Montanha-russa começa a ser instalada no Mutirama

12:47 6 Comments A+ a-


Apesar das suspeitas envolvendo as licitações destinadas à reforma do Parque Mutirama, realizada pela Prefeitura de Goiânia, as obras continuam sem interrupções. Orientações desfavoráveis do Ministério Público Estadual (MP-GO), Tribunal de Contas do Município (TCM), Tribunal de Contas da União (TCU) e Câmara dos Vereadores ainda não resultaram novidades.

A maior polêmica envolvendo a reforma do parque está praticamente montada: a montanha-russa Super Jet, que já pode ser vista de longe, por quem passa próximo ao local das obras.

No momento, as denúncias de irregularidades na obra, apontadas pelo vereador Elias Vaz, estão em fase final de apuração pelo TCM. O processo está em tramitação no órgão, mas houve um pedido de vista que atrasou o julgamento do caso.

A tendência é que o Tribunal emita um parecer no começo da próxima semana, informando se as obras deverão ser paralisadas ou não. Enquanto isso, a prefeitura continua realizando os trabalhos normalmente.

A situação gera desconforto ao vereador Elias Vaz, o primeiro a apontar supostas irregularidades no processo licitatório e no superfaturamento dos brinquedos. Ele disse que não entende porque a prefeitura insiste em dar andamento na reforma do parque, "mesmo depois que o TCM recomendou absoluta ilegalidade no processo licitatório, sugerindo o seu cancelamento". Elias disse ainda que a situação deve causar prejuízo futuro à sociedade, pois o caso não está solucionado e regular, do ponto de vista jurídico.

Durante a fase de denúncias, o Ministério Público Estadual (MP-GO) entrou com liminar pedindo a suspensão dos contratos 74/2010 e 124/2010, mas teve pedido negado pelo juiz da 2ª Fazenda Pública Municipal de Goiânia, Fabiano Abel de Aragão. O MP-GO alegou que a empresa contratada para realizar a reforma, Astri Decorações Temáticas Ltda., de São Paulo, com contrato de R$ 29 milhões, não teria condições de executar os serviços, por ter sido criada apenas seis meses antes da licitação. A instituição não recorreu da decisão, mas informou que a denúncia de superfaturamento ainda continua sendo investigada. Se provas comprovarem irregularidade, a promotoria poderá propor ação civil pública contra os indiciados.

Fonte: Mais Goiás

6 comentários

Write comentários
Anônimo
AUTHOR
17 de outubro de 2011 13:31 delete

Não queremos nenhum brinquedo amaldiçoado no nosso município. Queremos bringuedos comprados com dinheiro limpo!

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
17 de outubro de 2011 13:32 delete

Esse brinquedo é amaldiçoado com verbas superfaturadas, vai assustar as crianças!

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
17 de outubro de 2011 13:34 delete

As Crianças querem que desmontem esse brinquedo e joguem no Ferro Velho, pois, além de velho, foi comprado com dinheiro surrupiado!

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
17 de outubro de 2011 13:37 delete

Goiânia é um município sem Lei. Cadê o ministério publico, os desembargadores, os juízes. Vai pedir para desmontar esse troço ou vai ser conivente com essa improbidade administrativa.

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
18 de outubro de 2011 15:35 delete

A administração do PMDB em Goiânia está atolada em corrupção. Nunca uma maquina roubou tanto dinheiro do povo como agora. Assim como nasce partidos como o PSD, outros podem acabar como o PMDB.

Reply
avatar
Anônimo
AUTHOR
18 de dezembro de 2011 11:29 delete

Poderiamos ser um dos melhores paises do mundo se não tivessemos tatos políticos roubando o dinheiro do povo e um ministério púplico que nada vé.

Reply
avatar