30 de janeiro de 2011

Metrobus quer começar a renovar frota neste ano


A Metrobus pretende renovar, até 2012, toda a frota de ônibus que atende o Eixo Anhanguera, além de adquirir outros 30 veículos para a implantação da extensão da linha. A promessa é do presidente da Metrobus, Carlos Maranhão, que sinaliza que um acordo para a renovação da concessão à empresa já está costurado entre o governador Marconi Perillo e o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia.

Maranhão anunciou a renovação da frota em resposta à reportagem publicada ontem, pelo POPULAR, sobre as condições (críticas) da maior linha de transporte coletivo da capital. "Os investimentos na prestação do serviço são exigências para renovação do contrato de concessão à Metrobus e devem ser objeto de acordo assinado com a Prefeitura de Goiânia, estabelecendo esse compromisso do governo do Estado", destaca o presidente da Metrobus. "Estamos convencidos de que há um acerto entre o prefeito e o governador para que essa renovação da concessão seja firmada", acrescenta.

Renovação


De acordo com Maranhão, a previsão é de que 40% da atual frota, de 120 veículos, seja renovada ainda neste ano, e, os outros 60%, em 2012. "Não tem como ser diferente, porque não há ônibus disponíveis na prateleira para nos atender", argumenta. Ele explica que, mesmo que o processo licitatório seja apressado, a entrega garantida é de oito a dez veículos por mês, com o prazo de 120 dias, a partir da assinatura do contrato.

É também nesse prazo que, segundo ele, o governo estadual pretende adquirir os 30 novos ônibus que atenderão à ampliação do Eixo Anhanguera - conforme determina o novo plano operacional para a concessão. O projeto total da linha deve contemplar a extensão do Eixo para a Região Oeste - até o Conjunto Vera Cruz, na saída paraTrindade - e também para as Regiões Noroeste - Vila Mutirão - e Leste - Jardim das Oliveiras, em Senador Canedo.

Além disso, assegura Maranhão, a Metrobus pretende investir em toda a via pública que sustenta a linha, incluindo a construção de novos terminais nas extensões Oeste, Noroeste e Leste, e a melhoria dos grandes terminais já existentes, como o da Praça A, da Praça da Bíblia e Padre Pelágio. Outro compromisso é assumir, em parceria com o poder público municipal, a revitalização da Avenida Anhanguera.

Recursos, para os investimentos, o presidente da estatal diz que existem. Conforme afirma, a empresa tem a receber, já, em subsídios, cerca de R$ 60 milhões. Fora os recursos do tesouro estadual, a pretensão é recorrer ao Ministério das Cidades e, também, a financiamentos.

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), gestora do sistema, reconhece que a situação do Eixo Anhanguera - que transporta diariamente 200 mil pessoas - é caótica e estima em aproximadamente R$ 230 milhões os investimentos necessários na linha. .

Fonte: Goiasnet

RMTC recebe comitiva de Blumenau


O prefeito e o secretário de transportes da cidade de Blumenau, em Santa Catarina, João Paulo Kleinumbing e Rudolf Clebsh, respectivamente, visitaram, ontem, quarta-feira, 26, o Terminal Cruzeiro, em Aparecida de Goiânia. A comitiva, formada ainda por outros representantes daquele município, está em Goiânia com o objetivo de conhecer o sistema de bilhetagem eletrônica da RMTC e a integração entre as mais de 200 linhas do transporte coletivo da Região Metropolitana, que permite ao cliente percorrer toda a extensão da Rede com o pagamento de uma única tarifa, via integração nos terminais. Hoje, quinta-feira, 27, o grupo visita o Consórcio Rmtc, para conhecer de perto a Central de Controle Operacional (CCO), que controla todos os ônibus via sistema de GPR, GPRS, celular e computador instalados no interior dos veículos.

O diretor do Consórcio Rmtc, Leomar Avelino, explica que a visita de grupos de outras cidades brasileiras e até demais países é bastante comum. Em 2010, por exemplo, cerca de 30 grupos de outras localidades conheceram o serviço prestado pela RMTC, dentre eles, comitivas de Aracajú, Recife, Portugal e Chile. “Ser referência na área nos estimula a buscar a qualidade crescente do serviço prestado”, completa.

Segundo Kleinumbing, Goiânia obteve sucesso nos sistemas de bilhetagem e tarifação, tornando-se referência em todo o país, “queremos adaptar tais projetos de sucesso à nossa realidade”. O presidente da CMTC, José Carlos Xavier, atentou para a necessidade de o transporte coletivo ser tratado como política pública e ter investimentos de acordo com tal premissa.

Durante a visita, o grupo teve acesso à infraestrutura do Cruzeiro – considerada padrão para os demais terminais –, como o bicicletário, área de achados e perdidos, administração, sala de descanso dos motoristas, além de soluções de informação implantadas pelo Serviço de Informação Metropolitano (SiM), como o Display de Ponto de Parada, balcão de informação, totens com horário das linhas e itinerários, placas sinalizadoras e sistema de áudio.

Fonte: RMTC Goiânia

Prefeitura investirá R$ 100 milhões em Asfalto


A Pre­fei­tu­ra de Go­i­â­nia vai in­ves­tir R$ 100 mi­lhões em no­vo pa­co­te de pa­vi­men­ta­ção. Além do no­vo as­fal­to, a Agên­cia Go­i­â­nia de Obras, (Amob), fi­ca­rá res­pon­sá­vel tam­bém pe­la tro­ca da pa­vi­men­ta­ção an­ti­ga que se en­con­tra em es­ta­do pre­cá­rio, com bu­ra­cos e ir­re­gu­la­ri­da­des. O cus­to do re­ca­pe­a­men­to es­tá es­ti­ma­do no va­lor de R$ 14,5 mi­lhões. Co­mo já no­ti­ci­a­do pe­lo O HO­JE, qua­tro mil qui­lô­me­tros da ma­lha vi­á­ria da ci­da­de es­tá pre­ju­di­ca­da. Em ca­rá­ter emer­gen­ci­al a pre­fei­tu­ra re­a­li­zou ope­ra­ção ta­pa-bu­ra­cos em ape­nas 3% do as­fal­to.

Nes­ta se­gun­da-fei­ra, o pre­fei­to de Go­i­â­nia, Pau­lo Gar­cia (PT), irá lan­çar ofi­ci­al­men­te o no­vo pa­co­te de pa­vi­men­ta­ção. Na oca­si­ão se­rão di­vul­ga­dos os bair­ros be­ne­fi­ci­a­dos e quan­tos qui­lô­me­tros se­rão co­ber­tos pe­la mas­sa as­fál­ti­ca. A pre­vi­são é de que ocor­ra li­ci­ta­ção pa­ra que os ser­vi­ços se­jam exe­cu­ta­dos por em­prei­ta­da, com du­ra­ção de dois anos.

En­quan­to as obras de pa­vi­men­ta­ção e ma­nu­ten­ção não se ini­ciam os mo­to­ris­tas so­frem com os pre­ju­í­zos. Em uma ofi­ci­na me­câ­ni­ca no se­tor Pe­dro Lu­do­vi­co, a mai­or pro­cu­ra é de mo­to­ris­tas de au­to­mó­veis com a ro­da es­tra­ga­da. Se­gun­do o pro­pri­e­tá­rio do es­ta­be­le­ci­men­to, Jo­sé Fi­lho, os bu­ra­cos amas­sam as ro­das e po­dem até pre­ju­di­car a sus­pen­são do ve­í­cu­lo. “O va­lor do con­ser­to va­ria de R$ 30 até R$ 500, de­pen­den­do da gra­vi­da­de.” O mé­di­co Ra­fa­el Le­an­dro, 26 anos, le­vou seu car­ro até a ofi­ci­na. “Já cai qua­tro ve­zes em bu­ra­cos, ten­tei des­vi­ar de um e en­trei em ou­tro”, dis­se. O con­ser­to da ro­da fi­cou em R$ 40.

Fal­ta si­na­li­za­ção
A pa­vi­men­ta­ção de no­vas vi­as exi­ge tam­bém si­na­li­za­ção. Po­rém, os úl­ti­mos bair­ros as­fal­tados pe­la Pre­fei­tu­ra não es­tão si­na­li­za­dos. Fal­tam pin­tu­ras no as­fal­to e pla­cas in­di­ca­ti­vas. Foi o que in­for­mou o pre­si­den­te da Agên­cia Mu­ni­ci­pal de Trân­si­to, Tran­spor­te e Mo­bi­li­da­de (AMT), Mi­guel Ti­a­go. “Me pre­o­cu­po com es­se no­vo as­fal­to, pois a si­na­li­za­ção ge­ral­men­te não é ins­ta­la­da. Exis­te um er­ro na pró­pria li­ci­ta­ção que de­ve de­ter­mi­nar o cum­pri­men­to das re­gras do trân­si­to.” Pa­ra ele o bair­ro só de­ve ser en­tre­gue pra o flu­xo de ve­í­cu­los após ser con­cluí­do tam­bém os tra­ba­lhos da AMT.

Ele não sou­be in­for­mar qual é o va­lor ne­ces­sá­rio pa­ra in­ves­ti­men­tos em si­na­li­za­ção, mas ava­liou em R$ 100 mil as obras re­a­li­za­das pa­ra a re­ti­ra­da de du­as ro­ta­tó­ri­as e ins­ta­la­ção de dois se­má­fo­ros na Ave­ni­da Cir­cu­lar com a T-63 e das Ave­ni­das Cir­cu­lar e 4ª Ra­di­al, inau­gu­ra­das on­tem de ma­nhã.

A pró­xi­ma in­ter­ven­ção se­rá na Pra­ça do Cru­zei­ro, no Se­tor Sul. As obras já de­ve­ri­am ter si­do ini­ci­a­das, no en­tan­to, Mi­guel ex­pli­cou que as aten­ções fo­ram vol­ta­das pa­ra a fi­na­li­za­ção da in­ter­ven­ção no se­tor Pe­dro Lu­do­vi­co. “Va­mos re­tor­nar à Pra­ça do Cru­zei­ro na se­gun­da-fei­ra.”

Cur­ta du­ra­ção
As­fal­tos fei­tos sem dre­na­gem, bu­ei­ros, ou se­ja, re­de plu­vi­al pa­ra es­co­ar as águas da chu­vas são con­si­de­ra­dos pe­lo dou­tor em en­ge­nha­ria de Tran­spor­tes, Ben­ja­min Ro­dri­gues, co­mo de cur­ta du­ra­ção. “Se não exis­tir es­sa pre­o­cu­pa­ção to­do o in­ves­ti­men­to po­de ir por água abai­xo. É o que acon­te­ce ho­je em Go­i­â­nia.” Ele con­si­de­ra plau­sí­vel qual­quer in­ves­ti­men­to no as­fal­to. “De­ve-se pri­o­ri­zar as ru­as de mai­or flu­xo, até mes­mo pa­ra dar apoio ao tran­spor­te co­le­ti­vo.” (Lyniker Pas­sos)

Fonte: Jornal o Hoje

29 de janeiro de 2011

Goiânia faz nova investida por Copa 2014



Goiânia deu um passo à frente nesta quinta-feira para estar incluída, de alguma forma, na Copa do Mundo de 2014. Em um evento realizado na Goiás Turismo, presidentes de várias entidades estaduais do Estado de Goiás apresentaram um novo questionário de intenções para se tornar um Centro de Treinamento de Seleções, e de alguma forma, continuar no páreo para ser uma das sedes, devido aos vários problemas que algumas das sedes vem apresentando.

Estavam presentes no evento o presidente da Goiás Turismo, Aparecido Sparapani, o presidente da Agência Goiana de Esportes e Lazer (Agel), José Roberto de Athayde Filho, o presidente da Federação Goiana de Futebol, André Pitta, além de outras representações. No evento, houve o envio pela internet, do caderno completo de especificações para a CBF. O prazo inicial, segundo Aparecido Sparapani, era 10 de janeiro, mas o governo estadual anterior engavetou o projeto, o que atrasou todo o trabalho.

O objetivo principal é ser um dos locais prontos para receber algumas seleções, com a ajuda das estruturas dos clubes locais, caso de Vila Nova, Goiás e Atlético. É desse modo que trabalha o presidente da FGF, André Pitta, que assumiu que receber uma Seleção pode ser tão benéfico quanto sediar um ou dois jogos da Copa, devido ao número de turistas que acompanham as delegações. Para Pitta, a estrutura já existe e a capital goiana tem todas as condições.

"Perdemos a primeira etapa, tivemos vários problemas, falhas e não conseguimos ser uma das sedes. Agora vamos partir para ser um Centro de Treinamento, que talvez seja até mais importante que sediar jogos. Abrigar uma seleção por 30, 40 dias e todos os seus torcedores é possível, a estrutura é muito boa, temos os CT's dos clubes e o Serra Dourada e o Centro de Excelência, que estarão em plenas condições para jogos treinos e amistosos", disse.

Pitta relatou que o próximo passo é receber uma nova vistoria por parte do comitê para avaliar as instalações. Sobre o sonho de substituir uma das sedes com problemas, Pitta alertou que não quer criar grandes expectativas, mas vê que nos bastidores a oportunidade é totalmente possível. Até lá, uma nova comitiva goiana deve ir à CBF, ressaltar a vontade e entregar o caderno elaborado nas mãos do presidente Ricardo Teixeira.

"Sem criar falsas expectativas, estamos analisando que várias sedes estão tendo empecilhos com os prazos impostos pela FIFA e a gente se prontificou na primeira visita a ser uma sede. É difícil falar em previsão, mas logo a CBF deve nos comunicar de algo. Não teríamos dificuldade em colocar a cidade nas condições necessárias se recebermos uma resposta positiva. Tem sedes que estão construindo novos estádios e o Serra Dourada não precisaria de tamanha logística", explicou o presidente da FGF.

Outro assunto abordado foi o amistoso da Seleção Brasileira, que deverá ser realizado na capital goiana antes da Copa América, em julho. André Pitta não quis falar muito sobre o assunto, mas deu certeza de que a partida irá acontecer no Serra Dourada e que data e adversário já estão definidos, mas preferiu não detalhar e afirmou que a CBF deve divulgar em breve. Pitta acredita que um jogo da Seleção pode aproximar ainda mais a CBF dos órgãos estaduais e isso pode ser fundamental para Goiânia.

Fonte: Esporte Terra

Minhas Sinceras Desculpas por Eduardo Sterblitch


Data: 18/2/2011 (sexta-feira)
Local: Teatro Rio Vermelho Centro de Convenções
Telefone: (62) 3582-0009

Horário: 20h30

Preço
R$ 70,00 (inteira)
R$ 35,00 (meia)

50% de desconto na Inteira para Assinantes de O Popular + acompanhante.

Vendas:
- Submarino Festas
- Bilheteria Teatro

Classificação
Não recomendado para menores de 14 anos.


No ano de 2010, o ator Eduardo Sterblitch entra em cartaz com um monólogo teatral Minhas Sinceras Desculpas. Uma cômica-tragédia moderna que envolve dramaturgia, cinema e músicos de altíssima qualidade como o mestre das guitarras Marcinho Eiras, Dom Paulinho Lima, dono de uma voz extinta no Brasil e Luiz Claudio Faria, possuidor de um invejável currículo, e que teve o privilégio de se apresentar ao lado de Elis Regina. E mais, o trabalho é voltado para as próprias dificuldades de Eduardo como ator.

Representando um ator frustrado, tentando corresponder as suas próprias expectativas em um monólogo teatral, me prostro em cena como se iludindo meu próprio tédio, dentro de um teatro, e perante as pessoas que mereciam coisa melhor ou, que poderiam estar se divertindo num show de stand-up comedy?, brinca o ator.

Simples, irreverente e naturalmente engraçado, o ator Eduardo Sterblitch, que também da vida aos personagens do Pânico na TV, César Polvilho, Freddie Mercury Prateado, Serginho do BBB10 e agora o Ursinho Gente Fina, coloca mais do que nunca em prática, seus 20 anos de estudo e prática teatral (9 anos de aulas particulares clown, 8 anos de curso livre no Teatro O Tablado e 4 anos de Casa de Cultura no Laura Alvim).

A ideia é trazer de maneira cômica/sarcástica, assuntos não interessantes em pauta. Não só isso, diferenciar seus trabalhos, provando sua diversidade na dramaturgia. É neste momento que nomes de pesos do cenário musical entram em cena, e provam a essência que compõe Minhas Sinceras Desculpas: Marcinho Eiras, Dom Paulinho Lima, Luiz Claudio Faria, Luizinho Antunes na bateria, João Paulo, o JP no sax, Gó do Trombone e Felipe Alves no contra baixo.

?A minha proposta é trazer conteúdo aos momentos em que o assunto se torna desinteressante. A banda entra nesses momentos para, ironicamente, suprir o público. A luz acompanha a banda que toca, me deixando em completo escuro enquanto assistimos a um vídeo representando, em imagens, o que estaria sendo dito por mim. Esses vídeos são feitos por estudantes de cinema. A ideia é dar espaço para jovens cineastas que talvez/provavelmente também não correspondem com suas próprias vontades. O primeiro monólogo teatral onde a banda se torna mais importante do que o próprio ator, satiriza Eduardo.

O set list do primeiro espetáculo solo de Eduardo tem tudo para arrepiar a plateia: clássicos de Marvin Gaye como What´s Going On e Let´s got it on serão interpretados; A change is Gonna come (Sam Cooke), I put a spell on you (Screamin Jay Hawkins), embalarão os 60 minutos de espetáculo. A banda possui direção musical de Marcinho Eiras, brilhante guitarrista autodidata que desenvolve a técnica two handed tapping (mas ele chega a tocar três guitarras simultaneamente). Ele já se apresentou na Musik Messe na Alemanha, a maior feira de instrumentos musicais do mundo por três anos ( 2000, 2003 e 2004). E hoje ele compõe a Banda Domingão, do apresentador Fausto Silva pela Rede Globo juntamente com Luiz Claudio Faria, que tocou em shows e gravou com Elis Regina.

Com 1 hora de duração, Minhas Sinceras Desculpas, representa um ator frustrado, tentando corresponder às suas próprias expectativas em um monólogo teatral, prostrado em cena como se iludindo seu próprio tédio, dentro de um teatro, e perante as pessoas que mereciam coisa melhor, pela falta do que se dizer, pela dificuldade de ser original, porém, precisando expor suas tensões.

Eletro Nana - Goiânia 2011


Data: 10/04/2011
Local: Estacionamento do Goiânia Arena
Fone (62) 3941-9270
Site www.eletronana.com.br

Evento 100% Abadá!

Horário: 15h.

Show com:
- Chiclete com Banana

Atrações:
- Mora & Naccarati (Live Audio Visual)
- Sweet Mad (Carlo Dall' Anese e Fábio Castro)

Área VIP:
Valor - R$ 40,00

Área Extra VIP:
Masculino - R$ 80,00
Feminino - R$ 50,00
* incluso água, cerveja e refrigerante.

Camarote Premium:
Masculino - R$ 110,00
Feminino - R$ 70,00
* incluso vodka, champagne, água, cerveja e refrigerante.

- 1º Lote de ingressos limitados com possibilidade de acréscimo sem aviso prévio.

Postos de Venda Goiânia:
- Bob's
- Tribo
- Lima Limão
- Sete Mares
- Body Station

Postos de Venda Anápolis:
- Super X
- Nobel Square

Posto de Venda Brasília:
- Fest Tour Turismo

Informações pelo telefone de contato!
Valores dos ingressos sujeitos à alteração sem aviso prévio.

27 de janeiro de 2011

Richie Kotzen em Goiânia 2011


Data: 17/03/2011
Local: Bolshoi Pub

O guitarrista/vocalista norte-americano Richie Kotzen voltará ao Brasil para uma série de shows em março. A venda de ingressos no site da Ticket Brasil (www.ticketbrasil.com.br).

Valores: R$ 50,00

Pontos de Vendas:
- American Music Bougainville 3954-2202
- American Music Buena Vista 3092-6057
- Harmonia Musical 3224-0275

Embora ainda promova o álbum "Peace Sign", Kotzen promete um show diferente, tocando músicas do EP "Angry Boy", além de alguns hits de sua carreira. O guitarrista, que integrou as bandas Poison e Mr. Big, tem uma grande legião de admiradores no Brasil, que exaltam o seu trabalho em estilos como Hard Rock, Rock'n'Roll, Jazz, Fusion e Soul. Sua aceitação no Brasil é tanta que uma de suas vindas resultou no lançamento do CD "Live in São Paulo" (2008), gravado no Stones Bar (SP).

Confira as datas da turnê:

11 de março – Show acústico em São Paulo (Blackmore Bar)
12 de março – Show no Rio de Janeiro (Hard Rock Café)
13 de março – Show em Porto Alegre (Beco 203)
16 de março – Show em Jundiaí/SP (Lounge Club)
17 de março – Show em Goiânia (Bolshoi Pub)
18 de março – Show em Brasília (Teatro dos Bancários)
19 de março – Show em São Paulo (Carioca Club c/ Tempestt)

Inflação em Goiânia é menor entre 11 regiões


An­dré Pas­sos

Que­das nos pre­ços do fei­jão, car­nes, pão fran­cês, be­bi­das al­co­ó­li­cas e ou­tros 56 itens “pu­xa­ram” pa­ra bai­xo a in­fla­ção me­di­da pe­lo Ín­di­ce de Pre­ços ao Con­su­mi­dor Am­plo – 15 (IP­CA 15), em ja­nei­ro, em Go­i­â­nia. Em de­zem­bro, a va­ri­a­ção al­can­çou 0,78% e caiu pa­ra 0,46% es­te mês, abai­xo da mé­dia das re­gi­ões pes­qui­sa­das (0,76%). Do ou­tro la­do da ba­lan­ça, al­tas de qua­se 50% im­pe­di­ram que a va­ri­a­ção fos­se ain­da me­nor na ca­pi­tal. Re­ci­fe (1,21%), Be­lo Ho­ri­zon­te (0,87%) e São Pau­lo (0,82%) ti­ve­ram as mai­o­res al­tas.

Em Go­i­â­nia, ali­men­tos e be­bi­das fi­ca­ram 0,80% mais ca­ras nes­se mês, se­gui­do pe­la ha­bi­ta­ção (0,78%), tran­spor­tes (0,2%) e com­bus­tí­veis (0,21%), com des­ta­que pa­ra o ál­co­ol em al­ta de 1,91%. En­tre os qua­se 230 itens pes­qui­sa­dos, os produtos do sub­gru­po tu­bér­cu­los, raí­zes e le­gu­mes fo­ram os que fi­ca­ram mais ca­ros. A al­ta foi de 21,08%, pu­xa­da pe­lo to­ma­te (+49,73%), ce­nou­ra (+25,34%) e ce­bo­la (+9,95%). Hor­ta­li­ças, ver­du­ras e fru­tas ti­ve­ram to­das al­tas aci­ma dos 5%.

As­ses­sor téc­ni­co pa­ra área de ce­re­ais fi­bras e ole­a­gi­no­sas da Fe­de­ra­ção da Agri­cul­tu­ra e Pe­cuária do Estado de Go­i­ás (Fa­eg), Le­o­nar­do Ma­cha­do destaca que a al­ta in­ci­dên­cia de chu­va pre­ju­di­cou a co­lhei­ta e ele­vau a in­ci­dên­cia de do­en­ças fún­gi­cas e bac­te­ria­nas na la­vou­ra, em­pur­ran­do pa­ra ci­ma os pre­ços des­tes itens.

“Se os pro­du­tos têm qua­li­da­de, es­tão ca­ros. Se têm pre­ço, não têm qua­li­da­de”. A re­cla­ma­ção é da do­na de ca­sa, Apa­re­ci­da de Pau­la Du­ar­te, de 43 anos. Ao selecionar o to­ma­te, a ce­nou­ra e a ce­bo­la, pre­ci­sou es­co­lher mui­to pa­ra con­se­guir le­var o que pre­ci­sa­va, e com qua­li­da­de, pa­ra ca­sa. “Quem dei­xou pa­ra com­prar à tar­de, fi­cou com os res­tos”, diz a dona de casa.

Reduções
Por ou­tro la­do, o pre­ço do fei­jão caiu em 19,23% es­te mês e foi o prin­ci­pal en­tre os itens que con­tri­bu­í­ram com a va­ri­a­ção me­nor que a do mês pas­sa­do. En­tre os pa­ni­fi­ca­dos, o pão fran­cês fi­cou 1,26% mais ba­ra­to. A cer­ve­ja es­tá com pre­ço 0,41% me­nor e ou­tras be­bi­das al­co­ó­li­cas re­gis­tra­ram que­da de 3,38%.

A car­ne bo­vi­na tam­bém a­pre­sen­tou li­gei­ra que­da nes­te mês, de 0,62%, com re­du­ções mais acen­tu­a­das nos pre­ços de al­guns cor­tes co­mo o acém, 2,41% mais ba­ra­to, o mús­cu­lo (1,61%) e o pa­ti­nho (1,38%).

Po­rém, o pre­ço do ani­mal de re­po­si­ção (be­zer­ro) ain­da na ca­sa dos R$ 700, e a ar­ro­ba cus­tan­do em mé­dia R$ 94,84, mai­or que em ja­nei­ro de 2010, quan­do a ar­ro­ba era co­mer­cia­li­za­da por R$ 69,49, de­vem im­pe­dir a que­da nos pre­ços da car­ne bo­vi­na nos pró­xi­mos mes­es, se­gun­do a as­ses­so­ra téc­ni­ca da área de Pe­cu­á­ria da Fa­eg, Cris­ti­a­ne de Pau­la Ros­si Car­va­lho.

Fonte: Jornal o Hoje

''Sem acordo, temos risco de Apagão''


Ven­ces­lau Pi­men­tel

Ao apre­sen­tar on­tem à im­pren­sa o pla­no de re­es­tru­tu­ra­ção da Com­pa­nhia Ener­gé­ti­ca de Go­i­ás (Celg), que pre­vê em­prés­ti­mo jun­to à Cai­xa Eco­nô­mi­ca Fe­de­ral de R$ 2,7 bi­lhões, o go­ver­na­dor Mar­co­ni Pe­ril­lo (PSDB) aler­tou pa­ra o ris­co de um apa­gão em Go­i­ás, ca­so o es­ta­tal não con­si­ga o apor­te fi­nan­cei­ro ne­ces­sá­rio pa­ra a sua re­cu­pe­ra­ção.

Mar­co­ni aguar­da uma res­pos­ta do mi­nis­tro de Mi­nas e Ener­gia, Ed­ison Lo­bão, a quem en­tre­gou na noi­te de ter­ça-fei­ra, por meio do se­na­dor De­mós­te­nes Tor­res (DEM), a pro­pos­ta pa­ra ti­rar a Celg da cri­se e evi­tar a ca­du­ci­da­de de sua con­ces­são. O go­ver­na­dor, acom­pa­nha­do do vi­ce-go­ver­na­dor e pre­si­den­te da Celg, Jo­sé Eli­ton, es­te­ve com o mi­nis­tro um dia an­tes,quan­do dis­cor­reu so­bre as pre­mis­sas do pla­no.

“Pre­ci­sa­mos me­lho­rar com ra­pi­dez in­ves­ti­men­tos em su­bes­ta­ções, re­de de trans­mis­são, de dis­tri­bui­ção e en­trar na área de ge­ra­ção. Nós te­re­mos de no­vo, em qua­tro anos, con­di­ções de aten­der as de­man­das de cres­ci­men­to no Es­ta­do. Se es­sas pro­vidên­cias não fo­rem ado­ta­das, nós cor­re­mos um sé­rio ris­co de apa­gão ener­gé­ti­co em Go­i­ás”, aler­tou.

Se­gun­do o go­ver­na­dor, a com­pa­nhia che­gou a ter um pa­tri­mô­nio lí­qui­do ne­ga­ti­vo de R$ 500 mi­lhões, cu­jo en­di­vi­da­men­to nos úl­ti­mos qua­tro anos, re­fe­rin­do-se à ges­tão de Al­ci­des Ro­dri­gues (PP), te­ria cres­ci­do mais de R$ 3 bi­lhões. Com es­sa pro­pos­ta que es­tá sen­do apre­sen­ta­da, ele dis­se ter con­vic­ção de que em 2012 a com­pa­nhia pas­sa­rá a ter um pa­tri­mô­nio lí­qui­do po­si­ti­vo, com pre­vi­são de lu­cro três anos de­pois. “Em pou­co mais de um ano, ca­so es­sa pro­pos­ta se­ja apro­va­da, a Celg dei­xa­rá de ser uma em­pre­sa de­fi­ci­tá­ria, com pa­tri­mô­nio lí­qui­do ne­ga­ti­vo”, apos­ta o go­ver­na­dor.

Mar­co­ni de­fi­niu o pla­no co­mo fac­tí­vel, de­cen­te e ho­nes­to e dis­se con­si­de­rar a Celg ab­so­lu­ta­men­te vi­á­vel. “Es­se pro­ces­so, sem a me­nor som­bra de dú­vi­da, trans­for­ma­rá de no­vo a Celg nu­ma em­pre­sa ca­paz de in­ves­tir pe­lo me­nos R$ 250 mi­lhões ao ano, pa­ra fa­zer fa­ce às de­man­das re­pri­mi­das com me­lho­ri­as no se­tor de ener­gia no Es­ta­do.”

O pla­no apre­sen­ta­do a Edi­son Lo­bão se­gue os mol­des do que foi pro­pos­to pe­lo go­ver­no an­te­ri­or, que che­gou a ser re­fe­ren­da­do pe­lo en­tão pre­si­den­te Lu­iz Iná­cio Lu­la da Sil­va. Mas in­vés de três par­ce­las to­ta­li­zan­do R$ 3, 728 bi­lhões, pre­vê ape­nas du­as, a pri­mei­ra de R$ 1,2 bi­lhão pa­ra mar­ço, e a se­gun­da parcela de R$ 1,5 bi­lhão pa­ra ja­nei­ro de 2012. Em con­tra­par­ti­da, a es­ta­tal go­i­a­na da­ria um apor­te de R$ 1 bi­lhão pa­ra o ano que vem, ad­vin­do da ven­da de até 49% das ações.

Após fa­zer a apre­sen­ta­ção do pla­no de re­es­tru­tu­ra­ção, em ato no 10º andar do Pa­lá­cio Pe­dro Lu­do­vi­co Tei­xei­ra, o go­ver­na­dor se re­ti­rou pa­ra cumprir ou­tros com­pro­mis­sos de sua agen­da e não deu en­tre­vis­ta, atri­bu­i­ção que cou­be a Jo­sé Eli­ton.

Ele dis­se que, com­pa­ra­ti­va­men­te, o pla­no do go­ver­no an­te­ri­or é com­ple­ta­men­te dis­tin­to do que foi apre­sen­ta­do por Mar­co­ni. Além do va­lor do em­prés­ti­mo, há nes­te pre­vi­são de en­con­tro de con­tas da Celg com o Es­ta­do, de pla­ne­ja­men­to da em­pre­sa além da ques­tão fi­nan­cei­ra e de apli­ca­ção de con­cei­tos da ini­ci­a­ti­va pri­va­da na ges­tão da com­pa­nhia, o que, se­gun­do ele, afas­ta por com­ple­to in­ge­rên­cias po­lí­ti­cas.

Por fim, a pro­pos­ta atu­al, de acor­do com o pre­si­den­te da Celg, ga­ran­te a go­ver­nan­ça da em­pre­sa, pa­ra que se­ja ge­ri­da pe­lo go­ver­no, com­par­ti­lha­da com a pró­pria Ele­tro­bras e com even­tua­is ou­tros par­cei­ros. “O go­ver­no es­tu­dou com­por par­ce­ria com ou­tras em­pre­sas do se­tor elé­tri­co. Nós es­ta­mos bas­tan­te ani­ma­dos com es­sa pos­si­bi­li­da­de e avan­çan­do no di­a­lo­go”, dis­se.

En­tre as pre­mis­sas da pro­pos­ta cons­ta tam­bém o re­per­fi­la­men­to da dí­vi­da da Celg com ins­ti­tu­i­ções ban­cá­rias, no mon­tan­te de R$ 700 mi­lhões. Nes­se ca­so, o go­ver­no co­gi­ta con­tra­ir em­prés­ti­mo com pe­di­do de alon­ga­men­to da dí­vi­da.

Con­for­me Jo­sé Eli­ton, o mi­nis­tro de Mi­nas e Ener­gia – que é se­na­dor pe­lo PMDB e li­ga­do ao pre­si­den­te do Se­na­do, Jo­sé Sar­ney, tam­bém pe­e­me­de­bis­ta – já te­ria de­ter­mi­na­do a ime­di­a­ta aná­li­se da pro­pos­ta do go­ver­no go­i­a­no. “Es­tou ab­so­lu­ta­men­te con­fi­an­te que o es­pí­ri­to pú­bli­co ine­ren­te ao mi­nis­tro de Mi­nas e Ener­gia, bem co­mo a pre­si­den­ta Dil­ma Rous­seff, irá com­por pa­ra que nós pos­sa­mos vi­a­vi­li­zar na sua in­tei­re­za es­te pla­no de re­es­tru­tu­ra­ção.”

RE­A­JUS­TE
Sem re­a­jus­tar a ta­ri­fa de ener­gia elé­tri­ca des­de 2006, por con­ta da ina­dim­plên­cia com o sis­te­ma elé­tri­co, a di­re­to­ria da Celg con­si­de­ra que, com a con­cre­ti­za­ção do acor­do com o go­ver­no fe­de­ral, ha­ve­rá cor­re­ção no pre­ço do pro­du­to.

“A Celg tra­ba­lha pa­ra ser uma em­pre­sa al­ta­men­te efi­ci­en­te no for­ne­ci­men­to de ener­gia, que é a sua ati­vi­da­de-fim. Ela quer ser in­du­to­ra do de­sen­vol­vi­men­to de Go­i­ás e, ob­via­men­te, irá apli­car aqui­lo que a Ane­el atri­bu­ir à em­pre­sa co­mo re­a­jus­te ta­ri­fá­rio jus­to, pa­ra que ela pos­sa bem exe­cu­tar su­as ta­re­fas-fim de for­ne­cer ener­gia com qua­li­da­de, sem in­ter­rup­ção”, disse o vice.

As­sim co­mo Mar­co­ni, Jo­sé Eli­ton re­for­çou a ne­ces­si­da­de do apor­te fi­nan­cei­ro, sob pe­na de a so­ci­e­da­de so­frer com apa­gões no sis­te­ma elé­tri­co do Es­ta­do. “Es­pe­ra­mos afas­tar de vez es­se fan­tas­ma. Em al­gu­mas re­gi­ões a si­tu­a­ção é de pré-co­lap­so”, afir­mou.

A pro­pos­ta en­ca­mi­nha­da ao Mi­nis­té­rio de Mi­nas e Ener­gia traz as pre­mis­sas do pla­no, apre­sen­ta a pro­pos­ta de re­cu­pe­ra­ção e tra­ça um mi­nu­ci­o­so pla­ne­ja­men­to es­tra­té­gi­co no pe­rí­o­do de 2011 a 2015. Des­ta­ca ain­da a vi­são da Celg co­mo in­du­to­ra do de­sen­vol­vi­men­to do Es­ta­do, e a mis­são de pro­ver so­lu­ções e ser­vi­ços na bus­ca da sa­tis­fa­ção de cli­en­tes, acio­nis­tas e co­la­bo­ra­do­res. Por fim, de­ta­lha o pro­gra­ma emer­gen­ci­al de in­ves­ti­men­tos no sis­te­ma elé­tri­co, em ra­zão da de­man­da cres­cen­te por ener­gia.

Fonte: Jornal o Hoje

25 de janeiro de 2011

Norte-Sul vai absorver 30% do transporte de cargas


An­dré Pas­sos

Mais de 70% do tran­s­por­te de car­gas em Go­i­ás são fei­tos a­tra­vés de ro­do­vi­as. Com a cons­tru­ção da Fer­ro­via Nor­te-Sul, pre­vis­ta pa­ra ser en­tre­gue até abril deste ano, 30% des­sas car­gas de­vem ser ab­sor­vi­das pe­la ma­lha fér­rea, se­gun­do es­tu­dos mer­ca­do­ló­gi­cos pre­li­mi­na­res da Va­lec, prin­ci­pal­men­te a pro­du­ção a­grí­­co­la, com­mo­di­ti­es mi­ne­ra­is e com­bus­tí­veis. Ape­sar da al­te­ra­ção no tran­spor­te, a pre­vi­são é de que, pe­lo me­nos no iní­cio, não ha­ja re­du­ção na de­man­da por tran­spor­tes, atra­vés das ro­do­vi­as go­i­a­nas.

O su­pe­rin­ten­den­te co­mer­cial da Va­lec, Mau­ro Au­gus­to Ra­mos, ava­lia que o iní­cio das ati­vi­da­des da Fer­ro­via Nor­te-Sul, cau­sa­rá mu­dan­ças no tran­spor­te de car­gas ro­do­vi­á­rio no Es­ta­do, mas que não de­vem im­pac­tar na de­man­da re­du­zin­do o vo­lu­me de car­gas. “As car­gas de lon­ga dis­tân­cia po­dem so­frer al­gu­ma re­du­ção, mas de­ve­rá au­men­tar o nú­me­ro de car­gas dos pó­los pro­du­to­res até os ra­mais da fer­ro­via”, acre­di­ta.

Os pre­si­den­tes da As­so­cia­ção dos Ca­mi­nho­nei­ros e Fro­tis­tas de Go­i­ás (Acef), Mo­zart Lu­iz Car­nei­ro, e do Sin­di­ca­to das Em­pre­sas de Tran­spor­tes de Car­gas e Lo­gís­ti­ca de Go­i­ás (Set­ceg), Pau­lo Afon­so Lus­to­sa, concordam quan­to às al­te­ra­ções cau­sa­das pe­la Norte-Sul. “A uti­li­za­ção da fer­ro­via se­rá gra­du­al. Acre­di­to que ha­ve­rá mu­dan­ças, sim, mas no di­re­cio­na­men­to de al­gu­mas car­gas, co­mo grãos. Ou­tros itens são en­tre­gues fra­ci­o­na­dos, di­re­to nas lo­jas, o que in­vi­a­bi­li­za o tran­spor­te fer­ro­vi­á­rio”, ava­lia Car­nei­ro.

Para Lus­to­sa, mais de 70% do tran­spor­te de car­gas pe­lo Es­ta­do é fei­to por via ro­do­vi­á­ria, per­cen­tu­al que não de­ve­rá so­frer re­du­ção. “Além do gar­ga­lo bu­ro­crá­ti­co, há car­gas que não con­vêm ser tran­spor­ta­das por trem, ou por­que pre­ci­sam ser en­tre­gues ra­pi­da­men­te, ou por­que são mui­to pe­que­nas”, diz o presidente do Setceg.

Estradas Ruins

Na opinião dele, as más con­di­ções das es­tra­das ainda são os gran­des ob­stá­cu­los pa­ra o tran­s­por­te de car­gas no Es­ta­do e não a che­ga­da da ma­lha fer­ro­vi­á­ria. “O Pa­ís não tem ma­lha ro­do­vi­á­ria su­fi­ci­en­te e so­fre­mos com a má con­ser­va­ção des­sas vi­as. Es­ta­mos em 19ª po­si­ção em ma­lha as­fal­ta­da no mun­do”, con­ta ele.

Em Go­i­ás, exis­tem 20 mil qui­­lô­me­tros de ro­do­vi­as, sen­do que ape­nas me­ta­de de­las é as­fal­ta­da, se­gun­do in­for­ma­ções da Se­cre­ta­ria Estadual de Ges­tão e Pla­ne­ja­men­to (Seplan). Conforme Lustosa, cer­ca de 50% das ro­do­vi­as as­fal­tadas pre­ci­sam de al­gum ti­po de in­ter­ven­ção, co­mo re­ca­pe­a­men­to, re­cons­tru­ção ou ser­vi­ços de ta­pa-bu­ra­cos.
Pe­las ro­do­vi­as BR-050 e BR-153 tran­si­tam di­a­ria­men­te cer­ca de oi­to mil ca­mi­nhões. Se­gun­do úl­ti­mo re­la­tó­rio de 2010, so­bre ro­do­vi­as na­ci­o­nais, da Com­pa­nhia Na­ci­o­nal de Tran­spor­tes (CNT), 65% das ro­do­vi­as fe­de­ra­is que cor­tam o Es­ta­do são con­si­de­ra­das en­tre re­gu­la­res, ru­ins ou pés­si­mas.

De acordo com o se­cre­tá­rio Estadual de In­fra­es­tru­tu­ra, Wil­der Mo­ra­is, a Fer­ro­via Nor­te-Sul e seus ra­mais vão re­pre­sen­tar uma eco­no­mia de 30% em re­la­ção ao fre­te ro­do­vi­á­rio, sem con­tar a re­du­ção de in­ves­ti­men­tos pa­ra re­cu­pe­ra­ção das es­tra­das.

Fonte: Jornal o Hoje

Transporte público Estagnado


Van­dré Abreu

O tran­spor­te pú­bli­co de Go­i­â­nia abran­ge to­da a re­gi­ão me­tro­po­li­ta­na, são 13 mu­ni­cí­pios e mais de dois mi­lhões de pes­so­as. Des­ta po­pu­la­ção, cer­ca de 41% uti­li­zam os ôni­bus, ou se­ja, 900 mil pes­so­as por dia útil, sem pe­rí­o­do de fé­rias. Es­sa par­ce­la de go­i­a­nos é aten­di­da por 1.432 ôni­bus ro­dan­do e ou­tros 300 em re­ser­va, se­gun­do da­dos da Com­pa­nhia Me­tro­po­li­ta­na de Tran­spor­tes Co­le­ti­vos (CMTC), des­de o úl­ti­mo au­men­to da fro­ta, em 2005. De 2006 a 2010 es­te nú­me­ro se man­tém, en­quan­to o De­tran re­gis­tra au­men­to de 38,03% na fro­ta de ve­í­cu­los par­ti­cu­la­res.

De acor­do com a as­ses­so­ria de im­pren­sa da CMTC, des­de que a com­pa­nhia foi cri­a­da, em 2003, o nú­me­ro de pas­sa­gei­ros no tran­s­por­te pú­bli­co se man­tém en­tre 800 mil e 900 mil nos di­as úte­is, em pe­rí­o­do sem fé­rias. Es­se to­tal cor­res­pon­de a 19 mi­lhões de pes­so­as por mês, que va­ria de 18 mi­lhões a 20 mi­lhões, se­gun­do a en­ti­da­de. Em re­la­ção aos ve­í­cu­los par­ti­cu­la­res, segundo o Detran-GO, em 2006 ha­via 695.457 e no ano de 2010 o nú­me­ro al­can­çou 959.954 car­ros, mo­tos, ca­mi­nhões e ou­tros meios de transporte.

O Ins­ti­tu­to de Pes­qui­sa Eco­nô­mi­ca Apli­ca­da (Ipea), em le­van­ta­men­to di­vul­ga­do on­tem, re­ve­la que em to­do o Bra­sil a fro­ta de ve­í­cu­los che­ga a 63,7 mi­lhões, al­ta de 114% nos úl­ti­mos 10 anos. O le­van­ta­men­to tam­bém mos­tra que cer­ca de 44% dos bra­si­lei­ros uti­li­zam o tran­spor­te pú­bli­co, número acima da média goiana. Se­gun­do o es­tu­do, as di­fi­cul­da­des en­con­tra­das pe­la po­pu­la­ção em lo­co­mo­ver-se por meio de ônibus coletivo e metrô são as mai­o­res cau­sas dos in­ves­ti­men­tos em ve­í­cu­los par­ti­cu­lares. Lo­ta­ção e de­mo­ra fa­zem com que as pes­so­as pro­cu­rem seus mei­os pró­prios.

Por es­sas ra­zões, o ope­ra­dor de cai­xa Ge­ni­val­do Hen­ri­que de Sou­za Al­mei­da, 22 anos, re­sol­veu de­sis­tir dos ôni­bus em Go­i­â­nia e com­prar sua mo­to, há oi­to mes­es. An­tes de ter a sua mo­to­ci­cle­ta, ele uti­li­za­va um ôni­bus por dia pa­ra ir ao tra­ba­lho e de­mo­ra­va cer­ca de 40 mi­nu­tos pa­ra che­gar ao lo­cal, além de outro coletivo, para a volta. “Era só um ôni­bus, mas no ho­rá­rio de pi­co de­mo­ra­va mui­to e era mui­to lo­ta­do. Eu ti­nha que sa­ir 40 mi­nu­tos mais ce­do de ca­sa e ago­ra pos­so fi­car es­se tem­po fazendo outras coisas ou descansando”, re­ve­la.

O ago­ra mo­to­quei­ro ain­da mos­tra que a aqui­si­ção do bem é uma eco­no­mia. Se­gun­do seus cál­cu­los, Ge­ni­val­do gas­ta­va R$ 4,50 por dia pa­ra ir e vol­ta do tra­ba­lho, mas com a mo­to ele gas­ta a me­ta­de dis­to. “Ho­je eu gas­to bem me­nos e pas­so me­nos rai­va, tem o cus­to de ma­nu­ten­ção, mas is­to é pou­co per­to dos pro­ble­mas que dá”, diz. Ele con­ta que uma vez o mo­to­ris­ta ba­teu o ôni­bus e ele che­gou atra­sa­do no tra­ba­lho e em ou­tro dia, um do­min­go, saiu de ca­sa às 14h pa­ra che­gar ao lo­cal em que tra­ba­lha às 15h10, mas só con­se­guiu es­tar lá às 16h, e cor­reu o ris­co de ser de­mi­ti­do.

Comparação
Áu­rea Pi­ta­lu­ga, ge­ren­te de pro­gra­ma­ção ope­ra­ci­o­nal da CMTC, acre­di­ta que a correlação en­tre a fro­ta de ve­í­cu­los par­ti­cu­la­res e o tran­spor­te co­le­ti­vo é des­le­al, vis­to que há uma cul­tu­ra do au­to­mó­vel na so­ci­e­da­de bra­si­lei­ra. “Com um car­ro par­ti­cu­lar e es­pe­ci­al­men­te as mo­tos, a pes­soa sai de ca­sa a ho­ra que quer, le­va o que quer e che­ga aon­de quer, os ôni­bus tem os seus pon­tos e seus ho­rá­rios, é uma con­cor­rên­cia des­le­al”, afir­ma.

Se­gun­do Áu­rea, a ques­tão da qua­li­da­de do tran­spor­te co­le­ti­vo em re­la­ção à di­mi­nu­i­ção do seu uso é dei­xa­da de la­do com os da­dos re­la­ti­vos ao Citybus, uti­li­za­do em Go­i­â­nia. A ideia é a de que o Citybus é um tran­spor­te di­fe­ren­ci­a­do, cô­mo­do, rá­pi­do e de qua­li­da­de e que, mes­mo as­sim, não hou­ve ade­são da po­pu­la­ção. “Es­sa com­pa­ra­ção só po­de­rá ser fei­ta quan­do o tran­spor­te co­le­ti­vo for mais rá­pi­do e mais cô­mo­do que os ve­í­cu­los par­ti­cu­la­res”, diz.

Pa­ra ela, is­to ocor­re­rá quan­do hou­ver uma no­va in­fra­es­tru­tu­ra pa­ra os ôni­bus na ca­pi­tal, não sen­do uma ques­tão de quan­ti­da­de da fro­ta, mas de uma no­va tec­no­lo­gia.

“Quan­do for mais rá­pi­do che­gar a al­gum lo­cal de tran­spor­te co­le­ti­vo e não pre­ci­sar gas­tar com es­ta­cio­na­men­to, as pes­so­as po­de­rão mi­grar pa­ra os ôni­bus. En­quan­to is­so não dá pa­ra fa­zer a com­pa­ra­ção”, re­i­te­ra Áu­rea. Ela completa que a prefeitura tem a intenção e o projeto dos corredores dos ônibus e de utilização de tecnologia de tráfego rápido ao transporte coletivo.

Ben­ja­min Jor­ge Ro­dri­gues dos San­tos, en­ge­nhei­ro, dou­tor em En­ge­nha­ria de Tran­spor­tes pe­la USP e pro­fes­sor da PUC-GO e IFG, afir­ma que a com­pa­ra­ção en­tre a quan­ti­da­de de ve­í­cu­los par­ti­cu­la­res e de ôni­bus é pos­sí­vel. O pro­fes­sor diz que há uma que­da no nú­me­ro de usu­á­rios no tran­spor­te co­le­ti­vo, que che­ga a 1,5% ao ano, o que in­di­ca mi­gra­ção pa­ra os ve­í­cu­los par­ti­cu­la­res. “Por um la­do o mo­ti­vo é a fal­ta de qua­li­da­de do tran­spor­te co­le­ti­vo, já que o ser­vi­ço não es­tá de acor­do com as ex­pec­ta­ti­vas dos usu­á­rios e es­tes de­ve­ri­am ser mo­ni­to­ra­dos e fis­ca­li­za­dos com pu­ni­ção às em­pre­sas. Por ou­tro la­do, es­se cres­ci­men­to tam­bém tem a ver com a fa­ci­li­da­de em com­prar ve­í­cu­los par­ti­cu­la­res, a sua fle­xi­bi­li­da­de – pois os ôni­bus têm seus iti­ne­rá­rios fi­xos – e a ques­tão cul­tu­ral, já que é bo­ni­to pa­ra a so­ci­e­da­de ter um car­ro", ex­pli­ca.

Ben­ja­min relata que a pos­si­bi­li­da­de de mi­gra­ção in­ver­sa – ou se­ja, do tran­spor­te par­ti­cu­lar pa­ra o pú­bli­co – é a edu­ca­ção e con­sci­en­ti­za­ção da po­pu­la­ção em que o uso dos ôni­bus in­di­ca mai­or flui­dez do trá­fe­go. No en­tan­to, ele lem­bra que isso só se­rá pos­sí­vel se for ofe­re­ci­do um tran­spor­te co­le­ti­vo de qua­li­da­de, o que não ocor­re atu­al­men­te, se­gun­do ele. Benjamin diz que al­guns dos pa­râ­me­tros a se­rem ana­li­sa­dos são o tem­po de es­pe­ra, qua­li­da­de dos pon­tos de ôni­bus, in­te­gra­ção das li­nhas e ta­ri­fas e que ne­nhum pas­sa­gei­ro an­de mais de 500 me­tros até o pon­to.

Fonte: Jornal o Hoje

23 de janeiro de 2011

Festa de Arromba - Goiânia 2011


Data: 12/02/2011
Local: Sol Music Hall
Fone: (62) 8452 2100

5 horas de Show-Bailes sem Intervalos.

A partir das 21hrs

Show com:
- The Fevers
- Pholhas
- Golden Boys

Ingressos:

Área Vip: R$ 30,00
Não Open Bar

Camarote: R$ 45,00
Open Bar* (Água, Cerveja, Refri, Vodka)

Mesa Ouro 4 Lugares: R$ 260,00
Open Bar* (Água, Cerveja, Refri, Vodka)

Mesa Diamante 4 Lugares: R$ 300,00
Open Bar* (Água, Cerveja, Refri, Vodka)

Pontos de Vendas:

- Tribo do Açaí
- Bob's
- Sol Music Hall

On
line: primeingressos.com/

Tele vendas: 62 8552 2100
Informações: 62 3087 7680

Goiás deve enviar respostas a Fifa e CBF até terça


O Caderno de Encargos da Fifa e CBF com cerca de mil questões deve ser completamente respondido até a próxima terça-feira, dia 25. A comissão formada por representantes da Agel, GoiásTurismo e Federação Goiana de Futebol se esforça no trabalho de levantamento de dados exigido para que Goiânia seja subsede da Copa de 2014.

De acordo com o presidente da Goiás Turismo, Aparecido Sparapani, o prazo dado pela Fifa para o preenchimento do documento foi dia 31 de janeiro, mas a comissão se apressou e adianta o questionário. “A comissão trabalhou intensamente nesses últimos dias e conseguimos responder às questões antes do término do prazo. Levantamos todos os dados exigidos e temos ótimas chance de ser subsede da Copa de 2014”, diz Sparapani.

O próximo passo, agora, de acordo com o presidente da GoiásTurismo, é trabalhar para incluir Goiânia entre as sedes da Copa. “Dependemos da desistência de alguma sede. Caso a cidade de Natal seja realmente descredenciada em março, vamos lutar para que a Fifa mantenha o número de 12 sedes e inclua Goiânia. Para isso, já estamos trabalhando para melhorar o projeto inicial que foi apresentado à Fifa. Se a vaga for realmente aberta, estaremos com tudo pronto para lutar pela inclusão de Goiânia. O Governo está totalmente empenhado em trazer a Copa”, afirma.

Fonte: Goiás Agora

Saneago investirá R$ 700 milhões em 2011


A Saneago deve investir R$ 700 milhões este ano em obras de saneamento por todo Estado. A afirmação é do presidente do órgão, Nilson de Sousa Freire, ao esclarecer que os recursos já foram garantidos através do orçamento da União, BNDES e contrapartida do Estado. Segundo o presidente, esses números podem ser ainda maiores, com a concretização de novos projetos para o PAC 2. “Caso isso ocorra, outros R$ 300 milhões vão ser liberados e aí vamos investir R$ 1 bilhão somente este ano”, comemora Nilson.

De acordo com o planejamento da Saneago, Goiânia, Região Metropolitana e Entorno de Brasília serão as localidades que vão receber as principais obras, como a estação de tratamento da Barragem do Ribeirão João Leite e o Sistema Corumbá. Esta última realizada em parceria com o Governo do Distrito Federal.

Anápolis terá 100% de água tratada

Dentro de dois anos o município de Anápolis terá universalizado o sistema de água tratada. De acordo com o presidente da Saneago, Nilson de Sousa Freire, 96% dos habitantes do município já contam com o serviço. Apenas 18 bairros não têm o benefício. “Isso vai mudar logo”, garante Nilson, ao revelar que o Estado está finalizando uma licitação de quase R$ 100 milhões. Com esse recurso, a Saneago pretende ampliar ainda a Estação de Tratamento da cidade e o sistema de esgoto.

Fonte: Goiás Agora

21 de janeiro de 2011

Ligação DDD passará a ser local em mais de 560 cidades


Cerca de 68 milhões de consumidores vão gastar menos nas ligações interurbanas

Cerca de 68 milhões de consumidores serão beneficiados com uma decisão aprovada nesta quinta-feira (20) pelo Conselho Diretor da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que transforma ligação de longa distância (DDD) em ligação local para cerca de 560 cidades brasileiras. A medida vai reduzir o valor da conta de telefone para os usuários de telefonia que vivem nessas áreas.

A proposta faz parte do novo regulamento sobre áreas locais para o STFC (Serviço Telefônico Fixo Comutado), que amplia os critérios de definição de áreas locais, que passa a abranger o conjunto de cidades pertencentes a uma região metropolitana ou região integrada de desenvolvimento que tenham continuidade geográfica e pertençam a um mesmo código nacional de área (DDD).

Como região metropolitana, a Anatel considerou o agrupamento de municípios limítrofes, instituída legalmente, que tem como finalidade integrar a organização, o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum.

O conceito de Ride (Região Integrada do Entorno) adotado pela agência foi o de complexo geoeconômico e social, instituído legalmente, que tem o objetivo de articular a ação administrativa da União visando a seu desenvolvimento e à redução das desigualdades regionais.

Como áreas com continuidade urbana, a Anatel considerou o resultado da fusão de duas ou mais localidades, que constitui um todo continuamente urbanizado, podendo, entretanto, ocorrer descontinuidades de mil metros ou por motivo de acidente aquático, como rio, lago, baía ou braço oceânico.

Depois do prazo de adequação de até 120 dias, contados a partir da data da publicação do regulamento, a nova configuração permitirá a realização de chamadas telefônicas a custo de ligação local entre todos os municípios de uma mesma região metropolitana ou de região integrada de desenvolvimento que contenham continuidade geográfica e o mesmo código nacional de área (DDD). O regulamento contempla 39 regiões metropolitanas e três regiões integradas de desenvolvimento.

As regiões metropolitanas e regiões integradas de desenvolvimento contempladas no regulamento são: Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Londrina (PR), Maringá (PR), Baixada Santista (SP), Campinas (SP), Belo Horizonte (MG), Vale do Aço (MG), Rio de Janeiro (RJ), Grande Vitória (ES), Distrito Federal e Entorno (DF/GO/MG), Goiânia (GO), Vale do Rio Cuiabá (MT), Salvador (BA), Polo Petrolina e Juazeiro (PE/BA), Aracaju (SE), Maceió (AL), Agreste (AL), Campina Grande (PB), João Pessoa (PB), Recife (PE), Natal (RN), Cariri (CE), Fortaleza (CE), Sudoeste Maranhense (MA), Grande Teresina (PI/MA), Belém (PA), Macapá (AP), Manaus (AM), Capital (RR), Central (RR), Sul do Estado (RR), Florianópolis (SC), Chapecó (SC), Vale do Itajaí (SC), Norte/Nordeste Catarinense (SC), Lages (SC), Carbonífera (SC) e Tubarão (SC).

Quanto às regiões de Foz do Rio Itajaí (SC), São Luís e São Paulo, não haverá mudanças porque todos os seus municípios já são considerados uma mesma área local.

O novo regulamento também estabelece que as novas situações que se enquadrem na definição de áreas com continuidade urbana ou em decorrência de solicitação fundamentada por parte da concessionária de telefonia fixa na modalidade do serviço local serão revistas anualmente.

As revisões de configuração da área local resultante da criação ou da alteração de regiões metropolitanas ou de Rides ocorrerão junto com as revisões quinquenais dos contratos de concessão.

Listas das Cidades Click Aqui

Fonte: R7

19 de janeiro de 2011

Caldas Elétrico 2011 - Asa, Jorge e Mateus e Gusttavo Lima


Data: 23/04/2011
Local: Caldas Park Show
A Partir das 21 Hrs


Na semana santa Caldas Novas vai ferver. Caldas elétrico 2011

Tocando em 3 Trios Elétricos: Jorge & Mateus, Asa de Águia e Gusttavo Lima
Musica eletrônica e performaces com Hands UP e muito mais.
Avançado aparato tecnológico, com painéis de led, iluminação, high tech, sonorização e cenografia.

Show com:
- Jorge e Mateus (Trio)
- Gusttavo Lima (Trio)
- Asa de Águia (Trio)

Ingressos:

ÁREA VIP - 3º Lote

R$ 70,00 À VISTA (MEIA ENTRADA)
R$ 80,00 À PRAZO (MEIA ENTRADA)
R$ 140,00 À VISTA (INTEIRA)
R$ 150,00 À PRAZO (INTEIRA)

EXTRA VIP - 2º Lote

FEMININO: R$ 130,00 À VISTA
FEMININO: R$ 140,00 À PRAZO
MASCULINO: R$ 160,00 À VISTA
MASCULINO: R$ 170,00 À PRAZO

CAMAROTE PRIME - 1º Lote

FEMININO: R$ 250,00 À VISTA
FEMININO: R$ 270,00 À PRAZO
MASCULINO: R$ 300,00 À VISTA
MASCULINO: R$ 320,00 À PRAZO

MESAS COM 06 LUGARES - 1º Lote

R$ 1.500,00 À VISTA
R$ 1.700,00 À PRAZO
CADEIRA EXTRA: R$ 250,00 À VISTA
CADEIRA EXTRA: R$ 280,00 À PRAZO

VENDAS EXCLUSIVAS GBM: (34) 3210-2252
*sujeito a alteração sem aviso prévio.

Vendas: http://www.realista.com.br/

Pontos de Vendas:

Catalão -- Disque Bebidas
Rio Verde -- Arte e Pão
Quirinópolis -- Nova Mania Locadora
Jataí -- Arte e Pão
Santa Helena -- Tweed Boutique
Mineiros -- Econômica Tecidos
Uberlândia -- Ducks Esportes
Uberlândia -- Pratic Shopping
Uberaba -- Ducks Esportes loja 419
Araguari -- Aerobus Centro
Patos de Minas -- Ducks Esporte Centro
Patocínio -- Minas Modas Centro
Itumbiara -- Lua e Sol
Caldas Novas -- Sede
Caldas Novas -- Bob's
Goiânia -- Stand Flamboyant 2º piso
Goiânia -- Bob's Flamboyant
Goiânia -- Bob's Buena Vista
Goiânia -- Bob's Goiânia
Anápolis -- Cowboy Shopping
Sobradinho I -- Ótica Diniz
Paranoá -- Ótica Diniz
Taguatinga I -- Ótica Diniz
Ceilandia I -- Ótica Diniz
Sobradinho I -- Ótica Diniz
Sobradinho III -- Ótica Diniz
Setor Sul Residencial I -- Ótica Diniz
Ceilandia II -- Ótica Diniz
Taguatinga Norte -- Ótica Diniz
Taguatinga II -- Ótica Diniz
Planatina I -- Ótica Diniz
Asa Sul -- Ótica Diniz
Planaltina II -- Ótica Diniz
Formosa -- Ótica Diniz
Valparaiso -- Ótica Diniz



Festa do Barão de Goiânia - 2011


Data: 26/2/2011 (Sábado)
Local: Haras Luar - Saida Para Rio Verde
Telefone: 62-30878207/62-84024839

Festa do Barão de Goiânia 2011

Top Atrações:
Atração Global:
-Andre Marques
-Edgar Fontes
+
-Juliana Barbosa Live!(Residente Pink Elephant)
-Warmp Up: Daniel Arantes
-Close: Rodrigo Junqueira

Área Vip Premium:

Open Bar Premium:
-Vodka Wyborowa
-Champagne
-Cerveja Heineken
-Refrigerantes Coca Cola
-Água
-Café Da Manha Completo
-Localização Privilegiada

Feminino: R$: 70,00
Masculino: R$: 120,00
*Referente 1 Lote

Área Vip:
Open Bar:
-Vodka Orloff
-Cerveja Heineken
-Refrigerantes Coca Cola
-Água
-Café Da Manha Completo

Feminino: R$: 50,00
Masculino: R$: 80,00
*Referente 1 Lote

Lounge Vip:
Incluso:
-Para 10 Pessoas Em Área Privativa E Privilegiada
-1 Garrafa De Grey Goose
-1 Garrfa De Champagne Veuve Clicquot
-1 Garrafa De Whisky Chivas 12 Anos
-1 Pack Com 12 Eneregeticos
Vendas Exclusivas: 81188800/78128292

Postos de Vendas:

Goiânia:
-Tribo Restaurante
-Temakeria Yakimaki
-Bob´S
-Sede Rafael Carvalho Eventos
Av.T-3,N 2673,Sl 25 Galeria Pátio Do Lago
62-30878207
Tele Entrega: 62-99789395

Anápolis:
-Super X

Brasília:
-Empório Santo Antonio(Pier 21)
-Bruno Hills: 61-84090541/123*24337

Organização:
-Andre Bernadino
-Carlos Junior
-Daniel Arantes
-Rafael Carvalho

Informações:
62-30878207
62-84024839


Água do Ribeirão João Leite em Goiânia começa a verter pela barragem



O Ribeirão João Leite completou nesta segunda-feira (17) o enchimento total e verteu pela barragem pela primeira vez. De acordo com o presidente da Saneago, Nilson de Sousa Freire, a vazão de água do reservatório lançada no leito do manancial ainda é pequena. A barragem armazena 129 milhões de metros cúbicos de água , ou 129 bilhões de litros. O enchimento do lago foi iniciado em dezembro de 2009.

Segundo Nilson, por enquanto não há nenhum impacto significativo para a população. O próximo passo é a construção do sistema de distribuição que vai custar R$ 400 milhões aos cofres públicos. “Desse total, R$ 300 milhões já estão garantidos. Vamos em busca do restante”, esclareceu o presidente.

Atualmente estão em andamento as obras de construção de um sistema que liga a represa até a Estação de Tratamento e, de lá, até o Rio Meia Ponte. Nilson explica que ao finalizar a ligação entre essas várias redes, vai ser possível aumentar significativamente a distribuição de água em Goiânia e Região Metropolitana. A previsão é de que em no máximo três anos a Barragem do Ribeirão João Leite esteja em pleno funcionamento, desde coleta e tratamento até a distribuição para a população.

Fonte: ABN

17 de janeiro de 2011

Centro Cultural Oscar Niemeyer será totalmente reaberto em Julho


O Centro Cultural Oscar Niemeyer - CCON vai passar por uma reforma no fim de janeiro e deverá ser totalmente reaberto à população no mês de julho, com o funcionamento de todas as suas 14 unidades. A previsão é do diretor da instituição, Nars Chaul. Atualmente, o CCON funciona apenas parcialmente, com a realização de algumas atividades culturais. Pela primeira vez, o Museu de Arte Contemporânea abriga a exposição Segredos, do artista plástico Siron Franco. As obras podem ser apreciadas pelo público até o dia 21 de abril. Entre os dias 19 e 22 de janeiro será realizado o Goyaz Festival, evento de música instrumental que vai reunir músicos renomados como Yamandu Costa e César Camargo Mariano, no Palácio da Música.

A partir de maio, o Palácio da Música irá atender à agenda de apresentações. O CCON será totalmente reaberto em julho, após passar por reforma que vai começar no fim de janeiro e deve durar cinco meses. "Além do acabamento, estão sendo feitas adequações da estrutura. Na biblioteca, por exemplo, que tem três pavimentos, além do levantamento do acervo será trocado o piso e colocado gesso no teto. Também serão feitas obras de sinalização e orientação, em parceria com a Agetop", afirma.

Fonte: Goiás Agora
Imagem: não Identificado

14 de janeiro de 2011

Festa da Fantasia 2011 - Goiânia - 16° Edição


Data: 16/ 04 /2011
Hora: 22h30.
Local: Ginásio Internacional Goiânia Arena

Atrações:

- Crossover - Dj Júlio Torres e Amon Lima (Violino)
- Leilah Moreno
- Dj Marlboro
- André Pulse

Obrigatório o uso de fantasia. Não será permitido a entrada no evento sem fantasia.

Sobre:

A Festa da Fantasia teve sua primeira edição em abril de 1996, realizada em uma mansão no Setor Bueno, desde esta primeira festa o sucesso foi imediato e outros locais foram palco dessa histórica festa: Espaço La Fontaine, Jóquei Clube e Clube Jaó.

Desde 2005 o evento passou a ser realizado nas dependências interna e externa do Ginásio Goiânia Arena, um lugar de fácil acesso, com espaço suficiente para o grande público, para as grandes produçoes de som luz e decoração que acompanham a estrutura da Festa da Fantasia de Goiânia que hoje é considerada a melhor festa temática do Brasil.

” A Festa da Fantasia é um acontecimento. São mais de seis meses de preparação e um cuidado rigoroso no planejamento e execução do evento. A cada edição queremos surpreender mais o nosso público”, comenta Leandro Chaer, da Cia2.

Atualmente Goiânia vem se destacando nacionalmente como um dos grandes polos de lazer e entreterimento de nosso país. Situada no Centro-Oeste, essa capital tem certos atributos que atraem e consolidam festas que repercutem em todo território brasileiro. Um exemplo é a Festa da Fantasia de Goiânia !

Ingressos:

Área Premium:

Feminino: R$ 60,00 (1º lote)
Masculino: R$ 90,00 (2º lote)
*Open Bar: Vodka, cerveja Skol, refrigerantes, água e sucos
*Open Food: Buffet de salgados finos

Estrutura
2 Pistas de Dança (Fantasy Arena e Arena Skol 360), Novo Lounge para descanso e relaxamento, Lanchonetes especializadas e 5.000 m² de estrutura coberta

Camarote Gold:

Feminino: R$ 160,00 (3º lote)
Masculino: R$ 260,00 (3º lote)
*Open Bar: Whisky importado 8 Anos, Vodka, cerveja Skol, refrigerantes, água e sucos
*Open Food: Restaurante com serviço completo de jantar, salgados finos, pizzas da Trupe do Açaí, sanduíches e sundaes Burger King e bombons

Estrutura
Lounge para descanso e relaxamento, Salão de beleza exclusivo e SPA

Pontos de Vendas:

Goiânia:

- Burguer King
- Trupe do Açaí
- Ellystur Turismo

Brasília
- Burger King Pátio Brasil Shopping (somente Área Vip)

Informações:

- Telefones: Em breve
- Classificação: Em breve
- Valores dos ingressos sujeitos à alteração sem aviso prévio
- Obrigatório apresentação de documento de identidade
- Obrigatório o uso de fantasia. Não será permitido a entrada no evento sem fantasia
- Seguranças Especializados e Credenciados
- Polícia Militar na Área Externa do Evento
- Ambulatório de emergência com ambulância e paramédicos no local.

Breve Mais Informações

Autódromo internacional Ayrton Senna será reconstruído


O presidente da Agência Goiana de Esporte e Lazer – Agel, José Roberto de Athayde Filho, acredita que o autódromo internacional Ayrton Senna precisa ser reconstruído. “No autódromo vamos começar praticamente do zero. A situação atual chega a ser caso de polícia. O local está sendo invadido por vândalos. Primeiro vamos cuidar da segurança”. A afirmação foi feita durante entrevista realizada hoje, na sede da Agel.

José Roberto disse que neste ano o autódromo de Goiânia não será aproveitado para as provas de automobilismo devido as intervenções que devem ser feitas. “Eu acredito que em 2012 o autódromo estará pronto para sediar competições de automobilismo”, destacou.

O presidente da Agel falou também do Bolsa Esporte. Ele esclareceu que a meta é dar continuidade ao programa, mas com mudanças na forma de seleção dos atletas.

Governo estadual promete reforma no Serra Dourada


A ordem é correr atrás do tempo perdido. É assim que o Estado de Goiás vê as possibilidades dentro do meio esportivo com a chegada de um novo governo, que privilegia o sonho de ser uma das sedes ou sub-sedes da Copa do Mundo 2014. E para isso, o novo presidente da Agência Goiana de Esportes e Lazer (Agel), José Roberto de Athayde Filho, anunciou que algumas modificações serão feitas no estádio Serra Dourada.

Com uma estrutura velha e com o abandono das administrações passadas, o estádio, que já foi um dos cartões-postais de Goiânia, hoje apresenta problemas de infiltrações, parte elétrica comprometida e até mesmo o placar eletrônica, que está parcialmente queimado. Para isso, uma série de projetos deve ser colocado em prática, já que existe a promessa, feita ao governador Marconi Perillo, de que a Seleção Brasileira faça um amistoso neste ano, no mês de Junho.

- Já temos um relatório elaborado, fizemos um diagnóstico no estádio e temos alguns problemas, como a questão das infiltrações em excesso. Não houve correção durante o tempo e não trocaram as instalações antigas, mas temos que ajustar. Provavelmente teremos o jogo da Seleção Brasileira em junho e o governador se comprometeu com o presidente da CBF a deixar o estádio pronto em 90 dias afirmou o presidente da Agel.

Outros problemas estruturais, como o Centro de Excelência do Esporte, incluindo o Estádio Olímpico, e o Autodromo Internacional de Goiânia, também serão solucionados, mas a maior expectativa está para o Serra Dourada. José Roberto elogiou a estrutura do estádio e elogiou a atual condição do gramado, que ainda está bem aquém da época onde era considerado o melhor gramado do país. O presidente revelou que os clubes goianos (Goiás, Vila Nova e Atlético) pode ajudar nas reformas, com investimentos e idéias.

- Queremos buscar recursos privados e teremos também a ajuda dos clubes, com investimentos e idéias para corrigirmos os erros, como por exemplo, a área dos vestiários, que estão alagados com as chuvas. O Serra Dourada tem uma estrutura boa, mas precisa de cuidados sempre. Quanto a Copa 2014, temos que esperar alguma novidade de outra sede, a Agetur (Agência de Turismo) já está preparando um novo projeto depois que o primeiro foi recusado concluiu o presidente.

Fonte: O Globo Esporte

Prefeitura autoriza início das obras do Complexo Cultural Casa de Vidro


O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), autorizou na manhã desta terça-feira, 21, o início das obras do complexo cultural Casa de Vidro, no próprio local onde será instalado. O empreendimento, orçado em R$ 3.860.365, será construído num terreno de 2.305,45 m² no ponto de encontro entre as Avenidas E, Deputado Jamel Cecílio e rua 52, no Jardim Goiás, próximo ao Shopping Flamboyant. A previsão é de que a obra seja entregue em 10 meses.

A obra contará com uma cúpula de vidro de formato elipsóide com mais de 13 metros de altura e um salão multi-uso acoplado que será revestido com lâminas de alumínio, estilo inspirado nas escamas do fruto do buriti - vegetação típica do cerrado goiano. No total, a área construída será de 1.960,34m², contando também um espelho d'água, uma fonte, a ante-sala e o anexo de apoio (com depósito, administração, cozinha, central de gás, reservatório e casa de máquinas).

Além de consolidar o projeto de um memorial do cerrado, a obra arquitetônica de aparência moderna pretende se tornar um ponto turístico de Goiânia, marco inicial de City Tour Panorâmico. A estimativa é de que mais de um milhão de visitantes passem pelo complexo durante o ano, de acordo com a Secretaria Municipal de Infra- Estrutura de Goiânia (Seinfra).

Resgatar aspectos naturais regionais e promover o diálogo entre gerações e grupos de interesse específico são metas do espaço cultural que quando finalizado também deverá conservar espécies nativas de uma reserva didática com plantas e flores do cerrado.

"A previsão de entrega da obra é de 10 meses. Vamos nos esforçar para inaugurar a Casa de Vidro antes do Natal do ano que vem”, comprometeu-se o secretário da pasta Leodante Cardoso, aproveitando para agradecer o apoio do prefeito Paulo Garcia e a presença das autoridades.

Fonte: Portal 730
Reportagem de 21/12/2010

13 de janeiro de 2011

Casos de dengue caem 99% em Goiás


Em entrevista coletiva concedida à imprensa na manhã de hoje foram divulgados os comparativos das notificações de dengue registrados nas primeiras semanas de janeiro de 2011 em relação a 2010. Os dados foram apresentados pela gerente de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde, Magna Maria de Carvalho. Ela esclarece que o número de casos de dengue tem apresentado aumento se compararmos o período chuvoso de agora com o de seca, porém é importante ressaltar que, em comparação com o mesmo período do ano passado, houve queda significativa nos casos registrados. “Se compararmos a primeira semana de 2011 em relação à primeira semana de 2010 houve uma redução impressionante dos casos de dengue em Goiás”, afirma.

Durante a primeira semana de janeiro desse ano foram registrados 623 casos da doença no Estado, enquanto que no ano passado, na primeira semana de janeiro foram registrados 5.560 casos, segundo dados comparativos divulgados pelo Boletim Semanal de Dengue, e elaborado pela Superintendência de Políticas de Atenção Integral à Saúde – Spais.

Segundo a gerente de Vigilância Epidemiológica, a queda atual se deve ao grande número de casos registrados no ano passado, uma vez que quando a pessoa tem a doença, durante de 6 meses ela apresenta certa imunidade em relação a uma possível reincidência. Ela considera, no entanto, que mesmo ocorrendo queda dos índices em comparação com o ano passado, a situação ainda é preocupante pelo fato de que Goiás é um Estado endêmico em relação à doença, e alguns municípios, como Aparecida de Goiânia, merecem especial atenção devido ao grande número de casos notificados. Na última semana de 2010, no ranking de municípios com maiores números absolutos de dengue, Aparecida ficou em segundo lugar com 11.887 casos, atrás somente de Goiânia, com 43.157 casos.

Com relação ao mapa de risco apresentado no último dia 11 pelo Ministério da Saúde, segundo a gerente, Goiás está entre os Estados com risco alto de desenvolver uma epidemia, e não entre os Estados com risco muito alto, o que embora preocupante, já pode ser considerado um avanço. Segundo ela, medidas para evitar o aumento dos índices da doença já estão sendo tomadas por meio de parecerias entre os governos federal, estadual e municipal. Segundo ela, medidas de impacto também estão sendo tomadas, como a criação de uma força tarefa para ajudar no combate à doença junto aos agentes de saúde, já que a contratação imediata de novos agentes pode não ocorrer. O objetivo da força-tarefa é intensificar ações nos municípios que apresentam maior risco de desenvolver uma epidemia da doença. A entrevista foi concedida na sede da Spais, no Setor Coimbra, em Goiânia.

Fonte: Goiás Agora

No Páreo para ser ''Subsede''


Ma­ri­na Du­tra

No pra­zo de 15 di­as, o Es­ta­do de Goiás en­vi­a­rá à Fi­fa e à Con­fe­de­ra­ção Bra­si­lei­ra de Fu­te­bol (CBF) o ques­ti­o­ná­rio pre­en­chi­do com os da­dos de Go­i­â­nia pa­ra que ela se tor­ne uma das sub­se­des da Co­pa de 2014. Nes­sa se­ma­na, a Agên­cia Go­i­â­nia de Es­por­te e La­zer (Agel), a Go­i­ás­Tu­ris­mo e a Fe­de­ra­ção Go­i­a­na de Fu­te­bol (FGF) de­fi­ni­ram uma co­mis­são que irá vis­to­riar lo­ca­is que po­de­rão ser­vir pa­ra o trei­no das se­le­ções na ca­pi­tal du­ran­te o even­to. No en­tan­to, em dois mes­es a ca­pi­tal po­de­rá en­trar no­va­men­te no pá­reo pa­ra se­ sede, ca­so a ci­da­de de Na­tal/RN não cum­pra o cro­no­gra­ma de obras de­ter­mi­na­dos pe­la CBF.

A pri­mei­ra eta­pa se­rá o pre­en­chi­men­to de um do­cu­men­to que tem cer­ca de 40 pá­gi­nas e mil ques­tões. Den­tre as per­gun­tas es­tão quan­tos lei­tos es­tão dis­po­ní­veis na ci­da­de e lo­ca­is pró­xi­mos aos pos­sí­veis cam­pos de trei­na­men­to pa­ra hos­pe­da­gem de tu­ris­tas e se­le­ções. Quem le­van­ta­rá as in­for­ma­ções se­rá o Ins­ti­tu­to de Pes­qui­sas Tu­rís­ti­cas (Ipe­tur).

A Fi­fa im­põe con­di­ções es­pe­cí­fi­cas pa­ra que uma ci­da­de re­ce­ba as se­le­ções. Al­gu­mas são ób­vias, co­mo re­de ho­te­lei­ra de­cen­te (por­que além do ti­me, re­ce­be­rá os tu­ris­tas) e cam­pos de trei­no com bom gra­ma­do e es­tru­tu­ra de ves­ti­á­rio pa­drão in­ter­na­ci­o­nal. Ou­tras so­li­ci­ta­ções são: a obri­ga­to­ri­e­da­de de ter um ho­tel de pa­drão (4 a 5 es­tre­las), e que as ins­ta­la­ções de trei­na­men­to se­jam pró­xi­mas, ou pe­lo me­nos a 20 mi­nu­tos de car­ro; mí­ni­mo de 55 quar­tos; pos­si­bi­li­da­de de uti­li­zar to­das as ins­ta­la­ções do ho­tel; pos­si­bi­li­da­de de im­ple­men­tar me­di­das pró­pri­as de se­gu­ran­ça, os cam­pos de trei­na­men­to de­vem ser re­ser­va­dos; ves­ti­á­rios com ca­pa­ci­da­de pa­ra pe­lo me­nos 23 at­le­tas e mais co­mis­são téc­ni­ca; en­tre ou­tras.

Vis­to­ria
O pre­si­den­te Agel, Jo­sé Ro­ber­to de Athayde, re­ce­beu, na ma­nhã de on­tem, uma equi­pe pa­ra vi­si­tar as ins­ta­la­ções do Ser­ra Dou­ra­da com o ob­je­ti­vo de ver o que tem que ser fei­to vi­san­do a dis­pu­ta do Go­i­a­não, jo­gos da se­le­ção e tam­bém pa­ra que es­ta pra­ça se­ja se­de da Co­pa do Mun­do de 2014.

Fonte: Jornal o Hoje

Aceleração de obra do Aeroporto


O mi­nis­tro da De­fe­sa, Nel­son Jo­bim, anun­ciou ao go­ver­na­dor Mar­co­ni Pe­ril­lo que nes­ta quin­ta-fei­ra vai al­mo­çar com di­re­to­res do con­sór­cio res­pon­sá­vel pe­la cons­tru­ção do no­vo ae­ro­por­to de Go­i­â­nia e a In­fra­e­ro. Na oca­si­ão, Jo­bim dis­cu­tirá de­ta­lhes que vi­sam abre­vi­ar o rei­ní­cio das obras. A in­for­ma­ção foi dada ao go­ver­na­dor du­ran­te au­diên­cia que te­ve com o mi­nis­tro da De­fe­sa. “Saio des­te en­con­tro bas­tan­te mo­ti­va­do e sa­tis­fei­to. O mi­nis­tro Jo­bim de­mons­trou mui­ta boa von­ta­de com o nos­so ape­lo”, disse Marconi.

O governador pas­sou a tar­de de ontem em Bra­sí­lia em vi­si­ta a vá­rios ór­gã­os do go­ver­no fe­de­ral e ao Ban­co Mun­di­al. Du­ran­te as vi­si­tas, o tucano es­te­ve acom­pa­nha­do da se­na­do­ra Lú­cia Vâ­nia, do pre­si­den­te da Age­top, Jayme Rin­com, dos se­cre­tá­rios Ar­man­do Ver­gí­lio e Wil­der Mo­ra­es e dos de­pu­ta­dos fe­de­ra­is Ro­ber­to Ba­les­tra e San­des Jú­ni­or (ambos do PP).

No Dnit, apre­sen­tou ao di­re­tor Lu­iz An­tô­nio Pa­got inú­me­ros pro­je­tos de obras ro­do­vi­á­rias, en­tre eles o que pre­vê a cons­tru­ção de du­as pon­tes so­bre o Rio Ara­gu­aia, uma em Co­ca­li­nho (MT) e ou­tra em Lu­iz Al­ves, além da con­clu­são de ro­do­vi­as, du­pli­ca­ção de ou­tras e iní­cio do pro­je­to de cons­tru­ção da BR-251, já apro­va­da pe­lo Pla­no Na­ci­o­nal de Vi­a­ção.

O go­ver­na­dor avis­tou-se ain­da com o mi­nis­tro das Ci­da­des, Má­rio Ne­gro­mon­te. “Ele se co­lo­cou à dis­po­si­ção pa­ra nos aju­dar na ins­ti­tu­i­ção de pro­je­tos na área de mo­bi­li­da­de ur­ba­na, co­mo tran­spor­te, sa­ne­a­men­to e ha­bi­ta­ção”, anun­ciou Mar­co­ni.

CONVÊNIOS

No Ban­co Mun­di­al, on­de foi re­ce­bi­do pe­lo di­re­tor da ins­ti­tu­i­ção pa­ra o Bra­sil, o se­ne­ga­lês Makhtar Diop, o governador apre­sen­tou um am­plo es­tu­do so­bre a ma­lha vi­á­ria do Es­ta­do pa­ra jus­ti­fi­car o pe­di­do de re­e­di­ção de con­vê­ni­os, ce­le­bra­dos com su­ces­so du­ran­te su­as du­as pri­mei­ras ad­mi­nis­tra­ções. “Go­i­ás te­ve uma ex­pe­ri­ên­cia mui­to po­si­ti­va nos nos­sos go­ver­nos an­te­rio­res com o Pró-Me­lhor, quan­do con­se­gui­mos re­cu­pe­rar qua­se 2 mil qui­lô­me­tros de ro­do­vi­as es­ta­du­ais e cons­tru­ir al­gu­mas cen­te­nas de qui­lô­me­tros de no­vas vi­as pa­vi­men­ta­das. Es­se pro­gra­ma foi con­si­de­ra­do de ex­ce­lên­cia pe­lo Ban­co Mun­di­al”, re­cor­dou Mar­co­ni.

Em ape­nas dez di­as, a Age­top e a Se­cre­ta­ria de In­fra­es­tru­tu­ra re­a­li­za­ram um le­van­ta­men­to dos prin­ci­pa­is pro­ble­mas das ro­do­vi­as go­i­a­nas. Es­sa ra­di­o­gra­fia foi en­tre­gue ao di­re­tor do Ban­co Mun­di­al pa­ra que se­ja es­tu­da­da uma par­ce­ria com o Es­ta­do na re­cu­pe­ra­ção de to­da a ma­lha ro­do­vi­á­ria de Go­i­ás.

Mar­co­ni pe­diu a Makhtar Diop que es­tu­de a pos­si­bi­li­da­de de o Ban­co Mun­di­al efe­tu­ar em­prés­ti­mos ao go­ver­no de Go­i­ás sem a con­tra­par­ti­da de re­cur­sos por par­te do Es­ta­do. “Su­ge­ri­mos que es­sa con­tra­par­ti­da se­ja fei­ta atra­vés de tra­ba­lho na área de re­cur­sos am­bien­tais e ges­tão pú­bli­ca, nos mol­des que foi fei­to com o go­ver­no de Mi­nas Ge­ra­is”, in­for­mou.

Fonte: Jornal O Hoje

Qual a reação do mercado com a entrada da Webjet em Goiânia?



Caso dê tudo certo para a Webjet, no dia 27 de março de 2011 será a primeira vez que a companhia pousará em um voo regular em Goiânia. A companhia iniciará seus voos ligando Goiânia ao Rio de Janeiro (Galeão) e a Porto Alegre com voos sem escalas. Serão 1 voo diário para cada destino inicialmente. Estes voos serão operados pelo Boeing 737-300 para 148 lugares.

Mas o que esperar destes novos voos em Goiânia? A Webjet é uma empresa que tem uma das frotas mais velhas do Brasil e um índice de pontualidade pífio comparado a outras companhias, porém é a empresa com tarifas mais atraentes para o passageiro, tendo passagens a partir de R$9,90.

As últimas atitudes da companhia (Implementação de vários voos em Ribeirão Preto, inauguração de novas bases: Navegantes, Ribeirão Preto e Foz do Iguaçu, readequação da sua malha e chegada de novas aeronaves) dá a entender que ela mudou seu foco inicial que era de investir nas capitais do sul, sudeste e nordeste, mudando-se agora ao interior dos estados e a região centro-oeste do Brasil.

A Passaredo é a companhia que está sendo mais atacada pela Webjet após essa mudança de rumo pois tem sua base em Ribeirão Preto de onde parte a maioria de seus voos (E é onde a Webjet instalou novos voos) e agora sendo atacada em Goiânia no voo novo da companhia ligando Porto Alegre a Goiânia. A preocupação é: Até dois meses atrás não tinha nenhum voo entre essas duas cidades, agora, a partir de março terão 3 voos, será que terá demanda suficiente para manter e dar lucro para as companhias nesta rota?

Queremos mais opções, concorrência e preços baixos porém não gostaríamos de ver companhias perdendo espaço e deixando de operar na cidade, mas esse é o mercado atual. Vida longa a Webjet em Goiânia e o GYN Online deseja todo sucesso a companhia.

Fonte: Gyn Online

http://www.gynonline.net.br/2011/01/...ntrada-da.html

12 de janeiro de 2011

Fernanda Brum e Bruna Karla em Goiânia


Data: 11/02/2011
Hora: 20h.
Local: Ginásio Internacional Goiânia Arena

Atrações
- Show com Fernanda Brum e Bruna Karla

Ingressos:
Inteira R$ 40,00
Meia R$ 20,00

1/2 de alimento ou carteira de estudande

Área Vip R$ 35,00

50% do lucro, será revertido as casas de recuperação ligadas a ASSOASGO
Pontos de venda

Outras Informações

* Telefones: (62) 8414-2494 / 8440-8657 / 9103-4842 / 3224-0668
* Classificação: Em breve
* Valores dos ingressos sujeitos à alteração sem aviso prévio.

Shawnee Taylor em Goiânia - Acqua Internacional


Data: 13/1/2011
local: Acqua Lounge & Club
Telefone: (62) 3274-3086
Site: www.clubacqua.com

Performing "Live Your Life" Erick Morillo

22h

Atração Internacional:
- Shawnee Taylor (U.S.A)
- DJ Michel Palazzo

Cortesias:
- Tribo
- Acqua
- Meiji

Endereço:
Rua T-55 com T-27 - Setor Bueno.


Nascida em Los Angeles, mas criada em New York, Shawnee tem a musica nas veias e no coração. Criada por músicos, desde os 16 anos de idade seu talento já estava reconhecido.

Shawnee Taylor é cantora de vários sucessos da música eletrônica mundial. Formando trio com Erick Morillo e Eddie Thoneick ela é responsável pelo maior hit do verão europeu Live Your Life. Taylor é interprete oficial dos principais hits de Erick Morillo, Roger Sanchez, Todd Terry, Richard Grey, Harry Choo Choo Romero, Jose Nunez, Sandy Rivera, Greg Cerrone e muito mais.

Dona de uma voz incrível e carisma inigualável Shawnee Taylor é nossa convidada especial nesta noite de quinta feira

Tour Completo no Brasil:

03/01 - Florianópolis
08/01 - Guaratuba
13/01 - Goiânia
14/01 - São Paulo
15/01 - São Paulo