30 de setembro de 2009

Claudia Leitte Reveillón 2010 em Goiânia


Data: 31/12/2009
Local: Sol Music Hall
Fone: (62) 3269-8080 e (62) 3954-6633

Venha para o melhor Reveillon de Goiânia!

* A Maior Queima de Fogos de Goiânia
* Decoração Temática
* Toda a Área do Evento Coberta

Show da Virada:
- Claudia Leitte

Valores:
Feminino - R$ 120,00
Masculino - R$ 170,00

Incluso:
- Open Bar de vodka, cerveja, água, refrigerante e suco.
- Buffet de Caldos e Massas.

Camarote Sedna Lounge:
Feminino - R$ 270,00
Masculino - R$ 320,00
Mesa 4 Pessoas - R$ 1.400,00

Incluso:
- Convites Limitados
- 1 Garrafa de Champagne
- 1 Garrafa de Whisky 12 Anos
- Open Bar de vodka Absolut, Heineken, água, refrigerante e sucos
- Jantar Completo
- Mesa de Frios
- Mesa de Frutas
- Café da Manhã
- Salão de Beleza
- Delicatessen (sorvete e doces)
- Espaço Zen Tribo Restaurante

:: Valores referentes ao 1º Lote ::
:: Compre em até 5 vezes nos cartões Visa e Master ::

Postos de Venda - Goiânia:
- Sedna Lounge
- Tribo
- Bob's
- MR Salon (Goiânia Shopping)

Postos de Venda - Brasília
- Zimbrus 305 sul - (61) 3242-0000
- Authentic Feet - (61) 3327-0283
- Fest Tour 102/103 Sul - (61) 3223-0493

Postos de Venda - Anápolis:
- Nobel Square

Mais informações pelo site do evento ou pelos telefones de contato.
Censura: 18 anos

23 de setembro de 2009

Lançadas obras de parque para beneficiar Zona Norte de Goiânia


Foram lançadas ontem as obras do parque Leolídio di Ramos Caiado, no Setor Goiânia 2, Região Norte da capital. A criação do espaço faz parte de uma política de compensação ambiental da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), que transfere parte da responsabilidade de implantação e manutenção de parques para empresas que desejam desenvolver empreendimento ou atividade potencialmente poluidores - além daquelas que já tenham causado dano efetivo à natureza.

Até agora, em Goiânia, por meio de recursos de compensação ambiental, já foram recuperadas quatro grandes áreas voltadas para a preservação do meio ambiente: os Parques Buganville, Fonte Nova, Cascavael e Flamboyant. De acordo com o presidente da Amma, Clarismino Pereira Júnior, a compensação só era feita por grandes empreendimentos, principalmente hidrelétricas, no interior do Estado. “Conseguimos mostrar que no meio urbano as empresas também geram impacto e podem arcar com a compensação”, explicou.

Ao requerer a licença ambiental, as empresas se comprometem a aplicar pelo menos 0,5% do total que será gasto nos empreendimentos para a recuperação de áreas degradadas ou implantação de bosques ou outros espaços de lazer, ligados ao meio ambiente.Principais interessadas nesse tipo de parceria, as empreiteiras investem nessas áreas de lazer para valorizar os imóveis que construirão nas imediações. Contudo, para o representante da Tropical Imóveis, empresa responsável pelas obras de implantação do Parque Leolídio Caiado, Raphael Mello Moraes Gualberto, a população que já reside na área também é beneficiada, pois tem os imóveis valorizados e ganha ainda um espaço completo para lazer.

Na Amma o aumento de empresas buscando pela compensação ambiental já foi percebido desde 2005, quando o sistema começou a vigorar em Goiânia. Um dos casos de maior destaque na agência é o do Parque Flamboyant: à época da implantação, as empresas da região mostravam resistência em utilizar a parceria. Agora, depois que o metro quadrado na região foi valorizado com a implantação da área, outras empresas que não participaram do sistema no início, procuram a Amma para novas parcerias.

Parque
Previsto para ser inaugurado até o fim deste ano, o novo parque no Goiânia 2 beneficiará ainda moradores de bairros vizinhos, como os setores Criméia Leste, Jardim Guanabara, São Judas Tadeu, Itatiaia, Urias Magalhães, Santa Genoveva e Jardim Balneário Meia Ponte.

Localizado próximo à Avenida Perimetral Norte, o parque Leolídio Caiado terá mais de 117 mil metros quadrados, será quase quatro vezes maior que o Bosque dos Buritis, e terá 37 mil metros quadrados destinados apenas para recomposição florestal. O espaço terá ainda duas áreas de lazer específicas para crianças e também serão construídas uma pista para caminhada que terá quase 2,5 quilômetros de extensão e uma ciclovia, com quase 1,8 quilômetro, além de uma estação para ginástica e um lago.
O popular

17 de setembro de 2009

Parceria entre Goiânia e Aparecida irá revitalizar Avenida Rio Verde



Prefeitos Iris Rezende e Maguito Vilela firmam acordo para renovação da via que liga os dois municípios. Trabalhos devem começar em 15 dias

As prefeituras de Goiânia e de Aparecida de Goiânia firmaram parceria para revitalização da Avenida Rio Verde, via que faz divisa com os dois municípios. A decisão foi tomada na manhã de ontem, após reunião entre os prefeitos Iris Rezende e Maguito Vilela. A expectativa é de que os trabalhos comecem em 15 dias e que a revitalização esteja concluída até o fim deste ano.

Segundo Wagner Siqueira, presidente da Companhia Municipal de Urbanização de Goiânia (Comurg), a ação conjunta prevê uma completa revitalização da via com renovação da rede de iluminação pública, recapeamento do asfalto e novo projeto de jardinagem. “Vamos fazer a avenida mais bonita do Brasil. Até a Atlântica no Rio de Janeiro terá inveja”, planeja o presidente da Comurg.

De acordo com Wagner, ainda nesta semana, representantes dos respectivos órgãos de cada Prefeitura reunirão para definir todos os detalhes do projeto. Já o prefeito de Aparecida, Maguito Vilela, diz que a avenida já é considerada a segunda do Estado em relação ao movimento e com a revitalização ela vai ganhar em beleza.

Para a gerente de uma loja inaugurada há três meses, Denise Cristina Freitas, 27, a revitalização da Rio Verde será muito importante para os comerciantes estabelecidos na avenida e também para Aparecida. “Esta é uma boa notícia. Muita gente transita por aqui e a revitalização vai ajudar no próprio crescimento de Aparecida. Isso vai atrair mais comerciantes para a região”, informa Denise.

Participaram da reunião de ontem, além do prefeito de Goiânia, Iris Rezende, de Aparecida, Maguito Vilela, também os presidentes da Companhia Municipal de Urbanização de Goiânia (Comurg), Wagner Siqueira, da Agência Municipal de Obras (Amob), Francisco Almeida entre outros.Representando a Prefeitura de Aparecida de Goiânia estiveram presentes o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, Waldenio Oliveira e outros. autoridades.

Iluminação da BR-153 é restaurada
A Prefeitura de Goiânia, através da Comurg, iniciou ontem a revitalização da iluminação pública do trecho urbano da BR-153, que vai das imediações do residencial Aldeia do Vale, na saída para Anápolis, até a Avenida Transbrasiliana, na divisa dos municípios de Goiânia e Aparecida de Goiânia, totalizando 13,7 quilômetros.

Segundo Wagner Siqueira, presidente da Comurg, 33% das lâmpadas, o que representa 300 de 787 pontos de iluminação, estão apagadas. Segundo ele, lâmpadas queimadas, relés que não funcionam, fios com mau contato e alguns cabos danificados são os principais motivos do não funcionamento de parte da iluminação da rodovia. O trecho urbano da BR-153, segundo Wagner Siqueira, foi municipalizado no governo de Pedro Wilson (PT).

A Comurg, informa ele, disponibilizou 30 técnicos eletricistas e sete veículos e a expectativa é de que o serviço seja finalizado em oito dias.

Atendimento da Apae do Jardim Maria Inês ganha reforço
O prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela (PMDB), promoveu ontem uma reunião na sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) do município, no Jardim Maria Inês, para anunciar uma série de ações com a finalidade de melhorar o atendimento da unidade. Entre os serviços a serem executados imediatamente estão a construção de uma ampla sala para abrigar a oficina de artesanato das mães dos alunos, a disponibilidade de ônibus para transporte dos usuários da instituição, além do apoio administrativo da prefeitura com o fornecimento de educadores e funcionários.

visita
A presença do prefeito Maguito Vilela na Apae é a segunda visita que ele faz na instituição em menos de um mês – a primeira ocorreu no dia 21 de agosto, quando o peemedebista conheceu todas as instalações e as atividades desenvolvidas no local.

Projeto Macambira-Anicuns


Após seis anos de espera, BID assina transferência de recursos na Capital. Obra tem cinco anos para conclusão

Orçamento é de 94,5 milhões de dólares. Banco vai financiar 60% e município é encarregado de 40%


Na próxima semana a Unidade Executiva do Projeto Macambira-Anicuns irá definir a data que a Prefeitura de
Goiânia vai receber a Secretaria do Tesouro Nacional e representantes do Banco Interamerciano de Desenvolvimento (BID) na Capital para assinar a transferência de recursos para o maior projeto da história de Goiânia, orçado em 94,5 milhões de dólares. Depois de seis anos, o projeto dá um passo fundamental para deixar o papel. O BID irá financiar 60% do total, enquanto o município é encarregado de 40%. O governo federal, representado pela Secretaria do Tesouro Nacional, atua como fiador do projeto junto ao banco internacional. A visita deve ser programada para o final de julho ou início de agosto.

A partir do termo assinado pelo prefeito de
Goiânia, Iris Rezende (PMDB), um procurador da Receita Federal e o representante do BID em Washington, Estados Unidos, o Macambira-Anicuns tem cinco anos para ser concluído.

O coordenador-geral da Unidade Executora do Projeto Macambira-Anicuns, Wesley Moraes, acredita que, no próximo ano, iniciará as obras. A licitação dos projetos básicos e das próprias construções deve ser concluída até fevereiro de 2010. “A partir dessa fase licitatória, teremos as ações da prefeitura a partir de março.” O contrato estabelecido com o BID define que o prazo para a conclusão se inicia com a assinatura do termo entre o município e o governo federal. “A prefeitura designou uma equipe competente e extensa, especialmente empenhada em cumprir esse prazo.”

O projeto Macambira-Anicuns irá beneficiar 114 bairros das regiões oeste, noroeste e norte, com a construção de três parques, três escolas, cinco centros de saúde e revitalização dos rios que batizam o programa. A implementação do projeto mais grandioso da Capital se dará em três etapas: infraestrutura, regulação urbana e conscientização.

A primeira visa à construção das benfeitorias, aliada à reorganização urbana e ao reassentamento populacional.
Hoje, a prefeitura estima que 227 famílias terão que ser desapropriadas para a construção. O coordenador-geral da Unidade Executora do Projeto Macambira-Anicuns, Wesley Moraes, afirma que a transferência das famílias acontecerá apenas em áreas de alagamento. “Isso irá acontecer só em áreas fundamentais para o projeto e que causem riscos aos moradores. Nas demais, construções e terrenos não serão alterados.”

Recuperação de leitos e mata ciliar
O segundo componente do Macambira-Anicuns se concentra na recuperação dos leitos e da mata ciliar.
Na área arborizada entre os rios será construído o parque linear, de 26,5 quilômetros de extensão. Os parques Pedreira e Macambira somam um milhão de metros quadrados de área de preservação.

A terceira parte do projeto visa a sustentabilidade social e ambiental. Com ela, a prefeitura deve se valer de programas e ações para a preservação do Macambira-Anicuns. “Trabalharemos a conscientização e a educação ambiental para que este trabalho não se perca com o tempo”, completa o coordenador-geral do projeto.

Reposição
A Unidade Executiva do Projeto Macambira-Anicuns dispõe de plano exclusivo para a desapropriação das famílias e estabelecimentos comerciais em áreas passíveis de alagamento.

Levantamento elaborado em 2005 aponta que 227 famílias e 54 comércios estão concentrados nesses pontos. Coordenador-geral do projeto, Wesley Moraes afirma que, em todos os casos, os moradores que precisarem ser desapropriados serão indenizados.

“Será um trabalho cauteloso, elaborado por uma consultoria especializada para identificar essas famílias e manter constante acompanhamento social”, diz.

Em terrenos e áreas não- agressivas ao projeto Macambira-Anicuns, os proprietários serão convidados a assinar Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o município. “Eles continuarão com a posse dos terrenos, mas se comprometerão a não degradá-lo”, afirma Wesley Moraes.

Pedro Wilson felicita Prefeitura de Goiânia
O deputado federal e ex-prefeito de
Goiânia Pedro Wilson (PT) felicitou a administração municipal por manter o Projeto Macambira-Anicuns. O programa inicial foi idealizado pelo petista, na administração de 2003. “A região ficará beneficiada e trará qualidade de vida para toda a cidade”, afirmou o deputado.

MODELO
Pedro Wilson diz que, naquele ano, solicitou que técnicos e secretários visitassem Washington, nos Estados Unidos, interessados em financiamento ao projeto. “Apresentamos o projeto ao BID. Tínhamos ciência que era um projeto de médio a longo prazo”, diz o deputado. Comissões designadas pelo banco chegaram a visitar a Capital. “Eles sobrevoaram a área e analisaram projetos”, afirma Pedro Wilson.

No final do último ano, o Senado Federal autorizou que o Tesouro Nacional servisse de avalista ao empréstimo para o projeto. O percentual minoritário (40%) dos recursos ficou a cargo do município de
Goiânia.

9 de setembro de 2009

Probleminha....


Galera pedimos desculpas por falta de atualização do Blog....
Estamos tendo um certo Problema, e por isso temos atualizado pouco o Blog...
Pedimos Paciência....
Em Breve o Blog voltará a ser atualizado todos os dias....
Agradecido.

Alexandre Pires em Goiânia


Data: 16/10/2009
Local: Atlanta music Hall

Finalmente em Goiânia!
Show com:- Alexandre Pires
Participação Especial:- Marquynhos SP

Valores da Pista:
Meia - R$ 14,00
Inteira - R$ 28,00
Sem Open Bar


Valores Pista VIP:
Individual - R$ 30,00
Open Bar com cerveja, refrigerante, água e vodka com suco.

Valores Mesas:
Para 4 Pessoas - R$ 250,00, R$ 300,00 e R$ 350,00
Open Bar com cerveja, refrigerante, água e vodka com suco.

Valores Extra VIP:
Individual - R$ 60,00
Open Bar de cerveja, refrigerante, água, vodka com suco, caldos, frios e whisky.

Valor do Camarote Empresarial:
Individual - R$ 100,00
Open Bar de cerveja, refrigerante, água, vodka com suco, caldos, frios e whisky.

* Todos os valores acima são referentes ao 1º Lote.
* Valores sujeitos a alteração sem aviso.
* Os valores das mesas são de acordo com a sua localização.
* O valor do camarote é de acordo com a sua capacidade.

Posto de Venda:
- Atlanta Music Hall
- Rival Calçados
- Drogaria Santa Donata
- Tkts Express (62) 8406-4949

Concurso Menina Fantástica 2009


Data: 20, 21 e 22 de Setembro
local: Rua C-245 c/ C-246, Casa 02 - Jardim América.
fone: (62) 3274-2085 e (62) 3274-2087
site:
www.meninafantastica.com.br

Atenção, futuras modelos de todo o Brasil!

Sua chance de se tornar uma Top Model e entrar de vez no mundo da moda está bem próxima de se tornar real.

Já iniciou a segunda edição do concurso “Menina Fantástica”, que vai percorrer o país em busca de um novo rosto para estampar a moda internacional.

Promovido pela Rede Globo de Televisão, através do Fantástico, o concurso “Menina Fantástica 2009″ viajará por 80 cidades, em mais de 35 mil quilômetros por todo o Brasil O ponto de partida é no Rio Grande do Sul, onde acontece a primeira seletiva, dia 5 de setembro em Porto Alegre.

Outras sete capitais brasileiras vão sediar outras etapas seletivas, que acontecem até o dia 24 de outubro.

Em cada uma dessas seletivas, cinco candidatas serão selecionadas para a fase semifinal, que está programada para os dias 31 de outubro e 7 de novembro, em São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente.

Já a fase final, com 12 candidatas, será realizada na capital paulista no período de 9 de novembro a 13 de dezembro - exatamente o domingo em que o público escolherá no “Fantástico” a grande vencedora.

* Todas as finalistas serão contratadas pela agência promotora do concurso.
* A campeã assinará um contrato com a agência no valor de R$ 500 mil.
* Podem participar do concurso candidatas de 15 a 25 anos de qualquer parte do país. Sendo modelos amadoras ou profissionais.
* As inscrições podem ser nos dois ônibus especialmente produzidos para o concurso, pelo correio ou diretamente nos locais das seletivas.
* As fichas de inscrições já estão disponíveis no site: www.meninafantastica.com.br , juntamente com o regulamento do concurso.
* Podem participar da seletiva Goiás, meninas de todo estado e as fichas de inscrição já podem ser entregues no seguinte endereço: Rua C-245 c/ C-246, Casa 02 - Jardim América (Goiânia - GO).

Maiores informações sobre o concurso pelos telefones de contato.

Um só Deus


Data: 11/9/2009 (sexta-feira)
Local: Goiânia Arena
Telefone: (62)84131684.

Rosa de Saron e Andre Valadão

Ingressos:
PISTA R$ 20,00
ARQUIBANCADA R$ 20,00
CAMAROTE VIP OPEN BAR (Refrigerante, Água e Sucos) R$ 30,00

Postos de Venda: TRIBO BOB´S, ECKZEM, RIVAL CALÇADOS

Expresso Pequi fica pronto em três anos


Expresso Pequi fica pronto em três anosAlcides Rodrigues e presidente da Valec anunciam linha de trem entre Goiânia e Brasília. Trajeto será feito em 1h30

O governador de Goiás, Alcides Rodrigues, e José Francisco das Neves, o Juquinha, presidente da Valec, anunciaram ontem, em Pequim, projeto do Estado de Goiás em inaugurar nos próximos três anos o Expresso Pequi. A proposta se parece com a ideia de trem-bala, mas é bem mais realista em termos de execução e orçamento. O trem-bala foi orçado em R$ 5 bilhões e o novo projeto pode ficar pronto com um quinto deste valor. Alcides descarta a hipótese de ‘trem-bala’ ou de alta velocidade devido aos custos, mas reafirma que o Estado tem interesse em ligar Goiânia à Capital Federal através dos trilhos de ferro. Segundo o governador, o trem deve fazer o trajeto em uma hora e meia a partir de uma velocidade de 180 km por hora. Ele informa que a proposta depende das ações conjuntas dos governos de Goiás, federal e bancada de parlamentares goianos. “A licitação pode sair antes de março”, diz Juquinha.

Segundo Juquinha, o valor da construção deve girar entre R$ 800 milhões a R$ 1 bilhão. O custo será semelhante ao gasto hoje com a Ferrovia Norte Sul – orçada em R$ 3,5 milhões por quilômetro. “A diferença é que faremos um projeto de velocidade mais rápida. Vamos fazer coisas plausíveis. Esqueçam o trem-bala. Ficar sonhando não adianta”.

De acordo com o presidente da Valec e governador, o projeto político para a construção do ‘trem rápido’ passa pelo Senado. A Comissão de Infraestrutura será utilizada para angariar uma rede de apoio necessário para tirar o trem do papel. “Podemos colocar R$ 300 milhões nessa obra no ano que vem. Em três anos estaria pronto para inaugurar. O problema é começar a fazer e não deixar parar”, diz.

O presidente da Valec explica que já existe o traçado inicial por onde passará o trem. Ele sairia da Vila Matinha, em Senador Canedo. O custo da obra será pago pelos governos federal e de Goiás. Em seguida será ofertada a concessão para exploração dos serviços. Dentro desta perspectiva, o trem pode ser legalmente apresentado como um ramal da Ferrovia Norte- Sul. Outra medida que a Valec deve tomar, informa Francisco das Neves, será a apresentação da proposta como trem de cargas, mas possibilitar que o modal tenha a função de carregar também pessoas.

Segundo Juquinha, em fevereiro o governador deve anunciar detalhes da construção da ferrovia que atenderá o Expresso Pequi. Nos próximos dias, o presidente da Valec se reunirá com o presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres, Bernardo Figueiredo, para tratar dos aspectos legais da obra.

Como Juquinha é potencial candidato a deputado federal pelo Tocantins, ele deseja encerrar suas atividades na Valec no começo de 2010 com todo o trajeto definido e recursos encaminhados. “Já fiz 370 quilômetros da Norte-Sul. Antes fizeram, em dois governos, apenas 215 quilômetros. Acho que agora esse projeto sai.”

Investimentos em ferro devem movimentar R$ 180 bi
Um discurso emocionado marcou o dia de ontem dos empresários goianos que estão na China. Dentro de um ônibus e de forma improvisada, logo após almoço de negócios em Tangshan, Guido Arantes, ex-deputado federal por Goiás e investidor em mineração, confirmou visita de representantes do governo de Hebei às suas jazidas em Goiás e Tocantins. Na viagem de volta para Pequim, o empresário levantou de seu assento e realizou discurso inflamado mostrando revolta contra o fim da Metago, empresa de mineração de Goiás. Minutos depois, confirmou o acordo que pode explorar pelo menos 1,5 bilhão de toneladas nas jazidas de Colinas (TO). Uma tonelada de ferro tem valor no mercado que varia de 100 a 120 dólares, dependendo do grau de pureza do produto. Todos estes números juntos podem movimentar estrondosos R$ 180 bilhões só em Colinas, que já apresenta estudos mais detalhados de potencial de exploração mineral.

Em Cavalcante, do lado de Goiás, a expectativa é de minas maiores e mais valiosas, pois estão compostas por ferro que apresenta melhor grau de pureza – fato que multiplicaria as possibilidades de investimento. As bases do contrato devem ser firmadas em Goiás durante a visita dos chineses. A primeira visita ocorrerá no começo do mês de outubro e terá como meta início de estudos e estabelecimento de bases de acordo com a criação de uma joint venture. Chineses querem a garantia de que a Ferrovia Norte-Sul seja utilizada para facilitar o transporte da produção. A China consome hoje metade do ferro produzido no mundo.

O governador Alcides Rodrigues afirma que a discussão a partir desse momento é de como ocorrerá o transporte do minério. “Será necessário criar um ramal até a Ferrovia Norte-Sul”, diz. Ele afirma que a Metago foi essencial para gerar informação mineral, mas acredita que o Estado não está desprovido de pesquisas. “Ao contrário: temos em Goiás informações impressionantes na Secretaria de Indústria e Comércio”, disse.

Cavalcante já é hoje polo de mineração em Goiás, com a movimentação de 50 carretas ao dia. Elas levam manganês até Ilhéus (BA). Os carregamentos de ferro podem seguir o mesmo modelo de exploração. A diferença é que o ferro deve seguir por 30 quilômetros até a Ferrovia Norte-Sul e ser descarregada no Porto de Itaqui (MA). De lá o mineral partirá para o porto de Caofeidian, na China. Ontem, o governador e comitiva visitaram a área de Caofeidian, zona industrial de Tangshan. A cidade chinesa é um complexo industrial modelo que recebe minérios de toda parte do mundo.

Homenagem ao Cerrado
Francisco das Neves diz que o nome Expresso Pequi tem origem na viagem realizada por agentes públicos de Brasília e Goiânia em 2003 para conhecerem o trem-bala na França, Alemanha e Espanha. “Não queria que mudassem o nome, que é uma bonita homenagem. Acho que o projeto tem essa cara de pequi mesmo”, diz.O novo projeto, porém, surgiu em março deste ano, com a presença de Alcides Rodrigues e do deputado federal Jovair Arantes (PTB). “Estávamos lançando obras em Porangatu quando tivemos essa ideia”. Apesar de diferente e inusitado, Juquinha acha justificável manter o nome de Expresso Pequi. “Um projeto mais pé no chão pode ser executado, contar com total apoio do presidente Lula e ser instalado rapidamente”.

Otimismo
O deputado Helder Valin (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa, integra a missão comercial. Helder Valin diz que as expectativas são muito positivas. “Goiás é um Estado altamente competitivo. Temos uma economia sólida e diversificada, infraestrutura e logística privilegiadas. Com certeza destes encontros e seminários surgirão muitos negócios que vão levar mais desenvolvimento e qualidade de vida aos goianos”, afirmou. O objetivo do grupo é apresentar as potencialidades goianas a investidores chineses e russos, para assim atrair novos investimentos para o Estado. China e Rússia são dois países com economia em franca expansão.

Siderúrgica em Goiás
O governador de Hebei, Hu Chu Nhugou, lançou um desafio para os goianos: que viabilizem uma parceria com os chineses para implementar uma siderúrgica em Cavalcante (GO). Mas este seria o segundo passo na parceria. A primeira união dos dois Estados teria como meta o estudo das minas de ferro, o que pode começar de imediato.Guido Arantes tem em mãos um alvará de pesquisa que garante os estudos em busca do mineral nos próximos três anos. Após a apresentação dos estudos para o governo federal, ele poderá ter acesso ao alvará de lavra do mineral. Para chegar nesta fase, precisa do investimento milionário. “Uma pesquisa destas fica em torno de U$S 5 milhões”. Se a pesquisa não sair do papel em três anos, o empresário perde o direito. O ferro de Cavalcante, segundo Guido, tem menos silica, o que diminui os custos na manufatura. Para Felipe Santos, economista brasileiro que reside na China, a exploração de ferro deve mudar a vida dos moradores de Cavalcante. “A exploração do minério cria nova expectativa, que vai atacar o analfabetismo e gerar infraestrutura e oportunidades”, diz Felipe.

De Cavalcante para o mundo

Como o minério de ferro vai sair do município goiano e chegar ao Porto de Caofeidian na China

Caminho da China

O minério será levado de Colinas (TO) até trecho da Ferrovia Norte-Sul, que está 30 km de distância das minas.Depois, o minério segue para o Porto de Itaqui (MA), onde será colocado em navios capazes de carregar até 300 mil toneladas de ferro.O carregamento chegará no porto de Caofeidian, na China, na região de Hebei. Em Cavalcante não existe ainda a Ferrovia Norte-Sul, mas o empresário acredita que é possível produzir um modal para levar o ferro para o porto.

Negócio milionário
Existe potencial de exploração de 1,5 bilhão de toneladas na região de Cavalcante, em Goiás. É necessário investir cerca de 5 milhões de dólares para iniciar a exploração das minas de ferroLevando-se em conta o tamanho da área das minas em Cavalcanti, será possível movimentar cerca de R$ 180 bilhões. A China consome hoje metade do ferro produzido no mundo. (De Pequim, China)

Fonte: Jornal Diário da Manhã

Valec anuncia TAV entre Goiânia e Brasília


Em fevereiro de 2010 devem ser lançadas as obras de construção da ferrovia para o Trem de Alta Velocidade - TAV, ligando Brasília à Goiânia. A afirmação é do presidente da Valec, José Francisco das Neves, que acompanha a missão goiana à China. Segundo ele, em poucos dias a concessão será liberada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres e dentro de no máximo três anos as duas cidades serão interligadas pela ferrovia.

A construção da linha será bancada por recursos federais em parceria com os governos de Goiás e do Distrito Federal. O objetivo é desenvolver a área entre as duas capitais e criar empregos às margens da ferrovia. O presidente da Valec faz questão de frizar que o nome Expresso Pequi - como está sendo chamada a linha - não será modificado, já que surgiu informalmente mas se tornou referência.
Goiás Agora