31 de julho de 2010

Chiclete com Banana, Guilherme e Santiago em Gyn (Goiânia Folia 2010)


Data: 26/09/2010 -
Local: Estacionamento do Flamboyant Shopping

Neste Domingo - Evento 100% Abadá!

Horário: 15h.

Atrações no Trio-Elétrico:
- Guilherme & Santiago *Gravação do novo DVD
- Chiclete com Banana

Line Up:
- Crossover feat. Junior Lima

Participações Especiais:
- Enzo & Henrique
- Marcos Mafra

Valores Área VIP:
Masculino - R$ 50,00
Feminino - R$ 45,00

Valores Extra VIP:
Masculino - R$ 90,00
Feminino - R$ 70,00
* incluso cerveja, refrigerante e água.

Valores Camarote:
Masculino - R$ 130,00
Feminino - R$ 90,00
* incluso whisky, vodka, cerveja, refrigerante, água e suco.

- Todos os valores acima são promocionais e de 2º Lote.
- Os valores são referentes à meia-entrada e podem sofrer alteração sem aviso prévio.

Postos de Venda Goiânia:
- Trupe do Açaí
(62) 3945-5566

Postos de Venda Anápolis:
- Super X
- Nobel Square
(62) 3098-7666

Postos de Venda Brasília:
- Fest Tour
(61) 3223-0493
- Aloha Eventos
(61) 3201-1221

Vendas On Line:
www.iupex.com
(cartões Visa e Master)

Realização:
- Up Music
- Nobel
- Rafael Carvalho Produções

Entrega dos Abadas: Faculdade Araguaia (12:00 as 20:00)


30 de julho de 2010

Parangolé em Goiânia - Atlanta Music Hall


Data: 03/09/2010
Local: Atlanta Music Hall
Telefone: 62 - 3257 7000

É o Rebolation

Show:
- Parangolé

Evento Cancelado!

AMOB Lança Programa Calçada Ecológica

Além de mudar o visual das vias públicas, as obras desse programa tornarão as calçadas transitáveis para qualquer pedestre e facilitarão a absorção e escoamento das águas da chuva.

A Agência Municipal de Obras (Amob) revitaliza mais um patrimônio público em Goiânia por meio do Programa Calçada Permeável e Acessível a Todos.

A primeira calçada acessível e permeável foi implantada nas dependências da própria AMOB, onde a calçada, que antes era usada como estacionamento de veículo e era de difícil acesso, agora é destinada a todos os pedestre.

Além de mudar o visual das vias públicas, as obras desse programa tornarão as calçadas transitáveis para qualquer pedestre (crianças, velhos, adultos, portadores de mobilidade reduzida, etc) e facilitarão a absorção e escoamento das águas da chuva.

As engenheiras da Amob, Valéria Vasconcelos e Matilde Melo, relatam que absorção da água da chuva pelo solo contribui para a redução das incidências de alagamento, abastece o lençol freático e reduz os gastos públicos com a instalação de galerias de água pluvial. Ainda segundo elas, no projeto da calçada permeável são incluídas construções de dispositivos que melhoram a absorção da água da chuva no solo, como, por exemplo, as valas e os poços de infiltração.

Segundo o presidente da Amob, Francisco Almeida, os gastos com a implantação de galerias de águas pluviais na cidade de Goiânia podem chegar a R$1.529,00 o metro. “O objetivo principal do projeto Calçada Permeável e Acessível a todos é favorecer o aumento da capacidade de absorção de água pelo solo e permitir a acessibilidade dos pedestres às calçadas, retirando degraus, entulhos e lixos, contribuindo para uma cidade sustentável”, relata o presidente.

O projeto teve início após alguns trabalhos desenvolvido pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Goiás (CREA-GO) para tornar as calçadas acessíveis aos portadores de mobilidade reduzida. A abrangência do projeto expandiu e agora o projeto também será usado como referência em uma cartilha a ser apresentada à sociedade goianiense com o objetivo de ensinar a população a construir calçadas acessíveis e permeáveis.

Dessa forma, com a continuidade desse projeto, a cidade de Goiânia ficará mais agradável visualmente, permitirá melhoria ao tráfego dos pedestres, e contribuirá para uma cidade sustentável.

A inauguração da primeira calçada desse projeto será realizada no próximo dia 03, nas dependências da AMOB, e contará com a presença do prefeito de Goiânia, Dr. Paulo Garcia.

Reportagem: Gilson Alves
Fonte: Prefeitura de Goiânia
Foto: Dilvigação

Goiás recebe R$ 631 mi do FCO este Ano

Recursos foram aplicados em empreendimentos produtivos no Estado, com criação de mais de 72 mil empregos, segundo a Seplan

Goiás recebeu este ano mais de R$ 631 milhões do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). Os recursos foram aplicados em empreendimentos produtivos no Estado de Goiás entre janeiro e junho, com geração de mais de 72 mil empregos.

Foram realizadas 15.761 contratações, das quais cerca de 15 mil destinadas ao financiamento de empresas e produtores rurais de mini e pequeno porte.

Em toda a Região Centro-Oeste já foram investidos R$ 1,8 bilhão. A previsão do Banco do Brasil é chegar ao final de 2010 com mais de R$ 3 bilhões do FCO disponíveis para aplicação no setor produtivo.

O relatório de informações gerenciais foi divulgado durante a 213ª reunião ordinária do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE/FCO), realizada ontem na Secretaria da Fazenda de Goiás.

Cartas-consulta

Foram aprovadas 247 cartas-consulta, no valor de R$ 107,4 milhões, dos quais R$ 65,3 milhões para investimentos no setor rural e R$ 42 milhões para o setor empresarial, com geração prevista de 897 empregos diretos.

Entre os beneficiados estão a Cabral Empreendimentos Hoteleiros e Turísticos e Incorporadora de Goiânia, com empréstimo de R$ 7,3 milhões; a Fricó Indústria e Comércio de Alimentos, em Trindade, com financiamento de R$ 7 milhões; e a TV Luziânia Ltda, com R$ 4 milhões.

Representantes dos grupos empresariais Laticínios Bela Vista (Leite Piracanjuba), Curinga Veículos, em Catalão e Nutriza Alimentos, em Pires do Rio, apresentaram projetos que aguardam análise para liberação de recursos do FCO.

Condel

O CDE/FCO deliberou sobre a posição do Estado de Goiás em relação a diversas proposições que serão analisadas na próxima reunião do Conselho Deliberativo do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (Condel/FCO), dia 0, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

Entre as propostas estão a ampliação do limite financiável para aquisição de insumos, formação de estoques e capital de giro associado, aberturas a novos financiamentos nos setores de saúde e educação, ampliação do limite e do teto para assistência aos mini, micro e pequenos tomadores de financiamento de custeio do FCO Rural.

Outro item da pauta da reunião é a realização de estudos para subsidiar estratégias de atuação dos agentes da cadeia produtiva da carne bovina e subprodutos.

Fonte: O Popular

Ninguém quer concluir o Oscar Niemeyer



Certamente não deve ocorrer este ano a inauguração definitiva do Centro Cultural Oscar Niemeyer, cujas obras serão atrasadas novamente. Desta vez, o problema é que não houve empreiteiras interessadas na licitação para a conclusão dos trabalhos no local. Especialistas ouvidos pelo POPULAR apontam o baixo valor orçado como um dos principais fatores que provocaram o desinteresse.

Em abril deste ano, depois de protestos do movimento Rock pelo Niemeyer, que pede a conclusão das obras do centro, o então secretário da Fazenda, Jorcelino Braga, prometeu que as obras seriam entregues no dia 6 de julho. Contudo, na época prevista para a inauguração definitiva do local, apenas o edital para a finalização do complexo cultural havia sido publicado.

Na segunda-feira, dia para entrega da documentação de possíveis concorrentes para a licitação, nenhuma empresa compareceu à Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop). De acordo com o próprio órgão, a inexistência de interessados em licitações públicas é um fenômeno incomum. Por isso, a assessoria de planejamento deverá reavaliar o edital publicado e fazer as modificações necessárias para tornar a concorrência mais atrativa. Prazos não foram estipulados.

Engenheiros ouvidos pela reportagem explicaram que o baixo valor orçado pela Agetop pode ter sido um fator que contribuiu para a falta de procura. O valor atribuído pela agência aos serviços que ainda precisam ser feitos é de cerca de R$ 2,1 milhões. Em abril, o secretário da Fazenda havia estimado esse valor em R$ 3,5 milhões. Empreiteiras indicam que o preço pode chegar a R$ 10 milhões - cinco vezes mais que o previsto.

A Agetop reconhece que o valor que seria pago pode ter contribuído para a desistência de empreiteiras e por isso vai rever os orçamentos feitos em junho. No entanto, a assessoria de imprensa do órgão ressaltou que o levantamento feito por técnicos da agência é composto de valores praticados no mercado. Por causa disso, como não há data para o lançamento do novo edital, e as obras podem durar até 90 dias, deve fi car para o próximo governador a tarefa de finalizar o centro cultural.

A falta de um detalhamento mais específico sobre as reais condições estruturais do centro cultural é outro ponto que provocou desinteresse. “Quem assumir a obra tem que dar todas as garantias de finalização dos reparos no espaço do centro”, avaliou um dos engenheiros ouvidos pelo POPULAR. Sem esses dados, fica difícil prever quanto se vai gastar, concluiu.

Entre possíveis problemas que não são relatados e que podem ser encontrados pela empreiteira que ganhar a nova licitação estão a tubulação ressecada, problema com a impermeabilização de lajes e grandes fissuras provocadas pela exposição ao tempo e falta de manutenção. Dificuldades que já foram apontados este ano em um relatório realizado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Para resolver o impasse, a proposta é de que a nova licitação não seja feita pelo regime de preço global. O ideal é que cada prédio seja licitado separadamente para facilitar a previsão de gastos, disseram os especialistas. No início de março, o POPULAR publicou reportagem em que o diretor presidente da Warre Engenharia, empresa responsável pela obra do Centro Cultural Oscar Niemeyer até agora, Paulo Daher, condenou a recomendação do TCE para abertura de nova licitação e considerou a hipótese “temerária”.

Na época, Daher explicou que a construtora iria assumir toda a responsabilidade contratual para realização dos reparos apontados pela Divisão de Fiscalização do TCE. No início de julho, a assessoria de imprensa da Agetop informou que empregados da empreiteira concluíam os trabalhos previstos pelo tribunal.

Fonte: Goiásnet

29 de julho de 2010

Suzuki vai instalar fábrica em Goiás



Montadora deve anunciar o local da unidade até setembro. Catalão, Itumbiara e Caldas Novas pleiteiam empresa

A Suzuki Veículos do Brasil (SVB) deve anunciar até setembro a localização de sua fábrica no Estado de Goiás. Catalão, Caldas Novas e Itumbiara são as cidades que pleiteiam a sede da unidade. No entanto, o grupo Souza Ramos, responsável pela concessão da fábrica, ainda discute com a matriz a vinda da empresa para o Brasil. Não há ainda informações oficiais sobre a chegada da empresa.

Catalão sai na frente das demais localidades em função de já ser a sede da importadora da marca, responsável pela nacionalização dos carros que chegam ao País. Por já existir uma atividade na região, o secretário da Indústria e Comércio da cidade, Nilson João, acredita que as chances de o município sediar uma nova fábrica automotiva nos próximos anos são grandes.

O prefeito Velomar Rios (PMDB) é mais reticente em relação ao assunto. O chefe do Poder Executivo alega que na última reunião que teve com o empresário Eduardo Souza Ramos, proprietário do grupo concessionário, foi informado que ainda não havia nenhum contrato de linha de montagem com a Suzuki e que só depois se decidiria o local.

Segundo a assessoria da SVB, estão sendo realizados estudos de viabilidade da empresa, tanto em relação à fábrica em si, quanto à cidade-sede. Com estes estudos, o prazo para a divulgação do empreendimento foi prorrogado do final deste mês para setembro ou ainda em outubro, quando serão tornados públicos a capacidade, o investimento na unidade e a sede.

“Nunca manifestaram nada sobre o assunto”, destacou o prefeito, reforçando crer que o anúncio da fábrica pode ser adiado para o próximo ano, em função das eleições de outubro. “Pode ser que as negociações com a matriz ainda demorem, não sabemos”, completou. O anúncio para os próximos dias é esperado em função da própria empresa ter marcado para esta data a publicação da cidade-sede da fábrica.

No município, a atuação da SVB é de receber os automóveis via Espírito Santo, nacionalizá-los e comercializá-los para o restante do País. Velomar Rios salienta ainda que a Suzuki age em Catalão atualmente com o mesmo processo utilizado pela Mitsubishi na cidade, cuja concessão também é do grupo Souza Ramos e que possui fábrica na cidade há 12 anos.

MITSUBISHI
Para os próximos cinco anos, a Mitsubishi Motors do Brasil investirá R$ 800 milhões na unidade de Catalão. A ampliação da fábrica conta com a construção de mais 32 mil metros quadrados que receberá as novas linhas, incluindo uma nova na área de pintura. A expectativa é de aumentar a capacidade produtiva para 100 mil veículos anuais, o dobro da atual.

A fábrica possui 14 mil metros quadrados de área construída. No início, em 1998, a produção era de 1,2 mil carros e possuía 300 funcionários. Hoje, 3,2 mil pessoas trabalham na Mitsubishi de Catalão, número que deve chegar a 4 mil a partir de 2011, com a ampliação. Calcula-se que 80% dos funcionários são da própria região.

O prefeito Velomar Rios enfatiza que a grande importância de ampliar a fábrica é mesmo a duplicação da capacidade da produção. “Isto vai elevar o número de empregos, ajuda em muito no nosso PIB e aumenta o dinheiro em circulação na cidade”, argumenta. Além de produzir mais carros Pajero TR4 e Sport, a linha Pajero deverá ser fechada em 2011 com a montagem do Dakar.

Elétricos
Ainda existe a expectativa da produção de veículos do tipo Lancer e também de carros elétricos até 2015, com a ampliação. Já este ano ocorre a construção física das novas linhas de montagem na fábrica e o maior gargalo continua sendo a capacitação da mão de obra. “Mas, se nós temos este problema, imagina outras cidades que ainda caminham na produção de automóveis”, analisa o secretário Nilson João.

O secretário pontua que todas as entidades do sistema “S” estão em Catalão, sendo responsáveis pela qualificação da mão de obra na região. Além disso, a prefeitura realiza o Programa de Capacitação Profissional, que já formou 900 jovens para trabalhar nas indústrias da cidade. “Aqui temos o Senai, Senac, Senar... Podemos realizar a profissionalização com eficácia”, garante.

Velomar Rios afirma que atualmente há uma grande procura de capacitação profissional por parte dos jovens catalanos e isso reflete a expectativa das pessoas em trabalhar na indústria automotiva. “Não tenho dúvidas de que somos o polo automobilístico do Estado de Goiás e um dos maiores do País, mesmo que Anápolis seja sede da Hyundai, com o Grupo Caoa”, determina.

O Grupo Souza Ramos, que administra a Mitsubishi em Catalão, atua por meio da empresa MMCB, que é importadora, distribuidora e produtora da marca desde 1990. Catalão é a quarta maior cidade arrecadadora de ICMS do Estado e possui o quinto maior PIB. Segundo Nilson João, o produto interno bruto do município é cerca de 50% de responsabilidade da fábrica de automóveis. Além disso, a cidade ainda é sede da unidade de colheitadeiras da John Deere.

Fonte: Diário da Manhã

28 de julho de 2010

Prefeitura Libera Trecho da Avenida Leste - Oeste



Obra foi realizada em conjunto entre a Agência Municipal de Obras, Agência Municipal de Trânsito Transporte e Mobilidade (AMT) e a Companhia Municipal de Urbanização de Goiânia (Comurg).

A Prefeitura de Goiânia comunica a liberação do trânsito, nesta próxima sexta-feira, 30, às 19h30, do trecho da Avenida Leste-Oeste, entre as avenidas Anhanguera e Castelo Branco.

A obra foi realizada em conjunto entre a Agência Municipal de Obras, Agência Municipal de Trânsito Transporte e Mobilidade (AMT) e a Companhia Municipal de Urbanização de Goiânia (Comurg).

O trecho, de 360 metros de extensão, possui 5.400 m² de pavimentação asfáltica e recebeu dois semáforos e moderna iluminação. O custo final da obra ficou em R$550mil.

Reportagem: Diretoria de Jornalismo
Fonte: Prefeitura de Goiânia

Prefeitura Anuncia Concurso na Área de Educação


Serão disponibilizadas 2.159 vagas, sendo 1.450 para pedagogos, 59 para professores de inglês, 17 para área de artes, 25 para matemática e 603 para auxiliar de atividades educativas.

A Prefeitura de Goiânia, por meio da secretária municipal de Educação, Márcia Carvalho, e do secretário municipal de Administração, Edson Araújo, anunciou hoje pela manhã a realização de concurso público para a Educação.

As inscrições terão início no dia 10 de agosto e vão até 12 de setembro. As provas ocorrerão no dia 7 de novembro em etapa única, com testes objetivos e de redação, ambos com caráter eliminatório e classificatório a serem realizados no mesmo dia e local. As provas examinarão conhecimentos específicos em cada de área de atuação.

Serão disponibilizadas 2.159 vagas, sendo 1.450 para pedagogos, 59 para professores de inglês, 17 para área de artes, 25 para matemática e 603 para auxiliar de atividades educativas. Os candidatos aprovados irão atuar nas modalidades de Educação Infantil e Educação Fundamental.

A Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos disponibilizará o conteúdo do edital e outras informações sobre o concurso a partir de amanhã nos sites www.sme.concurso.goiania.go.gov.br e www.cs.ufg.br.

Outros concursos
Na atual administração, foram convocados 6,7 mil profissionais da área de educação e servidores de carreira administrativa, sendo 1.336 referentes ao concurso de 2002 e 5.375 ao concurso de 2007/2008. A Rede Municipal de Educação possui um total de 12.655 servidores efetivos, sendo 7.299 professores e 5.356 servidores administrativos, os demais correspondem aos celetistas, guardas municipais e comissionados.

Além de atender a demanda quantitativa por recursos humanos, a Secretaria Municipal de Educação mantém o Centro de Formação dos Profissionais da Educação(CEFPE) responsável pela formação continuada de servidores que atuam na área educacional e administrativa. Entre 2005 e 2009, foram realizadas 230 ações formativas, com 23 mil concluintes. As ações visam elevar cada vez mais o nível de atendimento aos alunos.

Durante o ano letivo, ocorrem seminários, fóruns de discussão e debates, cursos, congressos, palestras e jornadas pedagógicas, com a participação de estudiosos e profissionais de destaque em todo o país. As formações são propostas a partir da demanda das unidades educacionais e atendem a Educação Infantil, Educação Fundamental e Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos(Eaja). Para 2010, estão previstas 4,5 vagas.

Serviço:
Assunto: Concurso Público
Informações: 0800 646 0156 / 3524 2535 / 3524 5054

Reportagem: Assessoria de Comunicação da SME
Fonte: Prefeitura de Goiânia

Agencia de Transito Implanta Corredor T-51


A obra tem a parceria da Amob e inclui alterações em cruzamentos e instalação de semáforos.

A Agência Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (AMT), em conjunto com a Agência Municipal de Obras (AMOB), iniciou hoje (terça-feira, 27/07) alterações no cruzamento das vias: Av. Mutirão X Av. Portugal X T-52, Setor Bueno, para implantação do corredor T-52. Também serão instalados três semáforos no novo corredor, nos cruzamentos com a Av. Mutirão, AV. T-1 e Av. T-2.

No cruzamento da Av. Mutirão com Av. Portugal (em frente à Associação Médica de Goiás), está sendo implantada uma canalização de tráfego e um dos semáforos citados. Esta obra faz parte do Plano de Melhorias de Trânsito, em implantação na capital, e servirá para possibilitar aos condutores de veículos o looping de quadra partindo da Av. T9, sentido leste-sudoeste.

Segundo o chefe da Divisão de Planejamento e Controle de Tráfego da AMT, engenheiro Marcelo Pontes, o corredor da T-52 servirá de suporte à Av. T-9. “O novo corredor vai melhorar significativamente a fluidez e a segurança da malha viária local. Trará ainda um novo geometria aos cruzamentos contemplados, orientando tanto a circulação de veículos quanto a de pedestres”, destaca.

Reportagem: Janaína Gomes
Fonte: Prefeitura de Goiânia

25 de julho de 2010

Decisão sobre Eixo Anhanguera ficará para Próximo Governador


Metrobus quer prorrogar concessão por mais 20 anos. Câmara julgará pedido depois das eleições

Carla Borges

A decisão sobre a prorrogação da concessão do Eixo Anhanguera e os consequentes investimentos de aproximadamente R$ 200 milhões que precisam ser feitos na linha deve ficar para o próximo governador do Estado, que será eleito em outubro. A Metrobus, empresa estatal que detém a concessão, pediu sua prorrogação por mais 20 anos, mas a proposta está parada desde o ano passado na Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo da Região Metropolitana de Goiânia (CDTC/RMG), esperando um acerto entre o governador Alcides Rodrigues e o prefeito Paulo Garcia (inicialmente era entre Alcides e Iris Rezende).

Ontem, o presidente da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC), Marcos Massad, e o diretor de Operações da Metrobus, Luciano Leão, admitiram ao POPULAR que a decisão deve ser do próximo governador, apesar de o contrato em vigência vencer no dia 31 de dezembro deste ano. O presidente da CDTC e secretário estadual de Cidades, Paulo Gonçalves, garante que a decisão sairá ainda neste ano, mas confirma que ela só deve ser tomada depois das eleições. "Para não misturar política com uma coisa técnica", justifica Gonçalves.
Na hipótese de a concessão vencer e não haver uma definição, Marcos Massad adianta que a linha poderá voltar temporariamente para a responsabilidade do Município. "Se isso acontecer, a CMTC assume e depois faz a licitação, ou prorroga a concessão, caso o próximo governador tenha interesse", explica o presidente da CMTC, acrescentando que para haver a prorrogação, o Estado tem de apresentar garantias de que fará os investimentos necessários, principalmente para renovação da frota - hoje mais de 90% dos ônibus têm mais de dez anos de uso - e reformas e adequações dos terminais de passageiros do Eixo Anhanguera.

"A CMTC não renova a concessão nem por um dia se não houver os investimentos necessários", assevera Massad. Ele garante que não há interesse da Prefeitura de Goiânia em licitar a linha, abrindo-a para empresas privadas. "Entendemos que o governo do Estado tem de subsidiar mesmo, somos contra a privatização da linha e o benefício é bem-vindo, mas não abriremos mão dos investimentos que devem ser feitos". O cálculo de R$ 200 milhões contempla a troca da frota atual, de 120 ônibus mais 12 de reserva, e reformas dos terminais, sem o prolongamento do Eixo Anhanguera, como previsto em projeto.

O diretor de Operações da Metrobus reconhece que tanto o pedido apresentado à CDTC quanto os investimentos da empresa estão parados. "A decisão sobre a prorrogação será do próximo governador", diz. "Ficamos na expectativa de uma decisão política, acertada entre o governador e o prefeito de Goiânia, que ainda não foi anunciada", afirma Luciano Leão.

Ele lembra que a Metrobus fez investimentos nas plataformas de passageiros do Eixo Anhanguera e na reforma dos terminais do Jardim Novo Mundo, da Praça A e do Dergo. O próximo seria o da Praça da Bíblia, mas, como a intervenção é maior - orçada em R$ 800 mil - foi necessário fazer licitação e o processo está na Secretaria da Fazenda aguardando um parecer.

Presidente


O secretário estadual de Cidades e presidente da CDTC, Paulo Gonçalves, afirma que é preciso apreciar o pedido da Metrobus de prorrogação da concessão antes do fim do ano, quando ela vence. "De qualquer forma, temos de julgar esse requerimento, é uma questão legal", explica. "Antes do final do ano teremos a solução", assevera.


A possibilidade é de que a decisão da Câmara seja anunciada no mês de novembro. "Não queremos que nenhum candidato tire proveito nem que haja qualquer tipo de interferência, porque a decisão será técnica", justifica Gonçalves. Falta também a escolha do novo presidente da Metrobus. O cargo está vago desde a saída de Francisco Gedda, que deve disputar a eleição para deputado.

O Eixo Anhanguera é a maior linha de Goiânia, com 13,5 quilômetros. Diariamente recebe 180 mil passageiros, que contam com subsídio de 50% no valor da passagem. Ele conta com 5 terminais e 107 ônibus, sendo 5 biarticulados. Do total de veículos que atende o Eixão, 96 precisam ser substituídos por terem mais de 10 anos e 40 novos precisam ser adquiridos caso haja extensão da linha até o Conjunto Vera Cruz, a Vila Mutirão e o Jardim das Oliveiras, em Senador Canedo.

NA HISTÓRIA

Indefinição se arrasta

A resposta ao pedido da Metrobus de prorrogação da concessão do Eixo Anhanguera por 20 anos era esperada para maio, quando o prefeito Paulo Garcia e o governador Alcides Rodrigues anunciariam um pacote conjunto para trânsito e transporte coletivo. Ele foi anunciado em maio, com a promessa de criação de corredores preferenciais para ônibus, mas nada que com efeito direto sobre o eixo. No dia 10 de maio, véspera da reunião da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo em que seria votada a decisão, o governador e o prefeito se reuniram. No dia seguinte, a CDTC anunciou que adiaria a decisão por mais 30 dias, para que o prefeito e o governador discutissem melhor. A discussão se arrasta desde 2007, quando a Prefeitura fez licitação para as demais linhas de Goiânia e deixou o eixo de fora, a pedido do governador, que tinha interesse em prorrogar a concessão.

Fonte: O Popular
Imagem: Wallacepinheiro

23 de julho de 2010

NX Zero e Tulio Dek em Goiânia

Data: 04/09/2010
Local: Sol Music Hall - Clube Jaó

A banda perfeita, o rapper mais comentado do Brasil, um público que irá transformar este no evento mais esperado do ano!

Horário do Show: 19h.

Abertura dos Portões: 17h.

Show com:
- Banda NX Zero
- DJ Túlio Dek

Abertura:
- Banda Rei Otto

"Um show com sucesso garantido".

DJ's Convidados!

- Valor acima é referente a meia entrada e de valor promocional de 1º Lote.

Ingressos:

Pista:
- R$ 25,00 Meia
- R$ 50,00 Inteira

Área Vip:
Valor promocional: R$ 60,00
*Open Bar: Água, refrigerante e pizza.

Camarote Burn
Valor promocional: R$ 80,00
*Open Bar: Água, refrigerante, cerveja e pizza.

Postos de Venda:
- Tribo do Açaí
- Idarrô (em frente Shopping Buena Vista)
- Subway
- Sol Music Hall

Reta Lee em Goiânia

Data: 21/08
Local: Sol Music Hall - Clube Jaó
22:00H - Sábado

A eterna rainha do Rock em seu novo show "ETC!!!" cantando seus grandes sucessos.

Horário: 22h.

Valor Área VIP:
Pista - R$ 60,00
*valor acima referente a meia entrada e 2º lote.
* valor promocional.
* localização: fundo.

Valor Camarote VIP:
Open Bar - R$ 90,00
* incluso vodka, cerveja, refrigerante e água.
* valor promocional de 2º lote.
* localização: em frente ao palco.

Warm Up:
- DJ Negão

Mesas com Buffet Completo:
Para 4 pessoas - R$ 500,00
* incluso vodka, cerveja, refrigerante, água e buffet de pizzas.
* localização: em frente ao palco.
* valor promocional de 2º lote.

Postos de Venda Goiânia:
- Trupe do Açaí
(62) 3945-5566
(62) 3092-4595
- Sol Music Hall
(62) 3269-8086
- Emporio ST
(62) 3281-3827
- Ivana Menezes
(62) 3278-2888
- Officina Grill
(62) 3093-6868
- Tele Entrega GYN
(62) 9978-9395

Postos de Venda Anapolis:
- Super X
(62) 3324-2717

Postos de Venda Brasilia:
- Fest Tour
www.festtour.com.br
(61) 3223-0493
- Tele Entrega BSB
(61) 9637-5903

Posto de Venda a Cartão:
- Rafael Carvalho Eventos
(62) 3087-8207
Av. T-3 c/ Av. T-10, Nº 2.673, Galeria Pátio do Lago - Setor Bueno (em frente ao Parque Vaca Brava).

Vendas On Line:
www.iupex.com.br
(cartões Visa e Master)

Maiores informações pelo site oficial.

Organização:
- Rafael Carvalho Eventos
- Grupo Up Music


Cidades à espreita para Copa do Mundo de 2014



Atrasos nas sedes levam outras postulantes a aguardarem chance de receber o próximo Mundial.

Daniel Leal RIO DE JANEIRO
Leo Burlá RIO DE JANEIRO

Enquanto algumas cidades-sede da Copa-2014 ainda veem no papel suas obras de infraestrutura e de estádios, outras preteridas aguardam uma oportunidade. São os casos, por exemplo, de Belém e Goiânia, que levaram adiante alguns de seus projetos de modernização apresentados à Fifa. Mesmo entendendo se tratar de situação improvável, ambas se dizem prontas caso haja inclusão de última hora.

Segundo apurou a reportagem do LANCE!, o Comitê Organizador Local (COL) está disposto a fazer mudanças nas sedes caso os atrasos persistam. Inclusive, a vistoria feita nas 12 cidades anfitriãs em maio serviu para dar maior respaldo a uma possível alteração.

– Essas especulações só servem para gastar tinta de jornais – rechaçou o ministro do Esporte, Orlando Silva, ao ser perguntado sobre uma possível inclusão de Goiânia.

O governo do Pará não esconde a decepção por Belém não ter sido escolhida. Porém, decidiu seguir o cronograma de ações previsto para a cidade. Em maio, inaugurou a primeira obra de seu projeto de mobilidade: um complexo viário na via que dá acesso ao Estádio do Mangueirão. O custo estimado foi de R$ 131 milhões.

No último ano, também cresceu a oferta de hospedagem, com o lançamento de cinco novos hotéis. Já o aeroporto local está próximo da capacidade exigida pela Fifa.

Goiânia manteve algumas intervenções previstas à época da candidatura.Oanel viário está em curso, há viadutos sendo licitados e placas bilíngues de sinalização vão substituindo as atuais. Governo e prefeitura discutem também a possibilidade da implantação de um Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

– Caso cortem uma das sedes, tenho convicção de que Goiânia pode estar – disse Euler Morais, secretário municipal de Turismo.

Ambas as arenas têm projetos dentro das exigências da Fifa. O Mangueirão é coberto e possui amplo estacionamento. O estádio seria reformado através de Parceria Público-Privada (PPP) – quatro consórcios se interessaram. O Serra Dourada pode ser reformado mesmo sem Mundial. Um grupo espanhol procurou o governo disposto a assumir o custo das obras, estimado em R$ 200 milhões.

Fonte: Msn Esporte

Metrô vira alvo de disputa e críticas


Promessa de obra feita por Serra reabre discussão sobre viabilidade e impacto de intervenção na capital

A passagem do presidenciável José Serra (PSDB) por Goiás na terça-feira reacendeu o antigo debate sobre a implantação de um metrô em Goiânia. Tema que já rendeu acaloradas discussões em outras campanhas, a promessa do tucano de levar adiante a obra, caso eleito, abriu espaço para propostas e críticas dos adversários do PSDB goiano.

O candidato a governador do PMDB, Iris Rezende, pegou carona nas declarações de José Serra para alfinetar o PSDB e afirmar que vai implantar metrô na capital, caso eleito. "Eu vi ontem (anteontem) o candidato a presidente José Serra falando de metrô. Acho que ele falou porque o PSDB de Goiás ficou desmoralizado, porque eles vêm há 12 anos falando de metrô e nunca levantaram uma palha", afirmou Iris em entrevista ontem durante evento de campanha em Campinas.

"Tanto é que ele (Serra) nem deixou que os candidatos do PSDB no Estado falassem, puseram ele para falar porque ele nunca tinha se virado para isso", ironizou o candidato peemedebista. "Mas quem vai construir metrô aqui é o PMDB, o PC do B e o PT (partidos que compõem a coligação irista), por que nós vamos assumir (a proposta) e o povo sabe que o governo, nas nossas mãos, realiza."

Iris se referia ao fato do candidato a governador do PSDB, Marconi Perillo, ter prometido executar a obra durante seus mandatos como governador (1999 a 2006). O tucano chegou a viajar para a Espanha para conhecer modelos adotados no país, mas não conseguiu captar o financiamento necessário para a execução do projeto, que acabou engavetado.

A necessidade de recursos de fora deve-se ao alto valor de uma obra deste porte. A estimativa é de que um metrô de superfície em Goiânia, modelo considerado mais viável para a cidade, fique em torno de 700 milhões de dólares, valor que o Estado e o município não teriam como bancar sozinhos. A perspectiva é de que seria utilizado um modelo chamado VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) na Avenida Anhanguera, onde hoje circula o Eixão. A construção de um metrô subterrâneo em Goiânia é praticamente descartada pelos especialistas devido à complexidade e ao elevado valor da obra.

Serra afirmou em evento na Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg) que era uma "barbaridade" Goiânia ainda não contar com um metrô e disse que era o momento de discutir o projeto. "O metrô agora é mais barato pelo tamanho da cidade. Já é grande (Goiânia), mas não é uma São Paulo ou Rio de Janeiro, que aí tudo encarece mais", justificou.

O presidenciável disse que o senador Marconi Perillo fez sua parte ao elaborar um projeto quando era governador e culpou o governo federal pela obra nunca ter saído do papel, ainda que a proposta tenha ressurgido quando o PSDB governava o País. Posteriormente, em entrevista ao POPULAR, o tucano disse que é possível reunir recursos das esferas federal, estadual e municipal, além da iniciativa privada e financiamentos internacionais, para executar a obra.

Discussão

O metrô foi um dos pontos mais polêmicos da disputa pela Prefeitura de Goiânia em 2008, quando o candidato do PP, Sandes Júnior, a colocou como sua principal plataforma de campanha. Iris, que disputava a reeleição, criticou o fato de Sandes prometer entregar o metrô em quatro anos.


Disse que o prazo era "irresponsável", devido à imprevisibilidade da liberação dos recursos internacionais necessários para iniciar a obra e o fato de não haver nem projeto. O peemedebista, no entanto, citou em entrevistas e colocou em seu plano de governo a proposta de formar naprefeitura um grupo de estudiosos para elaborarem um estudo sobre o melhor modelo de metrô para Goiânia e deixarem um pré-projeto pronto. Mas a ideia não prosperou.

Iris, segundo auxiliares, chegou a participar de duas reuniões com grupos empresariais da área para conhecer projetos de metrô e discutir alternativas para a capital. Mas a perspectiva de deixar a Prefeitura para disputar o governo, justificam aliados, fez com que não levasse adiante o projeto. A tendência agora é de que a proposta integre do plano de governo do PMDB.

Vanderlan e Paulo dizem já ter projetos
O candidato a governador do PR, Vanderlan Cardoso, também entrou no debate sobre o metrô de Goiânia e prometeu ontem, se eleito, investir no modelo de transporte. "Temos duas propostas em estudo - o Veículo Leve sobre Trilhos e o Monotrilho Suspenso. Contratamos uma empresa japonesa para nos fornecer orçamento e uma ideia do projeto", contou o republicano.

Vanderlan acredita que o Monotrilho Suspenso seria uma opção mais adequada para a cidade por passar por cima dos cruzamentos, ao contrário do VLT, que iria interferir no trânsito. "A discussão sobre o metrô deve iniciar de imediato porque Goiás já está ficando para trás nesta questão. Não há como esperar", disse o candidato. "Contratamos uma empresa japonesa para nos fornecer o orçamento e uma ideia do projeto."

O candidato defendeu que a discussão sobre o metrô tem de ser iniciada imediatamente e disse que Goiás está ficando para trás nesta questão. "Não há como esperar, temos de investir nesse debate e buscar parcerias. Podemos arrumar recursos estrangeiros, com o governo do Japão, por exemplo ."

Mas não são apenas os governadoriáveis que estão de olho na implantação do metrô. O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), aliado de Iris Rezende, disse que mantém reuniões com empresários interessados no projeto. "Recebi um grupo coreano e um espanhol e tenho conversado com o Bird sobre o metrô. Estamos tocando o projeto", contou o prefeito.

O petista também aproveitou para criticar os tucanos. "Mas não fazemos igual eles (PSDB), que já prometeram metrô várias vezes e até hoje não entregaram nada. Só vamos anunciar no dia que formos fazer", disse. "Pelo jeito o Serra esqueceu que eles foram governo, aqui e em Brasília, por vários anos", ironizou.

Fonte: O Popular

22 de julho de 2010

Quem vai construir o metrô é o PMDB


O candidato da coligação Goiás Rumo ao Futuro, Iris Rezende (PMDB), prometeu ontem, durante caminhada no mercado de Campinas, que o PMDB construirá o metrô de Goiânia.

Ele criticou o presidenciável José Serra (PSDB) quando disse, em visita a Goiânia na terça-feira, que fará o metrô. "Acho que ele falou porque o PSDB de Goiás ficou desmoralizado, pois vem falando há 12 anos em metrô e nunca levantou uma palha", protestou. "Quem vai construir o metrô é o PMDB, PT e PCdoB", garantiu, e disse ainda que, com o governo nas mãos, a população sabe que ele cumprirá o compromisso.

Conforme avaliação de Iris, a presidenciável Dilma Rousseff (PT), vai ganhar a eleição em Goiás. "Eu tenho certeza disso", afirmou energicamente, para contrapor o PSDB, que acredita na vitória de Serra no Estado. As manifestações da população em reuniões, comícios e caminhadas dizem isso, conforme acredita Iris.

De acordo com o governadoriável, o povo está consciente que Dilma dará continuidade ao trabalho do presidente Lula (PT), aprovado pela maioria da população. Iris argumentou que a petista vai aprimorar o governo de Lula, pois trabalhou quase oito anos de mandato como ministra de Minas e Energia e ministra-chefe da Casa Civil.
Ele ressaltou a construção da Ferrovia Norte-Sul, expansão do ensino técnico em Goiás e abertura mais de 30 cursos noturnos na Universidade Federal de Goiás (UFG), e assegurou que Dilma dará sequência.

O peemedebista afirmou que não se pode pensar no desenvolvimento de Goiás sem infraestrutura, diferente de outros Estados que já alcançaram o ápice do desenvolvimento, como São Paulo, por exemplo. Para Iris, não adianta programas de incentivo para instalação de novas empresas sem boas estradas e energia elétrica abundante.

O ex-prefeito disse que, caso seja eleito, dará um choque administrativo, mudando o sistema de trabalho. "Estou disposto a transformar o governo de Goiás numa ferramenta forte para o desenvolvimento", salientou.

Ele defendeu ações na área social, como programas de combate às drogas, assistência às crianças em condições de risco e prevenção do envolvimento de jovens e adolescentes com entorpecentes. Iris disse que para resolver o problema implantará escolas de tempo integral.

Fonte: Jornal o Hoje

Serra diz que aeroporto de Goiânia está "estrangulado"


Diário da Manhã

Goiânia - Em sabatina conduzia por empresários no auditório da Federação da Indústria do Estado de Goiás (FIEG) nesta tarde, o canditado à Presidência da República, José Serrá (PSDB), respondeu a questões polêmicas. A principal discussão girou em torno da reforma do Aeroporto da Capital. "O aeroporto não suporta a demanda goiana, é um absurdo, ele já está estrangulado", comentou. Para Serra uma solução seria colocar este probelma "na mão da iniciativa privada, que tem interesse em resolvê-lo".

Serra não poupou também críticas à Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). "É um órgão impotente, que infla os preços e está loteada por indicações políticas.Por isso as obras do aeroporto estão paradas", afirmou.

O candidato comentou ainda questões referentes a infra estrutura, como o metrô. "Goiânia deve aproveitar que é uma cidade ainda pequena e construir um metrô, que é uma ótima solução para o tráfego", ressaltou. Em relação à agricultura, Serra disse que "o Estado tem que adotar uma postura mais agressiva, e também adotar novos sitemas de crédito".

Perguntado sobre as formas de produção de energia elétrica, Serra colocou a queima de petróleo como a "energia do futuro". E, por fim, levantou a questão de que a educação profissionalizante em Goiás tem de aumentar. "Precisamos subir das atuais seis mil para 25 mil vagas", pontuou.

Entenda a situação do aeroporto de Goiânia

As obras de reforma do aeroporto foram iniciadas em 14 de março de 2005. Em 2007 foram paralisadas pela primeira vez pelo consórcio entre as empresas Odebrecht e Via. As obras deveriam ter sido concluídas em maio de 2008 a um custo estimado de R$ 257,7 milhões, mas o contrato foi anulado por causa de irregularidades apontadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU). A data da inauguração foi prorrogada para 2011 e posteriormente para maio de 2012.

O valor da obra, segundo a Infraero, subiu para R$ 339,24 milhões e ficou acima do preço final do contrato avaliado pelo TCU, de R$ 287 milhões. Com a reforma, a área do terminal aeroportuário passaria de 6 mil metros quadrados, com capacidade para 600 mil embarques e desembarques/ano para 28 mil metros quadrados, ampliando a capacidade para o trânsito de cerca de dois milhões de pessoas por ano.

A Marca do Zorro - Goiânia


Local: Teatro Madre Esperança Garrido
Fone: (62) 3582-0009
Site: www.amarcadozorro.com.br

Data e Horario:
Dia 20, sexta às 21h
Dia 21, sábado às 21h
Dia 22, domingo às 19h

Valor do Ingresso:

Sexta Dia 20
- Inteira: R$ 50,00
- Meia (estudantes, idosos): R$ 25,00

Sábado Dia 21 e Domingo Dia 22
- Inteira: R$ 60,00
- Meia (estudantes, idosos): R$ 30,00

A Marca Do Zorro

O espetáculo traz no elenco vinte atores, entre eles Priscila Fantin, Thierry Figueira e Tadeu Mello. Os integrantes passaram por nove meses de preparação para a montagem, com aulas de ginástica olímpica, parkour e dança.

No palco, são apresentadas vinte e uma lutas e três números de flamenco.

Dirigida por Pedro Vasconcellos (o mesmo do sucesso “Dona Flor e Seus Dois Maridos”), a peça é baseada na história do justiceiro mascarado, que tenta livrar o povo mexicano da tirania espanhola nos idos de 1843.

Obrigados a roubar o ouro de suas próprias terras, os mexicanos descobrem um herói misterioso, em uma trama de ação, romance e aventuras.

A Marca do Zorro, é recheado de muita ação e humor.

Na adaptação do jovem diretor, Don Diego de La Vega finge ser um engraçado homossexual para afastar as suspeitas de que é, na verdade, o Zorro. Cabe a Thierry Figueira, encarar o desafio de viver os ”dois personagens”, um com um hilário gestual afeminado, ajudado pelo recurso de um leque, e o outro como um justiceiro mascarado, com as muitas sequências de saltos, afinadas lutas de espadas e cenas de romance com Priscila Fantin (Esperança Pulido). Tadeu Mello, se destaca e arranca gargalhadas na pele do medroso Sargento Garcia. As entradas e as saídas dos atores, não apenas no palco principal, mas nos corredores da plateia e também no minipalco montado sobre uma fila central da plateia, movimentam o espetáculo o tempo todo. A história se passa em 1943, quando o povo do México era escravizado pela Espanha e Zorro era o arauto mascarado da liberdade. No caminho, claro, momentos para um romance com Esperança

Stand Up Comedy com Danilo Gentili


Data: 14 e 15 08/2010
Local: Teatro Madre Esperança Garrido

Horário: 21h

Release:
Danilo Gentili é um publicitário, humorista, escritor, cartunista e repórter brasileiro.

Gentili é nacionalmente conhecido por sua atuação no programa de tevê CQC - Custe o Que Custar, que a Band leva ao ar todas as noites de segunda. O humorista conquistou o público de todo o Brasil ao comandar, no programa, o quadro do “Repórter Inexperiente”, entre vários outros.

Valores do Ingresso:
- Inteira: R$ 60,00
- Meia (Estudantes, idosos): R$ 30,00
*Descontos a definir

Ingressos à venda:
- Zastras Brinquedos (3582-0009)
- Bilheteria do Teatro (3223-1328 / 1326)

Informações:
- Zastras - 3582-0009

Local: Teatro Madre Esperança Garrido (Do Colégio Santo Agostinho - Av. Contorno próximo ao Supermercado Tatico)

Gene Loves Jezebel em Goiânia 2010


Data: 31/07/2010
Local: Bolshoi Pub
Fone: (62) 3285-6185 e (62) 3274-1309
Site: www.bolshoipub.com.br

Gênero: Rock

Integrantes: Michael Aston (voz), Jay Aston (back voz e guitarra) & banda

Release:
Mais um grande nome internacional sobe ao palco do Bolshoi! Gene Loves Jezebel! Um dos grandes ícones do gótico e do glam rock dos anos 80! Formada no País de Gales, em 1980, pelos irmãos Michael e Jay Aston, a banda alcançou grande sucesso em 1986, com os mega hits Desire e Sweetest Thing! No ano seguinte, o disco The House of Dolls emplacou outros dois sucessos nas paradas da Ingleterra e dos EUA: 20 Killer Hurts e The Motion of Love. Em 1989 a banda encerrou suas atividades e retomou em meados dos anos 90. Em 2003, o Gene Loves Jezebel lançou o álbum Exploding Girls, que foi definido pela revista Rolling Stone como ", o álbum mais forte que Gene Loves Jezebel já fez, para ser honesto, ele é impecável, a produção é ótima". Agora, a banda chega a sua primeiro show em Goiânia!!

Ingressos à venda:
American Music Bougainville 3954-2202
American Music Buena Vista 3092-6057
Harmonia Musical 3224-0275

Show Capital Inicial em Caldas Novas


Data: 24/07/2010
Local: Lagoa Termas Park - Caldas Novas (GO)
Fone: Telefone: (64) 3453-3453 / 3453-1250 / 3453-1140
Site: http://www.projetopordosollagoa.com.br/

Horário: 18h

Show com:
- Capital Inicial

Dj´s convidados:
- Paulinho Boghosian
- Rodrigo Ferrari

Preços:
- Pista R$ 37,00

*Área VIP (Open Bar)
1° Lote:
- Feminino: R$ 50,00
- Masculino: R$ 60,00

*Camarote Extra VIP (Open Bar)
1º Lote:
- Esgotado
2º Lote:
- Feminino: R$ 90,00
- Masculino: R$ 120,00

* Os 500 primeiros ingressos do 2º lote extra VIP ganharam ingressos para after na Zuum Disco.
* Todos os ingressos dão direito a passar o dia no parque. * Camarote Extra VIP em local privilegiado com piso suspenso e acesso à frente do palco.

Pontos de venda:
Goiânia:
- Tribo (62) 3226 0100

Caldas Novas:
- Estação 11 (64) 3454-8000
- Tribu (64) 3453-7813

Brasília:
- Fest Tour (61) 3223-0493

Uberlândia:
- Triton (34) 3214-4928

Araguari:
- AERO BUS (34) 3241-1272

Online:
- Loja Online Lagoa Termas Park
- iupex.com

Ingressos em até 6x com Visa

Goiânia será base operacional da Azul


Empresa vai operar voos regionais a partir de Goiânia e redirecionar passageiros para capitais de vários Estados e para outros países

Sônia Ferreira

Quarta maior companhia aérea do País, a Azul Linha Aéreas adotará o aeroporto Santa Genoveva, de Goiânia, como base operacional (hub) ainda este ano. Isso significa que a empresa vai operar voos regionais, numa distância de até 800 quilômetros, a partir de Goiânia e daqui redirecionar os passageiros para outras capitais brasileiras ou para o exterior.
A empresa vai ligar também, diretamente, Goiânia a outras capitais do Norte e do Nordeste. Atualmente, a Azul faz a ligação aérea de Goiânia com Campinas (SP) no aeroporto de Viracopos, três vezes ao dia. Neste mês de julho, em função das férias escolares, a empresa oferece voos diretos para Salvador (BA), para atender a demanda dos turistas.

Autorização


Para começar a operar com os voos regionais, a empresa aguarda apenas autorização do Ministério da Defesa e a assinatura de um termo de compromisso com o governo do Estado que garante a cobrança de apenas 3% do ICMS do querosene da aviação, contra a atual alíquota de 15%.

A empresa espera, também, a implantação da infraestrutura dos aeroportos das maiores cidades do Estado, como Catalão, Itumbiara, Jataí, Mineiros, Niquelândia, Santa Helena e São Miguel do Araguaia.

A informação foi dada ao POPULAR ontem, por telefone, pelo presidente do conselho de administração da Azul, David Neeleman, que está em Londres participando da feira de aviação Farnborough Air Show.

Durante o evento na Inglaterra, a Azul firmou contrato com a franco-italiana ATR para a compra de 20 aeronaves turboélices ATR 72-600, mais opção para outras 20 unidades. Essas aeronaves, com capacidade para 70 passageiros, vão operar os voos regionais partindo de Goiânia e de outros Estados.

O negócio demandou investimentos de US$ 850 milhões, incluindo as opções. Atualmente, a Azul opera com os aviões Embraer 190 e 195, com 106 e 116 lugares, respectivamente.
O presidente da empresa, Pedro Janot, disse que, com esses aviões adquiridos ontem, serão atendidas cidades localizadas a até 800 quilômetros da base operacional, regiões que estão atravessando verdadeiro boom econômico. "Os ATRs vão funcionar com um conceito de alimentadores para nossos Embraer", acrescentou o executivo.

Aeroportos

Na operação dos ATRs, a Azul pretende utilizar aeroportos atualmente pouco movimentados, sejam eles operados pela Infraero, Estado, ou prefeituras, que normalmente possuem pistas de pousos menores, mais compatíveis com o modelo. "Queremos ocupar esse espaço da aviação regional e crescer nesse nicho de mercado", disse David Neeleman.


A Azul acredita que o grande potencial de crescimento de mercado nos próximos anos está em cidades de tamanho secundário, justamente aquelas que pretende atender nessa nova etapa em Goiás e em outros Estados.
"Goiás fica no coração do Brasil, tem grande potencial econômico, e está mal aproveitado pelas empresas aéreas", declarou o diretor de marketing da Azul, Mark Neeleman.

Frota


A companhia tem atualmente uma frota de 18 aviões Embraer e deverá encerrar o ano com 26 aeronaves. Com a fabricante brasileira de aviões, a companhia aérea tem 41 pedidos firmes, além de opções e direitos de compra para outras 40 aeronaves.

A Azul atende 22 cidades e até o final do ano vai aumentar a malha para mais 4 cidades nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

No primeiro semestre deste ano, a companhia assumiu uma participação de 5,43% do mercado de aviação brasileiro, quase o dobro dos 2,81% de um ano antes. A rival mais próxima é a WebJet, que ficou com fatia de 6,24%, ante 4% nos primeiros seis meses de 2009.

Fonte: O Popular

Mutirama ficará até um ano em reformas


O Parque Mutirama de Goiânia, aberto neste mês de julho por causa das férias, deverá ser fechado novamente no mês de agosto, mas dessa vez para ser totalmente reconstruído. Com a reconstrução, além de o parque ganhar novos brinquedos mais modernos, toda a parte elétrica, de iluminação e sonora serão substituídas. Até o piso, que tem mais de 40 anos, será trocado. Segundo o titular da Secretaria de Esporte e Lazer (Semel), Luiz Carlos Orro, “a licitação para as obras já foi homologada e o projeto, que está em fase de finalização, será enviado à Procuradoria Geral do Município (PGM) para ser certificado e depois assinado pelo prefeito que autorizará o início das obras”. Com a reconstrução , o local deve ficar de nove meses a um ano fechado.

A advogada Adriana Xavier, de 35 anos, levou os dois filhos ontem no Mutirama e um sobrinho, e reclamou da falta de estrutura do parque e acredita que está mais que na hora do local ser totalmente reconstruído. “Os brinquedos estão muito velhos, e acaba sendo perigoso”, destacou ela, que gostou de saber da novidade. “Realmente o local precisa de uma grande reforma”, afirma ela. O funcionário público Lázaro Alves, 48, que também levou os filhos ao parque, reclamou da precariedade. “Tem muitos brinquedos estragados, isso aqui realmente precisa de uma reforma total.”

Com estrutura danificada e sem suporte para proporcionar conforto e total segurança aos visitantes, o parque foi aberto neste mês apenas para garantir a diversão da criançada. Porém, enquanto os meninos brincavam, três pedreiros e três serventes estavam tampando os buracos que tomavam conta do local, com cimento. “Queremos garantir a segurança de todos e que ninguém tropece e se machuque aqui”, explicou Orro.

Luiz destaca que foi instalada uma ouvidoria no parque e que todos os visitantes podem fazer suas reclamações e até mesmo sugerir melhorias. “Queremos atender a sociedade e que o Parque seja reconhecido nacionalmente.”

Mais Brinquedos

Com diversos brinquedos em situações precárias e sete estragados, para atender a demanda nessa época do ano, a Semel teve que alugar cerca de 20 brinquedos como: dois castelos infláveis, três camas elásticas, auto-pista, carrossel, minimontanha-russa, fusquinha, motinha, calhambeque, charretinha, minitobogam inflável, high jump, piscina de bolinha entre outros.

O Mutirama está funcionando de terça a domingo, das 9 às 18 horas. O valor do ingresso individual em um dos brinquedos é de R$ 1 e o Passaporte Mutirama com 15 ingressos é R$ 10.

Fonte: Jornal O Hoje

19 de julho de 2010

Goiânia ainda não tem controle sobre emissão de poluente


Lyniker Passos

Com uma das maiores frotas de veículos do Brasil – aproximadamente 908,618 mil carros e 1.043 ônibus de transporte coletivo, Goiânia ainda não possui programa de controle de emissão de gases veiculares poluentes. Uma Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente de 25 de novembro de 2009, estabelece que todas as cidades com mais de 1 milhão de habitantes terão que elaborar um Plano de Controle de Poluição Veicular (PCPV) para então implantar o Programa de Inspeção e

Manutenção de Veículos em Uso. O programa em Goiânia, segundo o gerente de monitoração ambiental da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), Ramiro Menezes, será efetivado no início de 2011 em parceria com o Detran.

De acordo com Ramiro, a Capital nunca teve um monitoramento constante voltado para o controle de emissão de monóxido de carbono dos veículos. “O que é feito hoje é o monitoramente ocasional principalmente em indústrias, caldeiras, por meio de um aparelho de controle chamado anel de Rigmar”, afirmou. Menezes conta que, há um tempo atrás, o aparelho foi utilizado para avaliar a fumaça preta emitida pelos escapamentos da maioria dos ônibus. “Monitoramos ônibus do transporte coletivo e os que transitam no Eixo Anhanguera. A frota do transporte coletivo não apontou irregularidade por até então serem veículos novos”, afirmou. Ele relata que apenas três ônibus do Eixo Anhanguera emitiam gases de monóxido de carbono além do permitido.

A frota de ônibus do transporte coletivo de Goiânia foi renovada há aproximadamente dois anos e hoje todos os veículos possuem motor eletrônico que reduz a emissão de gases poluentes. Porém, de acordo com o ambientalista, Paulo Souza, especialista em desenvolvimento sustentável, mesmo com uma frota nova, Goiânia necessita de um programa de monitoramento permanente. “Como não existe fiscalização, ônibus e carros podem circular sem estar devidamente adequados”, acredita. A reportagem tentou entrar em contato com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano da Região Metropolitana de Goiânia (Setransp) sobre a questão da poluição dos ônibus, mas não obteve respostas.

Ele lamenta Goiás ainda não ter um trabalho aprofundado com relação a qualidade do ar. Para ele o problema não é só Goiânia. “Em Goiás existe 10 cidades grandes que necessitam de controle da qualidade de ar”, disse. Souza acredita que uma alternativa “seria unir as universidades para um estudo da qualidade do ar em Goiânia”.

O prazo para que todos os Estados efetivem o Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos em Uso é de 24 meses, contados desde a data da aprovação da resolução. A falta de manutenção e a manutenção incorreta dos veículos são responsáveis pelo aumento da emissão de poluentes e do consumo de combustíveis. A partir do momento que o plano de inspeção veicular for efetivado em Goiás, os veículos que estiverem irregulares poderão ser multados e o condutor perderá até cinco pontos na carteira de motorista.Lyniker Passos

Com uma das maiores frotas de veículos do Brasil – aproximadamente 908,618 mil carros e 1.043 ônibus de transporte coletivo, Goiânia ainda não possui programa de controle de emissão de gases veiculares poluentes. Uma Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente de 25 de novembro de 2009, estabelece que todas as cidades com mais de 1 milhão de habitantes terão que elaborar um Plano de Controle de Poluição Veicular (PCPV) para então implantar o Programa de Inspeção e

Manutenção de Veículos em Uso. O programa em Goiânia, segundo o gerente de monitoração ambiental da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), Ramiro Menezes, será efetivado no início de 2011 em parceria com o Detran.

De acordo com Ramiro, a Capital nunca teve um monitoramento constante voltado para o controle de emissão de monóxido de carbono dos veículos. “O que é feito hoje é o monitoramente ocasional principalmente em indústrias, caldeiras, por meio de um aparelho de controle chamado anel de Rigmar”, afirmou. Menezes conta que, há um tempo atrás, o aparelho foi utilizado para avaliar a fumaça preta emitida pelos escapamentos da maioria dos ônibus. “Monitoramos ônibus do transporte coletivo e os que transitam no Eixo Anhanguera. A frota do transporte coletivo não apontou irregularidade por até então serem veículos novos”, afirmou. Ele relata que apenas três ônibus do Eixo Anhanguera emitiam gases de monóxido de carbono além do permitido.

A frota de ônibus do transporte coletivo de Goiânia foi renovada há aproximadamente dois anos e hoje todos os veículos possuem motor eletrônico que reduz a emissão de gases poluentes. Porém, de acordo com o ambientalista, Paulo Souza, especialista em desenvolvimento sustentável, mesmo com uma frota nova, Goiânia necessita de um programa de monitoramento permanente. “Como não existe fiscalização, ônibus e carros podem circular sem estar devidamente adequados”, acredita. A reportagem tentou entrar em contato com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano da Região Metropolitana de Goiânia (Setransp) sobre a questão da poluição dos ônibus, mas não obteve respostas.

Ele lamenta Goiás ainda não ter um trabalho aprofundado com relação a qualidade do ar. Para ele o problema não é só Goiânia. “Em Goiás existe 10 cidades grandes que necessitam de controle da qualidade de ar”, disse. Souza acredita que uma alternativa “seria unir as universidades para um estudo da qualidade do ar em Goiânia”.

O prazo para que todos os Estados efetivem o Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos em Uso é de 24 meses, contados desde a data da aprovação da resolução. A falta de manutenção e a manutenção incorreta dos veículos são responsáveis pelo aumento da emissão de poluentes e do consumo de combustíveis. A partir do momento que o plano de inspeção veicular for efetivado em Goiás, os veículos que estiverem irregulares poderão ser multados e o condutor perderá até cinco pontos na carteira de motorista.Lyniker Passos

Com uma das maiores frotas de veículos do Brasil – aproximadamente 908,618 mil carros e 1.043 ônibus de transporte coletivo, Goiânia ainda não possui programa de controle de emissão de gases veiculares poluentes. Uma Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente de 25 de novembro de 2009, estabelece que todas as cidades com mais de 1 milhão de habitantes terão que elaborar um Plano de Controle de Poluição Veicular (PCPV) para então implantar o Programa de Inspeção e

Manutenção de Veículos em Uso. O programa em Goiânia, segundo o gerente de monitoração ambiental da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), Ramiro Menezes, será efetivado no início de 2011 em parceria com o Detran.

De acordo com Ramiro, a Capital nunca teve um monitoramento constante voltado para o controle de emissão de monóxido de carbono dos veículos. “O que é feito hoje é o monitoramente ocasional principalmente em indústrias, caldeiras, por meio de um aparelho de controle chamado anel de Rigmar”, afirmou. Menezes conta que, há um tempo atrás, o aparelho foi utilizado para avaliar a fumaça preta emitida pelos escapamentos da maioria dos ônibus. “Monitoramos ônibus do transporte coletivo e os que transitam no Eixo Anhanguera. A frota do transporte coletivo não apontou irregularidade por até então serem veículos novos”, afirmou. Ele relata que apenas três ônibus do Eixo Anhanguera emitiam gases de monóxido de carbono além do permitido.

A frota de ônibus do transporte coletivo de Goiânia foi renovada há aproximadamente dois anos e hoje todos os veículos possuem motor eletrônico que reduz a emissão de gases poluentes. Porém, de acordo com o ambientalista, Paulo Souza, especialista em desenvolvimento sustentável, mesmo com uma frota nova, Goiânia necessita de um programa de monitoramento permanente. “Como não existe fiscalização, ônibus e carros podem circular sem estar devidamente adequados”, acredita. A reportagem tentou entrar em contato com o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano da Região Metropolitana de Goiânia (Setransp) sobre a questão da poluição dos ônibus, mas não obteve respostas.

Ele lamenta Goiás ainda não ter um trabalho aprofundado com relação a qualidade do ar. Para ele o problema não é só Goiânia. “Em Goiás existe 10 cidades grandes que necessitam de controle da qualidade de ar”, disse. Souza acredita que uma alternativa “seria unir as universidades para um estudo da qualidade do ar em Goiânia”.

O prazo para que todos os Estados efetivem o Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos em Uso é de 24 meses, contados desde a data da aprovação da resolução. A falta de manutenção e a manutenção incorreta dos veículos são responsáveis pelo aumento da emissão de poluentes e do consumo de combustíveis. A partir do momento que o plano de inspeção veicular for efetivado em Goiás, os veículos que estiverem irregulares poderão ser multados e o condutor perderá até cinco pontos na carteira de motorista.

Fonte: Jornal O Hoje

Reurbanização do Vale Cascavel


O prefeito Paulo Garcia assinou na manhã de hoje, 11, ordem de serviço para reurbanização do Córrego Cascavel. Além de intervenções ambientais, o documento autoriza a construção de duas pontes de 75 metros de comprimento, que ligará a Vila Alpes ao Setor Jardim América, na região Sudoeste da Capital.

A previsão é que as obras, que tiveram início logo após a assinatura da ordem de serviço, estejam totalmente concluídas no próximo ano. Porém, de acordo com Paulo Garcia, há um compromisso da empresa responsável pela obra de que ao menos o corredor da T-8 seja entregue ainda este ano.

Segundo o prefeito, como é uma obra muito extensa, o restante deve ser concluído no ano que vem. "A ligação do Jardim América com a região Sudoeste é mais uma oportunidade de fluidez no trânsito. É um grande contribuição para que o trânsito de Goiânia se torna cada vez mais saudável", acrescento. Os investimentos são da ordem de R$ 22,2 milhões com recursos provenientes do Ministério da Integração Nacional e contrapartida de 10% da administração municipal.

Benefício
Reivindicada pela comunidade local por mais de 20 anos, a autorização da construção das duas pontes na Avenida do Alpes foi muito comemorada pela população local. Cada pista terá 980 metros.

De forma direta, as intervenções beneficiarão mais de 60 mil moradores da região. "É uma obra grandiosa, extremamente importante para o sistema viário da cidade de Goiânia", justificou o prefeito. As obras são componentes importantes para a estruturação do corredor da T-8, previsto no plano diretor de Goiânia.

Confira o que será feito nesta próxima etapa de prolongamento da Marginal Cascavel:

- Reurbanização do vale do Córrego Cascavel no trecho entre as avenidas T-2 e T-9;

- Canalização em concreto armado de aproximadamente 1,1 mil metro do canal entre a Avenida C-12 e a Rua C-126;

- Abertura e construção de 420 metros de pista na margem esquerda do Córrego Cascavel entre as avenidas T-2 e T-32;

- Adequação e restauração de pistas nas margens esquerda (1.440 metros, entre as avenidas T-32 e C-50) e direita do Córrego Cascavel (3.580 metros entre a Avenida C-12 e T-9);

- Construção de duas pontes de concreto armado de 75 metros de comprimento cada uma e 980 metros de pistas que promoverão a ligação entre a Avenida dos Alpes e o Setor Jardim América

- O resto do Terreno será beneficiado com um pequeno Parque.

Ps: Essa Matéria não é atual.

Fonte: Jornal Opção.
Foto: Vinix (Vinicius)

17 de julho de 2010

Resultado da Enquete

Assim que Começou a Copa do mundo na África do Sul, Perguntamos: "Você acha que o Brasil vai ser Hexa na copa de 2010"

Resultados:

37% ............... 96 Votos .......... Sim, Mas vai ser Difícil
28% ............... 74 Votos .......... Sim, o Hexa é Nosso
18% ............... 48 Votos .......... Não Por Causa do Dunga
14% ............... 38 Votos .......... Nunca

Bem, Como Vimos o Brasil não Passou das 4° de finais, Infelizmente!, mas deixe a Sua Opinião Sobre a Atuação do Brasil na copa do Mundo de 2010. Muito Obrigado Galera Pelos Votos!!!

Olímpiadas Escolares 2010 serão em Goiânia



Goiânia será sede da etapa nacional das Olímpiadas Escolares 2010. O evento será realizado entre os dias 3 e 12 de dezembro e deve receber cerca de 3 mil atletas de todo o país. O programa de competição reúne nove modalidades: atletismo, basquete, futsal, handebol, judô, natação, tênis de mesa, vôlei e xadrez. Além da disputa esportiva, uma extensa programação cultural também faz parte da agenda do evento.

Considerada como a mais importante competição escolar do país, as Olímpiadas Escolares será realizada em duas fases, a primeira delas entre os dias 10 e 19 de setembro, na cidade de Fortaleza. Nessa primeira fase, disputam os atletas de 12 a 14 anos. Já em Goiânia serão realizadas as competições dos atletas de 15 a 17 anos.

As provas serão disputadas em 16 quadras e ginásios espalhados pela cidade, na pista de atletismo da Universidade Católica de Goiás e na piscina do Clube Sesi Ferreira Pacheco. Todos os locais foram previamente vistoriados e selecionados pelo Comitê Olímpico Brasileiro - COB. A novidade desse ano fica por conta da inserção de três novas modalidades na competição: ciclismo, ginástica rítmica e taekwondo.

Estadual

Entre os dias 18 e 22 de agosto será realizada a etapa estadual das Olímpiadas Escolares nos municípios de Ceres e Rialma. Segundo o gerente de Desporto Escolar da Secretaria Estadual da Educação, Mário Vasconcelos, serão selecionados 180 atletas de 12 a 14 anos que vão participar da disputa em Fortaleza e outros 180 de 15 a 17 anos que vão competir na etapa realizada em Goiânia.

As Olimpíadas Escolares são organizadas e realizadas pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), com a ajuda do Ministério do Esporte e das Organizações Globo.

Fonte: Goiás Agora

Goiás tem mais da metade dos empregos gerados no Centro-Oeste


Entre janeiro e junho deste ano, a Região Centro-Oeste acumulou 136.008 postos formais de trabalho. O resultado é o segundo melhor da série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados - Caged do Ministério do Trabalho para a região central do país. Goiás e Mato Grosso do Sul se destacaram na geração de vagas formais na região, no período: 70.155, 20.584, respectivamente. O Distrito Federal vem em terceiro lugar, com 20.583 vagas abertas.

Em junho, foram criadas 17.294 vagas formais no Centro-Oeste. Os estados que mais se destacaram foram Goiás e Mato Grosso. O desempenho de Goiás, que gerou 8.073 vagas - em termos absolutos o segundo melhor da série histórica do Caged -, foi alavancado pela construção civil (2.270), indústria de transformação (2.240), serviços (2.039) e comércio (948).

Brasil
No primeiro semestre de 2010, foram gerados no Brasil 1.473.320 empregos com carteira assinada, desempenho inédito do mercado de trabalho formal na série histórica do Caged para o período. Os dados foram divulgados na manhã de ontem pelo miistro do Trabalho, Carlos Lupi.

Fonte: Goiás Agora

Obras do Anel Viário serão Retomadas


O Prefeito de Goiânia, Paulo Garcia, participou de uma audiência nesta sexta-feira, 16, com o procurador federal de justiça, Raphael Perisse, na sede do Ministério Público Federal, no Park Lozandes. O objetivo do encontro foi viabilizar a continuação das obras do Anel-viário de Goiânia que foram embargadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e o Ministério Público Federal (MPF). Participaram do encontro, o presidente do Sindicato da Construção do Estado de Goiás (Sinduscon-GO), Roberto Elias e o presidente da Câmara dos vereadores de Goiânia, Francisco Junior.

Paulo Garcia ressaltou a importância do Anel viário para o desafogar o trânsito na capital. “É uma obra vital que precisa ser retomada para melhorar a circulação de veículos nas principais vias da cidade, desviar o tráfego de veículos pesados e evitar acidentes nas rodovias que cortam o perímetro urbano”, destaca.

O procurador Raphael Perisse garantiu que faltam apenas detalhes técnicos para dar continuidade as obras. “O próximo passo é criar uma nova proposta de traçado que estava desatualizado, redigir um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) e dar início as obras”, ressalta. O anel viário foi projetado para servir de ligação entre as rodovias estaduais e federais que cortam Goiânia e teve as obras paralisadas desde 2000 pelo TCU e MPF que pediram alterações no projeto.

Reportagem: Diretoria de Jornalismo
Fonte: Prefeitura de Goiânia
Foto: Domingos Elias