Conheça os melhores hotéis em Goiânia para curtas e longas estadias


Os hóspedes avaliaram e elegeram os melhores hotéis em Goiânia. Se você está procurando por um bom lugar para ficar, confira a lista!

Durante uma viagem ou mesmo quando você precisa passar um tempo fora de casa, uma das decisões mais difíceis está na escolha do hotel em que se hospedará. Sempre surgem dúvidas sobre a qualidade dos serviços e até mesmo sobre a estrutura do ambiente. Para te ajudar na escolha, o Dia Online, com ajuda do site TripAdvisor, separou alguns entre os melhores hotéis de Goiânia para você conhecer.

O TripAdvisor, que é uma ferramenta de viagens que fornece informações e opiniões sobre temas relacionados a turismo, organizou um ranking que apresenta em ordem crescente os hotéis com as melhores avaliações de hóspedes e usuários. A partir daí, fomos atrás de mais informações para deixar você ainda melhor informado e fazer a escolha certa! Dá uma olhada!

Conheça os melhores hotéis em Goiânia:


1 – Castro’s Park Hotel



Fundado no ano de 1986, o hotel foi o primeiro a receber o título de 5 estrelas na capital goiana. É bastante popular por oferecer serviço de luxo, situado em uma das regiões mais nobres de Goiânia. Possui diversos estilos de acomodações que se encaixam perfeitamente ao gosto de seus hóspedes. Possui ainda um restaurante, suíte presidencial e suíte de núpcias, sem conta a ampla área de lazer. Caso queira conhecer um pouquinho mais do ambiente sem sair do conforto de sua casa, o site do hotel oferece uma “tour em 360º”, onde você pode navegar pelas acomodações. Para conferir, basta clicar aqui.

Telefone: 62 3096-2000 / 0800 606 2000

Site: Castro’s Park Hotel

Endereço: Av. República do Líbano, 1520 – Goiânia – GO – Brasil

2 – Oitis Hotel



Situado no setor Alto da Glória, em frente ao Shopping Flamboyant, o Oitis possui uma localização estratégica, perfeito para aqueles que viajam a negócios, lazer ou em família. Conta com quartos espaçosos e todos são equipados com ar-condicionado, frigobar, mesa de trabalho e TV a cabo. As suítes ainda possuem cozinha e área de estar. A recepção e os serviços de quartos estão disponíveis 24 horas.

Telefone: (62) 3238-2100 / (62) 99110-3911

Site: Oitis Hotel

Endereço: Rua Terezina, 260 – Alto da Glória, Goiânia – GO, Brasil

3 – AlphaPark Hotel



Pensado para oferecer um atendimento de altíssima qualidade, o hotel disponibiliza para seus hóspedes um grande leque de opções no que tange suas acomodações. São 142 apartamentos, divididos nas categorias executivo, executivo plus, PNE, suíte, sênior, suíte júnior e suíte presidencial. É sem dúvida, um dos melhores hotéis de Goiânia!

Telefone: (62) 3257-7900

Site: AlphaPark Hotel

Endereço: Av. Alphaville Flamboyant, 200 – Res. Alphaville Flamboyant, Goiânia – GO, 74884-527

4 – Mercure Goiânia Hotel



Situado próximo ao centro de Goiânia, oferece serviços de alta qualidade e garante o conforto de seus hóspedes. É recomendado para quem regularmente faz viagens corporativas, mas também oferece excelentes acomodações para famílias e lazer. Os quartos são bastante funcionais, com sala, cozinha, WI-FI e serviços de quarto 24h.

Telefone: (62) 3605-7555

Site: Accor Hotels – Mercure

Endereço: Av. República do Líbano, 1613 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74125-125

5 – Hostel 7



Localizado no Setor Bueno, também se encontra em uma das regiões mais nobres da cidade. Por estar próximo ao Goiânia Shopping e também a bares, restaurantes e boates, é impossível que o hóspede fique entediado enquanto passa sua estadia no hotel. Um dos pontos fortes do hotel está em seus quartos coletivos, ideais para quem viaja com um grupo de amigos, por exemplo. Eles ainda receberam nomes em homenagem a flora, geografia, belezas do Cerrado e do povo goiano. São chamados de Quarto Pequi (8 hóspedes), Quarto Araguaia (8 hóspedes), Quarto É o Amor (8 hóspedes – exclusivamente feminino) e Quarto Cora Coralina (14 hóspedes).

Telefone: (62) 3877-6077

Site: Hostel 7

Endereço: Av. T-2, lt 4 , qd 107 – St. Bueno, Goiânia – GO, 74210-005

6 – K Hotel



Também considerado como um dos melhores hotéis em Goiânia, o objetivo do K Hotel é fazer com que seus hóspedes se sintam em casa, desde o primeiro momento em que pisarem em sua hospedagem. As acomodações vão do luxo até a Suíte K Presidencial, oferecendo ainda serviços de bar e restaurante.

Telefone: (62) 3945-9090

Site: K Hotel

Endereço: Av. Dep. Jamel Cecílio, 2550 – Jardim Goiás, Goiânia – GO, 74810-100

7 – Vivence Suítes Hotel



O Vivence Suítes Hotel possui título de 3,5 estrelas. Além de oferecer serviços de WI-FI aos hóspedes, também conta com café da manhã grátis (buffet) e estacionamento.

Telefone: (62) 3945-4000

Endereço: Rua 9, 1053 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74120-010

8 – Comfort Suítes Flamboyant



Um dos principais objetivos do hotel é oferecer aos seus hóspedes serviços de alta qualidade. Dentre as acomodações, é possível escolher entre 5 opções diferentes e cada uma se adequa melhor às necessidades da pessoa. Os serviços gerais englobam academia, café da manhã, internet, restaurante, lavanderia, estacionamento e piscina.

Telefone: (62) 3574-9000

Site: Comfort Suítes Flamboyant

Endereço: Av. Dep. Jamel Cecílio, 3549 – Jardim Goiás, Goiânia – GO, 74810-100

9 – Go Inn Estação Goiânia



O hotel possui quartos bastante discretos e aconchegantes, com restaurante casual, academia e loja de conveniência, tudo isso ao lado do Shopping Estação Goiânia.

Telefone: (62) 3621-3100

Endereço: Av. Oeste, 2151 – Setor Norte Ferroviário, Goiânia – GO, 74063-010

10 – Golden Tulip Goiânia Address



Com um edifício moderno e bonito, o hotel possui quartos e suítes simples mas bastante confortáveis. Oferece aos seus hóspedes buffet e café da manhã gratuitos. Ainda é possível contar com uma piscina externa na área de lazer.

Telefone: (62) 3257-1000

Endereço: Av. República do Líbano, 2526 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74115-030

11 – Hilton Garden Inn Goiania


O hotel em questão possui uma estrutura moderna, próximo a várias empresas de Goiânia. Além de conforto em suas acomodações, os serviços do hotel também oferecem o melhor da culinária regional e internacional no restaurante, que tem disponibilidade de 24h. Os quartos possuem WI-FI e frigobar.

Telefone: (62) 3235-5600

Site: Hilton Garden Inn Goiania

Endereço: R. 22, 122 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74120-130

12 – Bristol Evidence Hotel



O hotel possui uma categoria superior e oferece para seus hóspedes um serviço de qualidade e praticidade, com apartamentos confortáveis e em estilo flat. É ideal para aquelas estadias de longos dias.

Telefone: (62) 3238-7337

Site: Bristol Evidence Hotel

Endereço: Av. Edmundo P. de Abreu, 31 – St. Pedro Ludovico, Goiânia – GO, 74823-342


13 – Pinheiros Hotel



Para quem busca por um ambiente mais simples e barato, mas sem perder a boa localização, o Pinheiros Hotel fica a 7 km do estádio Serra Dourada e a 9 km do Centro Cultural Oscar Niemeyer. Os quartos de categoria mais simples possuem TV e WI-FI gratuito, enquanto os mais sofisticados dispõem de ar-condicionado e frigobar. Buffet e café da manhã são servidos como cortesia.

Telefone: (62) 3093-5898

Site: Pinheiros Hotel

Endereço: Goiânia n°249, Qd. 18-A, Lt., R. 6-A, 21 – St. Aeroporto, Goiânia – GO, 74075-220

14 – Plaza Inn Executive



Situado no Setor Oeste, o hotel é de alto padrão, oferecendo aos seus hóspedes uma estrutura de qualidade e bom gosto. Além da hospedagem aconchegante, ainda é possível aproveitar de ambientes como restaurantes, shoppings e feiras que se encontram nas proximidades do hotel.

Telefone: (62) 4005-3136

Site: Plaza Inn

Endereço: Av. D, 302 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74140-160

15 – Ibis Goiânia



Também localizado em uma área de luxo, está próximo do aeroporto da cidade, sem contar que ainda tem por perto shoppings e restaurantes. Com decoração moderna, seus serviços incluem WI-FI grátis, bar 24h, café da manhã opcional e quartos com ar-condicionado.

Telefone: (62) 2765-6050

Site: Accor Hotel

Endereço: Rua 21, 154 – St. Oeste, Goiânia – GO, 74120-120

16 – Athenas Plaza Hotel



Situado a apenas 2 km do centro de Goiânia, está perto de bares, restaurantes e lojas. Possui duas opções de acomodações, incluindo os Apartamentos Standard, para 3 pessoas, e as Suítes Master, parra 4 pessoas. O estacionamento é gratuito e conta com manobristas.

Telefone: (62) 3095-3000

Site: Athenas Plaza Hotel

Endereço: R. 23-A, 112 – St. Marista, Goiânia – GO, 74150-110


17 – Crystal Plaza Hotel



Este é um dos mais respeitados e melhores hotéis de Goiânia, tanto por sua beleza e sofisticação, quanto pela qualidade de seus serviços. Seus apartamentos são modernos e aconchegantes, sem contar que os hóspedes ainda podem desfrutar de um restaurante internacional e serviços de quarto disponíveis 24h.

Telefone: (62) 3267-4500

Site: Crystal Plaza Hotel

Endereço: Av. 85, 30 – St. Sul, Goiânia – GO, 74080-010

Fonte: Dia Online


Goiânia tem previsão de chuva para os próximos 11 dias


Apesar do período chuvoso, as temperaturas seguem altas variando entre mínima de 19º e máxima de 33º

Depois de um longo período de estiagem, os goianos vão precisar ficar atentos às previsões do tempo antes de sair de casa. De acordo com o Clima Tempo, deve chover em Goiânia, todos os dias, até o próximo dia 27 de outubro.

Serão 11 dias consecutivos oscilando entre 75% e 90% as possibilidades de chuva. No entanto, a quantidade de água não vai deixar o clima mais ameno. As temperaturas vão continuar quentes, variando entre mínima de 19º e máxima de 33º.

Apesar do calor na capital bater 32º nesta terça-feira (16), o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) emitiu alerta para chuvas intensas com grau de perigo potencial.

O instituto divulgou instruções para que, em caso de rajadas de vento, a população não se abrigue debaixo de árvores, pois há leve risco de queda e descargas elétricas e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. Além de evitar usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.





Edital de prolongamento da Avenida Leste-Oeste é lançado em Goiânia


Prefeitura pretende assinar, ainda este ano, ordem de serviço da obra do trecho que liga a Rua 74, no Centro, a Senador Canedo

A Prefeitura de Goiânia traz na edição desta terça-feira (2) do Diário Oficial do Município (D.O.M) o edital que visa contratar a empresa que vai realizar a obra do tramo leste da Avenida Leste-Oeste. O trecho de 8,1 quilômetros, avaliado em quase R$ 69 milhões, sairá da Rua 74, no Centro da capital, onde o trajeto já existente termina, e vai até a GO-403, também conhecida como Avenida das Cerâmicas, que dá acesso ao município de Senador Canedo. O projeto, doado pelo Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Goiânia (Codese), prevê a desapropriação de 321 imóveis ao longo do percurso.

Segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Obras Públicas, Dolzonan Matos, cerca de 30% das desapropriações já foram realizadas, pois são de imóveis que estavam em áreas de invasão próximas à antiga linha férrea da cidade. A ideia com a execução da obra é interligar futuramente os municípios de Senador Canedo e Trindade, passando, claro, por Goiânia. Ele adianta a intenção é prolongar o trecho já implantado até a Basílica de Trindade, mas isso dependerá de um edital futuro. Por ora, o foco é garantir a obra do tramo leste, que deve levar em torno de dois anos para ser concluída e cujo valor será dividido entre o Estado e o município, por meio de convênio celebrado no dia 25 de junho deste ano (veja quadro).

Os custos futuros com desapropriações não estão incluídos na estimativa de preço da obra. Questionado sobre a possibilidade de demora, em razão das questões burocráticas, Dolzonan acredita que, diferentemente do tramo oeste, que levou mais do que o esperado para ser concluído, diante das implicações geradas pelas desapropriações, desta vez será rápido. Ele conta que dos 321 imóveis, cerca de 200 são invasões que já vêm sofrendo mudanças nos últimos anos. “Como já temos muitas casas desapropriadas, podemos garantir a atuação de muitas frentes de serviço até as demais desapropriações serem feitas”, afirma.

A implantação do trecho oeste, entre a Castelo Branco e a Rua 74, foi alvo de muita polêmica durante o processo de desapropriação. Até 2010, conforme notícias veiculadas pelo POPULAR, ainda existiam trechos sendo finalizados. As conversas sobre a implantação da Avenida Leste-Oeste são antigas, datadas da década de 1980. Para se ter ideia, na edição do D.O.M. de 30 de dezembro de 1987 foi publicada a criação de um grupo especial para promover o planejamento de prolongamento da via. A contratação da empreiteira (Andrade Gutierrez) só veio ocorrer quase 10 anos depois, em 1996.

Ambicioso

O projeto atual não envolve somente a construção da via, que por si só é complicada, pois prevê a construção de viadutos e pontes durante o trajeto, passando sobre a Marginal Botafogo e a BR-153. O projeto prevê ainda intervenções que visam melhorar a circulação do tráfego no entorno da região da Rua 44, a revitalização da Praça do Trabalhador, onde acontece a Feira Hippie, e já traz o que seria o traçado da Leste-Oeste interligando Trindade e Senador Canedo, numa extensão aproximada de 54,5 Km. Conforme informações repassadas ao POPULAR por Dolzonan, o projeto foi elaborado ao custo de R$ 1,4 milhão.

O secretário conta ainda que o projeto foi feito já pensando na implantação de um futuro Bus Rapid Transit (BRT) ao longo da via, interligando as regiões Leste e Oeste da cidade. A avenida, explica ele, tem uma dimensão de 30 metros de um lado até o outro, sendo três metros de calçada em cada um dos lados, 10 metros de asfalto em cada uma das pistas e um canteiro central de quatro metros, que seria utilizado para a implantação do BRT. Vale lembrar que a obra do BRT Norte-Sul segue sem previsão de conclusão.

A intenção é que a ordem de serviço para dar início às obras do tramo leste seja assinada ainda este ano. “Já estamos com a licença ambiental em mãos”, conta Dolzonan. Ela foi requerida junto à Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) em janeiro deste ano. O termo publicado no D.O.M. do dia 16 de janeiro fala em licença prévia para a pavimentação e drenagem do trecho leste da avenida.


Goiânia terá incentivo para edifícios-garagens


Estacionamentos verticais e subterrâneos receberão incentivo fiscal do município, com aprovação do Novo Código Tributário

Em tramitação na Câmara de Goiânia desde o dia 11 de setembro, o Projeto de Lei Complementar (PLC) 35/18, que rege a proposta do Novo Código Tributário do Municipal (CTM), prevê a isenção do Imposto Sobre Transmissão de Bens Imóveis (ISTI) e redução do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para novas construções de edifícios-garagens e estacionamentos subterrâneos.

Devido à grande quantidade de veículos em circulação na Capital, a medida é uma das estratégias para melhorar a mobilidade urbana nas ruas de Goiânia que vem ganhando, em média, 58 novos veículos por dia desde 2013. Em quatro anos, a cidade ganhou 84.967 veículos, sendo uma das maiores frotas do país. Com isso, o objetivo é conceder incentivo fiscal para atrair investimentos da iniciativa privada em estacionamentos verticais e subterrâneos. Para que as novas regras tributárias vigorem em 2019, o projeto precisa ser aprovado ainda este mês.

“Inserimos essa proposta no esboço do novo CTM porque queremos incentivar o segmento. A maioria dos estacionamentos de Goiânia é horizontal e isso esbarra na limitação de áreas disponíveis para esse fim. A verticalização otimiza o espaço, ajuda a equacionar uma demanda reprimida e fortalece o comércio. Nós temos um problema grande de falta de vagas para estacionamento em Goiânia”, justifica o secretário municipal de Planejamento, Henrique Alves.

De acordo com o Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran), a frota da Capital evoluiu 84.967 veículos entre 2013 e 2017. Eram 1.087.756 veículos e no final 2017 esse quantitativo subiu para os 1.172.723. Goiânia ocupa a sexta posição no ranking das maiores frotas do Brasil. 

Em uma cidade que, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem população estimada em 1.466.105 pessoas, isso significa que há quase um carro por habitante, uma das maiores proporções do país. 

Em termos comparativos, no Brasil existe um carro para cada quatro habitantes e nos Estados Unidos um automóvel para cada 2,4 cidadãos. Além disso, em Goiânia a taxa de crescimento de veículos já supera a populacional. Desde 2015, a taxa de incremento da população fica próxima a 1,25%. Já a de veículo, chega a aproximadamente 1,55%. A Capital é dona de quase 32% de toda frota do Estado de Goiás.

O incentivo fiscal

A ideia do poder público municipal é conceder isenção de ISTI na primeira aquisição de propriedade destinada à implantação de estacionamento subterrâneo ou à construção de edifício-garagem. Um estacionamento vertical recém-construído no Setor Marista, por exemplo, com área de 34,5 mil m², pagará ISTI de R$ 76,6 mil. Se aprovado o novo Código Tributário, construções desse tipo ficariam isentas do imposto devido sempre que ocorre a comercialização de um imóvel. O benefício, no entanto, condiciona prazo de cinco anos para início das atividades sob pena de ter que ressarcir, com correção monetária, o valor ao município.

A Prefeitura de Goiânia propõe reduzir em 70%, durante cinco anos após o início das operações, o valor do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) incidente sobre novas construções de edifício-garagem e estacionamento subterrâneo. 

Considerando como exemplo o mesmo caso do estacionamento vertical no Setor Marista, cujo IPTU seria de R$ 306,5 mil, o benefício fiscal concedido pela prefeitura representaria para o empresário uma economia de R$ 214,5 mil por ano ou R$ 1.072 milhão durante o tempo de vigência do benefício do IPTU reduzido. 

Juntos, ISTI e IPTU somam, apenas neste caso, desoneração de R$ 1.149.589,16. Caso o novo Código Tributário seja aprovado pelos vereadores da Capital, esses benefícios poderão ser solicitados nas unidades Atende Fácil, centrais de relacionamento presencial com a Prefeitura de Goiânia instaladas no Park Lozandes e no Setor Cidade Jardim. 


Show de Anitta em Goiânia previsto para o próximo domingo é adiado


O show da cantora pop em Goiânia, que estava previsto para o próximo domingo (7/10), foi adiado por "motivos técnicos", de acordo com a assessoria do evento.

O show da cantora Anitta, que estava marcado para acontecer no próximo domingo (7/10), em Goiânia, foi oficialmente adiado. De acordo com informações da assessoria do Beauty Party, responsável pela promoção da apresentação da cantora na capital goiana, a atração será realizada em um novo formato, agora no dia 9 de dezembro, um domingo.

Em nota, a assessoria informou que o evento foi adiado por razões técnicas e em dezembro terá um estilo “sunset”, a partir das 17 horas, com mais atrações.

A organização do evento também orientou, através da nota, como devem proceder as pessoas que já compraram o ingresso. De acordo com o comunicado emitido, os ingressos já adquiridos valem para a nova data, sem alteração no valor.

Aqueles que tiverem interesse na devolução do dinheiro, podem solicitar o reembolso no site de vendas oficial ou nas lojas do Shopping dos Cosméticos.

Confira a nota na íntegra sobre o adiamento do show de Anitta em Goiânia

“Comunicado à Imprensa

A Organização da “Beauty Party”, que contava com a cantora Anitta como um dos destaques, comunica que o evento que estava marcado para o próximo domingo, dia 07 de outubro, foi adiado para o dia 9 de dezembro, por razões técnicas. A nova data vai permitir que a festa ganhe um formato ainda mais atraente – uma “Sunset Festival”,  começando às 17h, com mais atrações. A presença da cantora Anitta está confirmada.

Quem já adquiriu a entrada terá três opções a partir de agora. Pode simplesmente guardar o ingresso e utilizá-lo na nova data, sem qualquer alteração no valor. Mas, se a pessoa optar pela devolução, no caso de ter comprado o ingresso em dinheiro, pode fazer a troca nas lojas do Shopping dos Cosméticos. Nas compras “On Line” é só solicitar o cancelamento no site do meubilhete.com.

Mais informações estarão disponíveis no site www.beautyparty.com.br a partir das 14 horas de sexta-feira, dia 05/10/18.”

Via: O Popular

Fonte: Dia Online

Reforma do BRT Eixo Anhanguera, em Goiânia, é estimada em R$ 100 milhões


Cálculo da CMTC é que apenas reparos emergenciais na pista custariam R$ 12 milhões. Manutenção é feita pelo Estado ou pela própria Metrobus desde 1976

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) estima que a revitalização total dos 13,5 quilômetros (km) da Avenida Anhanguera deve custar até R$ 100 milhões. Apenas a manutenção corretiva tem um custo estimado em R$ 12 milhões. A Metrobus, responsável pela concessão do serviço de transporte coletivo, não realizou cálculos para a manutenção. A empresa de economia mista, cujo maior acionista é o Estado de Goiás, pleiteia na Justiça que a Prefeitura seja a responsável pela reforma na pista, sob o argumento de que os municípios têm essa atribuição pela Constituição.

No final da semana passada, o desembargador Orloff Neves Rocha, da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO), cassou a liminar pedida pela Metrobus para que a Prefeitura fizesse as obras. A empresa, no entanto, argumenta que a decisão não confere a ela esta obrigação, já que o mérito ainda não foi julgado. Para o Paço, em contrapartida, a responsabilidade é da estatal por se tratar de uma pista exclusiva, utilizada apenas para o serviço que é objeto de uma concessão.

“De acordo com o artigo 30, inciso V da Constituição Federal, a responsabilidade da manutenção viária é da Prefeitura de Goiânia e não há nada nos contratos de concessão que excepcione essa obrigação, que são idênticos aos das outras operadoras. A boa condição da malha viária na via exclusiva é imprescindível para a saúde operacional de toda a frota da empresa, evitando a ida dos carros a uma precoce manutenção”, afirma a Metrobus, em nota. Reportagem do POPULAR no dia 13 de setembro mostrou que vários trechos da pista de ônibus estão deteriorados.

Por outro lado, a Prefeitura entende que a cláusula 45ª do contrato de concessão assinado com a Metrobus em 2011 também reforça a obrigação da empresa. O capítulo se refere aos direitos e obrigações e firma que a concessionária “deverá arcar, às suas expensas, com todos os custos e despesas necessárias à execução dos serviços”. O inciso III da mesma cláusula insere os “gastos de aquisição, manutenção e reparação de todo material fixo ou rodante, permanente ou de consumo, necessário ao seu funcionamento e à prestação dos serviços”.

Apesar da discussão, o Estado já é responsável pela manutenção, reparos e revitalização das pistas centrais, que é o corredor exclusivo do transporte, há 42 anos, ou seja, desde 1976, quando a estrutura viária foi criada. Na época, os reparos eram feitos ainda pela Transurb. A empresa, que veio a ser substituída pela Metrobus no início desta década, só não realizou com recursos próprios a revitalização feita em 1998, que foi feita pelo governo estadual, quando se implantou as plataformas de embarque.

Segundo a CMTC, a Metrobus mantinha uma equipe própria para os reparos na pista até 2012, quando a mesma foi desfeita. Os questionamentos da empresa, no entanto, se iniciaram a partir de 2002, junto à CMTC para que interviesse na manutenção da pista como de responsabilidade da Prefeitura e sob o argumento de se tornar inviável a operação com a quantidade de custos para o serviço. Apenas no início deste ano a reivindicação passou a ser judicial.

Pista causa danos em até dez veículos a cada dia



Um relatório realizado pela Metrobus indica que os problemas na pista central da Avenida Anhanguera, que é exclusiva para o transporte coletivo, indica que entre nove e dez ônibus por dia têm problemas com suspensão, freio ou pneus que seriam causados pelas falhas na via, que não passa por revitalização desde 2011. A empresa verifica que os veículos utilizados nas extensões para Trindade e Goianira, em que são utilizadas rodovias estaduais, não apresentam a mesma quantidade de problemas. A informação é de que os problemas se intensificaram a partir de 2014, quando o asfalto passou a ter mais problemas e os reparos não foram mais efetuados de maneira recorrente.

Segundo a Metrobus, ultimamente são realizados reparos em situações emergenciais, quando o serviço de fato fica comprometido e após notificar a Prefeitura para que a mesma execute a manutenção. O Paço argumenta que tenta uma negociação com a Metrobus desde o começo do ano, em que haveria uma parceria para a realização das obras. No caso, a mão de obra seria municipal e os materiais seriam pagos pela concessionária. O acordo não foi acatado, já que a empresa entende que judicialmente a responsabilidade é toda da Prefeitura.

A Metrobus assume ser responsável apenas pelos terminais do Eixo Anhanguera e as 19 plataformas de embarque, em que os reparos são feitos em parceria com o consórcio das empresas concessionárias do transporte coletivo da região metropolitana de Goiânia (Redemob). Além disso, a grade que segrega a pista de ônibus e sua estrutura também recebem manutenção da empresa estatal. Já a Prefeitura afirma que sua responsabilidade é apenas a sinalização (horizontal e vertical) da pista e a semafórica, já que elas não são exclusivas às pistas dos ônibus. A discussão só ocorre em relação ao asfalto em si. 

Na terça-feira, o prefeito Iris Rezende (MDB), em cerimônia de apresentação de novos ônibus das concessionárias privadas da região metropolitana, chegou a sugerir que o Estado privatizasse a Metrobus como forma de resolver os problemas operacionais e financeiro. 

3 perguntas para Brenno Marques - Procurador-Geral do Município

1- Por que a Prefeitura não é responsável pela via exclusiva na Avenida Anhanguera?
É uma via que está em concessão. O contrato não traz expressa a situação do asfalto, mas fala na reparação de todo material fixo ou rodante, permanente ou de consumo. E tem a lei das concessões do serviço público, em que é da concessionária a responsabilidade de tudo o que for acesso ao serviço que está sendo concessionado.

2 - Mas por que seria responsável pelo corredor da Rua 90, por exemplo?
A gente analisou o contrato específico da Metrobus, por ser uma via exclusiva. Teria que verificar os demais e a situação de cada avenida específica também.

3 - A Prefeitura pode agir contra a Metrobus pela situação da pista da Avenida Anhanguera?
A lei de concessões permite que seja feita intervenção do poder público e abertura de processo administrativo para verificar se o contrato está sendo cumprido. Pode ser que façamos esse estudo sim.

Fonte: Jornal O Popular
Foto: Yuri Carvalho



Governo de Goiás anuncia lucro de R$ 84 milhões da Saneago, no segundo trimestre


Vazão do Meia Ponte está além do limite mínimo

O governador José Eliton anunciou nesta segunda-feira (24/9) nas suas redes sociais duas notícias positivas da Saneago: a estatal goiana registrou lucro de R$ 84 milhões no segundo trimestre deste ano, resultado da gestão eficiente e novos padrões de governança nas suas finanças e suas operações.

No ano passado a Saneago já tinha registrado lucro de R$ 280 milhões, aumento de 136% sobre 2016. Com estes resultados positivos, a estatal pode captar na semana passada R$ 250 milhões no mercado a juros baixíssimos (2,8% ao ano) para novos investimentos na expansão da rede de esgoto em Goiás.

O governador estabeleceu como meta a universalização dos serviços de abastecimento de água potável para 100% dos municípios goianos e de coleta de esgoto para 100% dos municípios goianos com mais de 20 mil habitantes dentro do exercício 2019-2022. Atualmente, estes serviços atendem a 96% e 58% da população, respectivamente.

Outra boa notícia anunciada pelo governador José Eliton nas redes sociais é que a vazão do Rio Meia Ponte hoje é de 4 mil litros por segundo, bem acima do limite mínimo de 1.500 l/s, fruto do decreto para o plano de emergência hídrica com diversas ações de fiscalização e combate a fraudes implantadas pelo governo a partir de abril, ainda no período chuvoso, para garantir o abastecimento de água à toda população da Grande Goiânia e afastar qualquer possibilidade de racionamento no período de estiagem deste ano.