendimento médico e passa bem.

Fonte: Jornal O Hoje

15 de abril de 2012

Exposição de Maio não terá rodeio por causa dos altos custos operacionais


A próxima exposição agropecuária de maio não terá rodeio, uma prática que costuma agradar a galera rural. A informação é do presidente da Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura. Ricardo Yano justifica a ausência dessa prática na arena do Parque Agropecuário de Goiânia pelos “altos custos” e à questão ambiental. “O rodeio não propicia nenhum retorno financeiro e desagrada aos ambientalistas, hoje na cola dos produtores rurais”, alega Yano.

Segundo ele, a programação de shows está em andamento, podendo ser fechada nos próximos dias. Michel Teló, Paula Fernandes são alguns dos nomes confirmados para apresentação na 67ª Exposição Agropecuária de Goiás, prevista para o próximo mês. Belos animais das raças Mangalarga e Quarto de Milha estarão participando das provas de hipismo bem como o que há de melhor do gado Tabapuã, observa o presidente da SGPA.

As representações diplomáticas de Portugal e da Argentina estarão marcando presença na maio feira do agronegócio do Centro-Oeste. Com relação à segurança pública no período da festa, Yano informou que manteve audiência, ontem, 11, com o secretário da área, recebendo o apoio necessário das policias Civil e Militar. O objetivo é assegurar a ordem no interior do Parque e fora.

Hoje, 12, Yano concedeu entrevista à Tv. Bom Negócio, sediada em Anápolis, e recebeu o superintendente do Banco do Brasil,Neirin Goulart Duarte, e João Bosco, da área de Crédito Rural em Goiânia. As autoridades financeiras foram recebidas no Salão do Produtor por praticamente toda a diretoria, liderada por Ricardo Yano, Pedro Alves de Oliveira, Cláudia Passos, Guto Guedes e Adilon de Souza. O superintendente do BB colocou toda a linha de crédito do banco à disposição dos expositores e criadores de Goiás.

Assessoria de Imprensa da SGPA.

Planejamento de viagens evita espera por ônibus nos finais de semana


Durante os finais de semana, a demanda de usuários do transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia sofre drástica queda, o que permite a diminuição da quantidade de ônibus em circulação. Isto acontece para que não haja ociosidade da frota, excesso de plantões dos motoristas e consequentemente aumento de custos que pressionam os preços das passagens.

Segundo dados levantados por pesquisas de planejamento do transporte coletivo, mais de 850 mil passageiros por dia útil utilizam os ônibus como principal meio de transporte. No sábado esse número cai para 500 mil passageiros e nos domingos para 270 mil.

Através do resultado das pesquisas de planejamento é que a oferta de veículos é definida objetivando suprir a demanda de passageiros. Por isso a Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC) opera com tabelas específicas para o final de semana. Segundo o Gestor de Transporte da RMTC, Miguel Pricinote, a existência de planilhas diferenciadas para operação durante os sábados e domingos é necessária para que haja um ajuste na oferta de veículos com a demanda de passageiros. Nos sábados a redução da oferta e demanda é de cerca de 40%, enquanto nos domingos a procura de passageiros por ônibus cai 70% em relação aos dias úteis.

Pricinote explica, ainda, que o planejamento do serviço é o grande responsável por relacionar a demanda de usuários à oferta de veículos, gerando um equilíbrio nos índices.

Para melhor utilização do tempo, o passageiro conta com sistema de informação da RMTC – via site, SMS e WAP – com serviços que oferecem a freqüência e o horário previsto de chegada ao ponto em tempo real. Também são disponibilizadas nos terminais as tabelas de freqüência que se encontram nos totens identificadores dos pontos de embarque e desembarque.

Casos particulares

Essas tabelas específicas para os sábados e domingos só não são aplicadas aos domingos nas linhas 200, 739, 105 e expressas – que rodam apenas de segunda a sábado.

Fonte: RMTC Goiânia

Eficiência do transporte depende da liberação das vias


Desde maio de 2011, as 5 linhas de interligação urbana que passam pela região do Parque Mutirama estão com a eficiência comprometida pelos desvios no tráfego. As obras, que ainda acontecem na região, obrigam os desvios e desfazem alguns pontos de interligação. Para se adequar, os usuários estão sujeitos a movimentação a pé até as paradas possíveis, dentro do planejamento de contingência feito pela RMTC.

As linhas 104 (Clube Ferreira Pacheco/Centro); 225 (Res. Guanabara/Centro-via Av. Nazareth); 258 (Circular Aeroporto/Centro-via St. Jaó); 262 (Jd. Guanabara/Centro); 268 (Campus/ Criméia Leste/ Centro e Campus/ Goiânia 2/ Centro) e 280 (Jd. Guanabara III/Centro- via Av. Nazareth) são as mais prejudicadas. Estas linhas também são alimentadoras de troncos principais, com consequente imprevisibilidade no cumprimento do horário.

A conclusão das obras do Parque Mutirama, motivo de desentendimentos jurídicos e políticos, tornou-se, portanto, necessidade premente para a mobilidade urbana de milhares de pessoas e para o retorno da eficiência no sistema de transportes da região do Jardim Guanabara.

Fonte: RMTC Goiânia

Capital goiana possui veículos mais novos que a média nacional


A frota de ônibus da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo de Goiânia (RMTC) está entre as mais novas do país. A média de idade dos veículos que integram o sistema de transporte é de cerca de 3 anos de idade, enquanto que a média nacional registrada no ano de 2011 é de mais de 5 anos, segundo dados da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). O período de depreciação de um ônibus do modelo Padron, utilizado pela RMTC, é de 10 anos.

Na última renovação, em 2008, foram adquiridos 1043 veículos novos – equipados com elevador para facilitar o acesso aos portadores de necessidades especiais – somando um total de 1371 veículos na frota.

Com os ônibus novos os clientes contam com maior conforto e menor interrupções nos serviços por defeitos nos veículos. A manutenção é feita diariamente, quando os veículos retornam as suas respectivas garagens, e inclui manutenções preventivas de acordo com as recomendações dos fabricantes e corretivas conforme problemas que ocorrem no decorrer da operação.

Para o diretor do Consórcio RMTC, Leomar Avelino, a renovação da frota melhora a prestação de serviço. “Os veículos novos necessitam de menor manutenção, com isso eles realizam mais viagens beneficiando atendimento à população. Atualmente 99,60% é o índice de cumprimento de viagens”, afirma.

Fonte: RMTC Goiânia

Reforma do Terminal Maranata começa nesta segunda


A reforma do Terminal Maranata, em Aparecida de Goiânia, será iniciada nesta segunda-feira (16/04). O prefeito Maguito Vilela e o presidente da Companhia Metropolitana do Transporte Coletivo (CMTC), José Carlos Xavier, o Grafite, conferem as medidas tomadas pelo consórcio Rmtc para garantir que a obra não atrapalhe o dia a dia dos quase 25 mil passageiros/dia que utilizam nove linhas que têm com destino bairros de Aparecida e municípios próximos como Aragoiânia e Goiânia.

A operação do terminal Maranata não será interrompida e providências foram tomadas para garantir que a obra não provoque grandes transtornos para a comunidade atendida. A obra, além de melhorar a área comum utilizada pelos usuários como banheiros, plataforma e serviços oferecidos por lojas comerciais, oferecerá serviço de segurança via câmeras de vídeo, sistema de som com alto falantes para comunicação com o usuário, placas informativas e totens, recapeamento e nova sinalização para a pista de rolagem e pintura da estrutura metálica.

Esse é quarto terminal que recebe importantes intervenções durante a gestão Maguito Vilela. Recentemente, foi entregue à população do novo Terminal Garavelo. Em 2010, o Terminal Cruzeiro do Sul foi reformado e ampliado. No ano passado, o Terminal Araguaia recebeu importantes melhorias. O consórcio Rmtc prevê que ainda este ano os demais terminais – Vila Brasília e Veiga Jardim– da cidade receberão importantes melhorias que proporcionarão maior conforto à população.

Fonte: Prefeitura de Aparecida de Goiânia

Aparecida com água tratada até 2014


Mais de 35% da população da cidade vizinha a Goiânia ainda necessita do auxílio de cisternas.

A parecida de Goiânia ainda sofre com o fornecimento de água tratada. Mais de 35% da população da cidade é mantida graças ao auxílio de cisternas. Consciente do problema e do crescimento descontrolado do município, a Saneago já executa ações para ampliar o acesso à água e promete para até o final de 2014 a universalização da distribuição, atingindo 100% dos aparecidenses.

As obras de ampliação dos sistemas de abastecimento foram retomadas no início do atual governo estadual. Hoje já é possível ver os primeiros resultados. Casas de bairros como Cardoso, Buriti Sereno, Itapuã e Jardim Helvécia, por exemplo, já recebem a água tratada. Com o aceleramento das intervenções e melhorias, hoje, 61,19% da população já é atendida. A intenção da Saneago para até o fim deste ano é elevar esta porcentagem para 75%.

A cidade é abastecida pelos Sistemas Laje (superficial) e Sistemas Independentes (40 poços), que somam juntos uma produção de 496.694 m³/mês, correspondendo a 30% da demanda. Para aperfeiçoar e elevar a distribuição, estes têm de ser interligados aos Sistemas João Leite e Meia Ponte de Goiânia. Ou seja, os mananciais de Aparecida só são capazes de ofertar 30% da água necessária. Para atingir o total, é preciso importar os recursos dos rios que banham a capital.

Espera-se que o João Leite e o Meia Ponte possam, por meio das obras de ampliação, interligação dos sistemas, aumento da produção e distribuição, ofertar o correspondente aos 70% que faltam: 947.660 m³/mês. Para isso, estão sendo utilizados recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 1). A obra é avaliada em R$ 90.985.218,10. A previsão é beneficiar em torno de 200 mil pessoas e vai aprimorar não só o abastecimento de Aparecida, mas de Goiânia também. “Esta será a primeira obra do PAC inaugurada em Goiás”, afirma o diretor de Engenharia da Saneago, Olegário Martins Teixeira Neto.

Caminho
Tudo começa na Vila Adélia, em Goiânia. O booster (conjunto de bombas) do Sistema de Distribuição, localizado no bairro, foi ampliado para aumentar a produção de água. Até então, produzia-se 600 litros por segundo. Com as novas tubulações, o sistema eleva a produção para mil litros por segundo.

O acréscimo, além de beneficiar bairros da capital como Faiçalville, Jardim Europa e Novo Horizonte, vai garantir a transferência de água para os centros de reservação Garavelo e Atlântico, no Setor Caravela e Planalto, respectivamente. O reservatório Garavelo tem capacidade para 3 milhões de litros, com elevatória que redistribui 64 litros por segundo. O Atlântico é capaz de reservar 10 milhões de litros de água e possui elevatória com vazão de 200 litros por segundo.

Em Aparecida, estão sendo construídos os centros de reservação Helvécia e Morada dos Pássaros. O Helvécia está bastante adiantado, com capacidade para 8 milhões de litros de água. Os dois vão ser interligados aos reservatórios Garavelo e Atlântico, dos quais receberão a água para redistribuir aos lares aparecidenses.

Mais de 130 quilômetros de rede já foram implantados em Aparecida. Aos poucos, os moradores da cidade vão destruindo as cisternas. Na casa do comerciante Wilson de Paiva Correia havia duas. Hoje, não é preciso de nenhuma. Em períodos de seca, já chegou a ficar até quatro meses sem água. Dono de um supermercado no Bairro Cardoso, Wilson e a família moram nos fundos do estabelecimento.
Agora mudou. Toda vez que abre a torneira agradece e não deixa de lembrar do sacrifício de outrora. Antes, ele diz que o produto mais vendido no supermercado era água. Agora, “vendemos mais botijão de gás, arroz, essas coisas”, enumer, Wilson. O projeto da Saneago prevê, inclusive, o consequente crescimento das cidades e aumento da demanda de água. A estrutura, conforme Olegário Martins, é feita para suportar os próximos 30 anos.

Fonte: Jornal O Hoje

14 de abril de 2012

O aeroporto que não decola - Santa Genoveva



Sem detalhamento de orçamento e cronograma, obra deverá ser retomada só em junho.

Avião pousa no Santa Genoveva: obras devem sofrer atraso novamente por falta de cumprimento de acordo para elaboração de projeto executivo
Paralisadas há exatos cinco anos, as obras do novo Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, foram adiadas mais uma vez e devem ser retomadas somente em junho, depois de o Tribunal de Contas da União (TCU) aprovar o projeto executivo. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o consórcio formado pela Norberto Odebrecht e Via Engenharia ignoraram um acordo que estipulava para este mês a conclusão do documento que apresenta o novo orçamento, o cronograma de execução e o detalhamento dos sistemas de infraestrutura, elétrico e hidráulico.

Firmado em 21 de dezembro do ano passado, o acordo entre a estatal e o consórcio determinou prazo de 120 dias para a finalização do projeto executivo, que tem de ser aprovado pelo TCU. Na época, o governador Marconi Perillo (PSDB) foi mais otimista, afirmando que a previsão era de que essa parte fosse concluída em março, conforme divulgou O POPULAR. Ele se reuniu na quinta-feira com o presidente da Infraero, Gustavo do Vale, para tentar encontrar uma saída rápida para o problema.

O diretor-superintendente da Odebrecht, João Pacífico, também seguiu, no final do ano passado, no mesmo caminho do tucano, assegurando que mais de 70% do projeto estava pronto. Entretanto, a poucos dias de estourar o prazo estabelecido há quase quatro meses, o tribunal ainda não recebeu o documento da Infraero que deve ser analisado para a liberação da obra. A reportagem tentou contato com o diretor-superintendente, mas não obteve retorno das ligações.

A retomada dos trabalhos é sobre o projeto original, que começou a ser executado em março de 2005 e suspenso em agosto do mesmo ano, devido à falta de recursos. Um mês depois, o repasse foi retomado e as obras tiveram de ser reiniciadas. Entretanto, em abril de 2007, o TCU apontou superfaturamento nelas e determinou a retenção de pagamentos ao consórcio, com base em resultados de auditorias.

Em 2006, o Tribunal chegou a sugerir a suspensão da obra, mas, em decisão de outubro daquele ano, concordou com a continuidade dos trabalhos, desde que a Infraero limitasse os pagamentos destinados à implantação do novo Aeroporto Santa Genoveva. Uma cópia do processo foi enviada também à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo. O TCU relacionou as obras do aeroporto de Goiânia junto com outras 89 apontadas como suspeitas de irregularidades graves.

A inspeção nas obras do novo terminal, considerada uma das mais vultuosas do setor aéreo no País, levantou 13 irregularidades, 11 delas consideradas graves. Para exemplificar o superfaturamento, os analistas verificaram sobrepreço de R$ 35,7 milhões, em uma amostra de R$ 87 milhões, o equivalente a cerca de 33% do valor contratado. Além disso, também constataram que havia 96 serviços especificados no contrato, 18 a menos que o informado.

A ampliação teve orçamento de inicial de R$ 257,8 milhões, mas recebeu aditivo que elevou o valor para R$ 287,7 milhões. Apesar de seguir a passos lentos, pelo menos R$ 106,2 milhões já foram gastos na execução de apenas 20% do projeto do novo terminal, segundo a Infraero.

A estatal informou, ainda, que a assinatura do termo aditivo, necessária à continuidade dos serviços de elaboração do projeto executivo, será realizada até o fim deste mês, conforme previsão.

Primeira etapa

Por causa do histórico de atrasos que emperram a construção do novo aeroporto, a Infraero analisa a possibilidade de estender o prazo de entrega da primeira etapa, que estava prevista para abril de 2014, ano da Copa do Mundo. Esse módulo, conforme projeto inicial, tem capacidade para receber 3 milhões de passageiros por ano. Não seria suficiente, entretanto, para comportar a crescente demanda que, atualmente, é superior a 2,5 milhões, o que também deve ser considerado na avaliação do TCU.

O projeto para a segunda etapa também está em elaboração e tem previsão de término para 2020. Construído nos anos 1950, o Santa Genoveva foi o terceiro aeroporto que mais cresceu em número de passageiros nos últimos anos, com 33%. Em 2010, foram 2,1 milhões de passageiros, quase 500 mil a mais do que em 2009. O número de aviões também aumentou: 81% nos últimos oito anos. Só em 2010, foram mais de 64 mil voos que chegaram ou partiram de Goiânia.

Estrutura

De acordo com o projeto original, o novo aeroporto contará com área de 72,2mil metros quadrados e capacidade de estacionamento para 11 aeronaves. Além de salas para órgãos públicos e companhias aéreas, contará com 4 pontes de embarque e aeroshopping com 91 pontos comerciais. O terminal de passageiros será totalmente climatizado e terá galerias técnicas, elevadores panorâmicos e salas vip.

Fonte: Jornal Opopular (Cleomar Almeida)

LDO projeta salário mínimo de R$ 667,75 para o ano que vem


O salário mínimo em 2013 poderá chegar a R$ 667,75, o que corresponde a um reajuste de 7,3% em relação ao atual. O valor consta no projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), divulgado nesta sexta-feira (13) pelo Ministério do Planejamento. A equipe econômica projeta ainda mínimo de R$ 729,20 para 2014 e de R$ 803,93 para o ano seguinte – o que resulta em aumento de 29% acumulados até 2015.

A LDO apresenta os parâmetros que servirão de base para a elaboração do Orçamento-Geral da União do próximo ano. O projeto manteve as projeções oficiais para a inflação e para o crescimento econômico.

O crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) continuou estimado em 5,5% para 2013. A inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) também não variou em relação aos números divulgados em fevereiro pela equipe econômica e ficou em 4,5%, um pouco menos que os 4,7% estimados para este ano.

O Planejamento estima taxa de câmbio média de R$ 1,84 para 2013, contra a taxa de R$ 1,76 em 2012. Os juros básicos da economia, de acordo com o projeto da LDO, deverão encerrar 2012 em 9,75% ao ano e atingir 8,5% ao ano no fim de 2013.

Da Agência Brasil. (Portal 730)

Delegação Bélgica de Futebol visita Goiânia, visando instalações da Copa 2014


A federação belga é a segunda interessada em se instalar em Goiânia na preparação para a Copa. O primeiro país a enviar representantes foi a Austrália.

Goiânia recebeu nesta sexta-feira (13) a visita de representantes da Federação Bélgica de Futebol. O vice-governador e também presidente do Comitê Goiano da Copa 2014 recepcionou a delegação.
O objetivo da visita foi, vistoriar a rede hoteleira da capital e também o Estádio Serra Dourada. Eles verificaram se a capital goiana tem condições de receber a seleção Bélgica, caso se classifique para o Mundial.

A federação belga é a segunda interessada em se instalar em Goiânia na preparação à Copa do Mundo. O primeiro país a enviar representantes, foi a Austrália, em julho do ano passado.

Economia & Política

José Eliton ressaltou que, a Comissão foi criada para que Goiás esteja inserido no circuito da Copa do Mundo de 2014, mostrando suas potencialidades, a organização e a hospitalidade do povo goiano.

A Comissão tem também a missão de buscar recursos públicos para investimentos em Goiânia e nas cidades turísticas do Estado como Caldas Novas, Pirenópolis e Itumbiara.

Com informações do Goiás Agora (Portal 730)

Manifestação contra o governo é realizada no centro de Goiânia


Idealizado por meio do Facebook, um movimento reuniu manifestantes no final da manhã deste sábado (14) no centro de Goiânia. O grupo, formado, em sua maioria, por jovens, intitulado de “Fora Marconi” pedia a saída do governador Marconi Perillo.

Com cópias das capas de edições das revistas “Carta Capital” e “Isto É”, os manifestantes caminharam da Praça Cívica até a Praça do Bandeirante, onde pararam o trânsito, pela Avenida Goiás. Eles carregavam faixas contrárias ao governo do Estado, citando a operação Monte Carlo da Polícia Federal e gritavam palavras de ordem. Segundo a Polícia Militar (PM) a manifestação teve a presença de cerca de 3 mil pessoas.

Em nota, a assessoria de imprensa do governo do Estado afirmou que "o Governo de Goiás respeita todas as manifestações, inclusive as político-partidárias, mas entende que os acontecimentos seguramente não representam o pensamento do povo de Goiás e isto pode ser confirmado pelo número de participantes".

Por meio de seu perfil no twitter, o secretário de Articulação Institucional do governo, Daniel Goulart, afirmou que não há motivo para preocupações: “na democracia, as manifestações são comuns”.

Na Praça Cívica, onde os manifestantes se concentraram, também ocorria um treinamento de primeiros socorros do Corpo de Bombeiros, o que, segundo o secretário, não atrapalhou o movimento.

“O que se viu na praça cívica até agora foi uma convivência de respeito e civilidade. E se uma manifestação é pacífica, deve continuar assim. A PM e os bombeiros estão lá na praça, onde os manifestantes fazem seu proselitismo à vontade, como realmente deveria ser”, complementou Goulart.

Fonte: Portal 730