Prefeitura de Goiânia faz parceria para melhorar sinal da internet


Com investimentos de R$ 100 milhões das empresas, Capital ficará entre as cinco cidades neste quesito no Brasil

Uma ação da Prefeitura de Goiânia vai colocar a Capital, já nos próximos dois anos, entre as cinco cidades brasileiras com o melhor sinal de telefonia e internet do Brasil, com o investimento de cerca de R$ 100 milhões por parte das empresas. A iniciativa é resultado de uma série de reuniões realizadas desde o início de 2017.

Para concretizar as novas regras para o licenciamento e a instalação de torres e antenas de telefonia e internet na Capital, discutida intensamente por técnicos da prefeitura e representantes das operadoras e do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móveis Celular e Pessoal (Sinditelebrasil), o prefeito Iris Rezende (PMDB) assina hoje, às 10h, decreto que institui as mudanças.

Alterações
Dentre as principais alterações trazidas pelo decreto está a implementação de um processo único e simplificado de licenciamento das torres e antenas que reduzirá em cerca de 90% o prazo médio para autorização de instalação e atividade dos equipamentos. “Anteriormente, o prazo médio para conclusão de um processo de licenciamento de torres e antenas junto à prefeitura era de 36 meses e, com a nova regulamentação, esse tempo deve ser reduzido para 60 dias”, afirma o secretário de Planejamento Urbano e Habitação, Agenor Mariano.

Outra novidade apresentada pelo decreto é a definição de que as estações transmissoras de radiocomunicação e as infraestruturas de suporte são bens de utilidade pública e poderão ser instaladas em todas as unidades territoriais do município definidas pelo Plano Diretor. “A nossa expectativa é de que nos próximos dois anos a cidade receba, com a nova regulamentação, investimentos da ordem de R$ 100 milhões nos serviços de telecomunicações, trazendo maior qualidade aos serviços de telefonia e internet prestados na Capital”, ressalta o diretor-executivo do Sinditelebrasil, Carlos Fernando Duprat.

Com isso, a população de Goiânia contará com uma maior cobertura de sinal em vários pontos da Capital, além de realizar ligações, por exemplo, com menos ruídos e ter acesso a uma internet com maior velocidade de conexão e transferência de dados.

Dados nacionais
De acordo com dados do Sinditelebrasil, dentre 100 cidades brasileiras pesquisadas, Goiânia ocupa a 95ª posição na qualidade de telefonia e internet e, com os investimentos a serem realizados, a meta estabelecida pelas empresas de telefonia, em parceria com a Prefeitura de Goiânia, é que ela passe a integrar o time das cinco melhores do País nos serviços de telecomunicações.

Para Carlos Fernando Duprat, as alterações trazidas pela nova regulamentação à Prefeitura de Goiânia possibilitam que a cidade possa receber novos investimentos na área, que, anteriormente, estavam sendo direcionados para outras cidades do País.

“Nos últimos anos, milhões de reais deixaram de ser investidos em Goiânia por conta das dificuldades enfrentadas pelas empresas para licenciamento e instalação de equipamentos. Acreditamos que, agora, Goiânia entra em uma nova era no que diz respeito à telefonia e internet e novos investimentos voltarão a ser feitos na cidade”, afirma o diretor.

“A Legislação Federal já determina que esses equipamentos são de utilidade pública e, automaticamente, dispensados de alguns documentos exigidos para atividades econômicas, como o Cadastro de Atividade Econômica e Alvará de Localização e Funcionamento, porém Goiânia ainda exigia documentações que travavam o processo”, ressalta o secretário Agenor Mariano.


Praça Cívica está preparada para Show de Natal da OVG 2017


Abertura ao público será nesta sexta (1º de Dezembro)

Os preparativos para o Show de Natal da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) já estão adiantados na Praça Cívica. A tenda e grande parte da decoração já foram montadas na Aldeia do Papai Noel. O lançamento do projeto acontece nesta sexta-feira, 1º de dezembro, às 19h30, na Praça Cívica, com presença do governador Marconi Perillo e da presidente de honra da instituição, Valéria Perillo.

A decoração neste ano valoriza a cultura goiana. O artesanato e folclore regionais serão os diferenciais da festa natalina. Em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Goiás (Sebrae-GO), a Cooperativa de Artesãos do Estado de Goiás participou da confecção de enfeites para a Aldeia.

A produção dos artesãos goianos vai integrar parte dos arranjos natalinos. Ipês artesanais e esculturas de animais típicos da fauna do cerrado, além de outros elementos, vão figurar na decoração da Praça Cívica, com destaque para guirlandas natalinas feitas pelos artesãos. O visitante poderá apreciar danças e músicas com estilo regionalista também nas apresentações de grupos artísticos e culturais da programação de Natal.

A Aldeia do Papai Noel ficará aberta ao público de 1º a 25 de dezembro, das 18 às 23 horas, com área de alimentação, Casinha do Papai Noel e parquinho infantil.

Serviço: 
Show de Natal na Praça Cívica
Data: De 1º a 25 de dezembro 
Horário: Dia todo
Local: Praça Cívica

Fonte: A Redação
Foto: Jornal O Popular


Goiânia tem a bandeira do Brasil mais alta do mundo no topo de um edifício



Hasteada no alto do Órion Business & Health Complex, o prédio mais alto do Brasil com 191,48 metros de altura, essa bandeira pode ser vista de diferentes pontos da cidade

A bandeira do Brasil, o mais conhecido entre os cinco símbolos nacionais que incluem o hino nacional, laço nacional, selo nacional e o brasão das armas, completa 128 anos neste domingo (19). A proximidade da data com a da proclamação da República (15 de novembro) não acontece por acaso. Assim que o império foi destituído, em 1889, o então presidente Marechal Deodoro da Fonseca publicou um decreto oficializando o desenho da flâmula que continua praticamente o mesmo. Só foram aumentados, em 1992, o número de estrelas para ficar condizente com o atual número de unidades federativas. Passou de 21 para 27 estrelas.

Bonita, colorida e alegre, a bandeira nacional representa o orgulho de pertencer à nação brasileira e é usada manifestações patrióticas oficiais e particulares. As cores oficiais da bandeira brasileira são o verde, amarelo, azul e branco, com a frase "Ordem e Progresso". Originalmente, simbolizavam as cores das casas reais da família de D. Pedro I, sendo o verde a cor símbolo da casa real dos Bragança e o amarelo da casa real dos Habsburgo. No entanto, ao longo dos anos os brasileiros associaram outros significados para cada uma das cores: "branco", significa o desejo pela paz; "azul", simboliza o céu e os rios brasileiros; "amarelo", simboliza as riquezas do País; e "verde", simboliza as matas (a rica floresta brasileira). A frase "Ordem e Progresso" foi baseada nos estudos do filosofo francês fundador do positivismo, Augusto Comte. No dia 11 de maio de 1992 a bandeira brasileira passou a ter 27 estrelas (formato atual), inserindo os estados do Amapá, Tocantins, Roraima e Rondônia. 

Um dos casos mais recentes de uso privado é o do Órion Business & Health Complex, o edifício mais alto do Brasil já concluído, que possui 191,48 metros de altura. Há menos de um mês o prédio passou a  ostentar a bandeira do Brasil, que pode ser vista a mais de 10 quilômetros de distância, de diferentes pontos da cidade como o Aeroporto de Goiânia, o Morro do Além, o campus Samambaia da Universidade Federal de Goiás (UFG) e o Jardim Goiás. A bandeira, que tem 5,85m altura por 8,35m largura, fica no topo do arranha-céu. Lá do alto, é possível avistar a cidade a até cerca de 30 quilômetros de distância.

Segundo o diretor da FR Incorporadora, uma das quatro empresas do consórcio responsável pelo empreendimento, João Artur Rassi, a bandeira do Órion é “a bandeira do Brasil permanente mais alta no topo de um edifício (em relação ao solo) em todo o mundo”. O empresário destaca ainda que a iniciativa de colocar uma bandeira no topo do edifício do Brasil sempre foi a de “mostrar que temos orgulho de ser brasileiro e que continuamos acreditando e investindo no País”.

Leis e normas
Para seguir a Lei nº 5.700, de 1 de setembro de 1971, que trata da apresentação e uso dos símbolos nacionais, e as normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) sobre fabricação da bandeira, o Órion encomendou exemplares a uma empresa especializada e homologada na fabricação de bandeiras oficiais. “Inicialmente compramos três para termos reposição em estoque”, contou o também sócio do empreendimento, Frank Guimarães Vaz de Campos.

Símbolo de inovação tecnológica, o Órion Business & Health Complex também traz novidades no sistema de subida da bandeira nacional, que é automatizado e tem elevação e descida acionada remotamente. “O mastro da bandeira permite que ela gire livremente em 360 graus, conforme a direção do vento. O sistema da bandeira resiste a ventos de até 180 quilômetros por hora”, conta Artur Rassi.

A haste de elevação também tem um sistema de iluminação acoplado que mantém a bandeira sempre iluminada. Acima da bandeira e do sistema de mastros há um farol de iluminação para aeronaves em cor branca, pois tem mais de 150 metros de altura. Abaixo de 150 metros teria de ser vermelho.



Novo Shopping: Hiper Moreira inicia projeto de expansão e anuncia shopping


Grupo abrirá mais oito lojas, construirá uma usina fotovoltaica e transformará sua sede, no Setor Coimbra, em centro de compras com lojas e cinema 

Com 34 anos de história no ramo supermercadista, o goiano Hiper Moreira retoma um ousado projeto de expansão, que incluirá a abertura de mais oito lojas, a construção de uma usina fotovoltaica e uma ampla reforma nas instalações do hipermercado, no Setor Coimbra. Dentro de poucos anos, o local será transformado num centro comercial, que abrigará um shopping center, com espaço para 100 lojas, cinemas e praça de alimentação. Os investimentos previstos devem atingir os R$ 180 milhões.

A empresa iniciou suas atividades como um pequeno armazém, numa área de 400 metros quadrados, que ocupava uma pequena ponta da atual área de 25 mil metros quadrados. Foram 11 anos como armazém. Só depois de 31 anos no mercado, o Hiper Moreira iniciou seu processo de expansão, com a abertura de duas novas lojas: uma em 2014 e outra em 2015, ambas na Avenida T-63. O presidente Agnaldo Moreira continuou o trabalho do pai, Manoel Moreira da Costa, sempre crescendo de forma sustentável. “Quando inauguramos o hipermercado, já foi um passo grande na época”, lembra Agnaldo. Ele conta que o crescimento ocorreu sempre atento ao desempenho da economia brasileira.

De 2009 para cá, a empresa aprimorou seus processos e passou por auditorias. A ideia era crescer de forma estruturada, já que a política e a economia do País sempre foram cercadas de incertezas. Segundo Agnaldo, o projeto inicial era continuar a expansão com a abertura de mais uma loja em 2016 e outra em 2017, mas os planos acabaram adiados por causa da crise. “Nossa empresa é conservadora e não dá um passo maior que as pernas”, ressalta o empresário.

Continuidade
Agora, mais confiante numa futura retomada da economia e ciente da importância de seu papel na geração de mais empregos, a empresa dará continuidade ao projeto. O processo de expansão será gradual. A próxima loja, que já está em fase de aprovação de projeto, será aberta na região do Alphaville. Logo em seguida, outra deve ser inaugurada na Avenida T-4, na região do Alto Bueno. Segundo Agnaldo, as duas devem iniciar as operações ainda no primeiro semestre de 2018 e vão gerar cerca de 160 empregos diretos.

A localização das outras seis lojas ainda está sendo definida. Porém, o empresário informa que todas devem ser inauguradas até 2020. Segundo ele, algumas das novas unidades terão formato de lojas de vizinhança e outras de supermercado. Quando todas estiverem funcionando, serão 1 mil novos empregos gerados pela empresa, que já emprega outros 1 mil trabalhadores em Goiânia.

As obras do shopping começam em 2018. A primeira etapa será construída em cima do atual hipermercado, que passará a ter somente um piso térreo ampliado. A área bruta locável (ABL), na primeira fase, terá 7 mil metros quadrados. A segunda fase será construída num quarteirão lateral, onde hoje funciona um estacionamento do hipermercado. As duas áreas serão interligadas por estacionamentos no subsolo e também por uma estrutura suspensa sobre a rua. Todos os estacionamentos serão subterrâneos.

Com isso, a área total do empreendimento atingirá os 43 mil metros quadrados, sendo 25 mil de ABL. De acordo com Agnaldo, a expectativa é que a primeira etapa do centro de compras comece a funcionar no primeiro semestre de 2019. “Estamos buscando no mercado várias novidades em entretenimento para as famílias goianienses, além de um mix de loja que atenda as novas necessidades do consumidor”, garante. No futuro, uma terceira área será incorporada ao projeto.



Pre-Réveillon 2018, Anitta se apresenta em Goiânia


A 9 dias do Réveillon, Anitta se apresenta em Goiânia

Anitta deve voltar a Goiânia ainda este ano. A informação foi confirmada pela assessoria da festa Réveillon dos Esquecidos, que receberá a cantora no dia 22 de dezembro, sexta-feira. 

A festa, que acontece pouco mais de 1 semana antes do fim do ano, ainda não divulgou maiores informações quanto a venda de ingressos para a apresentação ou sobre o local. No entanto, as entradas serão vendidas a partir de R$ 70 (meia).

SERVIÇO:

Anitta em Goiânia - Réveillon dos Esquecidos
Data: 22 de dezembro
Local: A definir
Ingressos: R$ 70 (meia)
Horário: 22h 



Que tal ter a sua própria ilha? Em Goiás é possível comprar


Nicho bem restrito do mercado imobiliário, destinado a poucos endinheirados, no Estado ilhas são pequenos e caros pedaços de paraíso cercados de muito status e curiosidade 

Imagine ter sua própria ilha particular! Pois isso é perfeitamente possível em Goiás, onde existem ilhas à venda. É lógico que este é um negócio apenas para poucos endinheirados, que podem pagar alguns milhões por essa faixa de terra cercada por água e privacidade. Ser proprietário de uma ilha é sinônimo de elevado status por ser um nicho de mercado caro e com poucas opções de escolha.

Em Goiás, Furnas esclarece que não existem ilhas, mas sim 250 remanescentes ilhados em reservatórios de acumulação de água para geração de energia elétrica sob a concessão da empresa. Estes remanescentes são propriedades particulares que podem pertencer à concessionária ou ao dono do terreno que teve parte de seu imóvel na área de influência direta do empreendimento no momento da construção.

Alguns remanescentes ilhados foram desapropriados, por interesse do empreendedor ou do proprietário. Em casos que não houve desapropriação, as áreas permaneceram sob domínio do proprietário original. Essas “ilhas” colocadas à venda geralmente são de pessoas físicas. 

Uma ilha anunciada no Estado fica no Lago das Brisas, na região de Corumbaíba e está à venda pela bagatela de R$ 5 milhões. A Ilha da Fantasia, como é chamada, tem 44,5 mil metros quadrados de área e conta com toda a estrutura necessária para hospedar uma família com 64 pessoas, como casas, chalés, piscinas e campos de futebol. “É a única ilha totalmente documentada da região, registrada em cartório”, destaca o corretor Sandro Ávalo. 

Atualmente, a propriedade de uma ilha só é possível mediante o aforamento, que funciona como uma espécie de concessão. Segundo o corretor, os proprietários levaram 10 anos para fazer toda a regularização, inclusive com documentação junto à Furnas e à Marinha. A ilha já está à venda há cerca de três anos. “Uma propriedade assim, não é algo que se consegue vender facilmente, principalmente pelo valor”, explica Sandro.
Hidrelétricas

Existem três ilhas particulares na região entre as hidrelétricas de Cachoeira Dourada e São Simão. Uma delas, bastante conhecida em Goiás, é a Ilha do Cascalho, que fica na Represa de Cachoeira Dourada, no Rio Paranaíba, divisa de Goiás com Minas Gerais. Ela pertence à família do ex-prefeito do município José Gomes, morto em um atentado durante carreata no ano passado. O filho dele, José Gomes Filho, conta que a ilha está com a família desde 1995 e foi adquirida de outra pessoa. 

O local também conta com completa infraestrutura, como rancho de lazer com piscina, casa, campo de futebol e muitas árvores frutíferas que o pai fazia questão de plantar, até mesmo mais exóticas, como lichia. O objetivo da família, segundo José Gomes Filho, é transformá-la em uma Área de Preservação Permanente (APP).

Ele diz que o proprietário de qualquer ilha precisa seguir uma série de normas para usufruir dela. Porém, também reconhece que a legislação em torno do assunto ainda não é totalmente conhecida. José Gomes diz não estimar o valor do terreno, que tem cerca de 20 hectares, mas sabe que a valorização é maior por se tratar de uma ilha.

Os proprietários de ilhas investem numa opção de lazer com mais exclusividade, mas sabem que elas ficam sujeitas ao nível das águas. Em épocas de cheia, podem até ser inundadas. Durante os períodos de seca mais severa, perdem a característica de ilha, pois podem até ser acessadas a pé.
Outra ilha na região de Itumbiara é a Ilha do Sol, no Rio Paranaíba. Com apenas 1,5 hectare, ela é o refúgio de lazer para 30 sócios que adquiriram cotas do proprietário, o empresário cartorário Décio Alves da Silva. A estrutura é formada por quiosques, inclusive com energia elétrica e tratamento de esgoto. 

Décio conta que a exigência para ter um local assim é garantir sua total preservação. Cada sócio pagou R$ 7 mil por sua cota. Hoje, elas já estão sendo comercializadas por R$ 50 mil. “Para comprar uma cota hoje, é preciso que o candidato seja aprovado por todos os sócios”, explica. Ele acredita que, se a ilha fosse vendida hoje, não custaria menos de R$ 1,5 milhão.



890 km: Governo de Goiás enviará projeto para concessão de sete rodovias à Assembleia


Presidente da Agetop, Jayme Rincón se disse convicto de que Legislativo aprovará proposta, elaborada pela FGV

Em entrevista à Agência Assembleia de Notícias na manhã desta quinta-feira (23/11), o presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincón (PSDB), confirmou que o governo de Goiás encaminhará o projeto para concessão de sete rodovias estaduais ainda em 2017.

Na Assembleia Legislativa, ele apresenta aos deputados estaduais a proposta, elaborada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), que prevê a contratação das empresas para administrar os trechos no próximo ano e a cobrança do pedágio somente a partir de 2019.

“Vamos obedecer todos os trâmite legais para fazer as concessões, inclusive já temos uma audiência pública marcada para o dia 11 de dezembro para debater a questão com a sociedade”, defendeu.

Rincón se disse convicto de que o projeto será aprovado pela Assembleia e que não trará desgaste político para o governo. Trata-se de uma proposta de melhoria constante das rodovias, o que tratá mais segurança e conforto para os goianos.

“Os melhoramentos previstos são significativos”, defendeu Eduardo Leal de Oliveira, coordenador de transporte da FGV, que comanda a apresentação do projeto aos parlamentares.

Veja a lista das rodovias e trechos que o governo de Goiás pretende privatizar:

GO-010, Goiânia-Bonfinópolis;
GO-020/330, Goiânia-Catalão;
GO-060, Goiânia-Piranhas;
GO-070, Goiânia-Cidade de Goiás;
GO-080, Goiânia-São Francisco de Goiás;
GO-139, Entr. 217-Entr. 213;
GO-213, Morrinhos-Caldas Novas.

(As informações são da Agência Assembleia de Notícias)